Amway inicia nova fase no país com loja em Curitiba

ParanaShop – PR – HOME – 26/11/2013
Na manhã desta terça-feira, dia 26, a Amway, maior empresa de vendas diretas do mundo, abriu as portas do seu inéditoAmway Business Center (ABC) em Curitiba. O objetivo do espaço é colaborar na formação e aperfeiçoamento dos distribuidores da companhia. Para o presidente da Amway, Odmar Almeida, a chegada da empresa a Curitiba marca um novo momento. ?É a nova fase de expansão da companhia no Brasil.?
A loja, com 270 m², está localizada na Rua Desembargador Westphalen, no bairro Rebouças e conta com modernas instalações. ?A expectativa é de que a loja traga grande crescimento para os distribuidores da cidade?, comenta o presidente.
No local, além de conhecer e comprar os produtos das linhas Nutrilite (nutrição), Ertia e Moiskin (cuidados pessoais e com os cabelos), Glister (cuidado bucal), Amway Home e iCook (cuidados com a casa), os distribuidores Amway poderão utilizar as duas salas de treinamento para aperfeiçoar seus conhecimentos.
Serviço:
Amway Business Center
Rua Desembargador Westphalen, 1180. Rebouças
Sobre a Amway
A Amway (amway.com.br) é a maior empresa de vendas diretas do mundo, segundo o ranking da Revista Direct Seling News de 2013. A Alticor Inc., empresa controladora da Amway, divulgou vendas globais de $11,3 bilhões em 2012. Fundada em 1959 e estabelecida em Ada, Michigan, EUA, a Amway oferece produtos de consumo e oportunidades de negócios em mais 100 países e territórios ao redor do mundo.
 
Artigo original

2019-12-20T14:07:56-03:00novembro 26th, 2013|Categories: ABEVD Clipping|

Brasil é escolhido para primeira campanha da MonaVie

O Debate – MG – HOME – 25/11/2013
Adelina Sette – Relações Públicas
Em operação no país há 5 anos, a empresa busca fortalecer sua marca através de anúncios em mídia impressa. A escolha do mercado brasileiro para esse lançamento deve-se ao relaciona-mento muito próximo com o Brasil, inclusive por sua linha de produtos ter com base o açaí.
“Estamos iniciando uma nova fase da MonaVie no Brasil. Nosso investimento em mídias é uma grande ferramenta para gerar credibilidade e conhecimento da marca, e auxiliar nossos distri-buidores a alavancarem vendas”, declara Eduardo Frayha, diretor geral da MonaVie Brasil.
Presente em 23 países, a empresa tem como filosofia ajudar as pessoas a viver uma vida com mais sentido por meio de seus produtos, pela oportunidade de negócios e de seu projeto social. Seus produtos são comercializados somente pelo canal de vendas diretas.
Fonte: Máxima Assessoria de Imprensa
 
Pesquisa Google
Seja o primeiro a comentar essa notícia
 
Artigo original

2019-12-20T14:07:57-03:00novembro 25th, 2013|Categories: ABEVD Clipping|

Natura surpreende com cartão de Natal personalizável por voz

Maxpress – SP – COMUNICAÇÃO – 25/11/2013
 
Pensando em aproximar ainda mais as famílias e os entes queridos neste Natal, a Natura preparou uma surpresa para os brasileiros de todos os cantos do país. Apostando em um dos sentidos mais marcantes do ser humano – a voz – a marca criou cartões diferenciados para surpreender e inspirar todas as relações na data mais especial do ano.
Mais do que um cartão de Boas Festas, o mimo criado pela Natura é uma maneira personalizada de conectar as pessoas. Por meio do hotsite www.natura.com.br/felizbrasil é possível gravar uma mensagem de voz de até 30 segundos que será entregue dentro do cartão na casa da pessoa presenteada. Os cartões, disponíveis em três layouts diferentes, podem ser levados a qualquer lugar, assim quando a saudade daquela pessoa bater mais forte, basta abrir seu presente e ouvir sua voz.
Aproximadamente mil unidades dos cartões foram produzidas para serem entregues pessoalmente. Após o término deste número, ainda é possível participar da ação enviando uma versão digital, também personalizada com mensagem de voz, por meio do Facebook. As fotos dos participantes ficarão arquivadas no hotsite, formando ao final da ação a mensagem “Feliz Brasil pra Você”, mote da campanha de Natal da Natura.
Sobre a Natura
Fundada em 1969, a Natura é a maior fabricante brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza e líder no setor de venda direta no Brasil, com uma receita líquida anual superior a R$ 6,3 bilhões. A companhia conta com quase 7 mil colaboradores, que atuam nas operações do Brasil, Argentina, Chile, México, Peru, Colômbia e França. A paixão pelas relações fez a companhia adotar a venda direta como modelo de negócios e atualmente reúne mais de 1,5 milhão de consultoras, que disseminam a proposta de valor da empresa aos consumidores.
A Natura acredita na inovação como um dos pilares para o alcance de um modelo de desenvolvimento sustentável. No ano passado, destinou R$ 154 milhões em inovação e lançou 104 itens. Este investimento fez com que a empresa atingisse um índice de inovação, percentual da receita proveniente de produtos lançados nos últimos dois anos, de 67,2%. Por conta da atuação consistente ao longo de anos num comportamento empresarial alinhado com a sustentabilidade, a Natura foi eleita, pelo segundo ano consecutivo, como a segunda empresa mais sustentável do mundo – e primeira do hemisfério sul – no ranking Global 100, da organização canadense Corporate Knights.
Burson-Marsteller Brasil (Natura)
Mariana Geraldine | (11) 3040.2417| [email protected]
Carolina Lopez | (11) 3094.2268 | [email protected]
Fernanda Fernandes | (11) 3094.2276 | [email protected]
Gabriela Hopf | (11) 3094.2240- ramal 2435 | [email protected]
 
Artigo original

2019-12-20T14:07:57-03:00novembro 25th, 2013|Categories: ABEVD Clipping|

Grupo Hermes entra com pedido de recuperação judicial

IG – Economia – None – EMPRESAS – 19/11/2013
imgExtranet_3_0839dbd5-0e66-410a-bcd8-49af978b6cd1
 
 
imgExtranet_0_0839dbd5-0e66-410a-bcd8-49af978b6cd1Thinkstock/Getty Images Grupo de venda porta a porta possui faturamento anual superior a R$ 2 bilhões

O Grupo Hermes, por meio de suas empresas Hermes e Merkur, entrou na segunda-feira (18), na Justiça do Rio de Janeiro, com pedido de recuperação judicial.

 

O grupo é proprietário do site Comprafacil.com, e suas dívidas chegam a quase a R$ 600 milhões, segundo a consultoria Alvarez & Marsal (A&M), responsável pela operação.

 

-Leia também:  OSX, de Eike, pede recuperação judicial

 

A consultoria informou que, com o aumento da competitividade no setor de varejo nacional e a conjuntura macroeconômica, a situação financeira das companhias se deteriorou, “restando como alternativa a proteção oferecida pela lei”.

 

A recuperação judicial permite que as empresas contem com um período de 180 dias sem que os credores executem suas dívidas. Durante esse período, as empresas elaborarão e apresentarão em juízo o seu plano de recuperação e liquidação de obrigações, visando sempre a continuidade das empresas.

 

“Com mais de 70 anos de atividade no mercado de varejo a distância e 10 anos no mercado de vendas online, a Hermes – terceira maior em vendas por catálogos, atrás apenas de Natura e Avon – possui faturamento anual superior a R$ 2 bilhões, conta com aproximadamente 1.800 funcionários diretos e mais de 500 mil revendedores”, informou a A&M.

Artigo original

 

2019-12-20T14:07:58-03:00novembro 19th, 2013|Categories: ABEVD Clipping|

Grupo Hermes desiste do Comprafacil.com e planeja leiloar a marca

O Globo – RJ – TECNOLOGIA – 19/11/2013
SÃO PAULO – Com dívidas somando quase R$ 600 milhões, o grupo Hermes, dono do site Comprafacil.com, irá se desfazer do negócio de varejo on-line e se dedicar exclusivamente à venda por catálogos de utensílios domésticos, roupas e outros artigos, atividade exercida pela companhia desde a década de 1940. Em entrevista à Reuters, o diretor de operações do grupo, José Luiz Volpini, afirmou que a estratégia faz parte da reestruturação da empresa, que entrou com pedido de recuperação judicial na véspera, no Rio de Janeiro.
– O e-commerce é que causou essa situação. Estamos descontinuando porque é negócio de capital intensivo: você compra (produto) pra pagar em 90 dias, mas recebe (do cliente) em 12 meses – disse. – A infraestrutura urbana no Brasil é péssima. O processo de entrega é complexo e corrói margens. É preciso escala muito grande para suportar coisas como essas – observou o executivo. – Estamos assumidamente dizendo que não é para o nosso tamanho.
Agora, a companhia deverá leiloar a marca Comprafacil.com, disse Volpini, acreditando no apelo do nome. O site, que registrou vendas anuais na casa de R$ 1,5 bilhão, continuará em operação até lá, mas com o estoque reduzido. Ativos físicos deverão ser leiloados separadamente.
Antes da decisão, o negócio de varejo on-line já havia sido ofertado a empresas como a Nova Pontocom, da ViaVarejo, segundo fonte do setor com conhecimento do assunto.
Sem citar potenciais compradores, Volpini afirmou que a administração espera uma venda mais fácil no cenário de recuperação judicial, que isenta interessados de lidar com riscos trabalhistas ou de sucessão. A administração do sites de terceiros também será descontinuada pelo Grupo Hermes, que chegou a operar as lojas online de empresas como Som Livre, Ipiranga, Globo Marcas e Ambev.
Na semana passada, inclusive, a B2W, dona de bandeiras como Submarino, Shoptime e Americanas.com, anunciou ter vencido a concorrência para a operação da Ambev na internet. Volpini, no entanto, negou que o fato tenha influenciado o pedido de recuperação judicial da empresa.
– A administração de lojas de terceiros nunca foi negócio expressivo no grupo – afirmou, destacando que sua representatividade na receita total “não passava de um dígito”.
O processo de recuperação judicial será comandado por Marcelo Gomes, diretor-geral da Alvarez & Marsal, consultoria contratada pelo Hermes. Arthur Negri assume como novo presidente da empresa, no lugar de Gustavo Bach.
Durante o período de recuperação, os credores da empresa não poderão executar as dívidas por um prazo de 180 dias, durante os quais o Hermes irá apresentar “em juízo o seu plano de recuperação e liquidação de obrigações, visando sempre a continuidade dos negócios”, disse o grupo, em comunicado.
Apresentando-se como a terceira maior empresa do Brasil em vendas por catálogos, a companhia teve faturamento anual de cerca de R$ 700 milhões com o negócio, segundo Volpini.
A intenção é dar foco às vendas diretas daqui para frente, tirando proveito de uma rede com 500 mil revendedores para fechar uma futura parceria na venda de cosméticos, mercado ainda pouco explorado pela empresa.
– O catálogo Hermes sempre teve bom resultado e o mercado de vendas diretas tem apresentado boas taxas de crescimento, mesmo com o fator internet, porque o Brasil tem expansão territorial enorme e muitos municípios com oferta de produtos razoavelmente restrita – disse Volpini.
 
Artigo original

2019-12-20T14:07:58-03:00novembro 19th, 2013|Categories: ABEVD Clipping|

Marketing multinivel? Só se 70% do dinheiro vier do produto

Portal Exame – SP – BRASIL – 19/11/2013
 
São Paulo – A subcomissão instalada na Câmara para regulamentar o marketing multinível no Brasil não deve ficar apenas em definições genéricas: para diferenciar essa forma de remuneração dos vendedores de esquemas de pirâmide financeira, os deputados planejam chegar a uma porcentagem específica dos ganhos que deverão ser feitos de forma direta pela venda de produtos – fala-se em 70%, por enquanto.
O percentual foi repassado pelo relator da subcomissão Renato Molling (PP-RS), que participou de vídeo chat no site da Câmara dos Deputados na manhã de hoje.
“No mínimo, o produto que está sendo vendido teria que ser 70% do valor e o restante poderia ser de rendimentos indiretos, como comissões”, afirmou o deputado, que reconheceu que o limite ainda será discutido.
“É tema polêmico. Essa porcentagem tem que ser bastante discutida, mas também não pode ser de 5 ou 10%. Tem que ter um valor”, completou ele, mostrando que a comissão terá de ter o cuidado para não engessar as empresas que praticam o marketing multinível de maneira legal.
O marketing multinível, ao contrário da pirâmide financeira, tem lastro na venda real de produtos, embora também remunere seus vendedores pela adesão de novos nomes e a venda dos que entram. Na pirâmide, porém, o esquema – insustentável – é mantido unicamente pela entrada de novas pessoas à cadeia, não tendo lastro e desmoronando depois que ninguém mais se junta ao grupo.
Regulamentação
A subcomissão da Cãmara foi criada na esteira do surgimento da Frente Parlamentar presidida pelo deputado Acelino Popó. Os parlamentares respondem à pressão de surgidas a partir do bloqueio das atividades da TelexFREE e da BBOM pela justiça.
Sobre as duas principais companhias, o deputado Renato Molling evitou dar opinião acerca da legalidade ou não de suas atividades, mas atestou que, dos divulgadores da TelexFREE com quem conversou, “ninguém reclamou até hoje”.
Atualmente, pelos menos três projetos são analisados pela subcomissão, e o deputado poderá dar seu parecer sobre como a questão deverá tramitar na Casa. São eles: PL 6.667/13PL 6170/13 e o PL 6206/13.
A tramitação do texto final até a aprovação pela Câmara não será demorada, na avaliação do relator da subcomissão, já que há um interesse geral em aprovar a medida. Mas não foi citada um prazo específico.
 
Artigo original

2019-12-20T14:07:58-03:00novembro 19th, 2013|Categories: ABEVD Clipping|
Ir ao Topo