Como ter uma rotina de sucesso na venda direta

Confira algumas dicas que podem ajudar a conquistar suas metas

Trabalhar com venda direta é saber que coisas inesperadas podem acontecer a qualquer hora. Um cliente pode ligar cancelando a visita, outro querendo um produto de última hora, ou até mesmo pedindo um prazo menor no recebimento da mercadoria. São diversos os casos e as situações, e para não ser pego de surpresa é importante estabelecer uma rotina eficaz. Ela permite um dia mais eficiente e você fica confortável com o seu trabalho. Claro, toda rotina deve ser criada de acordo com o seu estilo profissional e pessoal, mas confira algumas dicas divulgadas pelo site DSEF – Direct Selling Education Foundation que podem ajudar.

Faça a sua lista de tarefas no dia anterior. Se você esperar o seu dia iniciar para listar as tarefas que precisa fazer, como clientes que tem que visitar e pedidos que precisa fazer,  já terá perdido um tempo com elas ao invés de fazê-las. Algumas pessoas acham interessante já fazer a lista de tarefas da semana inteira e no dia apenas revisá-la e, se necessário, ajustá-la com as demandas. Faça como for mais fácil para você.

Organize e prepare as coisas que vai usar no dia seguinte. Por exemplo, se você tem várias entregas de produtos para fazer, separe-os por cliente, mas todos em um único lugar. Se você almoça em casa ou leva um lanche para comer ao longo do dia, também já os deixe prontos no dia anterior, bem como a roupa que você pretende usar. Essa estratégia pode fazer com que você ganhe alguns minutinhos pela manhã.

Faça uma agenda e siga-a. Organizar o seu dia é uma coisa, mas seguir o que foi organizado pode ser uma tarefa difícil de cumprir, principalmente se houver tarefas profissionais e pessoais, como geralmente acontece com quem trabalha com a venda direta. Faça o melhor que puder para se prender a ela, e, caso aconteça algum imprevisto, volte para a agenda e reorganize-a. Dessa forma, você não vai se sentir como se estivesse sempre deixando algo de fora ou esquecendo alguma coisa.

Premie-se. Organizar o seu dia a dia é uma tarefa difícil e requer muita disciplina. Então, quando conquistar os seus objetivos da semana ou do mês, se dê um presente como forma de motivação para que continue a atingir metas. Peça um sanduíche no almoço do seu restaurante favorito, vá a manicure na volta para a casa ou saia para ver um filme com os amigos. Faça algo que você goste, mas que não atrapalhe o seu processo e objetivos.

 

2019-12-20T12:32:08-02:00abril 29th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Venda direta no Brasil oferece oportunidade para empreender a mais de 4 milhões de pessoas

Os ganhos podem chegar a até R$ 10 mil por mês, mas é preciso ter muita dedicação

Já pensou em entrar em uma loja, conhecer os produtos e experimentá-los para ver se a cor ficou boa ou não? Até aí, nada diferente de uma loja convencional, porém, para comprar o produto que gostou, você terá de procurar um representante da marca e adquirí-lo por meio da venda direta.

Um modelo de negócio que só cresce no Brasil, a venda direta está se tornando mais do que uma fonte adicional de renda. Muitas pessoas que trabalham no setor, tem nesse segmento a principal fonte de renda da casa.

O mercado movimentou R$ 41,6 bilhões de reais em 2013, e tem hoje mais de 4,5 milhões de revendedores cadastrados. Mais da metade atua em diversas empresas e o lucro médio por mês é de R$ 303,00, sendo que conseguir superar esse valor não é uma tarefa tão difícil.

Ser gentil e solicito são requisitos básicos, mas não é só isso. É preciso ter uma agenda organizada, com nome, telefone, endereço e e-mail do cliente. Também é importante mostrar que conhece as preferências dele, oferecer o que realmente pode ser útil, e ter disciplina. Uma dica é ter metas semanais, mensais, trimestrais, semestrais e anuais, isso significa que é preciso traçar metas de curto, médio e longo prazo.

Com tudo isso, é muito provável que as vendas apareçam e que o negócio cresça cada vez mais.

2019-12-20T14:05:17-02:00abril 27th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

E-commerce da Natura é rede social

Empresa criou uma rede de relacionamentos para os mais de 1,2 milhão de consultores

Em operação por todo o Brasil, a Rede Natura, criada para funcionar como um comércio on-line da empresa, assemelha-se mais a uma rede de relacionamento personalizada entre a companhia, seus consultores e clientes, do que um e-commerce em si.

O projeto que demorou mais do que o previsto para ser implementado em todo o país por conta de desafios tecnológicos e logísticos, chega em um momento em que as empresas de beleza e cosméticos enfrentam uma forte concorrência das estrangeiras. “Diante do aumento da competitividade do mercado, e do tamanho que alcançamos, para continuarmos crescendo é preciso ter uma forma diversificada de acesso”, conta Daniel Silveira, diretor regional da Natura para o Jornal do Commercio, de Recife.

A diversificação é também uma das apostas da Natura, que, em 2014, concluiu um ciclo de investimentos de R$ 2 bilhões nos últimos quatro anos.

 

2019-12-20T15:12:08-02:00abril 23rd, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Venda direta de livros cresce 9,8%

Segmento perde apenas para livrarias

Para difundir e estimular a leitura e a cultura no Brasil, a ABDL – Associação Brasileira de Difusão do Livro, realizou, em março, o 13º Salão de Negócios ABDL, na cidade de Natal, Rio Grande do Norte. Voltado ao segmento de venda direta de livro, o evento recebeu mais de 200 empresários e, além de promover a indústria e o comércio de livros, incentivou a valorização da imagem do vendedor deste segmento.

Uma pesquisa divulgada em agosto do ano passado pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), mostrou que a participação dos livros nas vendas diretas quase triplicou nos últimos três anos. De acordo com o estudo, 13,7% dos exemplares vendidos são comercializados por vendedores diretos, o que gerou um crescimento de 9,83% e se consolidou como o segundo canal de vendas mais importante, perdendo apenas para as livrarias. Em terceiro lugar vem a venda pela internet.

Atualmente, 30 mil vendedores contratados pelas 220 editoras e empresas ligadas à ABDL fazem um trabalho de venda capilarizada em todo o país e alcançam áreas não atendidas pelas livrarias. Porém, foi a Avon quem deu início a essa atividade ao incluir nos seus catálogos best-sellers.

 

Mulheres são maioria na venda direta

Mercado brasileiro é formado por 90% de mão de obra feminina

No Brasil, a venda direta cresce em média 7% ao ano e existem mais de 4,5 milhões de revendedores autônomos atuando no mercado. Mais de 90% da força de venda é formada por mulheres e o principal setor em que atuam é o de produtos de beleza. Entretanto, há outros setores mais voltados às mulheres, com amplo potencial de expansão, que podem ser ainda melhor explorados, como: semijoias, cintos, calçados, eletrodomésticos, entre outros.

A participação da mulher na venda direta está relacionada a sua história de conquistas no mercado de trabalho. Foi esse modelo de venda que proporcionou a primeira oportunidade formal para a mulher empreender, não só no Brasil, como no mundo.

Quando a venda direta ganhou força, a mulher ainda precisava cuidar exclusivamente de todas as responsabilidades do lar, dos filhos e do marido; essa é considerada uma das razões do modelo ter sido o mais conveniente, já que é um ramo que não exige formação, domínio de idiomas, pós-graduação, habilidade técnica, nem horário ou local fixo de trabalho.

Mas mesmo com o passar dos anos e a evolução da atividade (do comércio de porta em porta para uma venda feita por meio das relações pessoais), a mulher manteve o seu destaque no setor. E o perfil da mulher que trabalha neste segmento é primeiramente o de dona de casa. “Anteriormente a dona de casa não pertencia a nenhum grupo de estudo ou de trabalho. Com a venda direta, ela passou a pertencer, no mínimo, a um grupo de empreendedoras, passando a ter acesso a cursos e programas de incentivos das empresas. Esse perfil continua muito forte”, afirma Roberta Kuruzu, diretora executiva da ABEVD.

 

2019-12-20T14:05:38-02:00abril 21st, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Empresas de venda direta buscam jovens para trabalhar no segmento

Mercado pode ser uma ótima opção para quem está buscando o primeiro emprego

Ao tentar entrar no mercado de trabalho tradicional, os jovens costumam encontrar algumas dificuldades e esbarrar em questões como falta de experiência e prática por parte dos empregadores. A opção pela venda direta pode ser uma alternativa mais acessível para garantir uma fonte de renda e dar os primeiros passos.

As vantagens para os iniciantes são muitas: não é necessário diploma, o investimento inicial é baixo, e o cadastro é simples. A pessoa costuma receber também apoio da empresa, que proporciona não só uma garantia de lucros, mas aprendizados que podem levar ao longo da carreira.

Um dos pontos mais atrativos para os jovens que decidirem por ingressar nessa carreira, é a possibilidade de uma rápida evolução profissional. Muitas empresas procuram investir na capacitação dos vendedores, os preparando para entender o produto, administrar o negócio e até cuidar do pós-venda. Mas o empenho dos iniciantes é o que pode fazer toda diferença para quem escolhe a venda direta como primeiro trabalho.

A maior parte da força de venda é formada por mulheres de todas as faixas etárias, mas os jovens estão crescendo, uma vez que buscam uma vida mais flexível e mais equilibrada. Com a modernização tecnológica, muitas empresas estão buscando jovens com mais habilidades em tecnologia e que se relacionam nas redes sociais para vender seus produtos e serviços a partir desse relacionamento na internet.  

2019-12-20T14:05:38-02:00abril 20th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Na venda direta atual, o que existe hoje pode não ser o suficiente para amanhã

Livro traz experiências dos principais nomes do mercado e o que é preciso fazer para continuar crescendo

A indústria da venda direta conseguiu prosperar ao longo das mais desafiadoras gerações, e tem inspirado milhões de pessoas ao longo dos anos.

Porém, as mudanças culturais, demográficas e tecnológicas que acontecem atualmente, levantam questões existenciais: O que significa ser um vendedor direto na era das redes sociais e gratificação instantânea? Como uma empresa pode conseguir impulso e aumentar seu crescimento nesse novo cenário?

É o que responde o autor Jonathan Gilliam, no seu livro BlastOff!Creating Growth in the Modern Direct Selling Company (Ação! Gerando Crescimento na Empresa de Venda Direta Moderna, em tradução livre para o português) ao apresentar ideias e lições de CEOs da indústria.

Não importa se a empresa está em lançamento, em andamento ou em busca de novos mercados, a obra traz experiências de algumas das pessoas mais experientes que esta indústria tem para oferecer.

 

2019-12-20T12:32:14-02:00abril 17th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Grandes empresas investem no modelo de venda direta

Em 2013, esse setor movimentou R$ 41,6 bilhões no país

O mercado de venda direta continua com boas previsões para este ano. Com movimentação de R$ 41,6 bilhões em 2013, muitas pessoas se tornam revendedores para complementar a renda e acabam transformando o trabalho na principal fonte.

O setor, que possui mais de 4,5 milhões de revendedores, permite uma maior flexibilidade de horários, não há gastos fixos, como os que envolvem manter uma loja. O retorno para quem investe varia, uma vez que cada revendedor faz o seu horário e tem um determinada cartela de clientes.

Em 2012, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) realizou um estudo que mostrou, na época, que o lucro médio mensal dos consultores brasileiros era de R$ 323,15. O destaque ficou por conta do Rio de Janeiro, onde 53% dos revendedores tinham na venda direta a sua única fonte de renda.

Grandes empresas entram para a venda direta

Em 2013, a Marisa começou a investir na venda direta com um projeto-piloto de 700 consultoras que vendem roupas femininas por meio de catálogos. Hoje, em todo país, são mais de 90 mil consultoras. Outra empresa que também decidiu investir nesse mercado foi a Polishop, que possui 80 mil revendedores cadastrados e não vê concorrência entre o catálogo com as lojas físicas, e-commerce ou televendas.

Essa mudança de empresas de diferentes áreas para a venda por catálogo é uma tendência no Brasil. Atualmente, existem empresas que vendem livros, cursos de idiomas, itens para animais de estimação e utilidades para o lar por meio do contato pessoal fora de um lugar fixo. Com isso, as empresas conseguem atrair consumidores que gostam de praticidade.

 

2019-12-20T14:05:39-02:00abril 16th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Catálogo perde força e marcas apostam na web

Valor Econômico – Empresas – 15/04/2015

Resiliência, a capacidade de se adaptar ou evoluir frente à adversidade. É esse o teste imposto ao setor de venda direta de produtos de beleza, que perde participação de mercado há pelo menos cinco anos no Brasil, enfraquecido pela concorrência de drogarias e perfumarias, o aumento de custos e, mais recentemente, a mudança no Imposto sobre Produto Industrializado (IPI). A habilidade de estar presente no maior número possível de canais vai separando quem ganha ou perde o consumidor. Por isso, Natura e Avon reforçam a aposta em plataformas on-line. Lojas físicas também estão no rol de possibilidades.

As vendas diretas representaram 26,3% do mercado de produtos de beleza e cuidado pessoal do país em 2014, segundo a consultoria Euromonitor. O setor perde espaço ano após ano. Em 2009, a fatia era de 28,2%. Já as plataformas de varejo pela internet representam fatia de 1,6%. Em 2009, eram 1,1%. O varejo físico representa 72% do total.

“O consumidor venceu as resistências iniciais para comprar on-line e os hábitos mudaram. Ainda assim, ele quer experimentar o produto nas lojas, ouvir opiniões antes de comprar. Cabe às empresas se adaptar à cada nova peculiaridade e situação”, diz Roberto Lima, presidente da Natura. A plataforma digital Rede Natura passou a atender todo o país no fim de 2014, após testes em São Paulo, e chegará à América Latina até 2016. Desde março, a campanha publicitária “Chame Natura, chame que vem”, divulga a nova forma de venda na TV, na internet e em revistas e busca atrair mais o público jovem.

A abertura no Brasil de lojas físicas da marca australiana Aesop (adquirida no fim de 2012) também integra os planos da Natura em 2015. A empresa passa por um momento de adaptação nos negócios, o que inclui a entrada no varejo, a incorporação de ferramentas digitais e a ampliação do portfólio, com a venda de itens de moda e decoração pela internet.

O aumento de 1,9% da receita da Natura no Brasil no ano passado, ante o avanço de 10% do setor, ficou abaixo do esperado pela empresa. No exterior, a marca Aesop puxou o avanço de 25,6% das receitas da companhia. Segundo a empresa, a prioridade é retomar o crescimento no Brasil e dar continuidade ao avanço lá fora. Analistas, entretanto, custam a conceder um novo voto de confiança. “O canal de vendas diretas pode realmente estar saturado”, escreveu Caio Moreira, do Banco Fator Corretora, em fevereiro.

A Avon admitiu, ao divulgar seus últimos resultados, problemas com o “cenário macroeconômico desafiador e o ambiente competitivo no Brasil”. As vendas da americana no país caíram 7% no quarto trimestre – subiriam 4% sem o efeito cambial. A empresa adota estratégia semelhante à Natura ao apostar em ferramentas digitais. Em janeiro, entrou no ar a Avon Store, com diversas linhas da marca. A empresa avança aos poucos pela web, cuidadosa para não desagradar o exército de mais de 1 milhão de revendedoras. Segundo dados da ebit, empresa de pesquisas sobre o comércio eletrônico, a ousadia pode valer a pena. O setor de beleza concentrava, em meados de 2014, 16% dos pedidos da internet. É o segundo maior depois de moda e acessórios (18%).

“O setor de varejo movimenta cerca de R$ 500 bilhões ao ano no país, enquanto a fatia on-line representa R$ 40 bilhões. É fácil entender por que as empresas digitais buscam um espaço físico. Já o varejo digital cresce 20% ao ano, enquanto o tradicional avança entre 4% e 5%, o que explica a lógica oposta, de passar a vender pela internet”, diz Carlos Eduardo Santos Silva, professor no curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Mackenzie.

O mercado de venda direta gerou R$ 41,6 bilhões em 2013, segundo a ABEVD, associação do setor. De cada dez empresas, oito comercializam produtos de higiene e cosméticos. Os dados de 2014 ainda não foram divulgados, mas Roberta Kuruzu, diretora-executiva da ABEVD, é otimista: “O mercado de beleza é resiliente e a forma de empreender é simples, com baixo custo e pouca exigência de formação profissional: basta vontade e um bom relacionamento”.

“Ao mesmo tempo em que há o movimento de empresas de venda direta para atingir novos canais, companhias de outros setores também adotaram a venda direta para diversificar os perfis de clientes”, diz Roberta. É o caso do grupo Boticário, conhecido pela rede de lojas, que criou a marca Eudora em 2011 para atuar no porta a porta e depois começou a vender por catálogo também os produtos de sua marca principal, num sistema gerenciado por suas franquias.

Na Mahogany, que iniciou as vendas diretas no fim de 2013, também são os franqueados que selecionam os revendedores. A empresa viu nos catálogos a oportunidade de ganhar capilaridade e fortalecer a marca, diz o presidente Jaime Drummond. A empresa está em todo o país, exceto Amapá, Acre e Roraima.
Segundo dados da Euromonitor, enquanto a fatia da Natura no mercado de produtos de beleza e higiene pessoal caiu de 13,6% em 2008 para 11,3% em 2014 e a Avon teve recuo de 8,8% para 5,8%, O Boticário cresceu de 6,5% para 10,3%. Para recuperar o espaço perdido, a expansão da plataformas on-line e a adoção de lojas físicas podem ser só o começo. “O momento é de repensar o canal de vendas. Há um mundo de oportunidades”, diz Roberta.

2019-12-20T12:53:16-02:00abril 15th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|

Maneiras fáceis de construir hábitos para ter sucesso

Confira algumas dicas que podem ser usadas por quem trabalha com venda direta

“Motivação é o que te faz começar. Hábito é o que te faz continuar”. Essa frase do autor Jim Ryum mostra como é possível encontrar sucesso a longo prazo, tanto na vida pessoal, quanto na profissional. Fazer com que algo se torne um hábito leva tempo e, certamente, não é lá uma tarefa tão fácil. Abaixo, confira algumas dicas para ajudar você a conseguir inserir esse comportamento no seu dia a dia.

Tenha tempo para fazer isso. Por mais óbvio que possa parecer, muitas pessoas não dão importância para esse passo importante. Por exemplo, se você pretende fazer do exercício físico uma parte da sua rotina diária, você precisa separar um horário específico para fazer isso. Olhe para a sua agenda e estilo de vida e comece. Se você tem mais energia pela manhã, escolha essa parte do dia para fazer de 15 a 30 minutos de exercício. Estabelecer um horário irá encorajá-lo a se manter na meta e a continuar.

Conecte hábitos que você já tem aos que pretende adotar. Se a sua meta é fazer exercícios de 20 minutos por dia, agregue algo que você já faz todos os dias. Se você sempre se senta para ver o jornal, então assista-o em uma esteira, ao invés de sentado no sofá. Ou se você trabalha com venda direta e tem uma reunião da escola do seu filho, aproveite para mostrar os seus produtos depois da reunião. Assim, você terá uma maior chance de cumprir o que planejou.

Faça isso ser o mais conveniente possível para você. Se você quer se dedicar a vender seus produtos na parte da manhã, ajeite as suas coisas na noite anterior, assim poderá sair da cama direto para o trabalho. Você terá uma desculpa a menos se a tarefa for simples e conveniente para fazer.

Tenha um calendário para marcar o seu progresso e se dê uma recompensa ao concluir uma meta. Para continuar motivado, você precisa traçar metas e acompanhar o seu progresso. A cada vez que concluir uma meta, se dê um presente de maneira que possa encorajá-lo a continuar as outras metas estabelecidas.

Quando desenvolver os bons hábitos, faça o que puder para alcançar o sucesso. Planeje, seja realista com o seu estilo de vida e acompanhe o seu progresso.

 

2019-12-20T12:32:28-02:00abril 15th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |