Natura aposta na inovação para vencer a concorrência

Empresa busca a ajuda de startups para desenvolver produtos mais inovadores

 

Em busca de desenvolver produtos cada vez mais inovadores e importantes para o dia a dia dos seus clientes, a Natura firmou uma parceria estratégica com a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec). A ideia do projeto é encurtar a distância da empresa com pequenos negócios que carreguem a inovação e a tecnologia como parte principal de seus DNAs.

 

A empresa convidou startups e solicitou que fornecessem informações básicas sobre os trabalhos que desenvolviam e que descrevessem uma proposta com a sua aplicabilidade junto à Natura. Dentro as competências solicitadas junto às pequenas empresas, destaque para:

 

  • Aparelhos e dispositivos para aplicação de produtos cosméticos ou para tratamento e diagnósticos da pele e do cabelo capazes de melhorar a experiência e o benefício ao usuário;

 

  • Aplicativos e tecnologias que promovam interatividade e ampliem a experiência dos consumidores com os produtos e serviços da Natura;

 

  • Tecnologias de ingredientes, como emulsões, tensoativos, proteção solar, óleos e emolientes;

 

  • Tecnologias de formulações cosméticas;

 

  • Tecnologias de embalagens que possibilitem novas formas de aplicação e experiências do usuário.

No ano passado, a Natura firmou um contrato de financiamento com a Agência Brasileira de Inovação (Finep) e realizou um hackathon em parceria com o MIT. A companhia segue uma tendência de mercado já iniciada por empresas como Bradesco, Mastercard e Coca-Cola e investe na sustentabilidade para trazer ainda mais credibilidade para a sua marca.

2019-12-20T15:01:43-03:00maio 29th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Grandes indústrias avançam em políticas voltadas à defesa do consumidor

Líderes de grandes empresas trabalham pela autorregulação do mercado de venda direta

A Direct Selling Association, instituição sem fins lucrativos que trabalha para a compreensão da venda direta nos Estados Unidos, levantou um tema importante para discussão entre os líderes de grandes indústrias: a importância do código de defesa do consumidor e a autorregulação.

 

Um dos aspectos tratados nesta reunião, foi a constante mudança das expectativas dos consumidores em relação as empresas: essa mudança implica em um posicionamento transparente e ético, promovido pelo código do consumidor e pela autorregulação. A preocupação por manter esse compromisso deve partir das próprias empresas, e quando elas entendem que essa é uma responsabilidade interna, alcançar a satisfação dos clientes se torna um objetivo muito mais tangível.

 

“À medida que as expectativas para a proteção dos consumidores evoluem, o mesmo acontece com nosso Código de Ética”, disse o presidente da Direct Selling Association (DSA) Joseph N. Mariano. ” Nós escolhemos a dar o exemplo para que cada empresa de venda direta nos Estados Unidos tem um incentivo para fazer melhor por seus clientes. É por isso que a discussão de hoje é tão importante.”

 

“A autorregulação permitirá a flexibilidade necessária para responder rapidamente tanto as exigências dos consumidores como as expectativas do mercado”. Disseminar boas práticas de autorregulação vai ajudar a garantir os direitos dos consumidores e a consolidar o mercado de venda diretas como um segmento com confiabilidade e solidez.

 

Veja a cobertura completa desse evento aqui.

2019-12-20T15:01:43-03:00maio 27th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Tecnologia acelera o faturamento no mercado de venda direta

Gadgets já são oferecidos pelas indústrias e ajudam no trabalho da força de vendas

As primeiras inovações tecnológicas que se tornaram públicas foram recebidas com receio e até um pouco de resistência. Exemplo dos leitores de código de barras que conquistaram seu espaço aos poucos até ganhar total confiança do mercado. Hoje, o cenário de dispositivos eletrônicos é tão intenso, que a aceitação é muito mais simples: a velocidade dos lançamentos faz prestar atenção nas oportunidades de potencializar pequenas, médias e grandes empresas.

 

Nas vendas diretas, isso não foi diferente. Grandes distâncias são alcançadas facilmente através da internet, economizam tempo e fecham negócios de uma forma que não poderia ser imaginada a 20 anos atrás. Aplicativos, redes sociais, catálogos online e outras ferramentas criam um ambiente de interação mais participativa e veloz com os clientes, e partir disso, impulsionam significativamente as chances de vendas.

 

Com o tablet, é possível consultar uma imensidão de informações sobre um produto e/ou serviço e mostrá-las ao cliente no mesmo instante. Simuladores podem exemplificar situações específicas para representá-las com exatidão e segurança, fazendo com que uma solução seja vista com objetividade e pragmatismo. Sem falar nas ferramentas de pagamento, que são mais rápidas e seguras e têm custo acessível para quem precisa fazer pequenas transições financeiras – uma das maiores barreiras para pequenas e médias empresas.
A tecnologia promove uma porção de vantagens competitivas e está se tornando o motor para que mais vendas se concretizem. Soluções simplificadas, tecnologias de baixo custo e dispositivos móveis cada vez mais inteligentes, entre outros, são os detalhes que podem alavancar a sua marca aquecer diretamente o faturamento do seu negócio.

2019-12-20T12:30:28-03:00maio 26th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

Brasil é o lugar certo para a venda direta

País apresenta características culturais bastante específicas que facilitam a vida dos revendedores

O Brasil é um dos países que mais movimentam dinheiro no mundo com venda direta. Dominado pela comercialização de cosméticos e artigos de perfumaria, o mercado brasileiro muito se destaca pelas características culturais dos seus habitantes. De olho nisso, o SEBRAE compartilhou algumas dicas para que os revendedores possam entender, com mais clareza, as especificidades do mercado brasileiro e dos seus consumidores.

  • Relacionamento Pessoal

O modelo de venda direta é muito bem aceito pelo consumidor brasileiro pois acontece através de relacionamento pessoal. Culturalmente, o país é favorável ao contato porta a porta por meio de pessoas conhecidas.

  • Um país muito populoso e miscigenado

Um país de dimensões continentais e populoso como o Brasil, é sempre foco de comércio para grandes indústrias. De norte a sul do território, diferentes tipos de subculturas influenciam na maneira como as pessoas se comportam e consomem. A diversidade de perfis dos compradores é muito grande e facilita no processo de venda.

  • Poder aquisitivo

O brasileiro possui maior poder aquisitivo quando comparado a épocas passadas. Uma maior possibilidade de crédito, aliada a motivos culturais, como os citados acima, permitem com que o consumo de artigos que antes eram considerados supérfluos ou inacessíveis, entrem na lista de prioridades desses novos consumidores.

  • Grandes empresas estão no Brasil

Para tornar a vida do revendedor ainda mais simples e melhor, as maiores empresas de venda direta do mundo já estão no Brasil. Diferentes tipos de segmento, produtos e serviços já podem ser encontrados praticamente no país inteiro. Um mesmo revendedor, pode trabalhar para diversas empresas e vender uma quantidade enorme de diferentes produtos.

Apesar da atual crise econômica, o país ainda continua apresentando números expressivos no setor de venda direta. A tendência para o futuro é que esse tipo de negócio cresça ainda mais nos próximos anos, tornando-se mais popular e consistente na visão das pessoas.

2019-12-20T12:30:35-03:00maio 25th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Fale com os clientes na hora certa

Otimize seu tempo e feche negócios com elegância

“Um dos mais eficientes métodos para avaliar uma situação é se colocando no lugar do outro”. Quem é que nunca ouviu essa frase? E dá certo mesmo. Ninguém gosta de ser seguido em uma loja por aquele vendedor ansioso para fechar negócio. Para evitar situações como essa com os seus clientes (independentemente do seu tipo de negócio) saiba qual a melhor forma de se portar e estabelecer contatos sem ser o “vendedor ansioso”.

 

  • >> Faça as perguntas certas, para entregar as respostas esperadas

Use seu primeiro contato com o cliente para entender quais suas chances de venda: observe quais as necessidades que precisam ser atendidas e a partir daí você terá as respostas certas para montar uma proposta atrativa. Se essa fase não for executada com atenção, você pode correr o risco de oferecer uma proposta desinteressante que não será recuperada com acompanhamento depois.

 

  • >> Defina prazos e trabalhe com eles

Toda proposta comercial tem um prazo de validade. Pense na complexidade e no tamanho do serviço ou produto que você está oferecendo, para que o cliente tenha condições de avaliar com calma. Se sua proposta não for respondida dentro desse prazo, retome o contato somente quando ele expirar. Você não pressiona o cliente e nem desperdiça tempo fazendo inúmeras ligações que provavelmente terão como resposta “ainda estou avaliando”.

 

Seguindo esses passos, você estará pronto para chegar na melhor parte da negociação: fechar a venda. Não precisa ser incisivo ou insistente além da conta. Mantenha seus contatos atualizados e lembre-se: as vezes, o menos é mais.

2019-12-20T12:31:50-03:00maio 22nd, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

5 dicas do guru de gestão Tom Peters para sua empresa

“Pai da empresa moderna” dá valiosas dicas de gestão para executivos e empreendedores num evento em São Paulo

Em um evento realizado na cidade de São Paulo no último mês de abril, Tom Peters conversou com executivos e empreendedores das mais diversas áreas e dividiu valiosas dicas de gestão que podem ser utilizadas para a venda direta, tanto para empresas, quanto para revendedores.

Dentre as diversas dicas que indicavam os caminhos para se conseguir excelência em uma empresa, foram separadas aquelas de mais destaque e que mais se aplicam ao setor de venda direta:

 

  • Seja apaixonado pelo que faz

Divirta-se no trabalho. É lá que você passa a maior parte do tempo.

“Se você não está dando vidas melhores às pessoas, você não devia estar nos negócios. Ame o que você faz”

 

  • Funcionários satisfeitos fazem toda a diferença

Sua equipe precisa estar sempre contente, pois o cliente sentirá isso. “Seus consumidores nunca serão mais felizes do que seus empregados”, afirma Tom. O guro aposta em ter lucro colocando as pessoas na frente.

 

  • Investir em treinamento é essencial

Seus funcionários sabem absolutamente tudo sobre a empresa? Não? Por qual motivo? “Se você decide ser líder, você não é mais engenheiro ou médico, você passa a ser um desenvolvedor de pessoas”. Por isso, treinamento é sinônimo de investimento.

 

  • Aprenda com os erros

“Para ter sucesso, você tem que tentar muitas coisas. ‘Faça a coisa certa de primeira’ é a frase mais estúpida já dita”, afirma. Em muitas vezes, fracassar pode ser mais valioso do que o sucesso. Pessoas com ideias interessantes, que trabalham muito, mas por alguma razão não acertaram, devem ser aplaudidas. Mas lembre-se: aprenda com os erros.

 

  • Contrate com o coração

Procure pessoas que sejam apaixonadas como você. Opte pelas mais animadas, que transpiram disposição. Durante a entrevista, preste atenção se a pessoa usa mais vezes “eu” ou “nós”. “Toda decisão de parceira ou relacionamento é uma decisão estratégica sobre inovar ou não”, afirma.

2019-12-20T15:01:43-03:00maio 21st, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Um mercado cada vez mais preocupado com o meio ambiente

Empresas americanas de venda direta desenvolvem programas de sustentabilidade e diminuem o impacto ambiental das suas produções

No embalo do Dia da Terra, que aconteceu no último dia 22 de abril, a DSN (Direct Selling News) destacou algumas iniciativas sustentáveis que estão sendo tomadas por empresas de venda direta nos Estados Unidos. Essa é uma boa oportunidade para que todos saibam um pouco mais sobre algumas das empresas com as quais se relacionam e consomem grande parte dos produtos.

A Arbor Day Foundation deu o “Prêmio Terra” a Mary Kay por seus esforços de plantação e conservação de árvores. A marca de cosméticos é um parceiro corporativo da fundação, ao lado de organizações como a Disney, FedEx e Toyota. Os resultados da empresa tem sido extremamente satisfatórios para os seus negócios e para o mundo. Ela se comprometeu a plantar 1 milhão de árvores em todo o mundo, alcançou o status de aterro zero em oito de suas instalações, alimenta suas instalações em Dallas com energia renovável, e já salvou milhões de litros de água economizando no dia a dia da sua produção.

A Avon também tem investido pesado em iniciativas mais sustentáveis. A empresa anunciou na última semana que angariou cerca de US$ 7,5 milhões pelo mundo em doações para o Programa Florestas Saudáveis. A WWF e a The Nature Conservancy estão juntas com a Avon nesta iniciativa que visa diminuir o desmatamento em florestas ameaçadas no Brasil e na Indonésia. No anúncio da iniciativa, a Avon também apresentou uma sacola para homenagear o Dia da Terra, disponível para os clientes norte-americanos. Para cada sacola vendida, a Avon doará US$ 2 para o Programa Florestas Saudáveis.

2019-12-20T15:12:07-03:00maio 18th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

A venda porta a porta virou marketing em rede

Livro mostra as principais oportunidades para aqueles que desejam ter um negócio próprio de venda direta

O livro Direct Selling – From Door to Door to Network Marketing (Tradução literal: Venda Direta – Do Porta a Porta ao Marketing em Rede), do autor Richard Berry, examina todos os critérios-chave na gestão de um negócio de venda direta bem sucedido e rentável, e as oportunidades que existem para aqueles que desejam ter um negócio próprio.

Richard coloca o setor de venda direta como tendência em relação à distribuição de varejo como um todo. O autor ilustra o livro com muitos estudos de caso envolvendo negócios de venda direta bem e mal sucedidos, aspectos jurídicos e de proteção aos clientes, além de indicar métodos mais adequados de organização, treinamento e motivação de uma força de vendas.

“Este livro é um guia definitivo para todos aqueles que desejam entender mais sobre esse negócio formado exclusivamente por ‘pessoas’. Ele explica de forma precisa e objetiva que a venda direta é tudo.”

– Ric Hobby, Vice-Presidente, Governo e indústria dos Assuntos Internos, Herbalife Europe Limited

direct

2019-12-20T15:01:44-03:00maio 15th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Sobre vendas: 5 características para um time de sucesso

Como reconhecer e desenvolver as principais competências de vendas com sua equipe

Quando o assunto é venda direta, o fator mais importante é aquele que caracteriza esse tipo de negócio: o contato pessoal. E é exatamente por causa desse contato tão próximo que é imprescindível ter uma equipe alinhada e preparada para expressar toda a credibilidade que seu negócio tem. Através de um estudo de comportamento publicado pela Revista Exame, trouxemos algumas das principais características que contemplam uma personalidade de sucesso.

1 – Ter instinto e autoconfiança é apontado como diferencial para fechar mais vendas. Para alcançar essa característica o primeiro passo é conhecer com profundidade o diferencial do negócio para saber exatamente aquilo que vai atingir o cliente.

2 – Bom-humor também não pode faltar. Quem é extrovertido consegue deixar as pessoas ao seu redor mais à vontade para conversar, e assim, conquistam mais abertura para argumentar. A dose certa de informalidade, nesse caso, pode ajudar a tratar o cliente de igual para igual.

3 – Hoje são poucos os que conseguem abrir a agenda e ver muitos espaços em branco. Já que o tempo é curto, agilidade é que os seus clientes vão esperar de você e sua equipe para tirar dúvidas e negociar.

4 – Todos querem encontrar uma forma de se destacar, e quem pensa dessa forma, está certo: se fazer marcante faz diferença tanto o momento, quanto para próximas oportunidades que surgirem. É o primeiro passo para construir uma boa rede de contatos.

5 – Vale a pena insistir? Com certeza. Receber um “não” pode ser a chance de pensar o que você pode melhorar na oferta do seu negócio, além de renovar suas estratégias de relacionamento. Afie os argumentos e pense numa nova forma de abordagem.

Experimente colocar essas dicas em prática no seu dia a dia e observe as mudanças na forma de se relacionar com seus clientes. Inspire-se e boas vendas!

2019-12-20T12:31:56-03:00maio 14th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |
Ir ao Topo