Início/2016/março

Dica de leitura: O poder das mulheres fortes

Obra apresenta estratégias que ajudam o leitor a definir prioridades na vida

No livro “O poder das mulheres fortes”, Marcus Buckingham faz uma análise sobre a realidade feminina e tenta derrubar alguns mitos em torno do que elas pensam, sentem e desejam.

O autor faz uso de estratégias práticas, exemplos e depoimentos, para estimular os leitores a lidarem com o excesso de escolhas, mostrando que é possível definir prioridades, ter mais tempo de qualidade e cultivar relacionamentos mais gratificantes.

Por meio do “Teste da Vida Forte”, Buckingham ajuda a mulher a conhecer-se melhor e a fazer escolhas que reflitam seus verdadeiros desejos.

Fonte: Livraria cultura

2019-12-20T14:58:29-03:00março 30th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Cinco mitos e verdades sobre vendas diretas

Modelo de negócio permite atuação diferenciada que agradam consumidores e marcas

As atividades promovidas pela venda direta ainda estão associadas a uma série de mitos que dizem respeito à forma de atividade de muitas pessoas. O mercado, no entanto, se destaca na economia nacional apesar dos tempos de crise.

Atenta ao que acontece no setor, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) orienta a conduta das empresas nos relacionamentos com os revendedores diretos, com o objetivo de promover a concorrência leal e a melhoria da imagem do setor de vendas diretas como uma real oportunidade de trabalho e geração de renda.
Conheça os princípios da ABEVD, clicando aqui.

Iniciar atividades na venda direta é simples, mas necessita empenho, dedicação e muito trabalho. Conheça alguns mitos que devem ser superados para assegurar o sucesso e a evolução do seu negócio:

1) Empresas de venda direta são todas iguais
O setor de vendas diretas apresenta uma grande diversidade de opções para aqueles que desejam investir e se dedicar. No entanto, é essencial definir seus objetivos e encontrar a empresa que tem um portfólio de produtos e modelo de negócio que você se identifique.

2) Vendas diretas não são um “negócio de verdade”
As vendas diretas destacam-se nos negócios e superam alguns setores tradicionais da economia. Seja por horários mais flexíveis de trabalho, seja pela variedade de oportunidades de crescimento, o mercado atrai as pessoas que buscam novas oportunidades e permite que o vendedor desenvolva seu próprio negócio e sua lógica real de trabalho.

3) Você não vai ganhar dinheiro com venda direta
Acreditar naquilo que se faz é o ponto de partida para quem aposta nas vendas diretas. Assim como em qualquer negócio é preciso empenho e dedicação para crescer e ter sucesso na carreira de vendedor. Tenha em mente que haverá momentos de crescimento e declínio de vendas, por isso, o planejamento de ações é fundamental para evitar surpresas.

4) Regra de ouro das vendas diretas: nade ou afunde
Antes de investir em vendas diretas faça uma pesquisa sobre as empresas do setor e opte pela que melhor se adapta ao seu perfil e sua filosofia de vida. É essencial verificar a idoneidade da organização escolhida junto a uma associação reconhecida, como a ABEVD, para assegurar que o compromisso com vendedores e consumidores esteja protegido por um código de ética e uma política de boa conduta.

5) Pessoas sem experiência de vendas não terão sucesso no mercado
Ao contrário do que muitos acreditam, a experiência no setor não é um fator determinante para um profissional que deseja iniciar suas atividades. Versáteis, as vendas diretas oferecem uma série de oportunidades de crescimento pessoal, como o descobrimento de talentos e adaptações das habilidades para o atendimento ao cliente, que permitem que qualquer um seja um profissional de sucesso.

2019-12-20T14:58:29-03:00março 28th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Três dicas para vender mais

Especialista aponta caminho para quem deseja aumentar as vendas durante o ano

Com a instabilidade da economia nacional, garantir os resultados nas vendas é um desafio para os profissionais. Pensando nisso, José Ricardo Noronha, especialista, consultor e autor do livro “Vendas: Como eu faço?”, elencou as três dicas principais para aqueles que desejam potencializar as vendas durante este ano. Confira:

1. Foque na experiência do cliente
O ponto de partida para melhorar as experiências do consumidor no momento da compra é adequar seus produtos e serviços às demandas de mercado. Dessa forma, é possível transformar todos os momentos de venda em uma oportunidade de aprendizado e questionamento sobre as necessidades dos clientes.

“Para criar as melhores e mais inesquecíveis experiências a cada um dos nossos clientes, entender profundamente as necessidades e desejos deles nunca foi tão fundamental e crucial quanto agora”, afirma o Noronha.

2. Aprimore o seu repertório de vendas
“Diante de clientes muito mais exigentes e de um mercado muito mais desafiador, quem continuar a usar as mesmas técnicas e habilidades de sempre vai ficar para trás”, alerta o consultor.

Por isso, a dica é investir no aprimoramento de habilidades e técnicas de vendas para ampliar o seu repertório pessoal. Assim, é possível prever dificuldades e assegurar os resultados de vendas.

3. Invista em marketing de conteúdo
Aposte nas estratégias de marketing para estreitar o relacionamento com os seus clientes e fornecer conteúdos relevantes. Além disso, aproveite as novas plataformas para apresentar as novidades de seus serviços para a sua rede de clientes.

“Em tempos mais desafiadores como os que agora enfrentamos, é preciso inovar (de verdade!) na forma com que você e sua empresa se comunicam e se relacionam com seus clientes”, conclui Noronha.

Fonte: Exame

2019-12-20T14:58:30-03:00março 23rd, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , , |

Você conhece o estatuto do vendedor direto?

Conheça o guia de legislação para as atividades do setor no Brasil

Ao contrário do que muitos possam imaginar, o mercado de vendas diretas possui uma legislação que delimita as atividades do setor e esclarece os direitos e deveres das empresas, dos revendedores e, por fim, dos consumidores finais.

Seguindo esse direcionamento jurídico, entende-se venda direta como aquela em que produtos e serviços são apresentados diretamente ao consumidor, por intermédio de explicações pessoais e demonstrações.

O vendedor direto no Brasil é um profissional autônomo e independente, que adquire produtos das empresas de vendas diretas e os comercializa aos seus clientes, com uma margem de lucro. Portanto, possuem natureza jurídica de comerciantes, ou seja, não têm relação de emprego com as organizações.

Em conformidade com o Código Comercial Brasileiro (Lei n º 556, de 01.01.1850), podem ser comerciantes no País todas as pessoas que se achem na livre administração de suas pessoas e de seus bens e que não estejam expressamente proibidas pela Lei.

As questões legais determinam as formas de comercialização existentes no mercado brasileiro, em que existem três formas de a revendedora relacionar-se com o consumidor final, sendo elas:

  • “Door to door” ou porta-a-porta: a revendedora vai até a residência ou local de trabalho do consumidor e , por meio de folhetos, demonstra e vende os produtos.
  • Catálogo: a revendedora deixa o catálogo ou folheto na residência do consumidor e depois passa para retirar o pedido.
  • “Party plan”: a revendedora, por meio de uma consumidora denominada anfitriã, promove um evento para diversas pessoas e lá demonstra e revende os produtos.

O estatuto do vendedor direto também deixa claro os sistemas de compensação das atividades desenvolvidas e divide-se da seguinte maneira:

  • Mononível: em que a margem de lucro está baseada na quantidade de produtos revendidos. Nesta sistemática a revendedora compra o produto e o revende com uma margem de lucro média de 30% (mark up). Nesse sistema não há qualquer pagamento feito pelas empresas aos revendedores. Esta forma de compensação também é denominada “desconto”.
  • Multinível: em que a remuneração é paga pela empresa de venda direta ao revendedor que indicar outros revendedores. Neste caso, o revendedor exerce duas relações absolutamente distintas: a primeira de compra e venda (mononível) e a segunda de prestação de serviços de agenciamento em que recebe um bônus (multinível).

Clique aqui e confira o guia de legislação completo

2020-07-15T16:04:13-03:00março 21st, 2016|Categories: ABEVD News|Tags: , , , , |

Seja um consultor e multiplique as suas vendas

Entenda a importância de criar redes de relacionamento e satisfazer os interesses dos clientes

Em tempos em que os consumidores buscam por diferenciais na hora da compra, o profissional de venda direta precisa posicionar-se como um especialista para conquistar a sua confiança e garantir o êxito nas vendas.

Atuar com serviços de consultoria permite a melhor compreensão das reais necessidades dos clientes e, ao mesmo tempo, atende às demandas e ao planejamento de vendas do profissional. Por isso, a evolução do mercado vem se concretizando e muitas pessoas têm investido esforços para potencializar a sua atuação no mercado de venda direta.

A mudança de posicionamento, no entanto, exige a compreensão de uma nova lógica de trabalho, em que o profissional passa a fornecer soluções e torna-se mais influente nas relações com o cliente. O contato mais próximo também possibilita a criação de redes de relacionamento, onde o seus serviços passa a ser reconhecido por clientes fiéis.

Fonte: Iap Vendas

2019-12-20T14:58:30-03:00março 18th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Do caso Fabíola à revolução da comunicação com o público feminino

Veja como a Avon tem empoderado as mulheres em suas ações

Com uma nova abordagem em suas campanhas publicitárias, a Avon tem apostado no “femvertising” para tratar de assuntos voltados para o empoderamento das mulheres. Acreditando na “Beleza que faz sentido”, a empresa estimula o desenvolvimento de suas revendedoras e proporciona a independência de muitas brasileiras.

Para a divulgação do batom Ultramatte, lançado recentemente, a Avon criou uma ação que relaciona o conforto proporcionado por um produto inovador à liberdade de escolha das mulheres.

Confira a campanha, que tem como mote principal a hastag #EuMeSintoConfortável:

Longe de ser uma ação isolada, no final de 2015 o posicionamento da empresa diante de comentários machistas sobre o caso de agressão contra Fabíola Barros. Na ocasião, empresa declarou:

A Avon não compactua com nenhuma situação que exponha ou degrade mulheres. Tendo em vista que um dos principais lemas da empresa é o empoderamento feminino, não compactuaremos com situações de violência ou slut shaming em qualquer situação.

Fonte: Exame e Catraca Livre

2019-12-20T15:10:30-03:00março 16th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Como a ABEVD atua para defender os direitos do consumidor?

Código de ética da Associação determina boa conduta de empresas e vendedores

Com a missão de promover e melhorar as atividades do setor, a Associação Brasileira das Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) elaborou um Código de Ética para proteger os direitos e assegurar a satisfação dos consumidores.

O posicionamento ético prevê que o vendedor direto não deve adotar práticas comerciais enganosas, desleais ou que induzam o consumidor ao erro, ou seja, que ele tem o compromisso de oferecer explicação e demonstração sobre os seus serviços de forma clara.

Dessa forma, os clientes devem ter acesso às informações sobre preço e eventuais condições de crédito, assim como prazo de pagamento, entrega, políticas de devolução e condições de garantia das mercadorias.

O Código de Ética compreende algumas questões fundamentais para a manutenção das atividades das vendas diretas, dentre elas:

Comprovação do pedido
Um comprovante de pedido deve ser entregue ou disponibilizado para o consumidor no momento da venda. No caso de uma venda por correio, telefone ou por meios semelhantes, inclusive eletrônicos, que não incluam a presença do consumidor, o comprovante de pedido deve ser entregue ou disponibilizado para o consumidor no menor tempo possível.

Material informativo
O material informativo não deve conter descrições, informações, fotos ou ilustrações do produto que sejam enganosas ou que induzam o consumidor ao erro. Nessa divulgação também deve conter o nome, o endereço e o número de telefone da empresa, podendo incluir os contatos do vendedor direto.

Entrega
A empresa e o vendedor direto devem atender no prazo previsto aos pedidos formulados pelo consumidor.

Desistência e devolução do produto
Independentemente de exigência legal, a empresa e o vendedor direto devem oferecer condições que permitam ao consumidor, em um prazo especificado e razoável, desistir de seu pedido. Esse prazo deve ser declarado de forma clara e por escrito.

Clique aqui e confira o Código de Ética na íntegra.

2019-12-20T11:05:58-03:00março 15th, 2016|Categories: ABEVD News|Tags: , , , |

Omnichannel: Cinco razões para investir neste conceito

Entenda por que as empresas de vendas diretas estão mais preparadas para explorar essa tendência

Utilizar os potenciais oferecidos pelas redes sociais para proporcionar melhores experiências de pré e pós-venda é a base para o bom aproveitamento do conceito omnichannel.

Primordial para as vendas diretas, novo comportamento fortalece as relações entre vendedores e clientes, transmite confiança aos negócios e cria um ambiente de crescimento pessoal livre de estresse.

Confira cinco razões para investir no conceito omnichannel:

1) Produtores e distribuidores dos próprios produtos
As empresas de vendas diretas e sua rede de revendedores controlam toda a experiência do consumidor e as questões que envolvem a sua marca.

2) Experiência de consumo continua
A dinâmica das vendas diretas promove a renovação dos ciclos de compras e o estreitamento da relação entre consumidores e marcas. Por meio das informações passadas pelos revendedores, as empresas conseguem oferecer novos produtos e oportunidades de compra para o cliente constantemente.

3) Informações
O grande número de informações sobre o mercado e o consumidor facilitam o desenvolvimento de estratégias de marketing e de comunicação. Dessa forma, é possível promover ações segmentadas para conquistar ainda mais o público consumidor.

4) Efeito Matrix
Ao contrário dos modelos tradicionais do varejo, as vendas diretas permitem a rápida implementação de ações e a obtenção de resultados para o vendedor direto.

5) Social Media – O efeito comunidade

Explorar a experiências das marcas nas redes sociais é fundamental para a adoção do conceito omnichannel. Por meio das informações obtidas e da identificação de oportunidades a partir da manifestação dos consumidores, é possível impulsionar ações que envolvam todas as pontas do negócio, contemplando as necessidades da marca, dos consultores e, principalmente, dos clientes.

 

2019-12-20T14:58:31-03:00março 11th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

Dica de leitura: Empreendedoras coaching

Livro reforça a atuação feminina no empreendedorismo por meio de exemplos de sucesso

Em “Empreendedoras coaching – Dicas de mulheres inspiradoras que estão no comando de sua carreira”, as autoras Andreia Roma, Fernanda Saad e Geovanna Quadros fazem uma compilação da história de vida de profissionais que assumiram o controle de suas carreiras para alcançar os objetivos desejados.

Mais do que exemplos de mulheres guerreiras, as protagonistas da obra ressaltam a força feminina nos negócios e o seu perfil empreendedor em momentos de crise.

Além disso, as autoras provam que a sensibilidade feminina faz a diferença em todos os âmbitos de um negócio e mostram que a mulher está sempre disposta a enfrentar as situações desafiadoras e valorizar os fatores social e humano em suas relações sem perder o equilíbrio.

Fonte: Livraria Cultura

2019-12-20T14:58:32-03:00março 9th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|
Ir ao Topo