Prepare-se: vem aí o Seminário de Ética em Vendas Diretas

A ABEVD promoverá no dia 25 de outubro, na parte da manhã, um evento sobre ética no setor de vendas diretas com a presença de especialistas e profissionais da área.

Tema tão relevante na atualidade, a ética será discutida no âmbito do setor de vendas diretas e na sociedade em geral.

As inscrições serão abertas no início de setembro e mais informações serão divulgadas em nossas redes sociais e no site.

Todos os associados estão convidados a participar. Não perca esta oportunidade de aprender e dialogar sobre a ética no setor de vendas diretas.

2019-12-20T14:39:16-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD News|Tags: , , , |

Recadastramento, mídias sociais e pesquisas

A ABEVD convida você para fazer o recadastramento no nosso site e continuar recebendo as notícias e novidades sobre a associação e o setor de vendas diretas.

Você ainda não segue a ABEVD no LinkedIn e no Facebook? Não perca tempo! Nossas redes sociais trazem o que há de mais importante no dia a dia da associação e o que é notícia para o setor.

Aos associados que têm alguma pesquisa para compartilhar ou contribuição a fazer, a ABEVD está aberta para receber sugestões, críticas e recomendações. O nosso e-mail de contato é [email protected].

2019-12-20T14:38:51-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Visita à Associação Comercial do Pará

A Diretora de Assuntos Institucionais da ABEVD, Adriana Angelozzi, foi convidada a conhecer a recém-inaugurada Câmara Setorial de Vendas Diretas da Associação Comercial do Pará.

Durante a reunião, Adriana teve a oportunidade de interagir com seus membros formados por importantes líderes de rede da força de vendas de empresas como Herbalife, Hinode, Jeunesse, L´bel, Lacqua di Fiori, Polishop, Racco e Tupperware.

O encontro foi um sucesso, pois houve uma importante troca de experiências com os anseios e necessidades da nossa importante força de vendas.

Lei nº 6.200 do DF: Instituição do Selo Multinível Legal

O Distrito Federal, por meio da Lei nº 6.200, publicada no dia 2 de agosto, instituiu o Selo Multinível Legal com o objetivo de premiar as empresas de vendas diretas que operam com plano de remuneração de rede multinível.

Em seu texto original, quando era um projeto de lei, constavam os critérios objetivos para sua concessão, mas que foram vetados, de sorte que, atualmente, não há qualquer parâmetro publicado, necessitando, portanto, de regulamentação.

Importante avaliar potencial instabilidade de normas estaduais para o setor de vendas diretas posto que as empresas não deveriam ter sua avaliação limitada a um determinado território, mas analisadas em âmbito nacional, a exemplo de como a ABEVD procede quando da associação da empresa ou sua conversão como associada efetiva.

Em breve a ABEVD estará reunida com autoridades da SEDICT – Secretaria de Economia, Desenvolvimento, Inovação, Ciência e Tecnologia do Distrito Federal – quando terá oportunidade de apresentar essas questões, assim como a autorregulação do setor por meio dos Códigos de Ética da ABEVD, que são normas mundialmente adotadas pelas empresas de vendas diretas.

2019-12-20T14:38:52-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Rede Fácil Brasil e Cacau Show são as novas associadas

A ABEVD conta com mais duas empresas associadas. A Rede Fácil Brasil, responsável pela marca Marita e a Cacau Show passaram a ser membros efetivos da associação no mês de julho.

Com alta capilaridade em todas as regiões do país, a venda direta é um canal de venda potencial e por esta razão cresce a procura das companhias para ampliar os negócios e aumentar o volume de comercializações.

Empresas que já têm destaque em pontos físicos, passam agora a investir no canal de vendas diretas como opção de diversificação para os clientes.

Além de contar com a chancela da ABEVD que comprova a realização de um trabalho ético e sério, a adesão à associação traz inúmeros benefícios para as empresas como acesso a planos de saúde, participação nos comitês da entidade, defesa do setor, pesquisa, inteligência de mercado, entre outras.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:40:11-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

ABEVD na Imprensa: O Amarelinho, Diário do Comércio (MG) e DCI

A ABEVD segue com seu propósito de ser referência do setor de vendas diretas na sociedade. Com espaço de destaque nas mídias impressa e televisiva, a associação foi destaque em matérias publicadas em jornais de grande circulação pelo país a fora.

Voltado para pessoas que estão em busca de recolocação no mercado de trabalho, O Amarelinho trouxe uma reportagem com os benefícios de aderir ao setor. As vendas diretas mostram-se como alternativa para quem busca complementar a renda. Para saber mais, veja aqui.

O Diário do Comércio, de Minas Gerais, trouxe uma reportagem sobre a visibilidade positiva do setor na sociedade e o DCI mostrou como as vendas diretas vêm movimentando a economia como fonte de trabalho autônomo.

Televisão – Afiliada do SBT no oeste do Estado de São Paulo – área que compreende as regiões de Araçatuba, Presidente Prudente e São José do Rio Preto – o SBT Interior veiculou matéria sobre vendas diretas no dia 10 de julho.

Qual a diferença entre Marketing Multinível e Pirâmide?

Dúvida recorrente no mercado de vendas diretas, a diferença entre Marketing Multinível e Pirâmide Financeira fica clara quando se analisa a relação entre os vendedores de uma mesma equipe.

Enquanto no Marketing Multinível a remuneração é feita de acordo com o volume de vendas, no sistema piramidal, geralmente, os ganhos são exclusivamente pela indicação de outros indivíduos.

Ou seja, para conquistar lucro no marketing multinível é preciso se empenhar e buscar ampliar a rede de vendas, para assim aumentar a quantidade de produtos comercializados e consequentemente a remuneração.

O sistema piramidal é considerado ilegal, pois, muitas vezes, há promessa de dinheiro fácil e quantias exorbitantes, mas quem realmente ganha são os primeiros a entrarem no negócio, já que não há esforço para ampliar a rede de vendas.

No marketing multinível todos os envolvidos no negócio podem ganhar, independentemente do tempo de entrada na empresa. Para alcançar lucros altos, no entanto, é preciso ampliar a rede de vendedores, oferecer treinamentos e oportunidades como incentivos.

Apesar de não existir uma lei no Brasil que regulamente o marketing multinível, a ABEVD conta com seus rigorosos Códigos de Ética. Estes instrumentos de trabalho são a base para as relações entre empresas e empreendedores e é por meio deles que os direitos dos envolvidos nos negócios são garantidos.

A empresa associada à ABEVD se compromete a seguir e difundir os Códigos de Ética e Conduta da entidade, garantindo segurança aos empreendedores e consumidores finais.

2019-12-20T14:40:12-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Pesquisa Avon revela impacto da empresa na vida das revendedoras

Estudo encomendado pela Avon, o Impulso Avon, mostrou o papel da empresa na vida de suas revendedoras. Inédita, a pesquisa buscou entender como a venda direta permitiu a conquista de objetivos e melhorias para estas empreendedoras.

Foram entrevistadas 2 mil mulheres em todo o Brasil. A metodologia da pesquisa buscou refletir, estatisticamente, o impacto da empresa na vida destas mulheres, ou seja, deste grupo metade era de revendedoras e as outras mil não tinham relação com a companhia.

Entre as informações coletadas, o destaque é que para 74% das entrevistadas, a renda vinda das vendas diretas é essencial para ajudar nas contas da casa. Já 55,4% das revendedoras disseram que a atividade trouxe autonomia para decidir como gastar o próprio dinheiro.

Ao considerar que as vendas diretas da Avon beneficiam outras pessoas da família, cerca de 6 milhões de brasileiros são impactados positivamente pela empresa.

Além do aspecto financeiro, a pesquisa revelou o impacto social das vendas diretas da Avon. Enquanto 39,5% das revendedoras têm plano de saúde, no outro grupo este número chega a 32.5%. Já 89,4% das revendedoras consideram que ter uma renda própria ajuda as mulheres a saírem de relacionamentos abusivos, comparado com 85,8% do outro grupo.

Para saber mais sobre o estudo Impulso Avon e como as vendas diretas têm impactado a vida das revendedoras, confira o texto completo aqui.

2019-12-20T14:40:12-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Trabalho autônomo é sinal de empreendedorismo e inovação

Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) de 2016 (os mais recentes) mostram que 32,9% dos brasileiros trabalham de forma autônoma. Este índice coloca o Brasil na 3ª posição entre os 10 países da lista com o maior número de trabalhadores sem carteira assinada.

A líder deste ranking é a Colômbia, com 51% da população trabalhando de forma autônoma. A Grécia ocupa a 2ª colocação na lista, com 34,2%.

A escolha por este tipo de trabalho pode der considerada uma tendência no mercado mundial, visto que o avanço da tecnologia permite a um indivíduo realizar diversas tarefas em lugares variados, não havendo mais a necessidade de estar em um local fixo.

No caso do mercado brasileiro, a flexibilização proporcionada pelas novas regras da legislação permitiu ao trabalhador optar pela melhor maneira de como conciliar o tempo com a forma de ganhar o seu sustento.

Diante deste cenário de profundas transformações, tanto empresas, quanto empreendedores independentes têm a oportunidade de ampliar os negócios.

“O trabalho autônomo surge como a alternativa mais viável para o empreendedor que busca uma fonte de renda. Formal e acessível, o setor de vendas diretas se destaca por oferecer oportunidades iguais para todas as pessoas,”, diz Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas).

O mercado de trabalho atual exige que o profissional tenha diversas competências para ser bem-sucedido. Se adaptar facilmente a novas experiências e ter a visão estratégica do negócio são habilidades imprescindíveis para o futuro empreendedor.

O aprendizado contínuo aliado à criatividade são qualidades desejadas por todas as empresas. Estar em busca de novas fontes de conhecimento é fundamental para o novo profissional e quesito importante para o contratante.

Cada vez mais, o networking é fundamental neste cenário marcado por redes de conexão. Conhecer pessoas e aprofundar os relacionamentos é primordial para concretizar negócios.

Descubra os benefícios de aderir ao trabalho autônomo

O trabalho autônomo garante inúmeros benefícios a quem opta por esta modalidade. Por exemplo: os empreendedores têm mais liberdade para decidir que caminho trilhar e o que estudar para alcançarem os seus objetivos. A palavra-chave para quem deseja seguir esta trajetória é: disciplina.

Diferente do trabalhador que está inserido no quadro de uma empresa, o autônomo tem a independência para trocar as etapas do processo do crescimento profissional. Como cabe a ele a organização do tempo e das metas estabelecidas, é preciso ter foco e determinação para alcançar os objetivos traçados. O sucesso é proporcional ao esforço empreendido para alcançá-lo.

Para quem decidiu investir na carreira como autônomo, seguem 4 dicas que vão ajudar a estruturar a vida profissional:

Finanças: organize o orçamento de forma que não haja imprevistos ao longo da jornada. O controle e a programação de despesas são fundamentais para quem aderiu ao trabalho autônomo.

Oportunidades: o relacionamento humano é a base do trabalho autônomo. Enxergue em amigos e parentes o caminho inicial para o desenvolvimento de sua atuação neste mercado.

Emocional: a instabilidade das vendas não pode influenciar o trabalho. O empreendedor precisa superar os obstáculos para encontrar motivação e buscar alcançar as metas traçadas inicialmente.

Aposentadoria: o fato de ser autônomo não significa estar na informalidade. O trabalhador pode aderir ao MEI (Microempreendedor Individual) e contribuir para a Previdência Social, garantindo o direito à aposentadoria no tempo certo.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:40:13-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

A força e confiança da mulher nas vendas diretas

Por Paola Kiwi *

A mulher está cada vez mais ganhando espaço no mercado e mostrando seu potencial em diversas áreas. Este desenvolvimento da carreira está diretamente ligado à independência financeira que vem transformando a vida de milhões de mulheres no Brasil.

O setor de vendas diretas é uma importante porta de entrada para o mercado de trabalho. Inclusiva, já que pode ser desempenhada por pessoas de todas as idades, classes sociais e graus de escolaridade, a atividade oferece a oportunidade para o desenvolvimento pessoal e profissional de cada empreendedor.

As empresas do setor disponibilizam treinamentos, workshops e cursos para que as consultoras encontrem a melhor forma de comercializar os produtos, alcançando lucros de acordo com o trabalho desenvolvido.

Em parceria com a Georgetown – Universidade norte-americana – a Tupperware Brands realizou uma pesquisa com mais de quatro mil pessoas da Força de Vendas dos Estados Unidos, África do Sul e Brasil para entender a real importância de cultivar a confiança no ambiente de trabalho em diferentes regiões do mundo. O resultado foi gratificante: descobrimos que confiança impulsiona o sucesso profissional e pode ser sistematicamente cultivada entre cada membro da Força de Vendas independentemente da geografia.

As pesquisas mostraram que os consultores mais confiantes rendem mais e recrutam mais, trazendo em média 27% a mais de novas pessoas para o nosso negócio. Essas descobertas mostram que não importa onde você trabalhe, a confiança é essencial e cabe às empresas construir uma cultura em que a Força de Vendas seja incentivada a aprender e crescer mais confiante, devido ao seu imenso valor. Outro dado precioso coletado pela pesquisa foi que entre as pessoas que se dizem mais confiantes, mesmo após cometerem erros, mas que foram apoiados pela empresa, houve um crescimento de 22% nas vendas em relação aos demais e são 24% mais propícios a superar desafios encontrados na rotina do trabalho.

Vale lembrar que dos 4,1 milhões de empreendedores de vendas diretas mapeados no país em 2017, 56,7% são mulheres. Só a Tupperware conta com 96% da equipe de força de vendas composta por mulheres.

A renda conquistada por elas é de extrema importância para o orçamento familiar e tem ajudado a realizar sonhos e alcançar conquistas para todos os integrantes do lar, como por exemplo, pagamento dos estudos para os filhos e aquisição de bens.

Assim, ao incentivar o empoderamento feminino e oferecer todas as condições para fortalecer a confiança dessas mulheres, o setor contribui para o papel do fortalecimento da mulher diante de toda a sociedade e demonstra o apoio ao empreendedorismo e à criação de novos negócios controlados pela força feminina.

Paola Kiwi é Presidente da Tupperware Brands Brasil.

2019-12-20T14:40:13-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |
Ir ao Topo