Publicado Convênio ICMS 101 que modifica Convênio ICMS 45

No dia 02 de outubro, foi publicado o Convênio ICMS 101 que altera o Convênio ICMS 45, responsável pelas regras de substituição tributária de ICMS para operações de vendas diretas.

O Convênio ICMS 101 incluiu um dispositivo que disciplina a base de cálculo das operações em relação aos Estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia e Santa Catarina e ao Distrito Federal, determinando que na falta do preço de venda ao consumidor constante de tabela estabelecida por órgão competente, a base de cálculo será a prevista em legislação estadual.

A nova redação, nos Estados acima mencionados, confere maior segurança jurídica na adoção da base de cálculo prevista na legislação interna, já que menciona sua aplicação no caso de não existir “preço de venda ao consumidor constante de tabela estabelecida por órgão competente”, não vinculando mais à inexistência de preço sugerido.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:37:18-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Natura recebe selos por banir testes em animais

Novidade no setor de vendas diretas. A Natura recebeu dois selos de organizações internacionais que comprovam o não uso de testes em animais.

Primeira empresa brasileira a receber o selo “The Leaping Bunny”, concedido pela Cruelty Free International, a Natura também foi contemplada com a certificação da Peta (People for the Ethical Treatment of Animals).

A empresa não realiza este tipo de testes desde 2006 e agora conquistou os dois selos que garantem a não utilização de animais em testes em todas as fases de desenvolvimento dos produtos.

Para receber as certificações, a empresa passa por um rigoroso processo de verificação, que cobre desde o produto final até os ingredientes, ou seja, não basta apenas dizer que não testa, há uma checagem de toda a produção.

O consumo consciente e a pesquisa da origem dos produtos já são tendências entre os consumidores modernos. Obter estes selos reforça o compromisso da companhia com novos modelos de produção.

“As certificações tornam a nossa comunicação sobre esse tema ainda mais transparente. Esse é um compromisso que assumimos há mais de uma década, e desde então investimos muito em inovação e tecnologia para o desenvolvimento de testes alternativos, que garantem a segurança e a eficácia de nossos produtos, ao mesmo tempo em que continuamos a lançar ingredientes inovadores no mercado, como patauá”, explica Roseli Mello, diretora de Inovação e Segurança do Consumidor da Natura.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:38:46-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

ABEVD tem novo administrador dos códigos de éticas

Os códigos de ética da ABEVD têm agora um novo administrador. Responsável por analisar os pedidos dos novos entrantes e possíveis denúncias contra associados, o escritório Derraik & Menezes Advogados assume este papel junto à entidade.

Assim, o papel do administrador dos códigos de ética, junto à equipe interna da ABEVD e dos Conselhos, é zelar pelo cumprimento das regras e do código de ética e trabalhar para apurar denúncias ou problemas entre empresas, força de vendas e consumidores. Este é um trabalho fundamental para manter a credibilidade da entidade e do setor de vendas diretas.

E para garantir total imparcialidade, em casos que a Derraik & Menezes Advogados estiver impedida de julgar, o escritório jurídico DMBoulos Advogados funcionará também como administrador de ética alternativo.

A ABEVD agradece ao trabalho desenvolvido anteriormente pelo Dr. Pedro Dallari, que por 12 anos deu a sua inestimável contribuição à entidade e ao setor de vendas como um todo.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:39:15-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD News|Tags: , , |

Como o setor de vendas diretas se prepara para o Natal

Data mais importante para o comércio no Brasil e no mundo, o Natal proporciona bons resultados para o mercado em geral, pois há mais dinheiro em circulação devido, também, ao pagamento do 13º salário. Além disso, a proximidade do final do ano gera otimismo, sentimento de agradecimento e confraternização que incentiva as pessoas a quererem presentear umas às outras

Neste contexto, o setor de vendas diretas precisa se adiantar e pensar no Natal com antecedência. Tanto empresas quanto empreendedores independentes têm que analisar os cenários atuais e fazer projeções para suprir o consumidor final no momento da compra.

O primeiro passo é a organização. Planejar o volume de vendas e fazer um pedido extra pensando nisso é uma das recomendações, afinal muitas vezes, os empreendedores independentes são a solução para os clientes que querem fugir das lojas cheias no período do final de ano.

Ter um estoque com variedade de produtos é uma boa alternativa para quem quer aproveitar o Natal para alavancar o faturamento. Ao oferecer diversas opções aos consumidores, os empreendedores independentes têm a oportunidade de fidelizar os clientes finais.

Outro ponto de destaque quanto à data é uma característica própria do setor de vendas diretas: o relacionamento. Os empreendedores independentes devem focar na venda personalizada e investir na aproximação com o cliente. Ao ajudar na escolha de um presente, o representante da empresa deixa de ser apenas um vendedor e se torna um consultor.

Apesar do clima de festa, o período do Natal traz alguns contratempos, como, por exemplo, as lojas cheias e a falta de locais para estacionar. Por este motivo, o setor de vendas diretas tem que estar preparado para oferecer aos consumidores a facilidade e comodidade de ter os produtos à mão na hora da entrega.

“O Natal é a principal data para o comércio brasileiro e por isso o setor de vendas diretas já começa o planejamento com antecedência para oferecer as melhores opções para os consumidores. Com foco na organização, os empreendedores independentes devem pensar de maneira antecipada em potenciais presentes que seus clientes possam comprar para se preparar para a data”, comenta Bianca de Castro, coordenadora do comitê de comunicação da ABEVD.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:38:46-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Clube de benefícios da ABEVD

Prepare-se: a ABEVD terá novidades para os empreendedores independentes de sua empresa em breve.

Ao aderir ao Clube de Benefícios da ABEVD, o empreendedor independente terá acesso a produtos e serviços com valores diferenciados.

Entre os benefícios estão:

  • Cartão pré-pago;
  • Descontos em medicamentos;
  • Descontos para compras on-line;
  • Descontos em produtos e serviços;
  • Descontos em redes credenciadas;
  • Descontos em cursos ;
  • Consulta de médicos e exames;
  • Programa de Fidelidade.

Fiquem atentos ao site e às redes sociais da ABEVD quem em breve as novidades estarão no ar.

2019-12-20T14:39:15-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD News|Tags: , |

Cacau Show e Royal Prestige na rota de visitas

A presidente executiva da ABEVD, Adriana Colloca, esteve presente na Conferência de Franqueados da Cacau Show, que aconteceu no último dia 18 de setembro, na Grande São Paulo.

Convidada para falar sobre vendas diretas e como funciona a associação, Adriana fez uma explanação sobre a era da assertividade, na qual as experiências e o atendimento personalizado são fundamentais para os novos consumidores do século 21.

Ao mostrar as vantagens para os franqueados aderirem ao setor de vendas diretas, Adriana reforçou o papel da capilaridade e do aumento de produtos comercializados, ampliando, assim, os lucros.

Já no dia 25 de setembro, foi a vez da Royal Prestige ser visitada pela presidente executiva da ABEVD. Recebida pelo Brand Manager, Rodrigo Luti, Adriana conheceu a empresa e ouviu quais seriam as contribuições da associação para fortalecer a atuação da companhia no mercado.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:38:47-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Relações Éticas

* Por Paulo Polesi

Falar sobre Ética em relacionamentos de negócios é simples. Eu costumo dizer que devemos ser éticos em tudo o que fazemos, por mínima que seja nossa ação, sempre demonstrado pelo exemplo. Atualmente, a ética tem sido muito lembrada e apregoada em todos os níveis, tornando-se, assim, palco de discussões e debates, muitas vezes acalorados.

Ser ético, no seu contexto mais que simbólico, é praticar atos e ações onde temos em primeiro patamar o “outro”, pois se agimos dessa forma poderemos vislumbrar se são ações éticas. Todas as ações que adotamos que afetem positivamente o “outro”, são ações boas e éticas.

Gosto muito de citar em meus treinamentos, a definição que Mario Sergio Cortella faz sobre Ética – ele diz que “Ética é o conjunto de valores e princípios que usamos para responder a três questões da vida: (1) quero; (2) devo; (3) posso? Nem tudo que quero eu posso; nem tudo que eu posso eu devo; e nem tudo que eu devo eu quero. Você tem paz de espírito quando aquilo que você quer é ao mesmo tempo o que você pode e o que você deve.”

Simples, quando nos ensina que para sermos éticos devemos querer coisas que com base nos nossos valores, nas leis, políticas, códigos de ética, podemos e devemos fazer para o bem de outras pessoas.

Também vale distinguir a diferença entre ética e moral. A palavra “ética” vem do grego “ethos” que significa “modo de ser” ou “caráter”. Já a palavra “moral” tem origem no termo latino “morales” que significa “relativo aos costumes”. No sentido prático, a finalidade da ética e da moral é muito semelhante. Ambas são responsáveis por construir as bases que vão guiar as condutas das pessoas, determinando o seu caráter, altruísmo e virtudes, e por ensinar a melhor forma de agir e de se comportar vivendo em uma sociedade.

Vou exemplificar: vamos figurar a situação de quando uma pessoa fura uma fila em um restaurante. O eticamente correto seria respeitar a ordem e aguardar a sua vez na fila. Entretanto, essa ação não é algo que implique punições a uma pessoa, mas moralmente não é algo correto a se fazer. Fazendo um paralelo com a venda direta, em uma situação na qual empreendedores independentes de uma empresa de vendas diretas realizam recrutamento de outros empreendedores de outra empresa, essa não é uma atitude que implicará sanções penais a essa pessoa que a pratica, mas ética e moralmente não é a coisa certa a ser feita.

Já não é mais discutível sobre a necessidade de as corporações possuírem em sua estrutura uma área executiva independente de Compliance & Ética, formada por profissionais capacitados e com formação técnica apropriada. Uma área que garanta não só a aplicação das leis, códigos, processos, controles; que execute auditorias periódicas nas outras áreas de negócios; que possua um canal de denúncias estruturado; uma área de investigação para conduzir as análises e conclusões dos processos; um programa de integridade aplicado interna e externamente junto a fornecedores e órgãos de relacionamento – principalmente públicos; mas prioritariamente, uma área capaz de prover treinamentos sobre ética e compliance junto a todos seus colaboradores e fornecedores, para sua incorporação cultural, no cerne do negócio, assegurando a prevenção da ocorrência de quaisquer ações antiéticas.

Ser ético é dar o exemplo praticando boas ações para os outros, principalmente quando ninguém está olhando. É fazer o que é correto, sempre, porque com essas atitudes estaremos, como pessoas, construindo instituições cada vez mais fortes e sólidas, baseadas na preservação de sua imagem e reputação, na segurança de seus processos, controles, princípios, e transformando o Brasil e suas instituições em algo melhor. Não existe área cinzenta, ou meio termo, quando se fala em ética!

* Paulo Polesi  é administrador, membro do Conselho de Ética da ABEVD e Diretor de Compliance na Herbalife Nutrition

 

2020-09-14T11:21:37-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Carga Tributária como entrave para o desenvolvimento do Setor de Vendas Diretas

* Por Adriana Angelozzi

Em um momento tão delicado da economia brasileira em que nosso país luta para manter os níveis de consumo da população, concentrando esforços para retomar o crescimento, principalmente diante do alto índice de desemprego, mostra-se cada vez mais imprescindível que a carga tributária incidente sobre as vendas diretas seja reduzida.

Isso porque as vendas diretas são uma importante ferramenta de inclusão no mercado de trabalho, dada sua condição democrática de não fazer restrições de sexo, idade, nível social, educacional ou experiência anterior, garantindo renda exclusiva ou complementar para todos aqueles que optam por essa oportunidade de renda.

Trata-se de um empreendimento fácil com baixo custo e risco (lembramos que as empresas associadas à ABEVD aderem aos Códigos de Ética que, dentre outras regras, há o compromisso da recompra de produtos em caso de desistência do negócio).

Por esses motivos é o setor que mais empreende em todo mundo. Só no Brasil há mais de 4 milhões de pessoas empreendendo por meio das vendas diretas.

Apesar desses dados pujantes, nosso setor sofre para crescer dado, principalmente, a alta carga tributária incidente em suas operações.

As vendas diretas estão sujeitas ao recolhimento de ICMS por substituição tributária, de sorte que as empresas que comercializam seus produtos por esse canal quando da venda para esses milhões de empreendedores, além do ICMS próprio, também recolhem o ICMS deles devido sobre a venda para o consumidor final. Mesmo que o produto adquirido pelo empreendedor seja para presentear ou consumo próprio, as empresas recolhem o ICMS como se fosse para posterior revenda.

As Margens de Valor Agregado (“MVA”), que são a base de cálculo do ICMS/ST do empreendedor, variam de Estado para Estado, mas há um traço comum em todos eles: nenhum Estado ou Distrito Federal leva em consideração o tamanho do empreendedor para a fixação da MVA. Se esse importante fator fosse levado em consideração, verificaríamos que a maior parte da força de vendas estaria incluída nas menores faixas de microempreendedores do SIMPLES, sendo justo, portanto, que tivessem um tratamento tributário mais benéfico tal qual assegurado pela Constituição Federal.

Sem dúvida que o reconhecimento do tamanho do empreendedor das vendas diretas deveria resultar na aplicação de uma carga tributária menor e, consequentemente, conseguiríamos alavancar esse importante segmento da economia, beneficiando milhões de pessoas, seja os empreendedores que estariam de posse de um negócio mais vantajoso, seja os consumidores finais que usufruiriam de produtos a preços mais acessíveis, permitindo às classes C e D maior acesso a diversos itens de alta qualidade.

* Adriana Angelozzi é diretora de assuntos institucionais da ABEVD

2019-12-20T14:38:47-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Natura promove ações para fortalecer Outubro Rosa

Durante o mês de outubro, a Natura promove ações em parceria com a ONG Mão Amiga e com o programa de vantagens TudoAzul, que visam incentivar a participação dos seus consumidores no movimento e ampliar a prevenção do câncer de mama
Neste mês, a Natura disponibiliza dois cupons especiais para o período com o objetivo de incentivar seus consumidores a engajarem-se na causa do Outubro Rosa. A iniciativa, em parceria com a ONG Mão Amiga e com o programa de vantagens TudoAzul, pretende alertar para a prevenção do câncer de mama e ajudar mulheres que já foram diagnosticadas com a doença. Além disso, a Natura vai desenvolver conteúdos de conscientização e prevenção, em parceria com especialistas da área de saúde.

Um dos cupons é destinado ao projeto Mão Amiga – Grupo Beltronense de Prevenção ao Câncer, escolhido pelo Prêmio Acolher 2018, programa que reconhece líderes e iniciativas socioambientais focadas em gerar impacto positivo em toda a rede de relações da empresa. A ONG é apoiada por Lourdes Terezinha Giacobo, Consultora de Beleza Natura, que oferece suporte aos pacientes que estão em tratamento de diversos tipos de câncer, além de promover a conscientização sobre o diagnóstico precoce. Para esta ação, a cada compra realizada no site com o cupom OUTUBROROSA, entre os dias 1º e 31 de outubro, a empresa doará um real à ONG.

Para Murillo Boccia, diretor de negócios digitais da empresa, o movimento é uma excelente oportunidade de incentivar e conscientizar consultoras e consumidoras sobre a prevenção. “O apoio da marca ao Outubro Rosa é fundamental, já que se trata de um assunto que envolve saúde e bem-estar, pontos tão importantes para a empresa”.

Além disso, com a parceria com o programa de vantagens TudoAzul, a Natura passa a disponibilizar o cupom TUDOAZUL para as compras realizadas no hotsite https://rede.natura.net/tudoazul até o dia 25 deste mês. Nas compras acima de R$ 150, o consumidor vai acumular oito pontos por real gasto. Nas compras abaixo desse valor, serão dois pontos acumulados por real gasto. Ao final do período, a pontuação total concedida aos clientes será a mesma a ser doada pelo programa de vantagens da Azul ao Hospital de Amor. Esses pontos ajudarão mulheres de diversos locais no Brasil a utilizar passagens de avião junto com um acompanhante para realização do tratamento com mais conforto. Para participar da ação, o cliente deve colocar o cupom na tela de pagamento do hotsite.

Além das passagens, as mulheres beneficiadas também ganharão um kit exclusivo com produtos Natura com um hidratante e desodorante da linha Tododia Ameixa e Flor de Cerejeira, um Batom Aquarela e um Lenço Scarf me.

“Nosso objetivo com a parceria é fazer a diferença na vida de mulheres com câncer de mama, proporcionando um tratamento de qualidade, além de mais conforto e comodidade no transporte. Também queremos que essas mulheres não percam a autoestima e não se sintam desamparadas. Essa é uma causa que merece todo apoio e atenção”, afirma Daniel Bicudo, diretor do programa de vantagens TudoAzul.

Sobre a Natura

Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética. Líder no setor de venda direta no Brasil, com mais de 1,7 milhão de consultoras, faz parte da Natura &Co, resultado da combinação entre as marcas Natura, The Body Shop e Aesop – que registrou R$ 9,9 bilhões de receita líquida em 2017. Foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação B Corp no mundo, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. Com operações no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México e Peru, produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as consultoras Natura, na loja online da Natura, por meio do app Natura ou nas lojas. Para mais informações sobre a empresa, visite www.natura.com.br e confira os seus perfis nas redes sociais: LinkedInFacebookInstagramTwitter e YouTube.

Sobre o TudoAzul

O Programa de vantagens TudoAzul foi criado em 2009 com o objetivo de estreitar o relacionamento com os Clientes da companhia. Oferecendo uma experiência completa, onde seus Clientes podem acumular muitos pontos voando, transferindo do seu cartão de crédito, assinando o Clube ou comprando com um dos nossos parceiros. A partir de 3.500 pontos já é possível resgatar uma passagem aérea para voar pelo Brasil ou pelo mundo com a Azul e companhias aéreas parceiras, além de poder trocar por diárias em hotéis e até mesmo produtos no Shopping TudoAzul. O TudoAzul possui quatro categorias: TudoAzul, categoria inicial; TudoAzul Topázio, TudoAzul Safira e TudoAzul Diamante, categoria top do programa. Para saber mais, acesse o site: www.voeazul.com.br/tudoazul.

Fonte: Natura
2019-12-20T15:07:34-03:00outubro 11th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Natura conquista certificação Peta

Selo reforça o compromisso da empresa contra testes em animais e garante que produtos e ingredientes não passaram por testes em nenhum estágio de desenvolvimento

 

A Natura recebeu, nesta semana, a certificação da Peta (People for the Ethical Treatment of Animals), organização de direitos dos animais, pelo não uso de testes em animais para garantir a segurança e eficácia de seus produtos. O selo concedido pela organização atesta que nenhum produto ou ingrediente da empresa ou de seus fornecedores foi testado em animais em qualquer estágio de desenvolvimento.

Desde 2006, a Natura não testa seus produtos ou ingredientes em animais. Para garantir a eficácia e a segurança de seus produtos, a empresa investe cada vez mais em ciência, inovação e tecnologia, com estratégias integradas de testes e uso de métodos alternativos, como pele 3D e avaliação gênica em larga escala.

Além da certificação pela Peta, a Natura também foi reconhecida, em setembro, com o selo “The Leaping Bunny” para seus produtos e ingredientes, concedido pela organização de proteção animal Cruelty Free International, que atesta o não uso de testes em animais no desenvolvimento de fórmulas e ingredientes. A Natura também é uma das empresas listadas pelo Projeto Esperança Animal (PEA), uma organização ambiental brasileira que luta contra o abuso e a crueldade com os animais.

“As certificações tornam a nossa comunicação sobre esse tema ainda mais transparente. Esse é um compromisso que assumimos há mais de uma década, e desde então investimos muito em inovação e tecnologia para o desenvolvimento de testes alternativos, que garantem a segurança e a eficácia de nossos produtos, ao mesmo tempo em que continuamos a lançar ingredientes inovadores no mercado, como patauá”, explica Roseli Mello, diretora de Inovação e Segurança do Consumidor da Natura.

Sobre a Natura

Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética. Líder no setor de venda direta no Brasil, com mais de 1,7 milhão de consultoras, faz parte da Natura &Co, resultado da combinação entre as marcas Natura, The Body Shop e Aesop – que registrou R$ 9,9 bilhões de receita líquida em 2017. Foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação B Corp no mundo, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. Com operações no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México e Peru, produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as consultoras Natura, pelo Rede Natura, por meio do app Natura ou nas lojas. Para mais informações sobre a empresa, visite www.natura.com.br e confira os seus perfis nas redes sociais: LinkedInFacebookInstagramTwitter e YouTube.

Sobre a PETA

A PETA é uma organização beneficente internacional sem fins lucrativos com sede em Norfolk, Virgínia, e afiliadas em todo o mundo. Fundada em 1980 dedica-se a estabelecer e defender os direitos de todos os animais. A organização concentra sua atenção nas quatro áreas em que o maior número de animais sofre mais intensamente pelo período mais longo de tempo: em fazendas industriais, em laboratórios , no comércio de vestuário e na indústria do entretenimento.

Fonte: Natura

2019-12-20T15:10:25-03:00outubro 10th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |
Ir ao Topo