Início/2019/dezembro

Anuário ABEVD 2019

É com prazer que compartilhamos as atividades da ABEVD em 2019.
Este ano, a ABEVD entrega a seus associados muitas realizações e conquistas. Aprimoramento da nossa governança, melhorias em nossos processos e novas ferramentas geraram maior engajamento com todos públicos que nos relacionamos.
Para reforçar nosso compromisso com a ética e o desenvolvimento do setor, realizamos eventos, cursos, encontros e reuniões. O grande destaque foi o 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas, o maior evento da América Latina, onde todos do setor se encontram, se atualizam e trocam experiências.
Agradecemos o apoio, dedicação e contribuição de todos associados, conselheiros, membros dos comitês, e em especial, à equipe ABEVD que fez toda a diferença para entregarmos cada vez mais valor e melhorias.
Prontos para 2020! Novos desafios, novos negócios, novas oportunidades!
Vocês são parte deste resultado, sua opinião é muito importante para nós!
Nosso muito obrigado!

Download Anuário ABEVD 2019

Equipe ABEVD

2020-02-06T12:23:18-03:00dezembro 20th, 2019|Categories: ABEVD News|

Natura conclui o ano com mais de 400 franquias pelo Brasil

As lojas “Aqui Tem Natura” são exclusivas para Consultoras de beleza; pontos de venda quadruplicaram em 2019

São Paulo, 20 de dezembro de 2019 – A Natura finaliza o ano de 2019 celebrando sua presença multicanal. Até 31 de dezembro, a empresa contará com 420 lojas “Aqui Tem Natura” espalhadas por todo o Brasil. Em apenas um ano, a quantidade de inaugurações quadruplicou. O salto exponencial comprova o sucesso da estratégia da empresa ao estimular o empreendedorismo de sua rede de Venda por Relações, pois as franquias são oferecidas exclusivamente para Consultoras de beleza.

Projetadas para espaços comerciais em ruas e galerias, as lojas são oferecidas para Consultoras a partir do nível prata (terceiro estágio da atividade, que pode chegar até o quinto nível, diamante).

“Queremos gerar cada vez mais prosperidade e independência para as consultoras. Hoje temos franquias abertas em todos os estados brasileiros”, conta Erasmo Toledo, vice-presidente de Negócios Brasil. “Em 2020, ampliaremos ainda mais nossa presença no território nacional”, completa.

O modelo de negócios é ideal para uma experiência de compra mais completa aliada a praticidade e conveniência. As franqueadas contam com o apoio de uma equipe dedicada para suporte na gestão e marketing, além de cursos de capacitação e treinamentos.

“A ideia é que as lojas atraiam novos consumidores e incentivem a experimentação dos produtos. Além disso, é uma forma de reconhecermos o desempenho e promovermos o empreendedorismo da nossa rede”, conclui o executivo.

Fonte: Assessoria de Imprensa Natura

 
2020-02-06T12:19:34-03:00dezembro 20th, 2019|Categories: Associados|

Avon anuncia fim de testes em animais dentro de sua cadeia global

A Avon se torna a primeira empresa global de beleza a banir todos os testes animais, de todas as suas marcas e mercados, inclusive na China, onde o procedimento é obrigatório por leis locais para determinados tipos e categorias de produtos, como protetores solares e desodorantes. Tal mudança envolveu um esforço multifuncional da companhia, desde P&D, Supply Chain a Marketing e Comunicação.

Também neste mês, a companhia foi reconhecida pela ONG PETA (Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais, em português) ao ser colocada na lista de empresas que trabalham por mudanças regulatórias.

A China é um importante mercado para a Avon, um dos maiores e com crescimento mais acelerado no mercado de beleza em todo o mundo. Por isso, a companhia permanecerá no mercado chinês, mas de forma adaptada, com algumas reformulações nas linhas de produtos e com abertura de novos canais de e-commerce, que não exijam o cumprimento dos requisitos legais do país para testes em animais.

A Avon foi uma das primeiras empresas de cosméticos a desenvolver testes que não envolvem animais, há cerca de 30 anos, impulsionando uma mudança positiva no mundo. Para o mercado chinês, a companhia apoia o desenvolvimento de alternativas, ao trabalhar em parceria com organizações científicas, que estão desenvolvendo novas abordagens à avaliação de segurança do produto que dispensem o teste em animais.

Na Avon, não acreditamos que os testes em animais sejam necessários para garantir a segurança de um produto. Temos trabalhado para promover a aceitação de métodos alternativos de testes há muitos anos, com parceiros como o Instituto para Ciências In Vitro, FRAME e a Humane Society International. Continuaremos a trabalhar com essas e outras organizações para impulsionar a indústria “cruelty-free” no futuro. Estamos confiantes de que esse avanço apoiará nossos esforços para atender às expectativas de nossos clientes e Revendedoras em todo o mundo”, comenta José Vicente Marino, presidente da Avon.

Fonte: Assessoria de Imprensa Avon

 

2020-02-06T11:15:04-03:00dezembro 19th, 2019|Categories: Associados|

Como se tornar um empreendedor independente de Vendas Diretas em 5 passos

Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) indica o caminho para se tornar um empreendedor independente e começar um negócio em Venda Direta

Com baixo investimento inicial, as vendas diretas se consolidaram como uma opção acessível para empreender reunindo cerca de 4 milhões de pessoas, que movimentam anualmente cerca de 45 bilhões de reais no País, elevando assim em até 40% o orçamento familiar dos envolvidos.

A Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) resumiu, em cinco passos, o processo para que novos empreendedores independentes, pessoas que trabalham revendendo produtos de marcas consolidadas diretamente para os consumidores finais, em um procedimento conhecido como “venda direta”, saibam como entrar neste importante mercado de trabalho.

1 – Pesquisar as empresas do segmento

Uma das principais dicas para quem está iniciando nas vendas diretas é pesquisar com quais empresas e produtos têm mais afinidade. Além disso, é importante analisar o histórico da companhia e entender se o modelo de negócio é confiável e ético, evitando entrar em esquemas de pirâmides financeiras e outros tipos de fraudes, cada vez mais comuns.

E como identificar se o modelo de negócio é confiável? Um bom caminho para escolher a marca certa é acessar o site da Associação (abevd.org.br) e conferir a lista de empresas associadas. Todas elas passaram por uma análise rigorosa, para assegurar que se tratam de companhias idôneas e seguras para os empreendedores independentes.

2 – Cadastrar-se na empresa

Uma vez escolhida a empresa, o empreendedor independente deve fazer o cadastro junto à marca. Normalmente, um novo entrante é indicado por outro empreendedor que já exerce a atividade.

No entanto, é possível contatar a empresa diretamente, ou, se ainda houver dúvidas em relação a qual empresa representar, o empreendedor pode cadastrar-se no site da ABEVD e receber orientação.

3 – Elaboração de lista com potenciais clientes

Agora é o momento de parar e pensar na lista de clientes. Começar com amigos e família é uma boa dica. Depois é hora de pensar em quem precisaria ou teria mais interesse no tipo de produto que está sendo revendido. Traçar o perfil dessas pessoas e avaliar a melhor forma de abordá-las, bem como qual canal usar são essenciais para que uma venda possa ser efetivada.

4 – Planejamento do dia-a-dia

É importante criar um método de trabalho adequado à vida do empreendedor. As vendas diretas permitem ser dono do próprio negócio, portanto há liberdade para decidir quando e como trabalhar.

Segundo Adriana Colloca, presidente da ABEVD, a autonomia é justamente um dos fatores que mais atraem os empreendedores para esse tipo de trabalho. “Uma das maiores características desse mercado é a flexibilidade de horários e a liberdade para definir os rumos da carreira. Desde que o empreendedor independente haja com ética, ele pode delinear seu próprio caminho dentro das vendas diretas”, afirmou.

5 – Capacitação constante

A Venda Direta é baseada na comunicação. Por isso, é essencial ter um bom relacionamento interpessoal e saber abordar clientes não só pessoalmente, mas por meio das mídias sociais, sendo estes fatores fundamentais para o sucesso no modelo de negócio. E o novo empreendedor tem fortes aliados na busca de capacitação, pois as empresas de vendas diretas investem na qualificação de sua força de venda e oferecem treinamentos na modalidade online e presencial.

Os treinamentos proporcionam a confiança necessária para gerir um negócio de forma sustentável. Criar e manter um bom relacionamento com os clientes, mesmo que o empreendedor não tenha nenhuma experiência em vendas também é um importante foco nos treinamentos oferecidos.

“O conhecimento adquirido nos treinamentos, oferecidos constantemente, são extremamente úteis para quem atua no mercado de vendas diretas, porém ele pode ser aplicado em qualquer outra área de atuação do empreendedor”, conclui Adriana Colloca, presidente da ABEVD.

Fonte: Assessoria ABEVD

2020-02-06T12:20:13-03:00dezembro 18th, 2019|Categories: Notícias|

Em 21 meses, Natura triplica número de consultoras “digitais”

De acordo com Luciano Abrantes, diretor de Inovação Digital da companhia, atualmente 80% das revendedoras utilizam a plataforma digital para vender

Hoje, das 1,7 milhão de consultoras da Natura espalhadas na América Latina (Brasil, Colômbia, Peru, Argentina, Chile e México), pelo menos 1,4 milhão estão ligadas à plataforma digital da empresa, ambiente feito para vendas online. Em março do ano passado, esse número era bem menor: 500 mil. As informações são de Luciano Abrantes, diretor de Inovação Digital da companhia, em entrevista para a ABEVD – Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas.

Segundo Abrantes, o  processo de digitalização começou de forma mais intensa em 2015, em todo o Brasil, com a expansão do Rede Natura (espaço de vendas online para consultoras). Meses depois, foi lançado aplicativo Consultoria, destinado à rede em território nacional. Na sequência, o Rede Natura foi expandido para outras operações na América Latina. Nesses países também foi lançado, posteriormente, o aplicativo para consultoras, batizado de Mi Negocio. Neste ano, a Natura cruzou o globo lançando a venda direta digital – alinhada à estratégia multicanal – na Ásia com a inauguração da operação na Malásia.

A plataforma digital faz parte das iniciativas da Natura para avançar no processo de digitalização das vendas diretas. “Continuamos a investir em inteligência artificial para acelerar e melhorar o atendimento de nossas consultoras e consumidoras”, afirmou Abrantes. O objetivo, segundo o diretor, é contribuir para a convergência cada vez maior entre o modelo de venda presencial e online.

Mais que um avanço em tecnologia, a utilização da internet e das redes sociais para revender produtos representa uma revitalização da venda por relações, caracterizada, antigamente, pela presencialidade, o “porta-a-porta”. De acordo com Abrantes, o impacto da popularização das plataformas digitais fez surgir, inclusive, um novo perfil de consultoras, as chamadas “consultoras-influenciadoras”, que utilizam principalmente as mídias sociais na estratégia de vendas.

“Esse novo perfil de Consultora entende o potencial da internet e sua convergência com nosso modelo de negócios, que – em sua essência – sempre foi uma rede social, mesmo antes do termo existir” (Luciano Abrantes).

No entanto, mesmo com o uso cada vez maior das mídias sociais nas vendas diretas, Abrantes garante que o “porta-a-porta” não vai acabar. “Sempre haverá espaço para a venda presencial, pois os seres humanos são gregários e valorizam suas relações”, disse. Por último, o diretor comentou sobre o uso da tecnologia blockchain pela Natura. “É uma ferramenta que tem potencial para ser adotada em diferentes áreas da empresa”.

Para Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD, associação que representa o setor de vendas diretas, iniciativas como a da Natura são fundamentais para assegurar ainda mais ferramentas de venda para os empreendedores independentes do setor. “A venda direta é baseada nas relações, na proximidade, e essa proximidade não significa mais, necessariamente, estar presente fisicamente”, explicou a executiva.

Fonte: ABEVD

2020-02-06T12:20:21-03:00dezembro 17th, 2019|Categories: Notícias|

Happy Hour das Vendas Diretas: confira os melhores momentos do encontro mais esperado do ano!

O Happy Hour das Vendas Diretas aconteceu na quinta-feira, 05 de dezembro, e reuniu líderes das vendas diretas, empreendedores e executivos. Foi um encontro inesquecível, cheio de alegria, boa música, troca de experiências e networking.

Confira a seguir o registro dos melhores momentos desse dia tão especial!

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

2020-02-06T11:50:45-03:00dezembro 12th, 2019|Categories: Notícias|

ABEVD faz visita institucional a autoridades em Fortaleza

Com o objetivo de fortalecer as relações da Associação com os representantes do poder público e melhor defender os interesses do setor de vendas diretas, Adriana Angelozzi, diretora de assuntos institucionais da ABEVD, visitou autoridades do Ceará (fortaleza), na segunda-feira (18/11).

Na ocasião, Angelozzi se reuniu com o Rodolfo Cavazzani, responsável pelo setor jurídico da Mary Kay Brasil, Dr. Júlio Cavalcante Neto, secretário de comércio, serviços e inovação do estado, Dr. Francisco de Queiroz Maia Jr., Secretário de Desenvolvimento, e Ronaldo Solano, presidente da AMATRA. A visita faz parte da série de reuniões institucionais com autoridades feitas no ano de 2019.

Fonte: Assessoria de Imprensa

2020-02-06T12:20:40-03:00dezembro 12th, 2019|Categories: Notícias|

Palavra da Presidente: o ano das vendas diretas!

O ano de 2019 foi cheio de grandes transformações para o setor de vendas diretas, e a ABEVD esteve, a cada momento, agindo em prol da valorização e difusão de informações corretas sobre o segmento.

Em maio realizamos a 2ª edição do Congresso Nacional de Vendas Diretas, o maior evento do setor na América Latina, com mais de 400 pessoas presentes, entre empreendedores independentes, executivos e grandes líderes internacionais de vendas diretas.

Pensando na qualificação e atualização, a ABEVD também promoveu cursos e palestras durante todo o ano. Em agosto, tivemos a primeira edição do curso Visão 360º em Vendas Diretas; no mês de outubro realizamos o Seminário de Ética e jurídico, em que reunimos especialistas para debater sobre os perigos das pirâmides financeiras e a ética nas relações comerciais; por último, iremos lançar um Curso EAD completo sobre a atuação do segmento.

A Associação trabalhou também para estar mais próxima da força de vendas. Agora, empreendedores independentes vinculados à ABEVD contam com um clube de benefícios e têm descontos exclusivos em plano de saúde, medicamentos, consultas e exames, entretenimento, etc.

Outra ação importante foi a construção do relacionamento com representantes do poder público, a fim de pautar os interesses do segmento. Fizemos mais de 20 reuniões institucionais e conversamos com, pelo menos, 70 autoridades e parlamentares, visando firmar o posicionamento do setor em relação à temas estratégicos, como a Reforma Tributária, que entrou na discussão política e econômica, MVAs e outros.

Mudanças positivas que impactaram a Governança da ABEVD, resultando em modernização, maior independência, imparcialidade e representatividade, também marcaram o ano da Associação.

Além disso, a partir da próxima eleição, em abril de 2020, o conselho diretor da ABEVD passará a ser formado por 7 membros, trazendo maior diversidade ao perfil e às decisões. O mandato se torna de 3 anos e o processo de reeleição dos membros do conselho mudou também, permitindo rotatividade e maior alternância entre os membros.

No campo das pesquisas, estamos trabalhando com uma plataforma de dados que coleta, arquiva e consolida os dados de forma rápida e totalmente confidencial, o que possibilitou aumentar significativamente o número de empresas que participam das nossas pesquisas mensais. Isso faz com que o relatório de resultados seja excelente ferramenta de aferição gerencial.

Queremos agradecer a todos os associados, conselheiros, representantes e membros do comitê que nos apoiaram ao longo do ano, permitindo que nosso trabalho fosse cada vez melhor e mais direcionado às demandas do setor.

Para o próximo ano, preparamos grandes novidades! Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novas ações planejadas pela ABEVD.

Um abraço,

Adriana Colloca.

2020-02-06T12:20:51-03:00dezembro 12th, 2019|Categories: Notícias|

Estudo aponta que Vendas Diretas elevam em 40% o orçamento familiar

Profissionais que atuam no segmento são considerados empreendedores independentes e têm liberdade para definir rumos do negócio; no Brasil, cerca de 4 milhões de pessoas exercem a atividade
 

O orçamento familiar dos profissionais que trabalham na revenda de produtos de marca – chamados empreendedores independentes, consultores ou representantes – aumenta em 40% com a atividade, chegando ao patamar médio de R$ 3.230,00 por mês, aponta levantamento da Associação Brasileira de Vendas Diretas (ABEVD).

Por meio da venda direta, os empreendedores independentes têm a oportunidade de serem seus próprios chefes, estipularem metas de venda, assim como as estratégias de marketing para os produtos, seja de forma tradicional, o conhecido “porta-a-porta”, ou por meio das redes sociais. “Hoje, a digitalização das vendas diretas é uma tendência muito forte. A internet potencializou o contato com clientes e as possibilidades de venda”, explica Adriana Colloca, presidente executiva da Associação.

O “Social Selling”, utilização das redes sociais para fortalecer o relacionamento com clientes e ampliação das possibilidades de venda, já é uma prática habitual entre os empreendedores independentes que possuem um perfil cada vez mais jovem. Segundo a ABEVD, cerca de 48,2% da força de venda é composta por jovens entre 18 e 25 anos. “Eles são atraídos não só pela oportunidade de complementar a renda, mas também por empreender com baixo investimento, dominando as novas formas de comercializar pela internet e toda a liberdade que esse modelo de negócio traz”, afirma Adriana.

Um dos diferenciais do setor é o fácil acesso ao negócio, já que as vendas diretas são, por natureza, uma opção democrática para empreender. O investimento inicial é baixo e cada novo entrante recebe treinamentos das marcas e orientação de consultores mais experientes. “Todos são iguais nas vendas diretas e têm acesso às mesmas oportunidades de ascensão”, conclui a executiva.

Fonte: Assessoria de Imprensa

2020-02-06T12:21:09-03:00dezembro 12th, 2019|Categories: Notícias|

Estado do Mato Grosso fixa Margem de Valor Agregado (MVA) para Venda Direta acima do defendido pela ABEVD

A ABEVD tem estado em contato com as autoridades da Secretaria de Estado da Fazenda do Estado de Mato Grosso para entender como seria a tributação do setor de vendas diretas, assim como para contribuir com dados setoriais que ajudassem na definição de uma Margem de Valor Agregado (MVA) adequada, que refletisse a média das operações do setor de Vendas Diretas em MT. A MVA é a porcentagem determinada pelas Secretarias da Fazenda dos Governos Estaduais para os produtos, ou grupo de produtos, a fim de calcular o ICMS que deve ser pago por substituição, ou seja, um imposto que onera a atividade.

Em outubro, o Estado do Mato Grosso revogou o denominado regime de tributação simplificado, sistema adotado por grande parte dos contribuintes mato-grossenses e a MVA de 40% destinada às operações de vendas diretas. No dia 2 de dezembro, houve a publicação da Portaria nº 195 que fixou a MVA para o setor de vendas diretas em 83,01%, com vigência a partir de 1º de janeiro de 2020. No mesmo dia, concentramos todos nossos esforços para contatar as autoridades e demonstrar a falta de adequação desse percentual o setor de Venda Direta.

Já nos reunimos com o Chefe da Unidade de Pesquisas Tributárias, órgão da Secretaria da Fazenda responsável pelo cálculo das MVAs, quando tivemos a oportunidade de conhecer e discutir a metodologia utilizada. Na ocasião, a ABEVD pode apresentar as nuances decorrentes da apuração de uma MVA setorial para as vendas diretas, a exemplo da complexidade decorrente da ausência de emissão de nota fiscal ao consumidor e o cálculo dos descontos comerciais conferidos pela força de vendas e o autoconsumo.

Adicionalmente, compartilhamos os estudos estatísticos realizados em São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, alguns replicados em outros Estados. Também compartilhamos os percentuais de MVAs nos Estados fronteiriços que estão mais adequados à nossa operação. Estamos trabalhando fortemente na contribuição de informações para a Secretaria da Fazenda visando adequar o percentual de MVA à realidade do nosso setor.

2020-02-06T12:21:21-03:00dezembro 11th, 2019|Categories: Notícias|
Ir ao Topo