Início/2020/fevereiro

A ABEVD é contra criptomoedas? Entenda a posição da Associação!

Nos últimos textos da campanha “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides”, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) disponibilizou conteúdos sobre pirâmides financeiras de criptomoedas e explicou o porquê das companhias de marketing multinível que trabalham com criptomoedas não serem reconhecidas como parte do mercado pela associação.

Entretanto, é preciso deixar claro que a ABEVD não é contra criptomoedas. A entidade é contrária a falsas empresas que tem seu ramo de atividade alinhado ao investimento em criptomoedas e dizem utilizar o sistema de marketing multinível, mesmo sem oferecer aos investidores nenhum produto para revenda (ou, quando oferecem, o produto é inviável para comercialização, usado somente de “fachada”), apenas a recompensa pelo recrutamento de novos membros – principal característica de uma pirâmide financeira.

Vendas diretas através do tempo

É importante lembrar que muitas empresas de vendas diretas possuem várias décadas de atuação, se adaptando a cada nova transformação da sociedade e incorporando as novas formas de transacionar e de se relacionar com o cliente final, como as redes sociais, para o processo de vendas. Por isso, a entidade não é contra novas tecnologias, como as moedas virtuais.

A venda direta é um setor dinâmico, que movimenta anualmente cerca de 45 bilhões em volume de negócios, e que dá oportunidade de renda a milhões de brasileiros espalhados pelo País. Confira a lista de empresas associadas à ABEVD e comece a empreender, no marketing multinível, mononível ou binível, de forma segura!

Vendas Diretas no Combate às Pirâmides

A iniciativa “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides”, promovida pela ABEVD, tem o objetivo de proteger a reputação do setor de vendas diretas, alertar a sociedade sobre os riscos dos esquemas ponzi e ensinar as diferenças entre marketing multinível e pirâmides financeiras.

Durante quatro meses a Associação disponibilizará nas redes sociais vários materiais educativos sobre o assunto. Esse mês, os temas foram relacionados às recentes pirâmides de criptomoedas. Fique ligado!

2020-02-20T10:20:00-03:00fevereiro 20th, 2020|Categories: Notícias|

Confira as fotos das visitas institucionais da ABEVD!

2020-02-17T16:59:34-03:00fevereiro 17th, 2020|Categories: Notícias|

Getnet: pagamentos por aproximação são a nova aposta do mercado

Pagamentos de compras por QR Code e NFC estão ganhando cada vez mais usuários brasileiros, tanto em lojas físicas como online, indica estudo da Capterra. A pesquisa indica que quase 60% dos consumidores entrevistados já pagaram compras aproximando o celular da maquininha. Outros 57% já efetuaram pagamentos com QR Code; enquanto 46% afirmaram já ter usado os dois meios.

“Pagamentos por aproximação são a nova aposta do mercado de tecnologia e adquirência”, diz Rodrigo Serto superintendente de Canal Externo da Getnet. Entre os entrevistados que usaram o pagamento por aproximação, 83% apontaram a rapidez como principal motivo e 76% a facilidade. No entanto, a pesquisa revela que meios de pagamento tradicionais, como cartões de débito e crédito ainda é alta.

O Capterra também pesquisou os hábitos dos brasileiros com novas formas de pagamento online. O meio preferido pelos consumidores para comprar bens físicos (comida, eletrônicos ou roupas) na internet é o cartão de crédito, feito por 90% dos entrevistados, seguido por boleto bancário, preferido por 58%. A carteira digital é a terceira opção de pagamento, com 47%, seguida da transferência bancária com 27%. Na última opção está o QR Code, que é a opção de 25% dos participantes da pesquisa.

A Capterra fez um levantamento online, com 514 consumidores de todo o país entre 7 e 10 de janeiro. Foram entrevistadas pessoas com idades entre 20 e 69 anos. Os resultados representam os dados da pesquisa, mas não da população brasileira como um todo.

Fonte: Tecmundo 31/01/2020

2020-02-17T16:37:00-03:00fevereiro 17th, 2020|Categories: Notícias|

Ações da ABEVD na proteção do modelo de vendas diretas

Os últimos meses deixaram claro a importância da organização do setor para conseguir realizar intervenções rápidas, quando necessário. Foi o que ocorreu, por exemplo, quando o Estado do Mato Grosso revogou o regime tributário simplificado e imputou, inicialmente, uma MVA[1] de 83,01% para as operações nesse estado.

Como a ABEVD monitora as alterações legislativas, logo esse aumento foi identificado e a associação atuou, perante o Estado, para demonstrar a dissonância desse percentual. No final, após apresentação de vasta argumentação e documentação, a MVA foi reduzida para 59,64% nas operações com cosméticos e artigos de perfumaria e 47,17% para os outros produtos.

Logo depois foi a vez do Estado da Paraíba, que aumentou de 60% para 100% a MVA sobre as operações de vendas diretas. A ABEVD continua em discussão com as autoridades fazendárias desse estado para comprovar que se trata de uma tributação excessiva.

Diante dessa aparente onda de aumento de carga tributária, a ABEVD, nesse ano, organiza-se para uma rodada de visitas em diversos estados, visando demonstrar a tributação adequada sobre as operações de vendas diretas, assim como a relevância da atividade em cada território. Para isso, a associação analisou a legislação das 27 unidades federativas dos últimos 10 anos! A entidade também está coletando, junto as associadas, dados que denotam o impacto social positivo das vendas diretas na sociedade. Com isso, a ABEVD tem convicção que reduzirá o risco de enfrentar tributação excessiva.

Em São Paulo, um dos principais mercados, a associação está conversando com o time da Secretaria da Fazenda para demonstrar a adequação das MVAs calculadas em 2017 e a desnecessidade de revisão em 2020. 

São ações importantes e que a associação está atenta, não só em razão da má experiência do final do ano passado quando a entidade foi surpreendida pelo aumento de MVAs em alguns Estados, mas, também, porque o País está em uma fase de retomada da economia. Por isso a importância de evitar uma carga tributária (já bem alta!) maior.

O que é MVA?

[1] As vendas diretas estão sujeitas ao recolhimento de ICMS por substituição tributária em nome de seus milhões de empreendedores independentes. Ou seja, quando as empresas comercializam seus produtos, além do ICMS incidente sobre sua própria operação, também recolhem imposto, por substituição tributária, sobre a operação de revenda do empreendedor para o consumidor final. A base de cálculo do ICMS/Substituição Tributária é composta por um percentual denominado Margem de Valor Agregado (“MVA”) sobre o valor de venda e a alíquota do imposto.

2020-02-17T16:00:45-03:00fevereiro 17th, 2020|Categories: Notícias|

GETNET: PAGAMENTOS POR APROXIMAÇÃO SÃO A NOVA APOSTA DO MERCADO

Pagamentos de compras por QR Code e NFC estão ganhando cada vez mais usuários brasileiros, tanto em lojas físicas como online, indica estudo da Capterra. A pesquisa indica que quase 60% dos consumidores entrevistados já pagaram compras aproximando o celular da maquininha. Outros 57% já efetuaram pagamentos com QR Code; enquanto 46% afirmaram já ter usado os dois meios.

“Pagamentos por aproximação são a nova aposta do mercado de tecnologia e adquirência”, diz Rodrigo Serto superintendente de Canal Externo da Getnet. Entre os entrevistados que usaram o pagamento por aproximação, 83% apontaram a rapidez como principal motivo e 76% a facilidade. No entanto, a pesquisa revela que meios de pagamento tradicionais, como cartões de débito e crédito ainda é alta.

O Capterra também pesquisou os hábitos dos brasileiros com novas formas de pagamento online. O meio preferido pelos consumidores para comprar bens físicos (comida, eletrônicos ou roupas) na internet é o cartão de crédito, feito por 90% dos entrevistados, seguido por boleto bancário, preferido por 58%. A carteira digital é a terceira opção de pagamento, com 47%, seguida da transferência bancária com 27%. Na última opção está o QR Code, que é a opção de 25% dos participantes da pesquisa.

A Capterra fez um levantamento online, com 514 consumidores de todo o país entre 7 e 10 de janeiro. Foram entrevistadas pessoas com idades entre 20 e 69 anos. Os resultados representam os dados da pesquisa, mas não da população brasileira como um todo.

Fonte: Tecmundo 31/01/2020

2020-02-27T11:50:03-03:00fevereiro 17th, 2020|Categories: ABEVD News|

AÇÕES DA ABEVD NA PROTEÇÃO DO MODELO DE VENDAS DIRETAS

Os últimos meses deixaram claro a importância da organização do setor para conseguir realizar intervenções rápidas, quando necessário. Foi o que ocorreu, por exemplo, quando o Estado do Mato Grosso revogou o regime tributário simplificado e imputou, inicialmente, uma MVA[1] de 83,01% para as operações nesse estado.

Como a ABEVD monitora as alterações legislativas, logo esse aumento foi identificado e a associação atuou, perante o Estado, para demonstrar a dissonância desse percentual. No final, após apresentação de vasta argumentação e documentação, a MVA foi reduzida para 59,64% nas operações com cosméticos e artigos de perfumaria e 47,17% para os outros produtos.

Logo depois foi a vez do Estado da Paraíba, que aumentou de 60% para 100% a MVA sobre as operações de vendas diretas. A ABEVD continua em discussão com as autoridades fazendárias desse estado para comprovar que se trata de uma tributação excessiva.

Diante dessa aparente onda de aumento de carga tributária, a ABEVD, nesse ano, organiza-se para uma rodada de visitas em diversos estados, visando demonstrar a tributação adequada sobre as operações de vendas diretas, assim como a relevância da atividade em cada território. Para isso, a associação analisou a legislação das 27 unidades federativas dos últimos 10 anos! A entidade também está coletando, junto as associadas, dados que denotam o impacto social positivo das vendas diretas na sociedade. Com isso, a ABEVD tem convicção que reduzirá o risco de enfrentar tributação excessiva.

Em São Paulo, um dos principais mercados, a associação está conversando com o time da Secretaria da Fazenda para demonstrar a adequação das MVAs calculadas em 2017 e a desnecessidade de revisão em 2020.

São ações importantes e que a associação está atenta, não só em razão da má experiência do final do ano passado quando a entidade foi surpreendida pelo aumento de MVAs em alguns Estados, mas, também, porque o País está em uma fase de retomada da economia. Por isso a importância de evitar uma carga tributária (já bem alta!) maior.

O que é MVA?

[1] As vendas diretas estão sujeitas ao recolhimento de ICMS por substituição tributária em nome de seus milhões de empreendedores independentes. Ou seja, quando as empresas comercializam seus produtos, além do ICMS incidente sobre sua própria operação, também recolhem imposto, por substituição tributária, sobre a operação de revenda do empreendedor para o consumidor final. A base de cálculo do ICMS/Substituição Tributária é composta por um percentual denominado Margem de Valor Agregado (“MVA”) sobre o valor de venda e a alíquota do imposto.

2020-02-27T11:48:30-03:00fevereiro 17th, 2020|Categories: ABEVD News|

Palavra da Presidente: as novidades da associação!

Em janeiro, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) deu seguimento a uma série de projetos que visam promover a imagem positiva do setor perante a imprensa, representantes do poder público e potenciais empreendedores independentes.

Alinhada aos pilares de atuação da entidade, iniciamos a campanha “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides” nas redes sociais. A ação, que foi amplamente repercutida pela mídia especializada, levou informações sobre como se proteger de golpes financeiros e diferenciar marketing multinível de esquemas de pirâmides para centenas de empreendedores e novos entrantes nas vendas diretas. Caso não tenham tido acesso às peças, vídeos e informações, acompanhem nossas mídias sociais. A participação do público foi expressiva na campanha e, caso se sintam à vontade, não deixem de replicar as informações para a força de vendas.

Estamos trabalhando intensamente nos preparativos para o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, que acontece no dia 28 de abril. Apresentaremos temas importantes para o setor e atrações para executivos e profissionais da força de vendas. Mais uma vez, teremos a visitação à área da Expo totalmente gratuita e aberta para todos os interessados.  Esse é o maior evento da venda direta na América Latina e queremos que ele seja representativo e mostre a grandeza e importância de nosso setor.

Como participantes, teremos além de executivos das vendas diretas, membros da imprensa, governo e interessados em se tornar representantes e conhecer melhor sobre as oportunidades do setor.

E para destacar e reconhecer as boas práticas do setor, a Associação está promovendo o 1º Prêmio ABEVD voltado para as empresas associadas. Para participar, basta descrever um case de sucesso em uma, ou todas, das três categorias: Inovação, Treinamento e Capacitação e Incentivo e Reconhecimento.

Contamos com a participação de todas as empresas associadas nessa importante ação que leva visibilidade às iniciativas desenvolvidas nas companhias de vendas diretas e ressalta o cunho social do setor.

Firme na representação do setor em questões jurídicas, a Associação continua presente nas principais discussões que envolvem tributação e demais ações que possam impactar as operações em vendas diretas. Nessa área, demos início às conversas e estudos sobre a regulamentação da atividade, sempre visando a segurança jurídica e produtividade de nosso setor.

Das novidades desse mês, nossa área de parceiros ganha mais um destaque. Estamos constantemente buscando empresas fornecedoras que queiram estar em contato com o setor, seja participando de eventos, cursos, escrevendo artigos ou encontrando os executivos associados para realização de negócios. Recebemos parceiros importantes, dentre eles a Serasa Experian, gigante de serviços de informação.

Essa parceria trará bons frutos e fará com que tenhamos acesso aos serviços que a Serasa pode oferecer para a venda direta.

Um abraço a todos,

Adriana Colloca.

 

 

2020-02-14T17:05:56-03:00fevereiro 14th, 2020|Categories: Notícias|

PALAVRA DA PRESIDENTE: AS NOVIDADES DA ASSOCIAÇÃO!

Em janeiro, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) deu seguimento a uma série de projetos que visam promover a imagem positiva do setor perante a imprensa, representantes do poder público e potenciais empreendedores independentes.

Alinhada aos pilares de atuação da entidade, iniciamos a campanha “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides” nas redes sociais. A ação, que foi amplamente repercutida pela mídia especializada, levou informações sobre como se proteger de golpes financeiros e diferenciar marketing multinível de esquemas de pirâmides para centenas de empreendedores e novos entrantes nas vendas diretas. Caso não tenham tido acesso às peças, vídeos e informações, acompanhem nossas mídias sociais. A participação do público foi expressiva na campanha e, caso se sintam à vontade, não deixem de replicar as informações para a força de vendas.

Estamos trabalhando intensamente nos preparativos para o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, que acontece no dia 28 de abril. Apresentaremos temas importantes para o setor e atrações para executivos e profissionais da força de vendas. Mais uma vez, teremos a visitação à área da Expo totalmente gratuita e aberta para todos os interessados.  Esse é o maior evento da venda direta na América Latina e queremos que ele seja representativo e mostre a grandeza e importância de nosso setor.

Como participantes, teremos além de executivos das vendas diretas, membros da imprensa, governo e interessados em se tornar representantes e conhecer melhor sobre as oportunidades do setor.

E para destacar e reconhecer as boas práticas do setor, a Associação está promovendo o 1º Prêmio ABEVD voltado para as empresas associadas. Para participar, basta descrever um case de sucesso em uma, ou todas, das três categorias: InovaçãoTreinamento e Capacitação e Incentivo e Reconhecimento.

Contamos com a participação de todas as empresas associadas nessa importante ação que leva visibilidade às iniciativas desenvolvidas nas companhias de vendas diretas e ressalta o cunho social do setor.

Firme na representação do setor em questões jurídicas, a Associação continua presente nas principais discussões que envolvem tributação e demais ações que possam impactar as operações em vendas diretas. Nessa área, demos início às conversas e estudos sobre a regulamentação da atividade, sempre visando a segurança jurídica e produtividade de nosso setor.

Das novidades desse mês, nossa área de parceiros ganha mais um destaque. Estamos constantemente buscando empresas fornecedoras que queiram estar em contato com o setor, seja participando de eventos, cursos, escrevendo artigos ou encontrando os executivos associados para realização de negócios. Recebemos parceiros importantes, dentre eles a Serasa Experian, gigante de serviços de informação.

Essa parceria trará bons frutos e fará com que tenhamos acesso aos serviços que a Serasa pode oferecer para a venda direta.

Um abraço a todos,

Adriana Colloca.

2020-08-19T12:42:22-03:00fevereiro 14th, 2020|Categories: ABEVD News|

“Marketing Multinível” e criptomoedas: quando desconfiar?

ABEVD dá dicas para não cair em golpes 

[Baixe aqui o seu folder gratuito sobre como identificar pirâmides financeiras]

Muitas empresas de investimento em criptomoedas acusadas de serem pirâmides financeiras dizem trabalhar com marketing multinível por recompensar o investidor pela indicação de terceiros. Entretanto, no Marketing Multinível legítimo, o empreendedor ganha de duas formas:

  • Com a venda de produtos feita pelo próprio empreendedor
  • Com a venda de produtos feita por pessoas que fazem parte da equipe/rede desse empreendedor

O foco, em sistema de Marketing Multinível legítimo, é sempre o produto a ser vendido, não o recrutamento.

Como identificar uma Pirâmide de Criptomoeda?

Para saber se você está lidando com uma pirâmide de criptomoeda ou uma empresa legítima, é necessário observar:

  • Se a empresa faz promessas de lucro rápido e garantido: as criptomoedas são voláteis, e podem supervalorizar ou desvalorizar. Portanto, se a companhia afirma que você terá uma porcentagem de lucro fixa por mês, semana ou por dia, sem nenhum risco, fique atento.

Sobre a Campanha

A iniciativa “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides”, promovida pela ABEVD, tem o objetivo de alertar a sociedade sobre os riscos dos esquemas ponzi, ensinar as diferenças entre marketing multinível e pirâmides financeiras e proteger a reputação do setor de vendas diretas.

Durante 4 meses a Associação disponibilizará nas redes sociais vários materiais educativos sobre o assunto. Esse mês, os temas serão relacionados às recentes pirâmides de criptomoedas. Fique ligado!

2020-02-12T19:00:41-03:00fevereiro 12th, 2020|Categories: Notícias|
Ir ao Topo