Agência Brasil – Prévia do IBGE registra deflação de 0,37% em setembro

A maior influência no resultado foi o preço dos combustíveis

A prévia da inflação de setembro registra recuo de 0,37%. É a segunda queda seguida no Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) depois de cair 0,73% em agosto. A maior influência no resultado foi o preço dos combustíveis, com destaque, em especial, para a redução no preço da gasolina.

O IPCA-E, que é o IPCA-15 acumulado trimestralmente, teve queda de 0,97%. No acumulado do ano, no entanto, o IPCA-15 avançou 4,63%, mas nos últimos 12 meses desacelerou para 7,96%, abaixo dos 9,60% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em setembro de 2021, o índice foi de 1,14%.

Os dados foram divulgados hoje (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Conforme o indicador, mesmo com a deflação, apenas três grupos de produtos e serviços entre os nove pesquisados apresentaram queda em setembro. “Influenciado pelo item combustíveis, o grupo dos Transportes registrou recuo de 2,35% nos preços e deu a maior contribuição em pontos percentuais (-0,49) do índice”, informou o IBGE.

As quedas nos preços no período nos subitens etanol (10,10%), gasolina (9,78%), óleo diesel (5,40%) e gás veicular (0,30%) contribuíram para o resultado. Somente a gasolina provocou o impacto negativo mais intenso (-0,52 ponto percentual) entre os 367 subitens pesquisados no IPCA-15 de setembro.

“Esse resultado decorre da redução no preço do produto vendido para as distribuidoras em 16 de agosto [R$ 0,18 por litro] e em 2 de setembro [R$ 0,25/l]”, explica o IBGE.

Também no grupo de Transportes, houve queda de 0,08% em ônibus urbano, causada pela redução, desde 11 de setembro, nos preços das passagens aos domingos em Salvador (-0,82%). No mesmo grupo, em movimento diferente, os preços das passagens aéreas cresceram 8,20%, que voltaram a subir após a queda de 12,22% em agosto. O seguro voluntário de veículo também avançou (1,74%), bem como o emplacamento e licença (1,71%) e o conserto de automóvel (0,62%).

Comunicação e alimentos

As quedas de 2,74% no grupo Comunicação e de 0,47% no de Alimentação e bebidas representaram impactos de -0,14 ponto percentual e -0,10 ponto percentual, respectivamente. De acordo com o IBGE, a maior variação negativa em absoluto de 2,74% foi influenciada pelos recuos nos preços dos planos de telefonia fixa (-6,58%) e de telefonia móvel (-1,36%), além de queda nos pacotes de acesso à internet (-10,57%) e nos combos de telefonia, internet e tv por assinatura (-2,72%). Houve deflação ainda nos aparelhos telefônicos (-0,99%).

“Vale lembrar que a Lei Complementar 194/22, sancionada no final de junho, fixou um limite para a alíquota máxima de ICMS sobre combustíveis, energia elétrica e comunicações”, observou o IBGE.

Para a retração de 0,47% no grupo de Alimentação e Bebidas pesou a queda de 0,86% na alimentação no domicílio, com destaque para os subitens óleo de soja (-6,50%), tomate (-8,04%) e, principalmente, leite longa vida (-12,01%). Mesmo com a queda em setembro, o preço do leite acumula alta de 58,19% no ano no IPCA-15. Já os subitens cebola (11,39%), frango em pedaços (1,64%) e frutas (1,33%) tiveram alta no grupo.

Já a alimentação fora do domicílio passou de 0,80% em agosto para 0,59% em setembro. “O item lanche (0,94%) segue em alta, com variação próxima à do mês anterior (0,97%), enquanto a refeição também desacelerou: de 0,72% para 0,36%”, informou o IBGE.

Os demais seis grupos pesquisados apresentaram alta no IPCA-15 de setembro, com destaque para Vestuário (1,66%), com avanço de 1,83% nos preços das roupas femininas, de 1,78% nas masculinas e de 1,52% nas infantis, que voltaram a subir de forma mais intensa. As elevações se estenderam aos calçados e acessórios (1,58%) e às joias e bijuterias (0,98%), que cresceram depois de recuar 0,36% em agosto.

Saúde

Os itens de higiene pessoal (1,28%), planos de saúde (1,13%) e produtos farmacêuticos (0,81%) influenciaram a alta de 0,94% do grupo de Saúde e cuidados pessoais, que tinha apresentado queda de 0,37% em agosto.

Habitação

No grupo Habitação a elevação de 0,47% foi puxada pelos aumentos dos itens gás de botijão (0,81%) e aluguel residencial (0,72%), como também pela energia elétrica (0,41%), tendo em vista que, em Belém (10,52%), a tarifa por kWh foi reajustada em 14,74% em 7 de agosto.

“O subitem gás encanado (0,30%) também cresceu, em função dos reajustes verificados em duas áreas: no Rio de Janeiro (0,13%), com reajuste de 0,20% desde 1º de agosto; e em Curitiba (1,95%), onde foi aplicado um aumento de 2,26% nas tarifas residenciais em 9 de agosto”, disse o IBGE.

Regiões

Das 11 áreas pesquisadas nove registraram deflação em setembro. Conforme o indicador, a maior foi em Recife (-0,93%), impactada pela queda nos preços da gasolina (-13,85%). Belém apresentou o maior aumento (0,50%), influenciado pela alta da energia elétrica residencial (10,52%). Curitiba registrou 0,03% no IPCA-15 de setembro.

Pesquisa

Segundo o IBGE, a diferença entre o IPCA-15 e o IPCA, que é o indicador da inflação oficial do país, está somente no período de coleta e na abrangência geográfica. Para o cálculo do IPCA-15 de setembro, os preços foram coletados no período de 13 de agosto a 14 de setembro (referência) e comparados com aqueles vigentes de 14 de julho a 12 de agosto de 2022 (base).

“O IPCA-15 refere-se a famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, residentes nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia”, explica o IBGE.

Edição: Fernando Fraga

2022-09-28T11:01:12-03:00setembro 28th, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Agência Brasil – Gastos de turistas estrangeiros no país crescem 84% de janeiro a julho

Nos sete primeiros meses do ano, visitantes gastaram US$ 2,7 bilhões

Os gastos de turistas estrangeiros no país somaram mais de US$ 2,7 bilhões (cerca de R$ 14,5 bilhões no câmbio de hoje) de janeiro a julho deste ano, valor 84% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado (US$ 1,5 bilhão). As informações foram divulgadas hoje (26) pelo Ministério do Turismo, com base em dados do Banco Central.

Somente em julho deste ano, foram US$ 389 milhões, 74% a mais do que em julho de 2021 (US$ 223 milhões). De acordo com o Ministério do Turismo, os dados apontam para a forte retomada do setor, que sofreu bastante com a pandemia de covid-19, a partir do segundo bimestre de 2020.

A expectativa do Ministério do Turismo é de que, até o fim do ano, 4,2 milhões de turistas estrangeiros visitem o Brasil. Em entrevista ao programa A Voz do Brasil, o ministro Carlos Brito disse que a retomada dos voos internacionais e o trabalho da Embratur, a agência brasileira de promoção do país no exterior, devem favorecer a chegada de turistas estrangeiros.

“A retomada dos voos internacionais agora vai aquecer a nossa economia, porque com o nosso trabalho, que estava sendo realizado no pré-pandemia, iríamos ultrapassar os 7 milhões de turistas estrangeiros que vinham ao nosso país. Mas fomos surpreendidos com a pandemia. Agora esperamos chegar no final do ano com mais de 4 milhões de turistas estrangeiros aqui no nosso país. Dessa forma, fortalecendo cada vez mais a economia”, disse o ministro.

O recorde de turistas estrangeiros no país que visitaram o Brasil foi registrado em 2018, quando 6,62 milhões vieram ao país. Em 2019, último ano cheio antes da pandemia, foram 6,35 milhões. Em 2020, as medidas de isolamento social no Brasil e no mundo provocaram um grande baque no turismo internacional, a partir de março. Naquele ano, foram 1,8 milhão de turistas estrangeiros no país. Em 2021, esse número caiu para menos de 600 mil.

Neste ano, os turistas estrangeiros voltaram a superar 1 milhão ainda no primeiro semestre. “É muito importante que os estrangeiros venham ao nosso país. Dos estrangeiros que vêm ao nosso país, em torno de 93% querem voltar e 95% aprovam a nossa gastronomia. Temos que trazer os turistas estrangeiros ao nosso país, porque temos tudo o que eles procuram ou muito mais do que eles imaginam”, disse Brito.

Edição: Vitor Abdala

2022-09-27T10:25:25-03:00setembro 27th, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Diário da Manhã – Quatro milhões de brasileiros sobrevivem de vendas e empresas investem na qualificação

Empreendedor Alfredo Soares, sócio da maior plataforma de e-commerce da América Latina e autor dos best-sellers “Bora Vender” e “Bora Varejo”, vem a Goiânia para falar sobre vendas, liderança e alta performance

O Brasil possui cerca de quatro milhões de empreendedores que sobrevivem da venda direta. Na América Latina, o país é líder na atividade, enquanto ocupa a sétima posição no ranking global de vendas. Só no estado de Goiás, são mais de 120 mil consultores que fazem esse tipo de comércio, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Venda Direta (ABEVD).

Conforme o órgão, a quantidade de profissionais em Goiás corresponde a 3,1% do total no País, que já tem uma movimentação de R$ 50 bilhões por ano. Outro segmento que abriga muitos profissionais de vendas é o setor imobiliário, que conta atualmente com mais de 20 mil corretores de imóveis no Estado.

Geralmente, os trabalhadores são atraídos pelas características da atividade, como flexibilidade de horário e pela possibilidade de bom retorno econômico, de acordo com resultados de vendas, tanto de produtos, como de serviços. No entanto, a profissionalização do segmento se faz cada vez mais necessária e importante, uma grande necessidade para aqueles que querem iniciar na profissão ou se destacar nela. Para apoiar os profissionais nesse desenvolvimento, empresas têm buscado investir na qualificação dos profissionais do segmento.

Vislumbrando um cenário de boas perspectivas e profissionais devidamente capacitados, o Grupo URBS Imobiliária realiza no próximo dia 26 de setembro, o Inova Conference by URBS, às 9h, no Auditório Lagoa Azul, no Centro de Convenções de Goiânia, voltado para mais de 600 profissionais corretores de imóveis autônomos, que prestam serviço para a empresa.

O destaque da programação é a palestra com Alfredo Soares, o publicitário apaixonado por vendas, marketing e varejo, que se tornou referência no assunto e virou autor de dois best-sellers –– “Bora Vender” e “Bora Varejo”. “Sei que o URBS Inova é o maior evento do mercado imobiliário no Centro-Oeste e estamos dedicados a entregar algo a altura. É um final de ano atípico com Eleições e Copa do Mundo e isso preocupa, mas nós, vendedores, fazemos dos desafios, degraus! O diferencial do vendedor de alta performance é que as dificuldades aguçam a criatividade que nos faz enxergar novas estratégias e entregar resultados extraordinários”, diz Soares, que está com a expectativa alta para o evento.

Soares compartilha em suas obras, sua expertise sobre vendas através do G4 Educação, onde ele tem como propósito apoiar os gestores em suas jornadas para que, por meio da educação, suas empresas transformem a realidade econômica, social e cultural do país, assuntos que serão também explanados durante o evento. As vendas online também farão parte da abordagem.

2022-09-26T11:20:13-03:00setembro 26th, 2022|Categories: ABEVD na mídia|

Hinode – Hinode Group conquista prêmio ABRE com a linha Routine Dermo

Companhia levou o Ouro no Voto Popular e Bronze em Design Gráfico na categoria de Cosméticos e Cuidados Pessoais

O Hinode Group acaba de conquistar mais um prêmio ABRE, da Embalagem Brasileira, que tem como objetivo eleger as embalagens que se destacam como ícones de excelência no mercado brasileiro. A linha Routine Dermo, com design simples e elegante, levou o Ouro no Voto Popular e Bronze em Design Gráfico na categoria de Cosméticos e Cuidados Pessoais.

Lançada em maio deste ano, a Routine Dermo conta com doze novos produtos com a tecnologia Skintelligent, exclusiva da marca, que trazem uma combinação de ativos poderosos com fórmulas baseadas na tecnologia second skin, ricas em fosfolipídios que mimetizam as propriedades da pele, conferindo sensorial leve e delivery system dos ativos para a área do rosto.

Além das embalagens simples e elegantes que consideram diferentes aplicadores para diferentes texturas, tornando o uso do consumidor mais agradável e atrativo, os novos recipientes de Routine Dermo transmitem os valores da empresa, com informações claras e de fácil entendimento, que olham para o ESG, já que são feitos de materiais recicláveis. A redução de plástico/por unidade também foi de 60g para 0,06kg e as bisnagas oferecem o consumo até o final, graças à tecnologia de válvula airless.

“Este prêmio é o resultado de um ano e meio de trabalho e um extenso processo de pesquisa envolvendo mais de mil pessoas. O diferencial da linha está na experiência que ela oferece e nas embalagens, que carregam beleza e sofisticação no design. Também demos um grande passo no quesito ESG, com o uso de menos materiais e plástico. Um excelente exemplo de criatividade x funcionalidade”, comemora Erica Pagano, VP de Produtos, Branding e Marketing do Hinode Group.

A votação contou com 16 jurados, além do júri popular, que foi responsável por mais um ouro na conta do Hinode Group. A empresa também foi contemplada em 2017 com o Feelin´ for Her (ouro no voto popular e bronze – design estrutural), em 2018 com Venyx (ouro no voto popular) e Léser (bronze – tecnologia) e em 2021 com Sublime (ouro – voto popular e bronze – tecnologia).

Esta é a 22ª edição do prêmio, que avalia diversos critérios até chegar aos vencedores, como inovação, funcionalidade, qualidade, atratividade e sustentabilidade.

SOBRE HINODE

Fundado em 5 de outubro de 1988, o Hinode Group nasceu como uma empresa de cosméticos de venda direta. Em 2008, transformou-se numa das primeiras companhias nacionais a investir no modelo de marketing de rede. Uma marca feita para pessoas que assumem o rumo de suas vidas, orientados pela paixão por desenvolver produtos e criar oportunidades. A categoria fragrâncias é o carro-chefe, com itens premiados. A Hinode conta com linhas feminina, masculina, infantil e de bem-estar, oferecendo aos consumidores um portfólio de produtos essenciais e a beleza integral, que cuida de dentro para fora e de fora para dentro. Os itens da marca podem ser encontrados com consultores oficiais Hinode e no e-commerce da marca.

2022-09-26T11:18:42-03:00setembro 26th, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Agência Brasil – Confiança dos consumidores avança 5,4 pontos em setembro

Alta foi influenciada pela melhora dos indicadores sobre o momento

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) avançou 5,4 pontos em setembro, para 89 pontos, o maior nível desde janeiro de 2020, com 90,4 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 3,3 pontos, para 84 pontos.

Os dados foram divulgados hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Segundo a coordenadora das Sondagens do Ibre/FGV, Viviane Seda Bittencourt, a confiança dos consumidores sobe pelo quarto mês consecutivo influenciada pelas perspectivas mais otimistas em relação aos próximos meses. De acordo com ela, tal resultado parece estar relacionado com a queda nas expectativas de inflação dos consumidores para os próximos 12 meses e um aumento do otimismo em relação ao mercado de trabalho.

“Há um aumento na intenção de consumo, exceto para os consumidores de renda mais baixa, o que reflete ainda dificuldades dessa classe. Além disso, a proximidade das eleições tem um efeito potencializador dessas expectativas. É necessário ter cautela nesses resultados, considerando uma política monetária ainda restritiva e a possibilidade de desaceleração da atividade econômica, que reduziria a velocidade de recuperação do mercado de trabalho”, explicou a pesquisadora, em nota.

Conforme o Ibre/FGV, a alta em setembro foi influenciada pela melhora dos indicadores sobre o momento e próximos meses. O Índice de Expectativas (IE) avançou 7,6 pontos, para 100,2 pontos, maior desde dezembro de 2019, com 100,3 pontos, período pré-pandemia da covid-19. O Índice de Situação Atual (ISA) subiu 1,6 ponto, para 73,3 pontos, maior resultado desde março de 2020, embora ainda baixo em termos históricos.

Em relação aos indicadores que medem a satisfação dos consumidores no momento, há uma percepção de melhora da situação econômica com aumento de 2,5 pontos no indicador para 82,3 pontos, maior nível desde fevereiro de 2020 (85,5 pontos). A avaliação sobre a situação financeira da família se alterou pouco, 0,8 ponto para 64,9 pontos, nível ainda baixo em termos históricos.

Nas expectativas, o item que mais contribuiu para a alta no mês foi o que mede o otimismo das famílias em relação à situação financeira nos próximos seis meses, cujo indicador subiu 10,4 pontos para 100,8 pontos, maior nível desde janeiro de 2020 (81,7 pontos).

O indicador que mede a situação econômica também avançou pelo quarto mês consecutivo. Em setembro subiu 6,1 pontos para 115,4 pontos, maior desde julho de 2021 (116,3 pontos). A intenção de compra de bens duráveis se eleva pela segundo mês consecutivo, dessa vez 5,4 pontos, acumulando alta de 16,7 pontos nos dois últimos meses levando o índice para 84,4 pontos, melhor resultado desde fevereiro de 2019 (86,6 pontos).

Edição: Fernando Fraga

2022-09-26T11:09:50-03:00setembro 26th, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Agência Brasil – CNC: intenção de consumo das famílias cresce 1,4% em setembro

Pesquisa destaca melhora na percepção da renda atual

O indicador antecedente Intenção de Consumo das Famílias (ICF) subiu 1,4% em setembro, alcançando 84,4 pontos, seguindo a tendência de alta iniciada em janeiro deste ano. O patamar supera em 16,5% o resultado de setembro do ano passado. Os dados foram divulgados hoje (22) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

De acordo com a CNC, o aumento foi influenciado pela melhora do mercado de trabalho. “Com efeito, os indicadores de Emprego Atual e de Perspectiva Profissional permaneceram como os únicos nos quais todas as famílias se demonstram satisfeitas”, ressalta a entidade.

A Perspectiva Profissional subiu 1,4% em setembro, para 103,4 pontos, após a queda de 0,3% registrada em agosto. Na comparação anual, a alta é de 25,3%. Os dados apontam que 47,1% dos entrevistados disseram estar com uma perspectiva positiva para o emprego nos próximos 6 meses.

O segundo componente de maior influência no ICF no mês foi a avaliação da Renda Atual, com alta de 2,1%, para 99,1 pontos. Na comparação com setembro de 2021, o componente subiu 25,6%.

“Contribuíram para isso o aumento do valor do Auxílio Brasil e a recuperação de parte do poder de compra decorrente da deflações de julho e agosto. Para as famílias com renda abaixo de dez salários mínimos, a alta foi inclusive mais expressiva (2,2%), o que corrobora a influência dos programas de renda”, explica a CNC.

A Perspectiva de Consumo nos próximos meses subiu 1,2% na passagem de agosto para setembro e 7,8% na comparação anual. Segundo a entidade, o componente foi favorecido por “avanços nas condições de consumo, com renda, inflação e mercado de trabalho mais favoráveis”.

Porém, a CNC destaca que, por causa do suporte financeiro para as famílias de baixa renda ser temporário, a Perspectiva de Consumo cresceu influenciada pelas famílias com renda acima de dez salários mínimos.

2022-09-23T09:59:08-03:00setembro 23rd, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Agência Brasil – Petrobras anuncia nova redução no preço do GLP para as distribuidoras

Trata-se da terceira redução no preço médio do produto em 2022

A Petrobras anunciou hoje (22) nova redução no preço de venda de gás liquefeito de petróleo (GLP), mais conhecido como gás de cozinha.

A partir de amanhã (23), o preço médio de venda do quilo de GLP para as distribuidoras cairá de R$ 4,0265 para R$ 3,7842, equivalente a R$ 49,19 por botijão de 13kg. A redução média será de R$ 3,15 por 13kg.

Segundo informou a Petrobras, essa redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da empresa, “que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio”.

Outros ajustes

Essa é a segunda redução do preço médio de venda do GLP da Petrobras para as distribuidoras em setembro e a terceira do ano. No último dia 13, o preço médio de venda do gás de cozinha passou de R$ 4,23/kg para R$ 4,03/kg, equivalente a R$ 52,34 por 13kg, com redução média de R$ 2,60 por 13 kg.

Em 9 de abril, houve redução de R$ 4,48/kg para R$ 4,23/kg, equivalente a R$ 54,94 por 13kg. A redução média refletida foi de R$ 3,27 por 13kg.

Já em março, houve variação, mas para cima. No dia 11 daquele mês o preço médio de venda do GLP para as distribuidoras passou de R$ 3,86/kg para R$ 4,48/kg, equivalente a R$ 58,21 por 13kg e refletindo reajuste médio de R$ 0,62 por kg.

Edição: Denise Griesinger

2022-09-23T09:54:41-03:00setembro 23rd, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

SEGS – Quatro milhões de brasileiros sobrevivem de vendas e empresas investem na qualificação

Empreendedor Alfredo Soares, sócio da maior plataforma de e-commerce da América Latina e autor dos best-sellers “Bora Vender” e “Bora Varejo”, vem a Goiânia para falar sobre vendas, liderança e alta performance

O Brasil possui cerca de quatro milhões de empreendedores que sobrevivem da venda direta. Na América Latina, o país é líder na atividade, enquanto ocupa a sétima posição no ranking global de vendas. Só no estado de Goiás, são mais de 120 mil consultores que fazem esse tipo de comércio, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Venda Direta (ABEVD).

Conforme o órgão, a quantidade de profissionais em Goiás corresponde a 3,1% do total no País, que já tem uma movimentação de R$ 50 bilhões por ano. Outro segmento que abriga muitos profissionais de vendas é o setor imobiliário, que conta atualmente com mais de 20 mil corretores de imóveis no Estado.

Geralmente, os trabalhadores são atraídos pelas características da atividade, como flexibilidade de horário e pela possibilidade de bom retorno econômico, de acordo com resultados de vendas, tanto de produtos, como de serviços. No entanto, a profissionalização do segmento se faz cada vez mais necessária e importante, uma grande necessidade para aqueles que querem iniciar na profissão ou se destacar nela. Para apoiar os profissionais nesse desenvolvimento, empresas têm buscado investir na qualificação dos profissionais do segmento.

Vislumbrando um cenário de boas perspectivas e profissionais devidamente capacitados, o Grupo URBS Imobiliária realiza no próximo dia 26 de setembro, o Inova Conference by URBS, às 9h, no Auditório Lagoa Azul, no Centro de Convenções de Goiânia, voltado para mais de 600 profissionais corretores de imóveis autônomos, que prestam serviço para a empresa.

O destaque da programação é a palestra com Alfredo Soares, o publicitário apaixonado por vendas, marketing e varejo, que se tornou referência no assunto e virou autor de dois best-sellers –– “Bora Vender” e “Bora Varejo”. “Sei que o URBS Inova é o maior evento do mercado imobiliário no Centro-Oeste e estamos dedicados a entregar algo a altura. É um final de ano atípico com Eleições e Copa do Mundo e isso preocupa, mas nós, vendedores, fazemos dos desafios, degraus! O diferencial do vendedor de alta performance é que as dificuldades aguçam a criatividade que nos faz enxergar novas estratégias e entregar resultados extraordinários”, diz Soares, que está com a expectativa alta para o evento.

Soares compartilha em suas obras, sua expertise sobre vendas através do G4 Educação, onde ele tem como propósito apoiar os gestores em suas jornadas para que, por meio da educação, suas empresas transformem a realidade econômica, social e cultural do país, assuntos que serão também explanados durante o evento. As vendas online também farão parte da abordagem.

Inova Conference by URBS

O Inova Conference by URBS é um evento anual realizado pelo Grupo URBS para corretores de imóveis, colaboradores e parceiros. Os principais temas a serem abordados por Alfredo Soares serão alta performance, novo consumidor e liderança.

Reforçando a importância dos novos conhecimentos e na mudança de comportamento profissional, o publicitário aponta que está animado para trazer os insights de vendas que têm permeado sua vida e carreira. “Ninguém acorda motivado todo dia, é a disciplina que ganha o jogo! Construam essa mentalidade e preparem-se para fecharem o ano mais produtivo da carreira de vocês até agora”, finaliza.

2022-09-22T10:34:07-03:00setembro 22nd, 2022|Categories: ABEVD na mídia|

Manezinho News – Herbalife Nutrition participa do maior evento de nutrologia da América Latina

Marca é líder mundical em controle de peso e bem-estar

A Herbalife Nutrition, marca número 1 no mundo em controle de peso e bem-estar, marca presença no XXVI Congresso Brasileiro de Nutrologia, realizado pela ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia), que acontece no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP), nos dias 22, 23 e 24 de setembro.

O Congresso Brasileiro de Nutrologia (CBN) é o maior evento do setor na América Latina, de caráter técnico-científico, responsável por difundir avanços na área e compartilhar experiências entres os profissionais de saúde interessados no tema, como médicos nutrólogos, endocrinologistas e nutricionistas.

Com o objetivo de oferecer produtos que apoiem as pessoas a terem uma vida saudável e ativa, a Herbalife Nutrition acompanha atentamente as discussões cientificas, demandas dos profissionais da área e do novo perfil do consumidor. Líder da categoria de substitutos parciais de refeição, a marca comercializa mais de 5 milhões de porções de shake por dia no mundo e possui um vasto portfólio de produtos, como por exemplo, fibras, suplementos vitamínicos e minerais, bebidas energéticas, colágeno e barras de proteínas.

No Brasil, o portfólio da marca conta com mais de 10 sabores disponíveis dos famosos shakes. Toda a matéria-prima para a formulação dos produtos é fornecida por parceiros comprometidos com o alto padrão de qualidade exigido pela empresa, que permitem a rastreabilidade completa desde o plantio, cultivo, colheita, até o produto final.

Os participantes do Congresso poderão conhecer de perto o portfólio de produtos e obter orientações dos especialistas, no estande da Herbalife Nutrition localizado no evento.

2022-09-22T10:32:10-03:00setembro 22nd, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Região Noroeste – Varejo paulista tem melhor 1º semestre em faturamento desde 2008

O comércio varejista no Estado de São Paulo encerrou o primeiro semestre com um faturamento real 37% acima da média histórica para o período. O resultado é o maior para o semestre desde o início da série, em 2008. Entre janeiro e junho, as vendas varejistas aumentaram 11,3%, o que representa um crescimento de R$ 54,7 bilhões ante o mesmo período de 2021. Os dados são da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), divulgada pela FecomercioSP.

A federação afirma, em nota, que “a melhora do nível de emprego, a queda da inflação, o aumento da oferta de crédito (na primeira metade do ano, as concessões crescerem 26%) e a normalização do cenário da pandemia são alguns fatores que explicam os resultados”.

A FecomercioSP acrescenta que essas condições aumentaram o nível de confiança dos consumidores no período.

Em junho, as vendas reais apresentaram crescimento de 8,5% ante igual mês do ano anterior, com faturamento real de R$ 93,3 bilhões. A alta foi o melhor resultado da série histórica para o mês. Nas vendas acumuladas, todos os segmentos avaliados na pesquisa apresentaram recordes históricos, com exceção das concessionárias de veículos e das lojas de eletrodomésticos e eletrônicos.

O segmento de lojas de vestuário, tecidos e calçados liderou o total de vendas em junho, com crescimento de 18,4%. O setor foi seguido pelos setores de farmácias e perfumarias (14,9%), lojas de autopeças e acessórios (14,2%), outras atividades (12,7%) e supermercados (7,2%).

Também houve alta nos segmentos de concessionárias de veículos (3,4%), lojas de materiais de construção (1,9%), lojas de móveis e decoração (0,7%) e eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamento (0,1%).

Para o segundo semestre, a instituição acredita que os resultados devem continuar positivos, ainda que menores. “Considerando o nível de consumo atual – e a recuperação já em andamento no setor de serviços, que deve promover uma injeção considerável de recursos na economia paulista -, o ritmo de expansão do setor deve se manter ao longo do segundo semestre, entretanto, com taxas menos vigorosas em relação às atuais”, explica.

A federação avalia também que “fatores imprevisíveis, como os políticos e sociais, e turbulências inesperadas na economia podem exercer reflexos negativos na confiança do consumidor”.

2022-09-22T10:30:08-03:00setembro 22nd, 2022|Categories: ABEVD Clipping, Economia|
Ir ao Topo