Como motivar o empreendedor neste novo normal? Esta foi a principal questão debatida no webinar, desta terça-feira (14.07), promovido pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD). Participaram da conversa a diretora de vendas da Natura, Cida Franco; e o diretor geral da Polishop, Gilberto Guitti; e como moderadora, a presidente executiva da ABEVD, Adriana Colloca.

Neste cenário que colocou todos à prova, uma coisa é certa: foi preciso adaptar e se reinventar. Adriana Colloca iniciou a conversa afirmando que o setor das Vendas Diretas atuou com rapidez. “Empresas se modernizaram, treinaram as pessoas. Houve adaptação e resiliência do setor”, disse.

Os convidados falaram de suas experiências frente aos negócios que coordenam, quais foram os primeiros impactos e as medidas adotadas pelas empresas que representam diante de tantas mudanças e avanços, não apenas tecnológicos, mas visando novas formas de atuação em suas respectivas funções.

Gilberto destacou que pessoas, cada vez mais qualificadas, estão buscando trabalhos mais alternativos, que proporciona trabalhar quando, onde e quanto querem, e que a crise faz pensar e agir de modo diferente. “Antes, o contato humano tinha valor essencial neste negócio. A crise mostrou que existem outras formas de fazer este mesmo negócio”, disse o diretor geral da Polishop. “No início foi preciso posicionar as pessoas para entender que essa fase não vai passar, agora há uma nova forma de fazer o mesmo negócio”, afirmou.

A diretora de vendas da Natura, Cida Franco, falou sobre ressignificar a forma de trabalho e mencionou que já atuavam num modelo de escuta aos empreendedores independentes, mas que isso se intensificou agora, como medida adotada pelo grupo. “Criamos uma narrativa para esse momento que colocasse as coisas no devido lugar, baseado em três pilares: barrar o contágio, cuidar das pessoas e garantir que a economia continuasse circulando”, disse. A iniciativa adotada pela empresa foi criar um fundo de emergência para atender às necessidades de revendedores que se encontraram em situação de vulnerabilidade em meio à pandemia.

Foi preciso pensar estratégias para que os empreendedores das Vendas Diretas e executivos continuassem motivados em meio a tantos acontecimentos delicados. Gilberto Guitti falou sobre a estratégia que adotaram como um método a ser praticado, para que dessa forma, consigam resultados. “Não é o que fala, mas como fala. Este modelo de negócio está sendo alimentado pelo desafio” afirmou.

As empresas tiveram ações semelhantes no sentido de contribuir com produtos essenciais neste período de pandemia. Cida destacou a ação da Natura de parar a produção dos produtos de cosméticos para fabricação de álcool em gel e álcool líquido, além de priorizar, em suas linhas de produção, os produtos considerados essenciais, como sabonetes. Outra ação foi simplificar o cadastro de novos revendedores, para que o processo fosse mais ágil e assim, pudessem ter alguma renda neste momento. “Logo no cadastro a pessoa adquire um espaço digital. Vejo que é um caminho sem volta o grau de digitalização que atingimos” afirmou a diretora de vendas da Natura.

O diretor geral da Polishop afirmou que “as pessoas estão abertas a oportunidades e no online temos espaço para pessoas mais eficazes e eficientes”, disse. “Orientamos os empreendedores a se inteirarem, para fazer parte do processo, assim se sentirão valorizadas, com autonomia e isso faz toda a diferença” completou. Gilberto afirmou ainda que a solidariedade precisa ser colocada em prática. “É um período de aprendizados, mas efetivamente com resultados”, concluiu.

“A pandemia desafiou a todos porque não existia histórico, então se conectar à equipe foi fundamental” afirmou Cida. “Uma coisa que ficou muito evidente foram as diferentes realidades e entender essas realidades, esses privilégios, foi um aprendizado na nossa forma de lidar com outro ser humano”, finalizou.

Os convidados concordaram que a venda direta ganhou relevância porque tem traços importantes, já que estabelece confiança e traz conveniência para os consumidores. O momento é desafiador, mas as experiências vieram para ficar. Adriana Colloca finalizou enaltecendo a ética com que os empreendedores e executivos das Vendas Diretas estão lidando com os negócios neste período.