Marcel Szajubok participa do Papo Direto da ABEVD, falando do início da Embelleze na Venda Direta e os desafios do setor

A empresa Embelleze, com quase 53 anos de mercado, ingressou há dois anos no setor de Venda Direta. Com vasta experiência no varejo e em formação de profissionais de beleza, realizaram a vontade antiga do Itamar Serpa, fundador da empresa. Para falar do assunto, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) recebeu, nesta quinta-feira (14/10) no Papo Direto Marcel Szajubok, CEO da Embelleze.

“Quando o Itamar me disse que entrar na Venda Direta era uma maneira de devolver e dividir com as pessoas tudo aquilo que ganhou em vida, me encantou, pois é tudo que acredito”, explica o CEO Marcel Szajubok.

Para Marcel, trabalhar com ética e ter uma boa estruturação são os pontos principais para que ingressar na Venda Direta não seja apenas uma aventura passageira. “Os primeiros dois anos foram para a gente se estruturar, agora vamos acelerar. Não fizemos grande divulgação nesse tempo, mas agora eu falo: podem vir, a Embelleze está na Venda Direta”, diz.

Os produtos vendidos pelos empreendedores independentes da Embelleze são exclusivos, como energéticos e produtos nutricionais, e não podem ser encontrados no varejo, para que haja espaço para os dois segmentos da empresa.

“O relacionamento é a chave da Venda Direta, se você é apaixonado por pessoas, esse é o seu lugar. A educação e capacitação é o que faz ter proximidade com os empreendedores”, diz Marcel. “Eu acredito que em 2022 seja positivo para a Venda Direta, e com um aumento da força de venda, pois a pandemia pode estar enfraquecida, mas a crise econômica não, as pessoas precisam de renda extra”, observa.

Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD, relembra a importância de verificar antes de revender produtos e serviços de uma empresa, se ela é associada da ABEVD, pois essa é uma garantia de ética e honestidade, evitando golpes e esquemas de pirâmide financeira. “O processo para se tornar associada da ABEVD é rigoroso, e anualmente, verificamos se as empresas seguem dentro dos nossos critérios éticos”, conclui.

Assista na íntegra o Papo Direto com Marcel Szajubok.