Sobre Rosangela Oliveira

Esse autor ainda não preencheu quaisquer detalhes.
So far Rosangela Oliveira has created 3920 blog entries.

CNN – Faturamento do varejo cresce mais de 7% no Carnaval, aponta Cielo

Aceleração teve destaque em Salvador, Rio de Janeiro e Florianópolis; segmento de mercados foi o mais beneficiado

As receitas de vendas no varejo cresceram 7,7% no Carnaval deste ano, durante 9 a 14 de fevereiro, em comparação com o mesmo período festivo de 2023, segundo o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA).

O setor varejista observou destaque, principalmente, em Salvador, com crescimento de 8,4%. O faturamento seguiu positivo no Rio de Janeiro, com uma aceleração de 8,3%, Florianópolis, com 7,7% e Belo Horizonte, com 6%.

Recife também teve um aumento no varejo de 4,5%, se defrontando com o setor de supermercados e hipermercados, único lugar onde o segmento apresentou uma retração, com queda de 5,8%.

Segundo o índice, o segmento de mercados foi o mais beneficiado com o feriado prolongado de festas apresentando alta de mais de 11%, puxado pela cidade do Rio de Janeiro, com uma variação positiva de 11,8%.

Carlos Alves, vice-presidente de Tecnologia e Negócios da Cielo, afirma que esse resultado está relacionado à inflação em janeiro, que avançou 0,42%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Outro fator que colaborou para a alta nas vendas foi o fato de que em 2024 o Carnaval foi comemorado mais para o começo do mês, período em que o salário ainda não foi completamente gasto pelas pessoas. Em 2023, o feriado ocorreu mais para o final de fevereiro”, afirmou Alves.

Outros destaques do Carnaval foram os segmentos de Recreação e Lazer, avançando 7,4%, e Turismo e Transporte, com 4,4%. Já o faturamento de Alimentação, que engloba bares e restaurantes, teve um crescimento do faturamento menor, de 0,9%.

2024-02-19T11:22:02-03:00fevereiro 19th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Hinode – Hinode Group investe em inovação para impulsionar sua transformação digital

Iniciativas da marca buscam melhorias nos processos e experiências dos consultores e consumidores

Um dos principais players no segmento de vendas diretas e marketing de rede, o Hinode Group, tem investido em pesquisas e implementação de novas tecnologias desde 2019, ano em que deu início a sua jornada de transformação digital. A empresa celebra marcos significativos em sua trajetória de digitalização, que impulsionou o seu crescimento e fortaleceu sua rede de consultores.

Em 2019, o Hinode Group lançou seu e-commerce, com o foco voltado para o consumidor final, que possibilitou um alcance ainda maior da marca, que inovou ao disponibilizar aos seus consultores links exclusivos para que eles possam direcionar aos seus clientes e receber o comissionamento pelas vendas.

“O nosso foco sempre foi a venda para o consultor, mas a tecnologia nos possibilitou ampliar essa atuação e incluir a modalidade B2C nos nossos negócios. O e-commerce atende o público nacionalmente, e mesmo as compras orgânicas trazem bonificação aos consultores”, comenta Ronie Piovezan, diretor comercial e de tecnologia, do Hinode Group.

O Hinode Group seguiu o seu plano de transformação digital, e em 2021 deu um passo importante no fortalecimento de seus canais digitais. Com um investimento substancial no CRM da Salesforce e a implementação do setor de Business Intelligence (BI), tecnologias permitiram estudos de dados mais robustos para o desenvolvimento de estratégias digitais.

Para o diretor de tecnologia do Hinode Group essa foi uma etapa importante no crescimento da marca. “Esse foi um passo fundamental no nosso desenvolvimento tecnológico, pois com o levantamento de dados conseguimos realizar análises mais aprofundadas que nos trouxeram um conhecimento mais detalhado das necessidades da nossa rede e nos impulsionou no desenvolvimento de estratégias mais assertivas”.

O ano de 2022 foi marcado por muitas novidades para a marca e a primeira foi a reformulação de seu e-commerce, migrando para a tecnologia React Native, o que possibilitou o desenvolvimento da plataforma e a expansão para outros países. A mudança se concretizou com o lançamento do e-commerce do Hinode Group no México.

Ainda em 2022, o Hinode Group realizou mais uma conquista importante e foi o pioneiro do segmento de venda direta a obter o selo verificado pela plataforma de mensagens da Meta, o WhatsApp.

Outro movimento realizado pela marca foi a sua chegada nos marketplaces, que se iniciou com a abertura da loja oficial Hinode na maior plataforma da América Latina, o Mercado Livre. Além disso, por meio da geolocalização, a marca identifica os consultores na região dos clientes que compram por esse canal e os bonifica com 5% do valor dos produtos.

O próximo passo foi o desenvolvimento de ferramentas digitais que ajudassem diretamente os consumidores, então a marca lançou dois webapps, um deles premiado na categorias de inovação pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD).

A ferramenta “Routine Dermo” utiliza a Inteligência Artificial para analisar a pele e recomendar os produtos de skincare que vão atender às necessidades daquele consumidor. Já o “Espelho Virtual”, é uma ferramenta que possibilita a realização de testes dos produtos de maquiagem da linha Dazzle. Ambos os aplicativos foram integrados ao e-commerce, direcionando os consumidores para a compra.

Em 2023, o Hinode Group foi a primeira empresa do segmento de venda direta a participar da fase beta da nova plataforma da Meta, o WhatsApp FLOWS, e transformou a experiência de compra de seus consultores com recurso desenvolvido exclusivamente para eles.

No WhatsApp FLOWS, por meio de um chatbot conversacional, a empresa passa a reativar sua base de consultores inativos, ampliando sua rede de empreendedores em uma oportunidade de impulsionar suas vendas de forma eficiente. O recurso é uma solução inovadora que chega para otimizar o processo de vendas, tornando a experiência de compra mais dinâmica e interativa.

Atualmente, cerca de 25% da base de consultores utiliza ativamente as plataformas e ferramentas digitais oferecidas pelo Hinode Group para ampliar seus negócios, marcando um novo capítulo de sucesso na jornada de transformação digital da empresa.

“É muito gratificante fazer parte dessa emocionante jornada de crescimento digital do Hinode Group. Estamos empolgados com as perspectivas futuras e para 2024 reafirmamos nosso compromisso com a tecnologia, continuando a impulsionar a inovação e aprimorando a experiência digital para nossa base de consultores e consumidores”, finaliza Piovezan.

2024-02-16T11:37:37-03:00fevereiro 16th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Hinode – Inebriante for Her é eleito o melhor perfume nacional no Prêmio Glamour de Beleza 2024

Fragrância foi eleita pelo voto popular

Todo mundo tem um produto queridinho que não sai da necessaire e todos eles devem ser celebrados. Pensando nisso, o Prêmio Glamour de Beleza elege, anualmente, os favoritos entre os especialistas e pessoas apaixonadas por cosméticos.

São diversas categorias que avaliam os principais lançamentos e grandes clássicos do mundo da beleza, e a Hinode não poderia ficar de fora. Na edição 2024 da premiação, a marca foi eleita na categoria de perfumes.

O prêmio veio para a fragrância Inebriante for Her, que foi eleita por meio do voto popular como o Melhor Perfume Nacional de 2023. A escolhida é a versão feminina do best seller da Hinode.

SOBRE HINODE

Fundado em 5 de outubro de 1988, o Hinode Group nasceu como uma empresa de cosméticos de venda direta. Em 2008, transformou-se numa das primeiras companhias nacionais a investir no modelo de marketing de rede. Uma marca feita para pessoas que assumem o rumo de suas vidas, orientados pela paixão por desenvolver produtos e criar oportunidades. A categoria fragrâncias é o carro-chefe, com itens premiados. A Hinode conta com linhas feminina, masculina, infantil e de bem-estar, oferecendo aos consumidores um portfólio de produtos essenciais e a beleza integral, que cuida de dentro para fora e de fora para dentro. Os itens da marca podem ser encontrados com consultores oficiais Hinode e no e-commerce da marca.

2024-02-16T11:35:16-03:00fevereiro 16th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

ABEVD consegue prorrogar atual MVA-SP até final de abril

Durante grande parte de 2023, a ABEVD, assessorada pela da Fundação Getúlio Vargas e da Secretaria da Fazenda de São Paulo, revisou como as vendas diretas são feitas no estado de São Paulo. A Margem de Valor Agregado (MVA) está sendo ajustada, e é usada para calcular o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) que as empresas pagam pelos produtos vendidos pelos seus empreendedores sob o regime de substituição tributária.

Esse cálculo leva em conta o preço de venda para os empreendedores, os preços sugeridos nos folhetos de ofertas, descontos comerciais e produtos adquiridos para uso próprio. Tudo isso é feito para determinar uma MVA justa para as vendas diretas.

O estudo foi concluído no final de 2023 e agora a Secretaria da Fazenda de São Paulo está revisando as informações junto com a ABEVD. Enquanto isso, para garantir que nossas operações continuem desburocratizadas, foram emitidas as Portarias CAT nºs 7 e 8 em 2 de fevereiro, prorrogando as MVAs existentes para vendas diretas até 30 de abril.

Leia as Portarias CAT 07 e 08 de 2024 clicando aqui.

2024-02-15T17:50:38-03:00fevereiro 15th, 2024|Categories: ABEVD News|

Herbalife – Herbalife reporta crescimento anual de vendas líquidas no quarto trimestre de 2023

A Herbalife relatou vendas líquidas no ano de 2023 de US$ 5,1 bilhões, uma queda de 2,7% ano a ano. Numa base de moeda constante 1 , as vendas líquidas diminuíram 1,6% em relação ao ano anterior. O lucro líquido foi de US$ 142,2 milhões. O caixa líquido gerado pelas atividades operacionais foi de US$ 357,5 milhões, com fluxo de caixa livre 2 de US$ 222,5 milhões. O EBITDA Ajustado 2 foi de US$ 570,6 milhões, com margem EBITDA ajustada 2 de 11,3%. O lucro por ação diluído foi de US$ 1,42, com lucro por ação diluído 2 ajustado de US$ 2,21.

No exercício findo em 31 de dezembro de 2023, as despesas de capital, incluindo despesas relacionadas com a plataforma de tecnologia digital Herbalife One, foram de aproximadamente 135 milhões de dólares. A Empresa espera incorrer em despesas de capital totais de aproximadamente US$ 145 milhões a US$ 195 milhões para todo o ano de 2024.

As vendas líquidas do quarto trimestre de 2023 foram de US$ 1,2 bilhão, um aumento de 2,9% ano a ano, marcando o quarto trimestre consecutivo de melhoria nas tendências de vendas líquidas ano a ano. Numa base de moeda constante 1 , as vendas líquidas aumentaram 2,5% em relação ao ano anterior.

A margem de lucro bruto do quarto trimestre foi de 76,3%, uma queda de 120 pontos base em relação ao ano anterior, principalmente devido ao benefício de aproximadamente 100 pontos base de preços mais do que compensados ​​pelos ventos contrários contínuos da inflação dos custos de insumos de aproximadamente 210 pontos base. O lucro líquido foi de US$ 10,2 milhões. O EBITDA Ajustado 2 de US$ 108,8 milhões inclui aproximadamente US$ 2 milhões em ventos favoráveis ​​em moeda estrangeira ano a ano, com margem EBITDA 2 ajustada de 9,0%. O EPS diluído foi de US$ 0,10, com EPS diluído 2 ajustado de US$ 0,28, que inclui um vento favorável em moeda estrangeira de US$ 0,01 ano a ano.

A Companhia implementou outras ações relacionadas ao seu Programa de Transformação, iniciado em 2021 para otimizar estrategicamente os processos globais de negócios. Com base nas ações da Empresa em 31 de dezembro de 2023, ela entregou aproximadamente US$ 70 milhões em economias de custos em 2023, dos quais aproximadamente US$ 27 milhões foram realizados durante os três meses encerrados em 31 de dezembro de 2023. A Empresa agora espera entregar a taxa total de execução do programa economias de pelo menos US$ 115 milhões em 2024 e além (contra pelo menos US$ 90 milhões). Para os três e doze meses encerrados em 31 de dezembro de 2023, a Empresa reconheceu despesas antes dos impostos de aproximadamente US$ 12 milhões e US$ 54 milhões, respectivamente, em SG&A relacionadas ao programa, que são excluídas dos resultados ajustados. A Empresa agora espera incorrer em despesas totais antes de impostos do programa de pelo menos US$ 95 milhões (acima dos pelo menos US$ 75 milhões), dos quais US$ 79 milhões foram incorridos até o momento.

Consistente com as prioridades de alocação de capital da Empresa, ela pretende reembolsar o principal pendente de US$ 197,0 milhões sob suas Notas Conversíveis 2024 no vencimento em março de 2024 com dinheiro disponível em mãos e fundos disponíveis sob sua linha de crédito rotativo.

Em 2 de fevereiro de 2024, a Empresa iniciou o refinanciamento de seu Empréstimo a Prazo A de 2018 e da Linha de Crédito Rotativo de 2018, ambos com vencimento em março de 2025. Em 31 de dezembro de 2023, US$ 236,1 milhões estavam pendentes sob o Empréstimo a Prazo A e o Revólver. permaneceu sem desenhar. Os termos da transação de refinanciamento proposta serão divulgados após a conclusão da transação. O refinanciamento proposto está sujeito às condições habituais de fechamento e não há garantia de que algum refinanciamento ocorrerá.

“Continuamos a tomar medidas estratégicas para otimizar nossa estrutura de custos e fortalecer nosso balanço”, disse Alex Amezquita, Diretor Financeiro. “As poupanças incrementais de custos alcançadas através da expansão do nosso Programa de Transformação são uma prova do nosso compromisso em aumentar a produtividade e continuamos a olhar para todos os aspectos do nosso negócio com foco em impulsionar o crescimento da receita, expandir as margens e garantir o nosso balanço patrimonial. .”

Durante o quarto trimestre, a Empresa continuou a lançar os seus novos websites Herbalife.com, que fazem parte do Herbalife One. Até o momento, os sites estão ativos em mercados da Ásia-Pacífico, EMEA, América Latina e América do Norte, que representam aproximadamente 70% das vendas da Empresa em 2023. Espera-se que a implementação nos restantes mercados planeados esteja concluída em 2024. Em 2024, continuará o desenvolvimento de ofertas para elevar as capacidades digitais fornecidas aos distribuidores e aos seus clientes, tais como comércio eletrónico de distribuidores, fidelização de clientes e soluções baseadas em dados.

2023 marcou o retorno total da Empresa aos eventos presenciais, que tiveram uma resposta positiva esmagadora dos distribuidores, proporcionando oportunidades para restabelecer conexões e compartilhar melhores práticas. A Empresa organizou nove Extravaganzas em todo o mundo com quase 125.000 participantes, bem como milhares de outros eventos de educação e treinamento liderados por empresas e distribuidores. Esses eventos ajudaram a envolver, motivar, inspirar e educar a base de distribuidores. A Companhia acredita que essas interações apoiaram um aumento na retenção de líderes de vendas. No período de requalificação de doze meses encerrado em janeiro de 2024, aproximadamente 68,3% dos distribuidores líderes de vendas, excluindo a China, se requalificaram para manter seu status de líder de vendas, contra 67,6% no período de doze meses encerrado em janeiro de 2023.

Durante dezembro de 2023 e janeiro de 2024, a Empresa continuou a cumprir sua estratégia de crescimento, lançando quatro produtos inovadores que acredita que terão repercussão nos mercados locais e se alinharão às tendências e preferências dos consumidores:

Shape Control – cápsula de suplemento para emagrecer sem glúten que combina extrato de Morosil ® Moro Orange com Cromo; disponível no Brasil

Herbalife24 ® Premium Creatine – bebida em pó vegana, sem glúten e com zero calorias misturada com 3g de creatina que proporciona múltiplos benefícios de fitness, incluindo ajudar a melhorar o desempenho nos exercícios e aumentar a massa muscular; disponível no Brasil

Barras de Refeição Saudável Fórmula 1 Express (Cranberry & Chocolate Branco) – reformuladas com 15g de proteína e 6g de fibra e indicadas para vegetarianos; disponível em mercados selecionados na EMEA
Pycno ® Plus – cápsula que combina Picnogenol (extrato de casca de pinheiro marítimo francês) e vitaminas B para apoiar a saúde de mulheres e homens; disponível na Coréia

Além disso, na semana passada a Empresa anunciou a oferta de dois Combos de Produtos Complementares de Nutrição Herbalife ® GLP-1, Clássico e Vegano. As combinações de produtos são alimentadas pelo Shake de Proteína nº 1 do mundo* e têm como objetivo atender às necessidades nutricionais de indivíduos que tomam GLP-1 e outros medicamentos para perda de peso. Cada combinação de produtos fornece proteína vital para ajudar a construir tecido muscular e manter a massa muscular magra, ao mesmo tempo que fornece energia e fibras para promover a regularidade e um sistema digestivo saudável. Além disso, o combo Clássico fornece vitaminas e minerais essenciais para apoiar a saúde geral, enquanto o combo Vegan também oferece três misturas orgânicas de 20 frutas e vegetais.

Além disso, os distribuidores da Empresa podem ajudar os consumidores a desenvolver práticas nutricionais adequadas enquanto tomam medicamentos para perder peso e a desenvolver hábitos saudáveis ​​sustentáveis ​​para quando pararem de usar os medicamentos, para criar mudanças duradouras benéficas para a saúde a longo prazo. Os Combos de Produtos Complementares de Nutrição Herbalife ® GLP-1 estão agora disponíveis nos Estados Unidos e em Porto Rico.

“Nossa responsabilidade é clara: crescimento das vendas, expansão das margens e maximização do valor para os acionistas”, disse Michael Johnson. “Juntamente com os nossos distribuidores, a Herbalife está no caminho para se tornar a principal empresa, comunidade e plataforma global de saúde e bem-estar.”

2024-02-15T15:29:55-03:00fevereiro 15th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

DSN – 4Life ganha prêmio de Produto do Ano

A 4Life recebeu o prêmio de Produto do Ano de 2024 por sua Fórmula Tri-Factor 4Life Transfer Factor no Simpósio de Inovação e Gestão de Produtos em Mumbai, Índia. O simpósio reconhece empresas de todos os segmentos da indústria que estão comprometidas com o “desenvolvimento de produtos inteligentes, ágeis e sustentáveis”.

“Esta homenagem destaca nossa ciência, qualidade e fabricação de produtos”, disse Shishir Jha, gerente geral da 4Life Índia. “Esta designação, Produto do Ano, dá às afiliadas mundiais uma distinção adicional para compartilhar com os clientes. Um prémio deste calibre irá gerar confiança no consumidor e certamente irá ajudar-nos a levar os produtos 4Life Transfer Factor a mais lares.”

2024-02-15T11:24:07-03:00fevereiro 15th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Agência Brasil – Setor de serviços avança 2,3% em 2023, revela o IBGE

Segmento fica 11,7% acima do nível pré-pandemia

Os serviços cresceram 2,3% em 2023 no terceiro ano seguido de expansão do setor. Em dezembro passado, o volume de serviços no Brasil avançou 0,3%, sendo o segundo resultado positivo consecutivo. O acumulado nos dois últimos meses do ano representou avanço de 1,2%, o que permitiu a recuperação de parte da perda de 2,1% anotada entre agosto e outubro.

Em relação a dezembro de 2022 os serviços apresentaram recuo de 2,0%, que é o mais intenso desde janeiro de 2021, quando houve queda de 5,0%. No acumulado dos últimos 12 meses, os serviços diminuíram o ritmo. Eles apresentaram recuo na magnitude de crescimento de 3,1% em novembro para 2,3% em dezembro de 2023. Os números fazem parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta sexta-feira (9), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A série histórica mostrou que, com a alta de 0,3% de dezembro, o setor de serviços ficou 11,7% acima do nível pré-pandemia, em fevereiro de 2020, e 1,7% abaixo do ponto mais alto da série em dezembro de 2022.

Para o IBGE, a última vez que o setor de serviços registrou crescimento por três anos consecutivos foi entre 2012 e 2014. Naquele momento, houve ganho de 11,3%. No triênio atual – de 2021 a 2023 – a evolução foi ainda mais expressiva: avanço de 22,9%. O IBGE informou, também, que o crescimento de 2,3% registrado em 2023 foi o menos intenso da sequência. Em 2021, a alta ficou em 10,9% e em 8,3% em 2022.

Segundo o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, em 2021 e 2022 houve a construção de uma base de comparação elevada, que pode ser explicada tanto pela retomada do setor após o período de isolamento da pandemia de covid-19, como, sobretudo, por conta dos ganhos extraordinários dos segmentos de serviços de tecnologia da informação e o do transporte de cargas.

“Dessa forma, apresentar expansão sobre dois anos que cresceram substancialmente é algo relevante”, informou o IBGE.

Atividades

Quatro das cinco atividades da Pesquisa Mensal de Serviços tiveram taxas positivas em 2023. A pesquisa apontou ainda que 55,4% dos 166 tipos de serviços analisados tiveram crescimento. Os destaques ficaram por conta dos serviços de informação e comunicação (3,4%) e de profissionais, administrativos e complementares (3,7%).

“No primeiro, os principais impactos foram do aumento das receitas das empresas que atuam nos segmentos de telecomunicações; desenvolvimento e licenciamento de softwares; desenvolvimento de programas de computador sob encomenda; tratamentos de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet; e portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na Internet”, detalhou o IBGE.

A expansão de locação de automóveis; de serviços de engenharia; de cobranças e informações cadastrais; de atividades de intermediação de negócios em geral; e de agências de viagens favoreceu o resultado dos serviços profissionais, administrativos e complementares.

“Atividades que se fortaleceram no contexto do pós-pandemia colocaram o setor de serviços em patamares elevados. Houve, por exemplo, aumentos consideráveis nos serviços voltados às empresas, notadamente os serviços de TI [tecnologia da informação]”, observou o gerente.

Neste contexto, ele ressaltou o transporte rodoviário de carga, que influenciou o avanço de 1,5% nas atividades de serviços de transportes, serviços auxiliares aos transportes e Correios. “É um segmento que cresceu, num primeiro momento na esteira do aumento do comércio eletrônico e que ganhou novos impulsos com a expansão da produção agrícola, na medida em que se cria a necessidade de transporte de insumos, como adubos e fertilizantes, além de operar o próprio escoamento da colheita”, explicou.

Famílias

Os serviços prestados às famílias registraram alta de 4,7% e fecharam as atividades em expansão. Único a ter resultado negativo, o setor de outros serviços apresentou retração de 1,8%. O motivo foi a menor receita vinda de serviços financeiros auxiliares; administração de fundos por contrato ou comissão; corretoras de títulos e valores mobiliários; e administração de bolsas e mercados de balcão.

Para o pesquisador, o resultado de 2023 seguiu a tendência observada em 2022. “Com a retomada pós-isolamento da pandemia, há uma redistribuição da renda disponível das famílias, com redução das aplicações financeiras e aumento do consumo de bens e serviços, que estavam mais represados nos períodos de maior incerteza”, disse.

Estados
Das 27 unidades da federação, 25 tiveram elevação na receita real de serviços, sendo os resultados positivos em Minas Gerais (7,7%), Paraná (11,2%), Rio de Janeiro (3,3%), Mato Grosso (16,4%), Santa Catarina (8,0%) e Rio Grande do Sul (4,4%). As quedas foram anotadas em São Paulo (-1,8%) e Amapá (-2,2%).

Pela primeira vez, o setor de serviços prestados à família ultrapassou o patamar pré-pandemia em dezembro de 2023. Essa era a única atividade da pesquisa que ainda não havia conseguido esse desempenho. Em dezembro, houve alta de 3,5% e, com isso, os serviços prestados às famílias passaram a ficar no maior nível desde fevereiro de 2016.

“É um setor que veio, pouco a pouco, eliminando as perdas da pandemia. Houve uma mudança na configuração das atividades. Os serviços de aplicativos de entrega, por exemplo, acabaram se apropriando de uma parte das receitas dos restaurantes, havendo, assim, uma transferência de receita entre dois setores do setor de serviços”, exemplifica Lobo.

Apesar da retomada em bom ritmo da atividade turística, que auxilia a melhora do setor de alojamento e alimentação, fundamental para a atividade de serviços prestados às famílias, o retorno ainda gradativo ao trabalho presencial ou híbrido também explica o ritmo mais lento de retomada.

“Ainda há um grande contingente de pessoas trabalhando de maneira remota, o que ajuda a transferir receita dos serviços (restaurantes) para o comércio (supermercado), por exemplo”, relatou Lobo.

Alta nos transportes

Os setores de transportes também foram destaque com a alta de 1,3%. O resultado interrompe uma sequência de campos negativos seguidos, que resultou em perda acumulada de 5,4%. Em movimento contrário, com variação de 0,2%, a atividade de serviços de informação e comunicação teve a terceira taxa positiva seguida. O ganho acumulado ficou em 1,8%. As quedas foram notadas em serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,7%) e os outros serviços (-1,2%).

Também em dezembro, 18 das 27 unidades da federação acusaram crescimento. “A alta mais importante veio de São Paulo (0,6%), seguido por Distrito Federal (2,8%), Santa Catarina (1,8%) e Paraná (0,8%). Em contrapartida, Rio de Janeiro (-2,6%), seguido por Minas Gerais (-1,4%), Mato Grosso (-2,6%) e Mato Grosso do Sul (-4,1%) foram as principais quedas”, informou o IBGE.

Na comparação de dezembro de 2023 com dezembro de 2022, a pesquisa mostrou evolução de 1,4%, sendo a 33ª taxa positiva seguida.

Indicadores

Para o IBGE, a Pesquisa Mensal de Serviços produz indicadores para o Brasil, o que permite acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no país.

Nas análises, os pesquisadores investigam “a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação”. A próxima divulgação do estudo – referente a janeiro de 2024 – será feita no dia15 de março próximo.

Edição: Kleber Sampaio

2024-02-15T11:23:00-03:00fevereiro 15th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Money Times – Franquias: Cacau Show domina e é a maior rede de 2023; veja top 10

Em 2023, a Cacau Show exibiu um crescimento de 10,7% no total de lojas ante 2022, somando 4,2 mil unidades. Com isso, a fabricante de chocolates segue no topo e é a maior rede de franquias do Brasil.

O levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF) ainda mostra que O Boticário ocupa a segunda posição das 50 maiores franqueadoras com 3,6 mil lojas. A gigante do setor de beleza exibiu ligeiro crescimento de 0,05% no comparativo anual.

Segundo a ABF, as franquias cresceram 13% no ano passado em relação ao ano anterior, acima da média da economia brasileira. Com isso, o setor faturou R$ 240,6 bilhões no período.

Desta forma, o setor projeta para este ano um avanço de 10% no faturamento.

Entre as dez maiores franqueadoras, Subway foi a rede que menos cresceu na base anual (-18,2%), em meio à crise de sua antiga operadora no país, a SouthRock.

Veja abaixo as 10 maiores franquias de 2023

McDonal’s: 2,6 mil restaurantes
Ortobom: 2,3 mil lojas
OdontoCompany: 1,8 mil consultórios
Lubrax: 1,7 mil unidades
Subway: 1,5 mil restaurantes
am/pm: 1,5 mil conveniências
Óticas Carol: 1,4 mil lojas
Burger King: 1,3 mil restaurantes

Fonte: Money Times

2024-02-14T09:39:42-03:00fevereiro 14th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Fashion Network – Natura & Co. registra margens melhores no final de seu terceiro trimestre fiscal

A Natura & Co. melhorou suas margens de lucro no terceiro trimestre de seu ano fiscal, após se separar da Aesop no final de agosto. O lucro líquido consolidado foi de 7,5 bilhões de reais, praticamente estável em moeda constante, com forte crescimento no Brasil e na América Latina.

A margem bruta cresceu 310 pontos base em relação ao terceiro trimestre do ano passado, para 65,3%, e a margem EBITDA ajustada foi de 10%, um aumento de 190 pontos base em relação ao mesmo período do ano passado, refletindo a melhoria das margens nas três unidades de negócios: Natura & Co. América Latina, Avon International e The Body Shop.

As vendas líquidas da Natura &Co América Latina cresceram 2,5% em moeda constante e caíram 9,4% em reais. O crescimento em moeda constante foi impulsionado pelo crescimento de dois dígitos da marca Natura, que continuou apresentando forte expansão, avançando 10,5% no Brasil.

Excluindo a Argentina, o volume de negócios nos mercados hispânicos cresceu a uma taxa de um dígito, ainda afetado pelo comportamento mais sutil do México, mas ainda positivo. A marca Avon viu suas vendas caírem 11,6% em moeda constante no segmento de beleza.

Fonte: Fashion Network

2024-02-14T09:33:15-03:00fevereiro 14th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Exame – Atuação da Natura reduz conversão de área para soja e milho na Amazônia

Modelo de negócio da empresa brasileira ganha espaço na revista científica Management Science e autor do artigo chama a atenção para “vantagens competitivas amazônicas”

O modelo de negócios da Natura ganhou espaço na revista científica Management Science, relevante título para o mundo da ciência. Por meio da análise de dados georreferenciados, os autores conseguiram mostrar que as áreas onde a empresa brasileira atua tiveram resgate de carbono e melhorias socioambientais. Mais do que isso, a atuação tem reduzido a conversão de floresta para soja e milho na Amazônia.

Leandro Pongeluppe, professor assistente da Wharton School, da Universidade da Pensilvânia, afirma que “onde a Natura entrou, diminuiu-se a produção de soja, milho e commodities”. O estudo, que utiliza modelos econométricos, também é assinado por Anita McGahan, professora da Rotman School of Management, da Universidade de Toronto.

Em entrevista à EXAME, Pongeluppe conta que nos municípios em que a companhia tem atividades houve preservação de aproximadamente 18 mil km2 entre 2000 e 2018 – área equivalente a quase todo o estado de Sergipe. Já outras análises mais robustas mostram que o total de área preservada pode variar entre 730 mil e 1,8 milhão de hectares de floresta, representando uma economia de cerca de 58 milhões de toneladas de carbono.

O artigo confirmou a tese de que, ao usar frutas, nozes e sementes como ingredientes em cosméticos, xampus e sabonetes, houve internalização dos benefícios prestados pela conservação da floresta, graças a acordos implementados com comunidades tradicionais e apoiados por consumidores ecologicamente orientados.

“De um lado, há consumidores que têm preocupação ambiental e estão dispostos a pagar um preço superior pelo produto. A outra ponta são as comunidades rurais amazônicas que, muitas vezes, fazem a conservação, mas não recebiam. Onde a Natura começou a atuar, elas recebem por esse ativo”, afirma o professor.

Conservar e regenerar

Com o estudo, os pesquisadores concluíram que a Natura conseguiu promover a conservação e a regeneração da Amazônia ao oferecer uma opção econômica viável para os pequenos produtores rurais manterem a floresta em pé, ao mesmo tempo em que ganham dinheiro com produtos renováveis nativos do bioma.

Pongeluppe cita que a presença de árvores como ucuuba, castanheira e andiroba contribui para a preservação da floresta. Já o açaí, o tucumã e o cupuaçu tem o papel de regenerar aquelas áreas que já sofreram alguma interferência e são alvo de recuperação.

“Construímos um modelo de negócios que demonstra na prática – e com comprovação científica – que é possível conciliar progresso econômico e conservação ambiental por meio do relacionamento com cadeias da sociobiodiversidade amazônica, transformando ingredientes naturais em produtos ou desenvolvendo novas soluções agrícolas regenerativas”, afirma João Paulo Ferreira, residente da Natura e CEO de Natura &Co América Latina.

‘Vantagens competitivas amazônicas’

Atualmente, a Natura se relaciona com 9.120 famílias da Amazônia, em 41 comunidades agroextrativistas. A empresa dispõe de 42 bioingredientes da sociobiodiversidade amazônica, adquiridos a partir de 85 cadeias de fornecimento.

Ao avaliar os números, Leandro Pongeluppe defende que a aptidão da floresta precisa ser levada em conta no momento em que o Brasil discute o plano de reindustrialização. Para ele, são necessárias medidas para desenvolver a bioeconomia local relacionada à ‘marca Amazônia’. “Produzir televisão na Zona Franca de Manaus não faz sentido nem econômico, nem ambiental e não se beneficia das potencialidades do bioma”, ele diz.

Desta forma, ele defende que o caso da Natura pode servir de exemplo para outros segmentos além do cosmético, como a gastronomia, a moda e o turismo.

“Vale a pena não incorrer em erros antigos e investir em indústrias que realmente alavanquem essas vantagens competitivas amazônicas. O caso da Natura demonstra que é possível ter esse modelo de negócio lucrativo conservando a floresta, que seja ganha-ganha, para empresas, meio ambiente e as comunidades”, afirma Pongeluppe.

Fonte: Exame

2024-02-14T09:31:59-03:00fevereiro 14th, 2024|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|