Sobre Rubia Aoki

Esse autor ainda não preencheu quaisquer detalhes.
So far Rubia Aoki has created 811 blog entries.

ABEVD esteve na celebração de 10 anos do Parque industrial da Natura em Benevides

Natura celebra 10 anos de seu parque industrial em Benevides (PA), conexão direta da companhia com a sociobioeconomia da Amazônia

Com área total de 172 hectares, Ecoparque é elo entre a companhia e a biodiversidade da região. Fábrica produz 94% das unidades de sabonetes vendidas globalmente e é ponto focal de bioinovação e relacionamento com mais de 10 mil famílias agroextrativistas das cadeias da sociobiodiversidade.

O Ecoparque, complexo industrial da Natura localizado em Benevides, município da região metropolitana de Belém (PA), completa dez anos de operações. Desde a sua inauguração, em 2014, a fábrica tem sido o elo entre a companhia e a sociobioeconomia amazônica, destacando-se por suas contribuições em pesquisas inéditas de bioativos, práticas industriais sustentáveis e desenvolvimento de produtos a partir da bioinovação. Atualmente, 94% da demanda de sabonetes de Natura &Co América Latina (Natura, Avon e The Body Shop) é atendida pelo Ecoparque, que produziu 505 milhões de unidades somente em 2023 – são mais de 3,2 bilhões em uma década.

Todas as etapas de fabricação dos sabonetes Natura Ekos são realizadas nesse espaço: desde o manejo sustentável dos óleos vegetais fornecidos por comunidades parceiras, passando pela produção da massa base de sabonetes até a finalização da produção com outros insumos incorporados à massa. As formulações utilizam desde frutos mais tradicionais no dia a dia do brasileiro, como o maracujá e a castanha, a bioingredientes menos comuns na cosmética, como a ucuuba, andiroba e o tucumã.

Para Angela Pinhati, diretora de Sustentabilidade de Natura &Co América Latina, o complexo é peça-chave da estratégia de atuação da empresa na Amazônia, que desde 2000 incorpora ativos da biodiversidade na formulação de seus produtos, unindo ciência e bioinovação ao conhecimento tradicional. “A inauguração do Ecoparque foi uma decisão estratégica da companhia para gerar progresso econômico local e impulsionar a forte vocação da região para a bioeconomia. Evoluímos imensamente em dez anos e hoje o Ecoparque é, sem dúvidas, a melhor fábrica que temos na América Latina e uma das maiores produtoras de sabonetes no Brasil”, afirma Angela, que liderou durante sete dos dez anos do complexo as linhas de manufatura em operação.

Para Josie Romero, vice-presidente de Operações e Logística, os diferenciais do Ecoparque consistem na adoção de sistemas de gestão e tecnologias muito bem implementadas, uso de óleos e bioingredientes exclusivos da região e o trabalho de uma equipe extremamente engajada e motivada. Atualmente, o Ecoparque conta com aproximadamente 600 colaboradores diretos e indiretos, e 100% da mão-de-obra operacional é paraense, incluindo a alta liderança da fábrica. Para qualificar e reter os talentos da região, a Natura promove programas de capacitação, como especializações técnicas, certificações em metodologias reconhecidas no mercado para liderança, monitoramento e análise de melhorias na operação, e bolsas de estudo integrais em universidades de engenharia para colaboradores.

O Ecoparque se baseia no conceito de simbiose aplicado ao desenvolvimento industrial. Seu propósito é estabelecer uma cadeia produtiva integrada, onde os insumos gerados ou descartados por uma empresa sejam aproveitados na produção de outra. Em 2015, a Symrise, empresa de criação de fragrâncias,  inaugurou uma fábrica de manteigas e óleos essenciais dentro do Ecoparque. Recentemente, a empresa de embalagens Box Print também se juntou a esse complexo.

Fomento à sociobioeconomia

O plano de industrialização das comunidades é uma das estratégias da Natura para promover a transferência de tecnologia de processamento das matérias-primas locais, impulsionando mudanças transformadoras entre as famílias fornecedoras no Pará. Os benefícios imediatos dessa evolução incluem a comercialização de produtos de maior valor agregado, a criação de novos postos de trabalho e o aumento da renda das famílias envolvidas, além da otimização da logística de produção dos insumos. “Atualmente, contamos com 18 agroindústrias e 8 centrais de serviço, estabelecidas em comunidades parceiras no Brasil e no restante da América Latina. No estado do Pará, temos 5 agroindústrias e 4 centrais de serviços em operação”, menciona Josie.

A partir do Projeto Carimbó – conjunto de investimentos da Natura para a instalação de agroindústrias de extração de óleos essenciais -, a empresa inaugurou em fevereiro uma usina de extração de óleos essenciais em Santo Antônio do Tauá, na Associação de Produtores e Produtoras Rurais da Comunidade de Campo Limpo (APROCAMP). A agroindústria será pólo de processamento das espécies priprioca, pataqueira, estoraque e capitiú, presentes nos frescores de Natura Ekos e em fragrâncias como Essencial e Natura Homem. O investimento impacta positivamente cerca de 60 famílias e mais de 240 pessoas.

A executiva explica que o Ecoparque consolida o fomento à bioeconomia e o relacionamento próximo com as comunidades agroextrativistas na região. “É no Pará que está alocada a nossa Gerência de Relacionamento e Abastecimento da Sociobiodiversidade da Natura, apelidada de GRAS, equipe dedicada a atuar em campo junto às comunidades. São eles que nos apoiam a expandir as cadeias produtivas sustentáveis por meio de relacionamento próximo com as famílias, entendendo suas necessidades para investirmos em capacitação, eficiência produtiva e transferência de tecnologias. O objetivo é que as cooperativas agroextrativistas prosperem com a economia da floresta em pé, produzam riqueza localmente e sejam vetores na promoção do desenvolvimento social, conservação e regeneração ambiental”, afirma Josie.

Atualmente, a Natura se relaciona com 10.191 famílias em 44 comunidades da Amazônia. São 94 cadeias de fornecimento que colhem bioativos respeitando os limites da floresta e o calendário das safras, bem como os modos de vida locais. Juntas, empresa e famílias contribuem para conservar 2,2 milhões de hectares no bioma. Somente em 2023, R$ 42,8 milhões em recursos foram alocados nas comunidades locais.

“O Ecoparque é protagonista na consolidação do nosso propósito, que é transformar desafios socioambientais em oportunidades de negócio e de desenvolvimento local sustentável. Exemplo disso é o primeiro sistema agroflorestal de dendê do mundo, o SAF Dendê, localizado no município de Tomé-Açu. Começamos o projeto há 15 anos e passamos de 18 hectares plantados para os atuais 413. A meta audaciosa de expansão é atingir 40 mil hectares até 2035, proporcionando um aumento significativo no volume de produção e garantindo um abastecimento sustentável para a Natura”, explica. Para isso, a empresa está investindo no relacionamento com agricultores familiares, médios e grandes produtores, implementando estratégias específicas para cada frente. O óleo de dendê do SAF está presente na formulação de Natura Biōme, primeira linha de produtos em barra da marca com fórmulas veganas e até 99% de origem natural.

Operação ecoeficiente

A estrutura do Ecoparque foi pensada para operar de maneira ecoeficiente. A área, que equivale a 140 campos de futebol, conta com iluminação e ventilação natural, seus pisos mantêm a permeabilidade do solo, há utilização de água da chuva na caldeira, nos sanitários, na torre de resfriamento e na manutenção dos edifícios. O local conta ainda com uma área de compostagem de resíduos orgânicos. Sobras de alimentos do restaurante, aparas de jardinagem, resíduos do processo de extração de óleos de sementes e frutos da Amazônia, e cinzas da caldeira, são transformados em adubo. A matéria orgânica é utilizada na jardinagem do local e, a parte excedente, destinada para a Secretaria de Agricultura de Benevides. Já os jardins filtrantes do Ecoparque ficam encarregados pelo tratamento de efluentes, utilizando raízes de plantas para o processo. Por meio da fitorremediação, sem o uso de produtos químicos, bactérias presentes nas raízes de plantas aquáticas degradam os poluentes.

Outra estratégia para conservar recursos ambientais foi a implementação de sistemas de geotermia, nos quais dispositivos capturam o ar externo e realizam trocas térmicas no subsolo para reduzir a temperatura dentro dos edifícios. Há também o aproveitamento da água da chuva, cuja captação ocorre nos telhados dos armazéns, passando por processos de filtragem e tratamento, com capacidade de até 40m³/hora. Posteriormente, essa água é utilizada em atividades de limpeza, irrigação de jardins, sanitários e alimentação da caldeira.

Equipes do Ecoparque também fazem acompanhamento da vida aquática e terrestre do entorno. Esse monitoramento avalia as condições da fauna e do ambiente para entender os impactos da instalação e propor medidas para mitigá-los. A área do complexo serve como um refúgio importante para animais e vegetais de grande relevância ambiental. Destacam-se espécies como o Tamanduaí, o menor tamanduá do mundo; o Ipecuá (uirapuru de bando), uma ave ameaçada que só habita áreas não perturbadas com locais adequados para sua reprodução, além de pequenos roedores, que desempenham papéis fundamentais nos ecossistemas vegetativos, entre outros. O monitoramento abrange 289 espécies da fauna aquática e 201 da fauna terrestre.

Sobre a Natura
Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética. Conta com 2 milhões de consultoras na América Latina, sendo líder no setor de venda direta no Brasil. Foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação de empresa B no mundo, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. É também a primeira empresa brasileira a conquistar o selo “The Leaping Bunny”, concedido pela organização de proteção animal Cruelty Free International, em 2018, que atesta o compromisso da empresa com a não realização de testes em animais de seus produtos ou ingredientes. Com operações na Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França, México, Peru e Malásia, os produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as Consultoras, por meio do e-commerce, app Natura, nas lojas próprias ou nas franquias “Aqui tem Natura”. Para mais informações, visite www.natura.com.br  ou acesse os perfis da empresa nas redes sociais: LinkedIn, Facebook e Instagram.

Informações para imprensa:

Região sudeste
Agência Weber Shandwick – natura@webershandwick.com

Região Norte
Agência Eko – layse@ekonet.com.br

Região Nordeste
Agência Dupla – ana@duplacom.com.br

Região Sul
Agência Sul – natura@koi.com.br

Região Centro-oeste
Agência In.pacto – atendimentonatura@inpacto.co

2024-04-24T09:11:04-03:00abril 24th, 2024|Categories: ABEVD News, Notícias do Setor|

Vendas Diretas: Seminário discute tributação, IA e empreendedorismo

Mais de 100 pessoas participaram do evento no Blue Tree Transatlântico Convention Center

Adriana Colloca, presidente da ABEVD, durante a abertura

A 4ª edição do Seminário Jurídico e Ética em VD, organizado pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), atraiu mais de 100 profissionais do setor. O evento, realizado no Blue Tree Transatlântico Convention Center nesta quarta-feira (17), proporcionou um ambiente ideal para ampliar conhecimentos, promover networking e discutir questões éticas fundamentais que permeiam as vendas diretas.

Com mesas redondas de forma inédita no evento, foram  abordados temas como Limites Éticos e Legais da Inteligência Artificial nas Vendas Diretas, Boas Práticas para Assegurar o Empreendedor Autônomo, Estruturação Jurídica e Tributária de Modelos Digitais de Vendas Diretas, Métricas de Prevenção a Fraudes e Proteção de Dados, e Gestão Ética nas Relações Comerciais, o evento se destacou como um importante fórum de debate para profissionais do setor.

Adriana Colloca, presidente Executiva da ABEVD, expressou a satisfação com a participação ativa dos profissionais presentes, destacando a importância de discutir os desafios  jurídicos e tributários para preparar o setor para essas mudanças, como a Reforma Tributária. “É um evento super importante na medida que a gente estimula e fomenta a discussão. Essa troca de conhecimento e experiências, contribuem para a qualificação e reputação, elevando o nível do setor.”, completa.

Painéis possibilitaram a apresentação de novidades do setor

Durante as mesas redondas foram ressaltadas as necessidades de revisão nos processos empresariais com as mudanças tributárias, incluindo aspectos logísticos e fiscais, e a importância de comitês internos multidisciplinares para abordar questões relacionadas à tecnologia, logística, fiscalidade, sustentabilidade e entre outros. A digitalização, compartilhamento de dados e a IA também foram um ponto alto nas questões de ética”, completou.

O evento também proporcionou insights valiosos compartilhados por palestrantes renomados, como Bruno Mannarino da Tupperware, Kassia Reis e Letícia Berenstein da Natura, Tiana Alho da Hinode, entre outros especialistas que apresentaram as conclusões do dia. Com uma abordagem para enfrentar os desafios impostos pelas mudanças no cenário tributário, o seminário demonstrou ser um espaço essencial para promover troca de experiências “Realizamos anualmente e mais uma vez foi excelente”, conclui.

Para Nina Matos, representante jurídico da Natura, o seminário foi muito rico, destacando o trabalho autônomo e a garantia da liberdade. “Foram muitas trocas de ideias de boas práticas, realmente muito proveitoso. Já para Daniel Maya, que participou da mesa redonda de discussão da estruturação das operações de venda direta no meio digital na questão tributária. “ Falamos  sobre a reforma tributária e seus efeitos, mas principalmente como as empresas terão de se preparar para isso. Os debates foram muito interessantes, por ser a oportunidade de ouvir os consultores e gestores, colaborar e ouvir as empresas que faz a riqueza e o desenvolvimento desse setor”, finaliza.

Mesas redondas, modelo realizado pela primeira vez, foram muito positivas

SOBRE A ABEVD

Criada em 1980, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) é uma entidade sem fins lucrativos que busca promover e desenvolver a venda direta no Brasil, bem como representar e apoiar empresas que comercializam produtos e serviços por meio do relacionamento dos empreendedores independentes com seus consumidores finais. Atualmente, cerca de 3,5 milhões de empreendedores independentes atuam em diferentes categorias, como produtos de saúde, beleza, utilidades domésticas, vestuário, alimentos, joalheria, entre muitos outros.

A ABEVD também compõe a World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), organização que congrega as associações nacionais de vendas diretas existentes no mundo e, por isso, segue os códigos de ética implantados por suas filiadas, que representam mais de 70 países.

2024-04-23T14:21:34-03:00abril 23rd, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD Clipping, ABEVD News, Notícias do Setor|

15ª celebração anual global da DSN apresenta empresas líderes do setor

No 15º aniversário da Celebração Global da DSN, a Direct Selling News recebeu os principais executivos e fundadores para uma noite de networking, coquetéis, jantar, reconhecimento e celebração. Apresentada por DSN Legend, pelo autor e pesquisador John Fleming e pela editora DSN Patricia White, a noite homenageou executivos e empresas pela inovação, crescimento, conquistas e seus esforços para causar um impacto positivo no canal.

A noite culminou com a tão esperada revelação da lista 2024 DSN Global 100, que reconheceu as empresas que alcançaram mais de US$ 100 milhões em receitas em 2023. A Global 100 mostra o impacto do canal na economia, nos indivíduos e nas comunidades que eles atendem, ao mesmo tempo que fornece dados. insights orientados a benefícios para pesquisadores, investidores e empreendedores.

Este ano, as 10 principais empresas de venda direta, classificadas por receita no DSN Global 100, incluem:

  1. Amway, EUA – US$ 7,7 bilhões
  2. Natura &Co, Brasil – US$ 5,3 bilhões
  3. Herbalife Nutrition, EUA – US$ 5,1 bilhões
  4. eXp Realty, EUA – US$ 4,3 bilhões
  5. Vorwerk, Alemanha – US$ 4,2 bilhões
  6. PM-International, Luxemburgo – US$ 3,03 bilhões
  7. Armazém de utilidades (UW), Reino Unido – US$ 2,99 bilhões
  8. Coway, Coreia do Sul – US$ 2,9 bilhões
  9. Primerica, EUA – US$ 2,81 bilhões
  10. Sunrun, EUA – US$ 2,26 bilhões

Confira a lista completa:

Rank Company Country Revenue 2023
1 Amway USA $7.70B
2 Natura &Co Brazil $5.30B
3 Herbalife Nutrition USA $5.10B
4 eXp  Realty USA $4.30B
5 Vorwerk Germany $4.20B
6 PM-International Luxembourg $3.03B
7 Utility Warehouse United Kingdom $2.99B
8 Coway South Korea $2.90B
9 Primerica USA $2.81B
10 Sunrun USA $2.26B
11 Nu Skin USA $1.97B
12 ATOMY Co., Ltd. South Korea $1.71B
13 Vivint USA $1.70B
14 World Financial Group USA $1.30B
15 Optavia / Medifast Inc USA $1.10B
16 Ambit USA $1.09B
17 Betterware de Mexico Mexico $965M
18 USANA USA $921M
19 Oriflame Cosmetics Switzerland $811M
20 REAL Brokerage USA $689M
21 Omnilife Mexico $633M
22 Scentsy USA $579M
23 Hy Cite USA $570M
24 LegalShield USA $546M
25 Beachbody USA $527M
26 Family First Life USA $503M
27 Nature’s Sunshine USA $445M
28 Farmasi Turkey $440M
29 POLA Japan $433M
30 Plexus Worldwide USA $377M
31 MIKI Japan $371M
32 LifeWave USA $369M
33 Faberlic Russia $346M
34 Prüvit USA $336M
35 LR Health & Beauty Systems GmbH Germany $302M
36 PHP Agency USA $300M
37 Princess House USA $299M
38 Pro-Partner Taiwan $269M
39 Noevir Japan $245M
40 Best World Lifestyle Singapore $228M
41 FORDAYS Japan $222M
42 APLGO Cyprus $220M
43 Naturally Plus Japan $218M
44 LifeVantage USA $211M
45 Hegemon Group USA $210M
46 inGroup International USA $205M
47 TENLEAD Biotech Taiwan $200M
48 Zinzino Sweden $168M
49 BearCere’Ju Japan $165M
50 ASEA USA $160M
51 Amare Global USA $159M
52 Vestige Marketing India $154M
53 Giffarine Skyline Unity Thailand $150M
54 Hinode Group Brazil $149M
55 Greenix Pest Control USA $140M
56 Mannatech USA $132M
57 Assuran Japan $127M
58 MARUKO Japan $121M

Nota: Existem diversas empresas privadas não representadas na lista, algumas das quais já participaram no passado, que optaram por não reportar os seus dados financeiros de 2023.

Fonte: DSN

2024-04-18T16:42:42-03:00abril 18th, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD News, Notícias do Setor|

Venda direta é a nova revolução do agro

Produce, maior força de vendas do agro no Brasil, é a responsável pela “virada de chave” no modelo comercial do setor.

Assim como a Uber revolucionou o transporte, a Netflix a forma de ver filmes e a Airbnb como alugar um imóvel, a Produce está transformando a forma tradicional de como o agricultor compra suas sementes, insumos e outros produtos.

Modelo de negócio bem sucedido em diferentes setores da economia nacional, as vendas diretas movimentam em torno de R$ 45 bilhões/ano no Brasil. Isso coloca o país entre as sete nações que mais adotam esse modelo no mundo. Já na América Latina, o Brasil está no topo desse ranking, segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD). Agora, esse formato comercial consolidado também ganhar força no agronegócio, com a adesão de grandes players à modalidade.

Os primeiros passos na comercialização de produtos e serviços agrícolas pelo sistema de venda direta foram dados há quatro anos, pela Produce, que comemora o sucesso do formato colaborativo na comercialização de insumos e produtos de assistência ao produtor, mesmo em tempos de crise. A empresa, de capital aberto, recebeu um aporte de investimentos de R$ 100 milhões captados de um family office – fundo formado por famílias de alto poder aquisitivo para investimentos no mercado, especialmente em inovação e tecnologia, o que ajudou a consolidar o seu projeto de expansão.

Cofundador da empresa, Guilherme Trotta projeta crescimento de pelo menos 400%, em 2024, em comparação com o ano passado, e ressalta que as vendas diretas têm impacto positivo para todos os envolvidos no negócio, que é realizado sem a necessidade de intermediários. “Criamos um modelo de negócio exclusivamente para favorecer o agronegócio brasileiro, onde a principal estratégia é estreitar os laços com o produtor rural através da maior força de venda do Brasil, possibilitando o contato direto do fornecedor para o agricultor”, resume.

A presidente da Associação Brasileira de Empresas de Venda Direta (ABEVD), Adriana Colloca, revela que a Produce foi a primeira representante do agronegócio a se associar à entidade e destaca que o digital já está integrado no modelo de venda. “O relacionamento é a parte importante na venda direta. O vínculo entre quem vende e quem compra é essencial para o nosso mercado e a digitalização, hoje, é essencial nas relações humanas”, explica.

Outra característica desse modelo de negócios é um amplo leque de produtos a disposição do agricultor. A plataforma de vendas da Produce conta mais de 600 soluções e tecnologias, entre sementes selecionadas de grãos, fertilizantes, defensivos, produtos veterinários, insumos biológicos etc. Além de produtos exclusivos da empresa, como por exemplo, o fertilizante organomineral Bravera desenvolvido especialmente para o portfólio da Produce, como revela o fabricante. “Desenvolvemos esse produto especificamente para os clientes da Produce. Esse modelo é uma tendência mundial e no agro ele é disruptivo. Ter um produto no portfólio da Produce significa que do dia para a noite você contará com canais de distribuição em quase todo país, sem se preocupar com a logística. Isso não existe no mercado”, destaca Cleber Terribile, diretor da Terraplant.

Guilherme Trotta ressalta que o modelo de negócio possibilita uma revolução na forma como os fornecedores se relacionam com o agricultor. “É uma vantagem irrecusável para o fornecedor, que também pode criar promoções ou campanhas”. O executivo acrescenta que a competitividade é um compromisso da Produce, que trabalha com baixa margem de lucro.

A força de vendas, a que Trotta se refere, são os nove mil consultores (também chamados de Producers) que operam em um modelo de negócio consistente, já testado e aprovado, sem a exigência de exclusividade. Entre as vantagens, o cofundador da empresa ressalta autonomia, flexibilidade de horários e possibilidade de renda extra, com taxa de ganhos acima da média do mercado. “A mesma soja que ele vende pela concorrência, pode comercializar também pela Produce, com a diferença que conosco ele vai ganhar 5% do total, muito mais do que os 2% habitualmente pagos. Além disso, ele é dono do próprio negócio, sem custo extra”, exemplifica.

Atuando na região de Sinop, no Mato Grosso, o técnico em agropecuária Cláudio Roberto de Alencar, 47 anos, relata que a atuação junto à Produce, há três anos, provocou uma mudança em sua carreira profissional. “Eu estava praticamente sem renda. Quando surgiram os primeiros negócios, em 2022, a minha vida mudou. Passou a ser a minha principal fonte de renda e deu suporte financeiro para todo o ano seguinte, tudo isso foi essencial no meu trabalho e na minha trajetória”. O consultor aponta a qualidade dos produtos e o suporte oferecido pela Produce como os diferenciais para seu bom desempenho. “Hoje atuo com sementes exclusivamente da Produce, que permanece sendo a principal receita da minha empresa, e foco em agregar mais produtos e na busca por novos clientes. A expectativa é de ganhos crescentes e a tendência é melhorar cada vez mais”.

A Produce se encarrega da avaliação de crédito, da entrega e cobrança. “Costumamos dizer que todo o processo é digital, mas com atendimento e assistência humanizados, tanto para o produtor rural como para o consultor. Precisamos é que esses profissionais estejam próximos ao cliente, para prestar assistência e ser o elo com a lavoura”, reforça Trotta. “O grande risco é que o consultor ganha sempre, e ganha bem”, lembra o cofundador da empresa.

Fonte: O Nortão

2024-04-15T16:18:54-03:00abril 15th, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD News, Notícias do Setor|

Natura segue líder em beleza e cuidados pessoais na América Latina e cresce mais que o mercado

Foi com grande alegria que recebemos a notícia de que a marca Natura é #líder em #beleza e #cuidados no Brasil e na América Latina, segundo pesquisa do Euromonitor International.

No ano passado, a marca cresceu 35% na América hispânica e 15% no Brasil, o que atesta o sucesso da nossa estratégia voltada à #omnicanalidade e ao ganho de share em categorias como perfumaria, cabelos, deos, sabonetes e maquiagem.

Mais do que alcançar bons resultados financeiros, isso nos permite ampliar a #regeneração e o #impactopositivo – tanto pelo desenvolvimento das Consultoras de Beleza quanto pelo fortalecimento do modelo de negócios na #Amazônia.

Natura &Co América Latina, que incluem as operações da Avon – teve uma receita bruta consolidada de R$ 27 bilhões em 2023. Já o volume bruto de mercadorias (GMV) gerado apenas para cosméticos ficou em R$ 40 bi, ou R$44 bi incluindo também itens não-cosméticos.

Tais resultados sustentam nossa posição de liderança e derivam de informações apuradas e distribuídas ao mercado com os mais rígidos padrões de #governança.

Fonte: Estadão

#Natura #Inovação #Mercado #DesempenhoFinanceiro

2024-04-15T16:11:38-03:00abril 15th, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD News, Notícias do Setor|

Saiba como o Hinode Group está moldando um futuro sustentável

Inovação e impacto tem feito parte da jornada da marca

A jornada de sustentabilidade tem se mostrado surpreendente. Quanto mais nos aprofundamos no tema, em busca de novas práticas, mais nos tornamos eficientes. É um caminho de aprendizado constante, que nos transforma em uma empresa melhor, e mais preparada para enfrentar os desafios crescentes. O Hinode Group desde 2021 divide sua agenda de sustentabilidade em três causas, são elas: “Despertando um mundo mais sustentável”, “Despertando uma sociedade mais justa” e “Despertando nosso poder de ser rede”.

Através da nossa causa “Despertando uma sociedade mais justa”, que traduz nossas ações ligadas a nossos propósitos e valores, acreditamos que podemos contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade mais próspera para todos. No pilar social, temos o Programa Pérolas, que estimula as mulheres a conquistarem seus sonhos, e a Universidade Hinode, que impulsiona o empreendedorismo com geração de renda e transformação social.

O Programa Pérolas, plataforma de formação de liderança feminina, incentiva o desenvolvimento de empreendedoras no Brasil e demais países da América Latina que a empresa atua. Tem como objetivo empoderar mulheres para que assumam mais confiança e conhecimento nas posições de destaque dentro da rede ou que desenvolvam outras atividades empreendedoras.

Em 2023 as Pérolas foram treinadas para aperfeiçoar suas habilidades no negócio, além de reforçar os temas de desenvolvimento pessoal e produtos que sempre contribuem para o desenvolvimento da mulher empreendedora. Os treinamentos foram conduzidos por experts da nossa rede de empreendedoras e por executivos do time corporativo.

Desde quando foi lançado, em 2015, o programa já capacitou mais de 460 mil mulheres. Em 2023, contamos com 12.622 Pérolas ativas no negócio, que alcançaram uma produtividade média 84% superior em comparação com as consultoras que não são Pérolas. Em 2023 os critérios de acesso ao Programa foram reformulados possibilitando maior facilidade de acesso às mulheres. Também tivemos um importante destaque que foi a premiação na Categoria Prata na ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Venda Direta) na categoria Impacto Feminino.

A Universidade Hinode (UH), criada em 2016, estimula o desenvolvimento pessoal e profissional dos consultores através de áudios da semana e treinamentos presenciais dos Treinadores Oficiais da empresa. A plataforma de treinamentos online atualmente conta com mais de 206 conteúdos gratuitos, mais de 350 cards de produtos, e foram realizadas desde o seu lançamento mais de 66 lives (treinamentos ao vivo).

As capacitações trazem trilhas sobre empreendedorismo, vendas, produtos, desenvolvimento pessoal, negócio digital entre outros temas relevantes para o negócio. Nesses anos de atuação, a UH já formou mais de 265 mil pessoas. Em 2023 foram mais de 117 mil acessos de capacitação que beneficiaram 22 mil empreendedores.

Entre os destaques de 2023 está o Prêmio Categoria Prata recebido no Congresso ABEVD – Categoria Treinamento e Capacitação pela mudança na plataforma e lançamento da Trilha de Boas Vindas destinada aos empreendedores que estão iniciando o negócio.

*artigo produzido pela Hinode 

2024-04-15T16:03:51-03:00abril 15th, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD News, Notícias do Setor|

Será que a regulamentação do trabalho prestado por motoristas de aplicativos impactará os empreendedores autônomos que atuam em vendas diretas?

Por Daniel de Paula Neves – Silva Matos Advogados

Tramita, atualmente, na Câmara dos Deputados, o PLP 12/2024 que dispõe sobre a relação de trabalho intermediado por empresas operadoras de aplicativos de transporte remunerado privado individual de passageiros em veículos automotores de quatro rodas, sendo aprovado, pendente ainda de análise do Senado Federal e sanção presidencial.

Em linhas gerais, este projeto dispõe sobre os seguintes pontos:

  • Haverá pessoalidade e intransferibilidade do cadastro do motorista nas plataformas;
  • O motorista será um trabalhador autônomo por aplicativo para fins trabalhistas e contribuinte individual no aspecto previdenciário;
  • Não haverá exclusividade do motorista à plataforma, tampouco, exigência de tempo mínimo de prestação de serviços;
  • Serão instituídos sindicatos profissionais e patronais para representação dos trabalhadores e das empresas;
  • As empresas de aplicativos poderão praticar estas medidas, sem que haja o reconhecimento do vínculo: (i) preservar a segurança da plataforma, dos trabalhadores e dos usuários, coibindo fraudes, abusos ou mau uso do sistema; (ii) manter a qualidade dos serviços, aplicando suspensões, bloqueios e exclusões; (iii) acompanhar em tempo real a execução dos serviços e dos trajetos realizados; (iv) avaliar trabalhadores e usuários; e (v) oferecer capacitação e incentivos, financeiros (ou não), aos trabalhadores.

Entendemos que não se aplica, nem se aplicará para o canal de vendas diretas pelos motivos a seguir.

Em primeiro lugar, o PLP 12/2024 se dirige expressamente aos motoristas de transporte urbano de aplicativos, não alcançando nem mesmo os entregadores que atuam com veículos de duas rodas (motoboys).

Em segundo lugar, em que pese existir alguma similaridade entre os serviços prestados pelos motoristas de aplicativos e os empreendedores da venda direta, como por exemplo, autonomia na definição de suas atividades, horários, atuação com apoio de aplicativos das empresas, inexistência de exclusividade etc., as atividades se distanciam muito entre si, não podendo nem se aplicar por analogia, pois na venda direta:

  • Não há acompanhamento em tempo real das atividades desenvolvidas;
  • As empresas não possuem o cadastro dos clientes, mas sim os empreendedores;
  • Não há intermediação dos clientes finais pelas empresas de vendas diretas aos empreendedores autônomos.

Acompanharemos de perto o tramite legislativo do PLP e as repercussões que gerará no mercado de uma forma geral, trazendo atualizações que possam impactar o setor de vendas diretas.

2024-04-15T15:57:44-03:00abril 15th, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD News|

FEDERAL | Parceria ABEVD e PEP

Produção de novos vídeos educativos para empreendedores independentes

ABEVD e representantes da Escola Previdenciária do INSS se reuniram para discutir a renovação de conteúdos que serão disponibilizados à Força de Venda das Empresas.

Nesse sentido, serão reeditados novos vídeos, com animação e instrução sobre os direitos e garantias dos beneficiários da Previdência Social, contando com as últimas atualizações e inovações promovidas na legislação federal.

Fonte: ABEVD

2024-04-15T17:28:05-03:00abril 15th, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD News|

MARANHÃO | Nova Rodada Entre SEFAZ/MA e ABEVD Discute Avanços para Redução de Custos e Burocracias

Sob risco de aumento do tributo e imposição da tributação (ICMS-ST) com base em preço de catálogo a ABEVD marcou presença ao longo do ano de 2023 e início de 2024, em território maranhense visando diálogo para construção de melhorias no ambiente de negócios de empresas e empreendedores.

Importante esclarecer que, houve avanços significativos para afastar arbitrariedades e aumento de tributo.

Nesse momento, a ABEVD aguarda um último encontro com Secretário da Fazenda, antes da publicação do novo decreto setorial. O encontro deve ocorrer ainda no mês de abril de 2024.

Fonte: ABEVD

2024-04-15T15:29:02-03:00abril 15th, 2024|Categories: ABEVD, ABEVD News|