Loading...

Notícias do Setor | Economia

ABEVD NA MÍDIA | NEWS

Clipping de Notícias das Empresas de Vendas Diretas e Parceiros. Confira:

O Globo – Natura reúne especialistas para debaterem o futuro da Amazônia

É possível conciliar desenvolvimento econômico com progresso social e ambiental, por meio do fomento de negócios ligados à bioeconomia. Essa foi a conclusão do painel promovido pela Natura, em 16 de setembro, em celebração ao Mês da Amazônia. O debate transmitido online, para convidados, abordou temáticas importantes para o futuro da floresta.

Durante o evento, alguns números alarmantes foram abordados, como o desmatamento de 8.300 quilômetros quadrados do bioma amazônico; a perda de 15% da superfície de água brasileira nas últimas décadas; e o não-faturamento de, pelo menos, US$ 2 bilhões pelo Brasil por ignorar investimento em produtos compatíveis com a floresta.

Salo Coslovsky, professor associado na New York University e integrante do projeto Amazônia 2030, iniciou o diálogo com um panorama da diversidade local sobre o uso de diferentes áreas da floresta. E o que mais chamou a atenção foi um estudo que apontou que uma série de produtos além das commodities tradicionais (como ferro, soja, carne, celulose) podem ter maior participação no mercado global. Segundo os dados, há 950 insumos que já estão sendo produzidos na região, dos quais 65 são compatíveis com a floresta, e já contam com um mercado promissor.

“Eles têm um mercado potencial de quase US$ 180 bilhões no mundo, mas o Brasil captura apenas 0,2% dele. O aprimoramento e a expansão dessa produção são oportunidades que a gente tem para promover desenvolvimento sem devastar a floresta”, apontou. Segundo Salo, a participação do Brasil no mercado global é de 1,3%, e, se os produtos compatíveis com a floresta tivessem essa mesma participação, a receita dessa atividade seria de US$ 2 bilhões. “Esse é o valor que a gente está deixando na mesa ao não prestar atenção nesse tipo de atividade”, lamentou.

Já o engenheiro florestal e coordenador do MapBiomas, Tasso Azevedo, levantou o debate do desmatamento ilegal com outros números importantes. “Cerca de 35% do desmatamento aconteceu dentro de áreas destinadas à conservação em propriedades privadas, sem autorização”, apontou, chamando a atenção para a necessidade de responsabilização, governança e ações imediatas nas áreas que estão sendo desmatadas.

Tasso ainda falou sobre a grave crise hídrica que assola o País e revelou os resultados de um estudo que analisou os dados de superfície de água desde 1985 até 2020. “Em geral, já perdemos 15% de água, e isso é uma enormidade para um país que tem a maior quantidade de água doce disponível para sua população”, explicou. E o problema está correlacionado ao desmatamento, já que um terço da chuva no Brasil vem da Amazônia.

Ações efetivas

Mirando nas soluções e nos caminhos para elas, uma das boas notícias do painel foi o lançamento da plataforma PlenaMata, uma parceria entre Natura, MapBiomas, InfoAmazonia e Hacklab. A ferramenta permite o monitoramento do desmatamento em tempo real, e disponibiliza um contador de árvores que mostra a quantidade de perdas por minuto, além de conteúdos informativos.

“PlenaMata vem para traduzir a realidade, mobilizar as pessoas, trazer informações agregadas ao conhecimento, bem como soluções e notícias que visam mostrar que existem possibilidades de conservação e regeneração como alternativas”, contou a diretora de Sustentabilidade de Natura &Co para a América Latina, Denise Hills.

É fundamental entender que é possível combinar o conhecimento tradicional das comunidades locais com inovação, conciliar a vocação dos bioativos da região com a ciência e transformar a atividade ambiental e a atividade econômica com impacto positivo para todos os lados.

A coordenadora no Instituto SINCHI de pesquisa científica da Amazônia Colombiana, Maria Soledad Hernandez, contou que a Colômbia vem conseguindo enxergar essas oportunidades e tirar o melhor proveito. “Parcerias como a que temos com a Natura nos deram uma nova perspectiva. O reconhecimento da nossa biodiversidade e do grande potencial que existe nesse exercício foi muito importante. Estamos trabalhando nisso há seis anos, e a projeção de longo prazo para o aproveitamento desses ativos que podem oferecer uma mudança, um conhecimento e a tecnologia são uma oportunidade para as comunidades”, ressaltou.

Mulheres valorizadas

Mais do que o encontro entre os conhecimentos tradicionais com os científicos e a preservação do modo de vida das comunidades locais, fortalecendo suas identidades, a Natura busca a valorização, principalmente, da mulher.

Por meio de uma parceria que já dura seis anos com a Associação dos Trabalhadores Agroextrativistas da Ilha das Cinzas (Ataic), é possível ter uma relação direta com as comunidades que fazem parte da cadeia. Entre as mais de 300 famílias que participam desse processo, 60% são mulheres”, ressaltou Joaquina. “Conseguimos proporcionar às produtoras todo o acompanhamento e assistência, orientando como melhorar a produção, ter estimativas de custo e renda adequada”.

2021-09-22T10:07:55-03:00setembro 22nd, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Folha de S. Paulo – Natura lança bolsa de estudos para revendedoras

Natura vai lançar nesta semana um programa de bolsa de estudos para as revendedoras com desconto de até 80% nas mensalidades dos cursos de graduação, pós-graduação e tecnólogo em mais de mil instituições pelo país.

O projeto, feito em parceria com a Quero Bolsa, expande o portfolio de iniciativas educacionais da empresa, segundo Erasmo Toledo, vice-presidente de negócios da Natura no Brasil.

Desde o ano passado, o programa tem um sistema de crédito educacional que ajuda a financiar cursos para as revendedoras ou membros de suas famílias. Foram financiados mais de R$ 500 mil em estudos, segundo a empresa.

A maior parte dos recursos que a Natura investe no programa educacional tem origem na linha de produtos chamada de Crer para Ver, que direciona o lucro para projetos de educação pública e da rede de revendedoras. Os valores arrecadados com a linha na América Latina cresceram 50% em 2020, para quase R$ 80 milhões, segundo a empresa.

2021-09-22T10:06:19-03:00setembro 22nd, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Estado de Minas – Avon chega aos 135 anos celebrando sua história e de olho no futuro

Quem não se lembra do tempo do “Avon chama”? No fim dos anos 1950, os produtos da marca chegaram ao Brasil com um tipo de divulgação completamente novo, que atraía muito. Agora, a empresa, que se tornou absolutamente comum no país, comemora seus 135 anos e criou plataforma digital para relembrar sua trajetória.

A marca surgiu em 1886 e seu aniversário foi comemorado no último dia 16. A plataforma reúne conteúdos históricos sobre a empresa no mundo e em suas mais de seis décadas no Brasil, onde tem sua maior operação e mercado. A viagem no tempo inclui projetos inovadores, produtos icônicos, campanhas publicitárias marcantes e causas sociais apoiadas. Além disso, traz entrevistas com colaboradores e personalidades que revelam como a Avon impactou suas vidas. O projeto pode ser acessado em avon.com.br/memoria.

“O aniversário de 135 anos da Avon celebra, acima de tudo, o pioneirismo da primeira empresa do mundo voltada para mulheres e sua evolução ao longo das gerações. A data chama a olhar de novo para essa marca, que busca gerar impacto positivo no mundo para que ele seja um lugar mais justo, diverso e inclusivo”, conta Daniel Silveira, presidente da Avon Brasil.

“Memória Avon é um novo espaço para que todos se reconectem com a nossa história. É o resgate da essência da Avon como inspiração para estes tempos e também direcionamento a um futuro melhor, alinhados aos nossos propósitos como marca e dentro do grupo Natura & Co”, completa Silveira.

A iniciativa é parte da ação Olha de Novo, que convida as pessoas a perceberem a Avon com base na história de uma empresa que evolui e se transforma, acompanhando a trajetória das mulheres.

O novo momento busca apresentar a marca como inovadora e disruptiva para os padrões vigentes em cada época. Seu modelo de negócio, baseado nas vendas por relacionamento, não apenas foi revolucionário, por atravessar fronteiras e gerações ao longo dos anos, mas por ter ajudado a promover autonomia e liberdade de escolha para as mulheres, oferecendo fonte de renda quando elas não tinham oportunidade de trabalho.

Décadas se passaram e a Avon continua a investir na geração de impacto positivo em diversas frentes. Em seu novo modelo comercial, lançado em 2021 no Brasil durante o reposicionamento da marca, a companhia visa gerar mais oportunidades de renda, permitindo à mulher conquistar autonomia e independência financeira, além de oferecer um sistema de novos e maiores benefícios para cerca de 1 milhão de suas representantes no Brasil. Alguns deles se estendem a familiares, como descontos exclusivos em faculdades, escolas de idioma, medicamentos e exames.

A empresa se destaca pela atuação em prol da diversidade e inclusão, tanto externa como internamente. Em 1992, a Avon foi considerada um dos 25 melhores lugares para trabalhar no mundo pela revista Black Enterprise.

Em 2020, criou o Compromisso Antirracista, plano de ação com metas que visam ampliar a empregabilidade de pessoas negras e sua presença em cargos de liderança, criar produtos adequados à diversidade da beleza brasileira e amplificar o protagonismo das mulheres negras nas campanhas e canais de comunicação.

Alguns dos principais objetivos da empresa no Brasil incluem alcançar a meta de 30% de mulheres negras em suas posições de liderança até 2030 e ter 50% de pessoas autodeclaradas negras em seu quadro de colaboradores.

A maior fonte de inspiração da Avon sempre foi a mulher. Por isso, a marca apoiou projetos sociais visando contribuir para a segurança e a saúde delas.

Em 1955, a Avon já desenvolvia programas de bolsas de estudo para mulheres nos Estados Unidos. Em 2000, atingiu a marca de 86% de mulheres em cargos executivos. Investiu no Brasil mais de R$ 170 milhões em apoio a projetos sociais de enfrentamento à violência contra mulheres e meninas e na conscientização sobre ao câncer de mama, por meio do Instituto Avon, impactando mais de 7,5 milhões de pessoas.

Desde 2020, a Avon faz parte do grupo Natura & Co. Mais do que empresa de beleza, trata-se de um movimento global pela autonomia das mulheres, cujo modelo de negócios está ancorado na inovação, geração de oportunidades e ampliação de habilidades empreendedoras com o objetivo de fortalecer as economias e impactar positivamente a sociedade.

2021-09-22T10:04:30-03:00setembro 22nd, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Agência Brasil – SP: setor de serviços da capital tem aumento de 20,9% no 1º semestre

O setor de serviços da capital paulista registrou alta de 20,9% no faturamento, no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2020. O aumento corresponde a um faturamento de R$ 43,6 bilhões superior ao período anterior. Os resultados são da Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços na Cidade de São Paulo (PCSS), realizada pela FecomercioSP.

O faturamento do primeiro semestre de 2021 totalizou R$ 252 bilhões. Segundo a entidade, os resultados demonstraram recuperação da maioria das atividades do setor, exceto em educação e turismo.

“Destacaram-se, em relação a 2020, os setores de agenciamento, corretagem e intermediação (26%); jurídicos, econômicos e técnico-administrativos (22,1%); metodologia e comunicação (46,2%); representação (22,3%); saúde (25,8%); Simples Nacional (24,4%); e técnico-científico (35,6%). Na contramão, ficou educação, com resultado negativo de 1,1%”, divulgou a FecomercioSP. Turismo teve queda de 39,1% no faturamento do período.

O levantamento fez uma projeção de alta para o setor, no segundo semestre do ano, de 16,9% em relação ao ano passado, baseando-se nas condições socioeconômicas atuais. Se a projeção se concretizar, isso representará um faturamento de cerca de R$ 297 bilhões.

Apesar da avaliação de que a recuperação entre os setores será acompanhada pelos ritmos da vacinação, da flexibilidade das atividades e da capacidade de reação da economia, a entidade afirma que o momento ainda é de incertezas.

“Historicamente, o segundo semestre costuma apontar resultados melhores que o primeiro, no entanto, a conjuntura atual ainda é de incertezas, com surgimento de novas variantes, inflação elevada – com efeitos na renda e na inadimplência – e, principalmente, com o risco de racionamento de energia, que já afeta os custos e as despesas das empresas, além de reduzir o poder de compra dos consumidores”, ponderou a FecomercioSP.

O turismo é uma das atividades mais afetadas pelas incertezas relacionadas à pandemia, conforme aponta a entidade. No primeiro semestre, o segmento de turismo, hospedagem, eventos e assemelhados teve resultados negativos de 39,1%, em relação ao ano passado, e de 67,3%, na comparação com 2019.

Faturamento mensal

A PCSS mensal mais recente feita pela entidade apontou que, em junho, o faturamento do setor de serviços atingiu R$ 48,1 bilhões. Este foi o maior rendimento da série para o mês de junho.

Na comparação com o ano passado, o indicador aumentou 26,1%, representando um aumento na receita de R$ 9,9 bilhões. No acumulado em 12 meses, a alta foi de 12,4%.

Todos os grupos de atividades que compõem o indicador apontaram aumento no faturamento, como nos segmentos de agenciamento, corretagem e intermediação (42%); jurídicos, econômicos e técnico-administrativos (28%); mercadologia e comunicação (56,2%); saúde (34,6%); e técnico-científico (42,3%).

A FecomercioSP aponta que a maior alta foi registrada na atividade de turismo, hospedagem, eventos e assemelhados (114,2%). “É necessário considerar, porém, a base de comparação fragilizada, em razão da restrição de circulação de pessoas em meio ao isolamento social”, explicou a entidade.

Edição: Aline Leal

2021-09-22T10:00:53-03:00setembro 22nd, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Brazil Beauty News – Empresas tradicionais de cosméticos anunciam veganização de seus portfólios

Não há dados precisos de quantos brasileiros são veganos atualmente. Segundo projeção da Sociedade Vegetariana Brasileira, esse número deve ultrapassar os sete milhões. Para os adeptos desse estilo de vida, os cosméticos não podem conter nenhuma matéria-prima de origem animal, nem ser testados em animais. Mas é cada vez maior a parcela de consumidores não veganos que também se interessam por esse tipo de produto totalmente livre da exploração animal.

Alinhadas a essa tendência, empresas tradicionais do setor cosméticos vêm planejando a veganização completa de seus portfólios. É o caso da The Body Shop, que já tem 60% do seu catálogo vegano e pretende atingir os 100% até 2023. “Essa é uma preocupação da The Body Shop. Somos uma marca ativista e quando fazemos essas transformações, geramos mudanças desde o fornecedor até o time da loja e levamos informação para o consumidor com o intuito de progredirmos na consciência ética-ambiental”, afirma a gerente de marketing Debora Gentil, gerente de marca, comunicação e treinamento da The body Shop.

Para ela, esse processo de veganização é uma evolução natural da companhia, que se posiciona contra testes em animais há mais de 30 anos. “Fomos uma das primeiras marcas globais a lançar uma campanha pelo fim de testes em animais, em 1988. Isso levou à proibição de testes em todo o Reino Unido e impactou em uma mudança na lei da União Europeia”, menciona Gentil.

Quem vai seguir esse mesmo caminho é o Grupo Boticário, que acaba de anunciar o banimento de insumos de origem animal até 2025 em todas as suas marcas: O Boticário; Eudora; Quem Disse, Berenice?; BeautyBox; Multi B; Vult e O.u.i. Para isso, todos os produtos lançados a partir de setembro de 2021 já serão completamente veganos, enquanto que os já em linha passarão por reformulação e adequação.

“Em 2020, 85% dos desenvolvimentos do Grupo Boticário não usaram ingredientes de origem animal, o que corresponde a mais de mil opções veganas. Com este compromisso, queremos chegar a um portfólio 100% vegano o quanto antes”, afirma Gustavo Dieamant, diretor de P&D do Grupo Boticário. Há mais de 20 anos, a companhia não realiza testes em animais e desde 2017, não utiliza ingredientes provenientes de sofrimento animal.

A Griffus Cosméticos, presente no mercado brasileiro de cuidados capilares há mais de quatro décadas, conquistou neste ano o título vegano. “Decidimos tornar nossa produção 100% vegana para ajudar no desenvolvimento sustentável do planeta. Acreditamos que é possível entregar bons produtos para os consumidores sem colocar os animais e a natureza em risco. Pequenas ações podem mudar o mundo”, diz o diretor comercial e de marketing Wescle Aguiar.

O executivo conta que o catálogo da Griffus atende a um público mais amplo, que não se restringe a veganos, e que é mais desafiador uma empresa passar pelo processo de transição do que já “nascer” vegana. “Tivemos que alterar fórmulas e tirar vários produtos de linha”.

A The Body Shop vê com otimismo essa mudança. “Já tivemos sucesso na alteração de nossos produtos para fórmulas veganas, como a linha Lolita, relançada no ano passado com maior poder de hidratação e fixação de fragrância. Então temos segurança de que a atualização do portfólio será positiva”, aponta Gentil. “Esse é um esforço de toda a cadeia produtiva, que se inicia na equipe de desenvolvimento de produtos, pesquisa, supply, marketing, comunicação e venda, atrelado a um olhar de transformação para o negócio e para a marca”, finaliza.

2021-09-21T11:07:02-03:00setembro 21st, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Cidade Marketing – Estrelada por Juliette, Avon lança primer de cílios Lash Supreme Volume Primer

Com tecnologia exclusiva Tratamake, sua fórmula possui queratina e óleo de rícino, que contribuem para a hidratação dos fios e, com uso contínuo, apresenta resultado de tratamento cosmético. O primer ainda conta com um pincel em formato amendoado para fácil aplicação da raiz às pontas de forma uniforme, condicionando e hidratando os seus cílios enquanto prepara a base perfeita para a aplicação da máscara. É só aplicar uma camada do Lash Supreme Volume Primer, esperar secar e apostar na sua máscara de cílios favorita para um olhar ainda mais marcante.

O lançamento faz parte da promoção “Aumenta o Volume”, com mais de dois mil prêmios espalhados nos primers e nas máscaras que vão além do volume. A dinâmica é simples: achando o aplicador dourado nas Máscaras de Volume + Avon ou no novo Primer da marca, você pode ganhar uma das 150 maletas de maquiagem, ou uma experiência com a maquiadora Avon Juliette Freire ou até mesmo um dos dois mil kits de maquiagem.

As Máscaras de Volume + AVON são as queridinhas do público, já que combinam volume com outros efeitos para o seu olhar falar mais alto. Elas são: a Máscara para Cílios Genius (R$39,99), que combina volume + 5 efeitos em uma única máscara; a Máscara para Cílios Big & Extreme (R$36,99), que dá aquele volume + o efeito extensão de cílios; a Máscara para Cílios No Limits (R$39,99), oferece volume + curvatura e elevação; e a Máscara para Cílios Power Stay (R$43,99), que resulta volume extremo + 24h de duração.

A promoção acontece de 9 de setembro a 14 de outubro. Para saber mais sobre a promoção “Aumenta o Volume”, acesse: www.promoaumentaovolume.com.br.

Os produtos mencionados podem ser adquiridos com uma representante Avon ou pelo e-commerce (https://www.avon.com.br/color-trend). SAC: 0800 708 2866, de segunda a sábado das 8h às 20h.

https://www.cidademarketing.com.br/marketing/2021/09/21/estrelada-por-juliette-avon-lanca-primer-de-cilios-lash-supreme-volume-primer/

2021-09-21T11:04:40-03:00setembro 21st, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Época Negócios – OCDE eleva previsão de alta do PIB do Brasil em 2021 para 5,2%

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) revisou para cima sua projeção de alta do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2021, para 5,2%, segundo relatório trimestral divulgado nesta terça-feira, 21.

Em maio, a entidade com sede em Paris esperava que a economia brasileira crescesse 3,7% este ano.

Já para 2022, a OCDE reduziu para baixo sua previsão de avanço do PIB brasileiro, de 2,5% a 2,3%, informa o documento.

2021-09-21T11:02:51-03:00setembro 21st, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Agência Brasil – Vendas no comércio paulistano crescem 14,6% na 1ª quinzena de setembro

As vendas no comércio da cidade de São Paulo cresceram 14,6% nos primeiros 15 dias deste mês de setembro, revelou a Associação Comercial de São Paulo (ACSP). A comparação é com o mesmo período do mês de agosto.

Quando comparado às duas primeiras semanas do mês de setembro de 2020, quando havia mais restrições relacionadas à pandemia da covid-19, o crescimento foi de 24,4%.

Segundo a associação, a recuperação no comércio paulistano vem ocorrendo desde maio, impulsionado pelo Dia das Mães, por uma maior flexibilização no funcionamento dos estabelecimentos e pelo aumento da vacinação. Para a ACSP, o setor deve voltar a crescer no próximo ano.

“Hoje, ainda estamos recuperando o que foi perdido a partir do distanciamento social que começou no início de 2020”, disse Marcel Solimeo, economista-chefe da ACSP. “Só podemos considerar crescimento depois que atingirmos e superarmos os números de antes da pandemia”, explicou.

Edição: Valéria Aguiar

2021-09-21T11:00:46-03:00setembro 21st, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Economia|

Porto Ferreira Hoje – ESG: Pernambucanas aposta na capacitação para intensificar seu compromisso com a moda socialmente responsável

A Pernambucanas, marca varejista nacional pioneira em inovações, adere ao ModaComVerso – movimento liderado pela ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) que busca informar, engajar e conscientizar o consumidor e a sociedade em prol de uma moda socialmente responsável, cujo lançamento oficial aconteceu em 16 de setembro em todo o País. A varejista entende a importância da iniciativa como oportunidade para tornar públicas as diversas ações que a marca já realiza junto à sua cadeia de valor.

Signatária desde 2010 do Programa de Certificação da ABVTEX, a Pernambucanas possui 100% de toda a sua cadeia têxtil nacional certificada, incluindo fornecedores e subcontratados, sendo classificada como nível pleno – categoria máxima do programa. Além da ABVTEX, as auditorias também são conduzidas pela área de Compliance de Fornecedores da Pernambucanas, responsável por homologar, desenvolver, fortalecer e fidelizar as empresas.

Os fornecedores e subcontratos nacionais, que somam hoje mais de mil empresas e representam 80% da base, são avaliados regularmente por meio de uma matriz de risco, que considera aspectos que envolvem compliance, questões comerciais, logística, qualidade e finanças. Somente em 2021 foram realizadas mais de 15 mil avaliações. Os resultados de todas essas análises ficam disponíveis no site da varejista e são atualizados constantemente, como forma de intensificar a transparência com toda a sociedade.

Outra importante iniciativa que visa garantir o cumprimento de todas as práticas trabalhistas também está refletida nos contratos firmados com a indústria têxtil. Todos eles contêm cláusulas relacionadas aos direitos humanos, além de compliance e garantias socioambientais.

“Há muitos anos lutamos por setor têxtil socialmente responsável, no qual os direitos humanos, a ética e a transparência sejam garantidas. O Movimento é fundamental para ajudar o consumidor a fazer escolhas adequadas no momento da compra, optando por empresas que têm o real compromisso com uma moda justa e digna. Quando o consumidor se torna consciente toda a sociedade ganha por meio da geração de empregos, a redução da informalidade e o fim de todo e qualquer tipo de trabalho análogo ao escravo no país”, afirma Sergio Borriello, membro do Conselho Diretor da ABVTEX e CEO da Pernambucanas.

Capacitação

A marca acredita que o compromisso com uma cadeia de fornecimento socialmente responsável também envolve a capacitação de toda a base de fornecedores. Para desenvolvê-los, a varejista realiza o Programa de Relacionamento com Fornecedores Pernambucanas. Equipes técnicas da empresa realizam treinamentos dentro das próprias fábricas, aprimorando a capacidade produtiva, estruturando laboratórios de qualidade, prestando consultoria nas práticas de sustentabilidade, além da realização de workshops para a troca de experiências e reconhecimento das melhores execuções. A varejista também disponibiliza o apoio de instituições de ensino renomadas que contribuem com a capacitação técnica da cadeia de abastecimento.

“Durante a pandemia, por exemplo, intensificamos as nossas ações para apoiar e fortalecer os nossos fornecedores parceiros. Concedemos crédito, acompanhamos a saúde financeira, não cancelamos nenhum compromisso firmado, mapeamos os impactos na produção em toda a cadeia incluindo a produção de matéria-prima e reavaliamos as previsibilidades de compras. Apesar das restrições, nos esforçamos e encontramos alternativas para estarmos ainda mais próximos de todos e isso foi fundamental para entendermos mutuamente as necessidades, dificuldades e nos ajudarmos”, explica Fabio Fadel, membro do Conselho Diretor da ABVTEX e Diretor Executivo Comercial da Pernambucanas.

Sobre a Pernambucanas

Há 113 anos, a Pernambucanas evolui junto com a família brasileira. Referência no varejo nacional, a companhia tem como marca registrada o pioneirismo e a contribuição para o progresso de diversas cidades do país. Conta com um time de estilistas que identificam as principais tendências mundiais da moda e oferece uma ampla variedade de produtos em moda, beleza, lar, eletroportáteis, telefonia e informática.  Está presente em mais de 300 cidades, em doze estados e no Distrito Federal, com mais de 430 lojas e cerca de 15 mil colaboradores. Além do varejo, a companhia tem a sua fintech, a Pefisa, braço financeiro do grupo, responsável pelo desenvolvimento e gestão dos produtos como a Conta Digital Pernambucanas, PIX, Carteira Digital, cartões, empréstimo pessoal e seguros. Sempre se reinventando e acompanhando às necessidades de seus clientes, a Pernambucanas oferece uma inovadora plataforma digital de relacionamento em varejo e produtos financeiros, com aplicativos, compra online, tablet (concessão de crédito 100% digital em 7 minutos), emissão instantânea de cartão com chip, atendimento digital e Wi-Fi grátis em todas as lojas.

Sobre o ModaComVerso

O ModaComverso é um movimento pioneiro liderado pela ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) e que reúne redes varejistas e fornecedores. Busca construir uma moda socialmente responsável no Brasil, a partir do estímulo a uma cadeia de fornecimento ética, humana e transparente com o intuito de dar visibilidade e destaque para quem está, de fato, fazendo a diferença e atuando responsavelmente no setor.

2021-09-20T10:28:53-03:00setembro 20th, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|

Mercado & Consumo – Boticário e Natura são as marcas que oferecem a melhor experiência ao cliente

As gigantes de cosméticos Boticário e Natura são as marcas que oferecem a melhor experiência aos consumidores, segundo estudo de Brand Experience realizado pelo instituto de pesquisa QualiBest e a consultoria de branding TopBrands.

O estudo avaliou o Brand Experience (BX) das marcas, um conceito engloba quatro drivers dentro da jornada do consumidor: a pesquisa por um produto ou serviço, a consideração pela marca, o momento da compra e o uso.

Pela lente do Brand Experience, é possível elencar as marcas não a partir de dados usados normalmente pelo mercado – como o volume de consumidores que admitem comprá-las, por exemplo -, mas sim pelas empresas que são mais consideradas por eles. “A gente capta mais do que o consumo: trata-se de relações permanentes entre as pessoas e o que elas compram”, diz Graziela Sueiro, gerente do QualiBest.

O estudo mostra que, no funil de vendas, a consideração é o fator mais relevante para que a relação entre a marca e o cliente se estabeleça. A empresa mais bem avaliada pelos consumidores brasileiros, Boticário, teve 37% de associações. Para eles, empresa adota as mesmas práticas que estão em seus discursos e, mesmo com muito tempo de mercado, está sempre criando novos produtos que ainda surpreendem.

O fato de a segunda colocada da lista também ser do segmento cosmético (Natura, com 36%), chamou a atenção dos pesquisadores. “Isso revela que as empresas desse setor estão sabendo não apenas se comunicar com seus clientes, mas também desenvolver produtos que estão alinhados ao que eles buscam”, analisa Sueiro. “Esse é um insight poderoso da pesquisa.”

O topo da lista se completa com a Netflix (32% de associações). Considerando-se que o Youtube ocupa a quinta posição (31% das associações), fica evidente que os streamings estão dividindo as boas experiências dos clientes com os cosméticos.

Melhor performance em BX Index (entre as 76 marcas avaliadas):

Boticário

Natura

Netflix

Samsung

YouTube

Johnson&Johnson

Consul

Gilette

Sadia

Brastemp

Relação do consumidor com a marca

Para chegar a essas conclusões, o QualiBest entrevistou, em duas etapas, 4.003 brasileiros de todas as regiões, faixas etárias e classes sociais entre janeiro e abril deste ano por meio de questionários online. Eles compõem uma base de 250 mil painelistas do instituto que participam, de forma permanente, de pesquisas de mercado. Antes dessas etapas, o QualiBest ainda produziu um longo estudo qualitativo para entender os drivers e atributos que os participantes atribuem na jornada de compra.

“O grande insight do nosso estudo é que há um senso comum de que oferecer um bom produto ao consumidor é suficiente. Na verdade, ele é influenciado muito mais pela relação que cria com a marca, pelo Brand Experience, do que simplesmente pelo uso que já fez desse produto. É como se fosse uma relação pessoal”, analisa Marcos Machado, sócio-diretor da TopBrands. “É por isso que, hoje, tão importante quanto o que uma empresa faz é o que ela fala e como ela age”, completa.

Entre os achados da pesquisa, há ainda a relevância do desenvolvimento de produtos e serviços que tenham foco no cliente, e não em demandas avulsas a ele. Esse fator, dentro do drive “consideração”, foi o mais citado pelos consumidores do segmento de alimentos saudáveis, por exemplo, e apareceu como elemento-chave na relação das pessoas com marcas de cuidados pessoais e de laticínios. É um dado que expressa que o desafio atual do mercado é oferecer aos consumidores uma experiência que seja surpreendente, mas ancorada nas suas demandas.

2021-09-20T10:26:13-03:00setembro 20th, 2021|Categories: ABEVD Clipping, Notícias do Setor|
Ir ao Topo