Loading...

Notícias

CLIPPING | ABEVD NA MÍDIA

Informações da ABEVD, confira:

Vídeo – Empresários da Venda Direta destacam a importância do setor

Durante o 3° Congresso Nacional de Venda Direta, empresários de diversos ramos do setor explicaram a importância do mercado para a economia e desenvolvimento brasileiro.
Assista os vídeos:

• Paulo Moledo – CEO e Presidente da Hy Cite

• Luiza Trajano – conselheira do Magazine Luiza

• Eduardo Vilhena – Diretor Jurídico e de Relações Governamentais da Mary Kay

2022-11-17T16:36:41-03:00novembro 17th, 2022|Categories: ABEVD News|

3º Congresso Nacional de Vendas Diretas debate digitalização do setor

Com a presença de nomes como Luiza Trajano, do Parceiro Magalú, e Bruno Portela, secretário do Ministério da Economia, evento debateu digitalização, posicionamento e trouxe exposição de grandes marcas com o apoio do Sebrae

Após dois anos de adiamento em consequência da pandemia causada pela Covid-19, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) realizou, na quinta-feira (20.10), o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, evento que teve como foco o debate em torno da digitalização do setor, que passou por uma grande aceleração neste período, ressaltando a importância da atividade para empresas e revendedores, que contempla uma força de trabalho de 4 milhões de pessoas no Brasil, segundo a ABEVD.

“É uma oportunidade de empreender com baixo custo e sem risco e hoje os empreendedores podem decidir como trabalhar, usando redes sociais e aplicativos ao seu favor”, explicou a presidente-executiva da ABEVD, Adriana Colloca. “O diferencial do nosso segmento são as relações criadas, que vão além de venda e compra, pois os empreendedores sabem o que seus clientes precisam, oferecendo consultoria e pós-venda personalizados”, completou.

O secretário de Inovação e Micro e Pequenas Empresas do Ministério da Economia, Bruno Monteiro Portela, destacou no Congresso a importância da desburocratização para as empresas e o programa Brasil para Elas, que proporciona acesso ao mercado, tecnologia e crédito para empreendedoras independentes, ajudando-as a alavancar a dimensão de seus negócios no setor das Vendas Diretas.

“A gente entendeu, na pandemia, que era necessário fazer uma política deste tipo. E para se ter uma noção, não tem nenhuma política assim na América Latina. Buscamos que o estado atrapalhe o mínimo possível para uma política pública que favoreça esse setor, e incentive a digitalização e produtividade”, comentou Portela.

A presidente do Conselho de Administração da Magazine Luiza e do Grupo Mulheres do Brasil, Luiza Elena Trajano, ressaltou que para inovar é necessário não possuir crenças limitantes e que o físico deve se unir ao digital. “Nunca tivemos compromisso com o acerto, então, não temos medo de errar, o que nos permitiu evoluir. Não acredito numa cultura só digital. A loja física não vai acabar, mas vai mudar, pois ela tem que estar integrada com as plataformas digitais”.

O Magazine Luiza recentemente lançou o Parceiro Magalu, nova modalidade de venda que insere a empresa no mercado de Vendas Diretas, proporcionando aos empreendedores a possibilidade de abrir uma loja online para vender os próprios produtos da empresa.

Durante o evento, a diretora de vendas da Natura, Cida Franco, destacou que a tecnologia precisa ser uma parceira nas Vendas Diretas. “Precisamos ter capacidade de nos preparar para fazer que a tecnologia seja uma aliada, e não substituta da relação entre cliente e empreendedor. Precisamos usar a tecnologia para ampliar esse negócio e não para substituí-lo”.

EXPO ABEVD 2022

A EXPO ABEVD 2022, que ocorreu simultaneamente com o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, foi aberta gratuitamente ao público e focou nos empreendedores independentes do setor.

O encontro contou com a presença da expert em liderança na Venda Direta, Diana Couto, a mentora em Vendas Diretas lucrativas, Glória Toledo, a designer de estratégia da Impacto 8, Larissa Maçães, e a consultora do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Sebrae, Roberta Leite.

Para Diana Couto, o cenário do mercado atual é repleto de grandes mudanças. “A vida do vendedor é um eterno desafio. Os cenários mudam, então a habilidade mais importante é você aprender a se reinventar. O profissional engessado tem muita dificuldade nos dias de hoje”.

Roberta Leite enfatizou que o empreendedorismo aliado com a Venda Direta deve ser mais valorizado como profissão. Para isso, sugeriu aos empreendedores individuais, mais do que só vender, mas entendam seus clientes e saibam com quem estão conversando e de que forma. “A venda está relacionada com o papel de fazer sentido, fazer escuta para poder ter a melhor solução”.

Os detalhes de todos os debates do 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, com executivos da Natura, Avon, Tupperware, Jequiti, Omnilife, Mahogany, Amway, Royal Prestige, Jeunesse, Hinode Group e Akmos, estão disponíveis no site da ABEVD.

 

1º Prêmio ABEVD de Jornalismo em Vendas Diretas

Para prestigiar matérias jornalísticas sobre o segmento da Venda Direta, a ABEVD lançou o 1º Prêmio ABEVD de Jornalismo em Vendas Diretas. Foram inscritos 58 trabalhos, posteriormente avaliados por uma banca independente de acadêmicos e jornalistas, seguindo os critérios de qualidade técnica, relevância social, abordagem inovadora do tema e amplitude e engajamento sobre o tema.

Ao final, oito trabalhos foram elencados como finalistas para serem apresentados no eventos e a jornalista Ingrid Coelho, com a matéria “Venda de porta em porta se reinventa com pix e whatsapp: ‘redes sociais ganharam muita visibilidade’”, publicada no Diário do Nordeste, foi a grande vencedora.

 

A ABEVD

A Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 1980 para promover e desenvolver a venda direta no Brasil, bem como representar e apoiar empresas que comercializam produtos e serviços diretamente aos consumidores finais. A entidade é membro da World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), organização que congrega as associações internacionais de vendas diretas existentes no mundo. Por isso, segue os códigos de ética implantados por suas filiadas, que representam mais de 70 países.

2022-11-11T14:24:07-03:00novembro 11th, 2022|Categories: ABEVD News|

Empresas são premiadas pela primeira vez em evento da Associação Brasileira de Vendas Diretas

Com a presença de nomes como Luiza Trajano, do Parceiro Magalú, e Bruno Portela, secretário do Ministério da Economia, evento debateu digitalização, posicionamento e trouxe exposição de grandes marcas com o apoio do Sebrae

Após dois anos de adiamento em consequência da pandemia causada pela Covid-19, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) realizou, na quinta-feira (20.10), o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, evento que teve como foco o debate em torno da digitalização do setor, que passou por uma grande aceleração neste período, ressaltando a importância da atividade para empresas e revendedores, que contempla uma força de trabalho de 4 milhões de pessoas no Brasil, segundo a ABEVD.

“É uma oportunidade de empreender com baixo custo e sem risco e hoje os empreendedores podem decidir como trabalhar, usando redes sociais e aplicativos ao seu favor”, explicou a presidente-executiva da ABEVD, Adriana Colloca. “O diferencial do nosso segmento são as relações criadas, que vão além de venda e compra, pois os empreendedores sabem o que seus clientes precisam, oferecendo consultoria e pós-venda personalizados”, completou.

O secretário de Inovação e Micro e Pequenas Empresas do Ministério da Economia, Bruno Monteiro Portela, destacou no Congresso a importância da desburocratização para as empresas e o programa Brasil para Elas, que proporciona acesso ao mercado, tecnologia e crédito para empreendedoras independentes, ajudando-as a alavancar a dimensão de seus negócios no setor das Vendas Diretas.

“A gente entendeu, na pandemia, que era necessário fazer uma política deste tipo. E para se ter uma noção, não tem nenhuma política assim na América Latina. Buscamos que o estado atrapalhe o mínimo possível para uma política pública que favoreça esse setor, e incentive a digitalização e produtividade”, comentou Portela.

A presidente do Conselho de Administração da Magazine Luiza e do Grupo Mulheres do Brasil, Luiza Elena Trajano, ressaltou que para inovar é necessário não possuir crenças limitantes e que o físico deve se unir ao digital. “Nunca tivemos compromisso com o acerto, então, não temos medo de errar, o que nos permitiu evoluir. Não acredito numa cultura só digital. A loja física não vai acabar, mas vai mudar, pois ela tem que estar integrada com as plataformas digitais”.

O Magazine Luiza recentemente lançou o Parceiro Magalu, nova modalidade de venda que insere a empresa no mercado de Vendas Diretas, proporcionando aos empreendedores a possibilidade de abrir uma loja online para vender os próprios produtos da empresa.

Durante o evento, a diretora de vendas da Natura, Cida Franco, destacou que a tecnologia precisa ser uma parceira nas Vendas Diretas. “Precisamos ter capacidade de nos preparar para fazer que a tecnologia seja uma aliada, e não substituta da relação entre cliente e empreendedor. Precisamos usar a tecnologia para ampliar esse negócio e não para substituí-lo”.

 

EXPO ABEVD 2022

A EXPO ABEVD 2022, que ocorreu simultaneamente com o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, foi aberta gratuitamente ao público e focou nos empreendedores independentes do setor.

O encontro contou com a presença da expert em liderança na Venda Direta, Diana Couto, a mentora em Vendas Diretas lucrativas, Glória Toledo, a designer de estratégia da Impacto 8, Larissa Maçães, e a consultora do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Sebrae, Roberta Leite.

Para Diana Couto, o cenário do mercado atual é repleto de grandes mudanças. “A vida do vendedor é um eterno desafio. Os cenários mudam, então a habilidade mais importante é você aprender a se reinventar. O profissional engessado tem muita dificuldade nos dias de hoje”.

Roberta Leite enfatizou que o empreendedorismo aliado com a Venda Direta deve ser mais valorizado como profissão. Para isso, sugeriu aos empreendedores individuais, mais do que só vender, mas entendam seus clientes e saibam com quem estão conversando e de que forma. “A venda está relacionada com o papel de fazer sentido, fazer escuta para poder ter a melhor solução”.

Os detalhes de todos os debates do 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, com executivos da Natura, Avon, Tupperware, Jequiti, Omnilife, Mahogany, Amway, Royal Prestige, Jeunesse, Hinode Group e Akmos, estão disponíveis no site da ABEVD.

 

1º Prêmio ABEVD de Jornalismo em Vendas Diretas

Para prestigiar matérias jornalísticas sobre o segmento da Venda Direta, a ABEVD lançou o 1º Prêmio ABEVD de Jornalismo em Vendas Diretas. Foram inscritos 58 trabalhos, posteriormente avaliados por uma banca independente de acadêmicos e jornalistas, seguindo os critérios de qualidade técnica, relevância social, abordagem inovadora do tema e amplitude e engajamento sobre o tema.

Ao final, oito trabalhos foram elencados como finalistas para serem apresentados no eventos e a jornalista Ingrid Coelho, com a matéria “Venda de porta em porta se reinventa com pix e whatsapp: ‘redes sociais ganharam muita visibilidade’”, publicada no Diário do Nordeste, foi a grande vencedora.

 

A ABEVD

A Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 1980 para promover e desenvolver a venda direta no Brasil, bem como representar e apoiar empresas que comercializam produtos e serviços diretamente aos consumidores finais. A entidade é membro da World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), organização que congrega as associações internacionais de vendas diretas existentes no mundo. Por isso, segue os códigos de ética implantados por suas filiadas, que representam mais de 70 países.

2022-11-11T14:09:29-03:00novembro 11th, 2022|Categories: ABEVD News|

Fotos #CongressoABEVD2022

A Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) realizou, no dia 20 de outubro, o 3° Congresso Nacional de Vendas Diretas, em São Paulo. O evento aconteceu depois de dois anos de adiamento, por causa da pandemia de Covid-19 e contou com a presença de grandes executivos da área para debater sobre a digitalização do setor, que passou por grande aceleração nos últimos anos, ressaltando a importância da atividade para empresas e revendedores.

Simultaneamente com o congresso ocorreu também a EXPO ABEVD 2022, um encontro gratuito, aberto ao público que focou nos empreendedores independentes do setor. Durante o evento, debateu-se sobre o empreendedorismo aliado com a venda direta e contou com mentorias sobre como vender mais e lucrar no setor, o Prêmio ABEVD de Jornalismo em Vendas Diretas, premiação que destaca trabalhos jornalísticos sobre o tema, e também, o Prêmio ABEVD de Vendas Diretas, que tinha o objetivo de reconhecer as boas práticas das empresas do setor.

Fonte: Assessoria de imprensa da ABEVD

Confira as fotos do 3° Congresso Nacional de Vendas Diretas

Disponíveis para download:

Participou do #CongressoABEVD2022?

Responda a pesquisa de satisfação e garanta o seu certificado.
Faça o download do seu Certificado:

Caso não encontre seu certificado clique aqui

Garanta sua vaga para o 4° Congresso Nacional de Vendas Diretas, em 2023

Não fique de fora dessa oportunidade e conheça um pouco mais sobre o Maior Evento do Setor!

#CONGRESSOABEVD2023

Faça sua Pré-Reserva com Valor Promocional!

2022-11-03T16:21:27-03:00novembro 1st, 2022|Categories: ABEVD Clipping, ABEVD News, Notícias do Setor|

Maneiras de atrair novos empreendedores para Vendas Diretas é tema do 3° Congresso Nacional da ABEVD

Como fazer com que a Venda Direta seja a melhor opção de trabalho é debatido entre executivos do setor

Durante o 3° Congresso Nacional de Vendas Diretas, promovido pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), na última quinta-feira (20.10), executivos debateram sobre maneiras de atrair novos empreendedores para o setor. Com moderação da superintendente Comercial da DeMillus, Cátia Bandeira, a palestra contou com a presença da diretora de vendas da Natura, Cida Franco; o diretor-executivo de Gestão Comercial da Avon, Emerson Teixeira e o fundador da Polishop com.vc, Gilberto Guiti.

Para Cátia Bandeira, a nova geração de trabalhadores pensa muito em propósito. “Os novos trabalhadores não querem trabalhar apenas para ganhar dinheiro, eles têm um propósito por trás disso. E que setor tem mais propósito do que a Venda Direta?”.

Segundo Cida Franco, a tecnologia entra na Venda Direta para auxiliar e tornar a venda mais acessível e conveniente. “Precisamos ter capacidade de nos preparar para fazer que a tecnologia seja uma aliada, não substituta da relação entre cliente e empreendedor. Precisamos usar a tecnologia para ampliar esse negócio e não para substituí-lo”.

“Torço para que as pessoas não estejam preparadas, porque, se o presente é dinâmico, o futuro é muito mais. Quando você se prepara muito para o futuro, acha que o modelo vai funcionar e fica engessado. Tendências mudam, pessoas mudam, assim como forças de venda. E a pandemia evidenciou isso”, opinou Gilberto Guiti.

De acordo com Emerson Teixeira, a realidade e o desafio do setor é outro. “A Venda Direta tem todos os ingredientes quando se fala de futurismo. As pessoas querem mais flexibilidade, pois o segmento sempre trouxe isso como característica de negócio; as pessoas querem mais contatos e relações humanas”.

Para Teixeira, o grande diferencial da Venda Direta são os empreendedores e o principal desafio é fazer cm que as evoluções nos modelos de negócio cheguem nos representantes e consultores. Evitando e tentando fugir do excesso de informações que é presente no dia a dia de todos.

“Na venda direta falamos muito dos ganhos, mas temos que ir além disso. Precisamos explorar elementos humanos e sociais dos modelos. Nosso modelo é de altíssimo valor agregado, na dimensão social e emocional inclusive”, explicou a diretora de vendas da Natura.

Segundo ela, a empresa tem investido em pesquisas para entender onde que os empreendedores têm ganhado com as Vendas Diretas e constatou que o ganho financeiro não é mais o único objetivo dentro deste mercado.

Para o fundador da Polishop com.vc, o mercado de Vendas Diretas sempre vai perder pessoas, mas é preciso entender o que faz com que as pessoas fiquem. “Pessoas entram pelo dinheiro, mas ficam pelos propósitos, ficam pelos valores, ficam pela empresa”.

Fonte: Assessoria de imprensa da ABEVD

2022-10-21T17:28:48-03:00outubro 21st, 2022|Categories: ABEVD News|

Nova era da Venda Direta é debatida durante Congresso da ABEVD

Debate sobre nova era da Venda Direta encerra 3° Congresso Nacional do setor

A última palestra do 3° Congresso Nacional de Vendas Diretas foi realizada por grandes executivos do setor para debater sobre o futuro do segmento. O coutry manager da Amway Brasil, João Leone, moderou a conversa entre o presidente da Avon Brasil, Daniel Silveira; o CEO da Jequiti, Eduardo Ribeiro e o CEO e presidente da Hy Cite (Royal Prestige), Paulo Moledo.

As transformações do mercado, a introdução das redes sociais e da tecnologia nas vendas e outros pontos que alteram o setor foram trazidos à tona na conversa. Segundo o CEO da Jequiti, o principal questionamento que deve ser feito é sobre o valor que todos dão para as Vendas Diretas. “Ofereceríamos esse modelo atual para nossos filhos?”, questionou.

Para o presidente da Avon Brasil, mudanças e transformações para a nova era vão requerer reflexões sobre os fundamentos que fazem a Venda Direta ser especial e diferente. “A gente fala tanto da nova era, só que quanto mais próximos estamos do campo, mais vemos que a inovação está presente todos os dias. Nossos representantes e consultores inovam todos os dias, entre eles e com o consumidor também. Quem está vendo isso?”, comentou. “Não temos que ter medo da nova era da Venda Direta, temos oportunidade de inovar juntos”.

Já Paulo Moledo entende que as Vendas Diretas nunca pararam de evoluir. “Prefiro dizer que a evolução é constante, nunca parou. No passado teve outras coisas. Não é só a digitalização a grande mudança de era da Venda Direta”, afirmou. “No final do dia, a Venda Direta vai ter tantos modelos quanto companhias”.

Segundo os palestrantes, algo essencial para a melhoria da profissão e garantia de continuidade do setor é uma normatização das Vendas Diretas e qualificação dos serviços.

Para Eduardo Ribeiro, hoje existe um descaso com o setor. “O Brasil tem que parar de normalizar e colocar um basta no descaso com as Vendas Diretas”, refletiu. “É preciso normatizar e qualificar a entrada dos consultores, é preciso ter modelos distintos e separados de Vendas Diretas. Dá para fazemos transformações em nosso modelo, desde que acreditemos na Venda Direta”.

Segundo o CEO Jequiti, o papel da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) é assegurar esses novos modelos e transformações, deixando o setor cada vez mais forte.

“A ABEVD tenta propor uma nova narrativa, um reposicionamento da Venda Direta. Se tivermos realmente movimento e garantindo que não tenha problemas de ética, cuidando da indústria e reposicionando nossa marca, temos tudo num negócio”, destacou o presidente da Avon Brasil. Segundo ele, a Associação é muito importante para trazer espaço de troca e reflexão.

De acordo com o CEO da Royal Prestige, o que as próprias empresas fazem no mercado, prejudica o nome de todo o setor. “Acho que a Venda Direta não parou de evoluir, mas gostaria que tivesse uma nova era de imagem. O que fazemos como indústria prejudica um ao outro. E para isso paixão é fundamental”.

Fonte: Assessoria de imprensa da ABEVD

2022-10-23T19:15:11-03:00outubro 21st, 2022|Categories: ABEVD News|

EXPO ABEVD 2022 debate dicas de empreendedorismo e vendas

Evento foi gratuito e aconteceu de forma simultânea com o 3° Congresso Nacional de Vendas Diretas

A EXPO ABEVD 2022, evento gratuito organizado pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), aconteceu na tarde da última quinta-feira (20.10) e contou com quatro mesas para debater empreendedorismo e vendas no setor.

Depois de dois anos sem eventos presenciais, a EXPO ABEVD 2022 marcou o retorno de conversas e trocas importantes para empreendedores individuais, entre eles pessoas que começaram durante a pandemia e que tem agora a possibilidade de crescer e trocar experiência com grandes executivos e empreendedores do setor.

Segundo a expert em liderança na Venda Direta, Diana Couto, o cenário do mercado atual é repleto de grandes mudanças. “A vida do vendedor é um eterno desafio. Os cenários mudam, então a habilidade mais importante é você aprender a se reinventar. O profissional engessado tem muita dificuldade nos dias de hoje”.

Para ela, a Venda Direta é um mercado com espaço para todos crescerem e se tornarem grandes empreendedores. “Quem realmente sabe vender não passa necessidade”.

A mentora em Vendas Diretas lucrativas, Glória Toledo, também foi uma das palestrantes da EXPO ABEVD 2022 e destacou que o principal desafio para os profissionais do segmento é o nível de consciência destes empreendedores para entender o mercado não só como uma renda extra, mas como uma profissão. “O consultor não entende que tem a dificuldade. Não tem consciência que a Venda Direta é uma profissão como qualquer outra”.

Na oportunidade, Glória ressaltou que seu sonho é que as pessoas entendam a Venda Direta como uma carreira lucrativa e na qual as pessoas se orgulhem.

Para a consultora do Sebrae e mediadora dos painéis, Roberta Leite, a Venda Direta precisa ser mais valorizada como profissão. Para isso, os empreendedores individuais, mais do que só vender, precisam entender seus clientes e saber com quem estão conversando e de que forma. “A venda está relacionada com o papel de fazer sentido. Escutar para poder ter a melhor solução”.

A designer de estratégia da Impacto, Larissa Maçães, destacou que devido importância que a Venda Direta tem na economia e na vida das pessoas, criou a sua empresa que presta consultoria e auxilia empreendedores. “Meu propósito é levar qualidade de vida para as pessoas através de um impacto no trabalho delas”.

De acordo com Larissa, durante a pandemia mais de 200 mil empreendedores individuais foram cadastrados e receberam auxílio da Impacto 8. “Transformamos pessoas desempregadas e perdidas, durante a pandemia, em empreendedores”.

A EXPO ABEVD 2022 teve apoio do Sebrae e da Impacto 8. O evento aconteceu de forma simultânea com o 3° Congresso Nacional de Vendas Diretas, também realizado pela ABEVD.

Fonte: Assessoria de imprensa da ABEVD

 

2022-10-23T19:12:38-03:00outubro 21st, 2022|Categories: ABEVD News|

Executivas da Venda Direta debatem a presença feminina nos cargos de liderança do segmento

Palestra do congresso da ABEVD debate presença feminina nas lideranças de vendas diretas

A palestra “Como inspirar novas lideranças” reuniu executivas de empresas de Venda Direta para debater a presença feminina nos cargos de liderança do setor, durante o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, realizado em São Paulo, na tarde da última quinta-feira (20.10).

A presidente da Associação Brasileira de Empresas de Venda Direta (ABEVD), Adriana Colloca recebeu no painel a vice-presidente de Inovação de Produtos e Branding da Hinode Group, Erica Pagano; a presidente da Tupperware Brands Brasil, Paola Kiwi; a diretora de Vendas da Jeunesse do Brasil e Argentina, Flávia Zago e a sócia fundadora da Akmos, Carolina Saraiva para conversar sobre a presença feminina no setor.

De acordo com as cinco palestrantes, ser mulher em um cargo de liderança, não só nas Vendas Diretas, mas em todo o mercado é algo desafiador. “Quando falei que ia empreender, sofri preconceito de pessoas muito próximas, familiares, amigos. O engraçado é que quando um homem vai empreender ele é levado a sério e apoiado, as mulheres não”, comentou a fundadora da Akmos.

As Vendas Diretas são formadas majoritariamente por mulheres. Segundo dados da ABEVD, mais de 57% das empreendedoras individuais são do gênero feminino. “A Venda Direta tem capacidade de influenciar diretamente milhares de pessoas, principalmente as mulheres, onde faltam oportunidades”, afirmou a presidente da Tupperware Brands Brasil, Paola Kiwi.

Para a diretora de vendas da Jeunesse, a Venda Direta nasceu inspirando as mulheres a fazerem negócio.

Segundo a vice-presidente de Inovação de Produtos e Branding da Hinode Group, mesmo a Venda Direta tendo mais da metade de força de trabalho feminina, as mulheres poucas vezes conseguem enxergar o poder do setor como empreendedorismo, olham para o trabalho apenas como renda extra. “Homens são a maioria nos cargos de chefia e revenda, entendemos que as mulheres buscam mais revenda e que isso tem a ver com as redes de apoio”.

Para todas as palestrantes, a mulher ter uma rede de apoio é essencial para conseguir conciliar a vida de empreendedora com a de mãe, dona de casa, entre outros. “Todos sabemos que a mulher tem dupla, tripla jornada de trabalho”, explicou Erica Pagano.

“Quando um homem pensa em fazer negócio ele só pensa no negócio, em último lugar vai pensar onde vai deixar o filho e quem vai cuidar da casa”, comentou Flávia Zago.

De acordo com Flávia, as Vendas Diretas têm um poder muito grande para poder ajudar as mulheres a se tornarem grandes empreendedoras e líderes. “Estou na Venda Direta porque acho que tem uma causa social acima de onde estou. Você tem uma missão muito maior do que você mesmo e do cargo que ocupa”.

Segundo a presidente da Tupperware Brand, o que as empresas do setor precisam fazer é impulsionar as mulheres. “A maior ferramenta que podemos dar é impulso, habilidades interpessoais, focar não só em o que fazer e como fazer, mas ter a coragem para fazer”.

“Entendemos o poder que o multinível tem de ser uma renda que liberta mulheres. Temos um papel social muito grande como empresa”, afirmou Carolina Saraiva.

Encerrando o painel, Erica Pagano comentou que no final do dia não é sobre gêneros e sim sobre sonhos e oportunidades. “Temos que olhar as minorias e dar voz para essas pessoas”.

Fonte: Assessoria de imprensa da ABEVD

 

 

2022-10-23T19:10:00-03:00outubro 21st, 2022|Categories: ABEVD News|

Especialista apresenta estratégias para o futuro do setor no 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas

Reapresentar o setor com uma nova narrativa para o mercado e a sociedade foi o principal ponto defendido por Laís Carvalho, head de Estratégia da 100% Design

O 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas trouxe muitas discussões sobre as mudanças que o setor passou nos últimos anos e também sobre o que está por vir. A head de Estratégia da 100% Design, Laís Carvalho, trouxe reflexões sobre o futuro da Venda Direta, grande exponencial da economia brasileira.

Organizado pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), o evento voltou a acontecer após dois anos de adiamento por conta da pandemia de Covid-19.

Laís apresentou alguns pontos a partir dos estudos realizados pela Agência 100% Design com a ABEVD, que apontou que o preconceito com a Venda Direta é um dos principais motivos que impedem novas pessoas de empreenderem junto ao setor.

“Empreendedores entrevistados disseram que quando falam que são da Venda Direta, as pessoas de fora do setor acham que é uma atividade de baixo status social ou associam ainda aquele perfil de mulheres de meia-idade que vendiam cosméticos de porta em porta”, explicou Laís.

O cenário do mercado mudou. No passado as empresas eram detentoras do poder, hoje quem manda são as pessoas, e há organizações que só funcionam por causa da importância das pessoas. “O Waze só funciona porque permitimos que ele nos localize, sendo possível assim a identificação dos pontos com maior tráfego, que ele usará para indicar rotas. O Instagram só funciona porque nós o utilizamos. Nós criamos os conteúdos que estão lá”, exemplificou.

“A Venda Direta tem um grande futuro, desde que seja apresentada corretamente, como uma oportunidade de empreendedorismo. A Venda Direta humaniza o processo de vender, e valoriza as relações, a comunicação, e o futuro aponta para isso”.

A head da 100% Design também apontou a necessidade do setor se reapresentar para as pessoas, com uma nova narrativa, quebrando assim a visão antiga sobre a Venda Direta, e que seja uma opção, e não escolhida por falta dela.

“A fortaleza da Venda Direta é isso, a conexão humana. Temos que olhar com bastante atenção. Venda e pós-venda, você conhece o seu cliente, cada pessoa é uma loja da marca. Quem não quer isso para sua marca? É uma venda ativa, deve ser olhada como estratégia de marketing para as empresas”, observou Laís.

Finalizando a apresentação, Laís Carvalho propôs uma reflexão aos executivos. “Será que essa denominação ‘Venda Direta’ atende tudo que o setor tem pela frente?”.

Fonte: Assessoria de imprensa da ABEVD

 

 

2022-10-23T19:05:39-03:00outubro 20th, 2022|Categories: ABEVD News|

Conheça os ganhadores da categoria ouro do Prêmio ABEVD

Nessa quinta-feira (20.10), a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) realizou a cerimônia de premiação da categoria ouro do 1º Prêmio ABEVD, durante o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, realizado em São Paulo (SP).

Conheça os ganhadores da categoria ouro:

  • Categoria Impacto Feminino: Projeto Acolhe – Avon

  • Categoria Excelência em Inovação: Projeto Decole com Liftoff – Herbalife

 

  • Categoria Excelência em Incentivo e Reconhecimento: Projeto plano de crescimento – Natura

  • Categoria Digitalização: Projeto Programa Cliente Premium – Herbalife

  • Categoria Excelência em Treinamento e Capacitação: Projeto Rede Treina Rede – Natura

 

Fonte: Assessoria de imprensa da ABEVD

2022-10-21T10:37:51-03:00outubro 20th, 2022|Categories: ABEVD News|
Ir ao Topo