Loading...
Início/ABEVD News

Notícias

CLIPPING | ABEVD NA MÍDIA

Informações da ABEVD, confira:

Serviço voltado à beleza é apontado como negócio mais promissor para micro e pequenas empresas em 2020

Sebrae divulgou estudo sobre atividades e segmentos com maiores tendências de crescimento para esse ano

Uma boa notícia para empreendedores independentes que atuam no mercado com produtos de beleza: entre os negócios promissores para esse ano apontados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os serviços pessoais, que englobam atividades de cuidados com a beleza, foram mencionados como segmento em ascensão. A atividade também é a primeira em expansão de número de pequenos negócios.

A tendência observada pelo Sebrae no estudo “Negócios Promissores em 2020” corresponde aos números relatados na última pesquisa sobre o perfil da força de vendas, que indica que 77,4% da força de vendas atua com cosméticos, segmento responsável por 54,7% do faturamento do setor.

Para Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD, a pesquisa só confirma a força do setor de vendas diretas. “Estamos em um momento de recuperação econômica, em que esperamos muitas oportunidades para a força de vendas”, afirmou.

O estudo ainda indica, que a expectativa de crescimento de 2,5% da economia brasileira em 2020, somada à projeção de uma safra recorde no setor agrícola, deve favorecer diretamente as micro e pequenas empresas (MPE) do país, que estão voltados majoritariamente ao mercado interno. Outro ponto destacado é o crescimento do segmento dos Microempreendedores Individuais (MEI). Segundo o estudo, ao longo dos últimos anos, este segmento tem apresentado uma expansão expressiva de novos empreendimentos, com a criação próxima a 1 milhão de novos registros, até 2017, passando a 1,7 milhões de novos registros de MEI, em 2019, o maior número já registrado na série histórica.

O setor de vendas diretas movimentou cerca de R$ 45 bilhões no Brasil em 2018, com aproximadamente 4 milhões de empreendedores independentes. “Somos parte de um mercado que traz inúmeras oportunidades de negócio a brasileiros de todos os estados, idades e classes sociais”, concluiu Colloca.

Veja a pesquisa completa do Sebrae aqui.

2020-03-25T12:01:00-03:00março 25th, 2020|Categories: ABEVD News|

Atuação transparente nas vendas diretas pode garantir fidelização dos clientes

O mundo das vendas diretas já enfrentou cenários bastante desafiadores, como a crise mundial de 2008, mas muitos empreendedores conseguiram se destacar no mercado e o motivo é simples: fidelização. Quando a economia não vai bem, o consumidor tende a ser mais conservador, procurando sempre as empresas que são referência em atributos como atendimento, qualidade e entrega. Por isso, mais do que nunca, é preciso desenvolver engajamento.

Nesta batalha, o atendimento é o principal diferencial de um negócio, superando até mesmo o preço e a qualidade do produto. Isso é o que aponta uma pesquisa realizada pela Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios (2016). Perguntados sobre o principal atrativo de um negócio, aproximadamente 60% dos entrevistados escolheram o item atendimento sobre todos outros. E qualidade no atendimento, também significa transparência nas vendas, afinal, dificilmente um cliente insatisfeito com o desempenho do produto irá voltar a compra-lo, seja em tempos de crise ou não.

Por isso, os empreendedores independentes que atuam com vendas diretas devem atuar com transparência, sempre seguindo o código de ética da entidade. Isso pode ser garantia de uma carteira de clientes fidelizada e a garantia de sucesso no enfrentamento do momento de crise.

Veja como atuar de acordo com o código de ética:

Explicação e demonstração
O empreendedor independente deve oferecer ao consumidor explicação e demonstração precisas e completas dos produtos, de seus preços e eventuais condições de crédito, dos prazos de pagamento, do direito de reembolso ou devolução de produtos ou serviços, das condições de garantia, do serviço de pós-venda e do prazo de entrega. O empreendedor independente deve fornecer respostas precisas e claras para as perguntas do consumidor.

Material informativo
O material informativo, incluindo-se os anúncios e as peças de mala-direta, não deve conter descrições, informações, fotos ou ilustrações do produto que sejam enganosas, ilegais, irreais, ou que induzam a erro. O material informativo deve conter o nome e o endereço ou o número de telefone da empresa associada, podendo incluir o número de telefone do empreendedor independente.

Depoimentos
A empresa associada e o empreendedor independente não devem se valer de depoimento, testemunho ou declaração de apoio à venda do produto que não seja autorizado ou que seja falso, enganoso, não real, obsoleto ou inaplicável, ou ainda, que não esteja relacionado com a oferta ou seja utilizado de modo a induzir o consumidor a erro.

Comparação e denegrimento
A empresa associada e o empreendedor independente não devem fazer uso de comparações que sejam enganosas, falsas ou irreais. Os pontos de comparação devem ser baseados em fatos que possam ser comprovados.

Respeito à privacidade
O empreendedor independente deve fazer contato pessoal ou por telefone com o consumidor de modo adequado e em horários razoáveis, de forma a evitar incômodo ao consumidor. O empreendedor independente deve interromper uma demonstração ou apresentação de venda imediatamente após solicitação do consumidor.

Respeito ao consumidor
O empreendedor independente deve respeitar a falta de experiência comercial do consumidor. O empreendedor independente não deve abusar da confiança do consumidor e nem se aproveitar de sua idade ou de doença, bem como da falta de entendimento ou de familiaridade com o idioma.

Atue com transparência e tenha sucesso!

Equipe ABEVD

2020-03-25T10:46:36-03:00março 25th, 2020|Categories: ABEVD News, Corona, Notícias|

Coronavírus na Venda Direta: saiba como se proteger

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia global em razão da rápida propagação do coronavírus pelo mundo.  A base da venda direta é o relacionamento entre as pessoas e já foram identificados alguns casos, ou suspeitas, no setor. Por isso, nesse momento, as empresas têm um importante papel e podem adotar medidas preventivas, seja para ajudar no combate à transmissão do vírus, seja para compartilhar informações de credibilidade.

A ABEVD preparou algumas recomendações de medidas de combate ao Covid-19 para empresas de vendas diretas e sua força de vendas:

  1. Redução de impactos nas atividades:
    • Eventos

Para evitar aglomeração de pessoas, importante avaliar a suspensão ou cancelamento dos eventos até que a situação se normalize.

    • Reuniões por videoconferência

Sempre que possível, realizar reuniões por meio de vídeo conferência.

    • Viagens corporativas

O ar condicionado utilizado nas viagens aéreas é muito seco e favorece a propagação do vírus. Então, assim como os eventos, é importante avaliar a necessidade das viagens.

1.4 Retorno de viagens ao exterior

Pessoas que estiveram recentemente nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Ásia e Europa não devem retornar imediatamente ao ambiente de trabalho. A orientação é que elas permaneçam em home-office por 14 dias, no mínimo.

1.5 Pessoas vulneráveis

Indivíduos que sofrem de alguma doença cardiovascular ou respiratória crônica, fumam há mais de 10 anos ou já completaram 60 anos são os mais vulneráveis e devem redobrar os cuidados.

A Associação reforça a importância das empresas no trabalho de orientação da sua força de vendas no sentido de avaliar a possibilidade do cancelamento de atividades, como viagens ou eventos. Além disso, a ABEVD indica que as empresas estimulem a comunicação e impulsionem as vendas por meio da tecnologia.

  1. Orientação ao funcionário e empreendedor independente

Em casos de sintomas semelhantes aos da gripe comum (principalmente febre, mal-estar e tosse), histórico de viagem ou contato com algum caso suspeito ou confirmado, o funcionário ou empreendedor deve ser orientado a procurar os serviços de saúde, evitar qualquer contato pessoal e não deve comparecer ao local de trabalho.

  1. Prevenção ao funcionário e empreendedor independente

As medidas mais importantes para conter o coronavírus são os cuidados ao tossir e espirrar, cobrindo a boca e o nariz, e a higienização frequente das mãos. O uso de álcool gel também deve ser incentivado.

O vírus pode sobreviver até 9 dias fora do organismo, então é importante que as empresas limpem diariamente a superfícies de trabalho.

A ABEVD aconselha repassar aos seus funcionários e empreendedores independentes dicas de como se prevenir:

  • Lave bem as mãos até a metade do pulso, sem esquecer das partes internas das unhas;
  • Use álcool 70% nas mãos constantemente;
  • Quando for tossir ou espirrar, use a parte interna do cotovelo para cobrir a boca e o nariz;
  • Evite multidões, aglomerações de pessoas e ambientes fechados ou com pouca ventilação;
  • O uso das máscaras deve ser adotado somente por pessoas que apresentarem os sintomas causados pelo vírus;
  • Evite tocar o rosto, principalmente nariz, olhos e bocas;
  • Mantenha distância de, no mínimo, 1 metro de pessoas que estejam espirrando ou tossindo;
  • Limpe com álcool objetos que são tocados constantemente, como smartphones, maçanetas, computadores e etc;
  • Evite cumprimentos como aperto de mãos, beijos e abraços;
  • Evite sair de casa se estiver apresentando sintomas;
  • Utilize apenas lenços descartáveis para higienizar o nariz;
  • Procure fontes seguras de informações e evite as “fakes news”;
  • Reforce sua imunidade (alimentação balanceada, ingestão de água e vitaminas, e atualização da vacina de gripe).

Clique e acesse o folder de informações.

2020-03-24T19:03:16-03:00março 14th, 2020|Categories: ABEVD News, Corona|

Coronavírus na venda direta: saiba como se proteger

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia global em razão da rápida propagação do coronavírus pelo mundo.  A base da venda direta é o relacionamento entre as pessoas e já foram identificados alguns casos, ou suspeitas, no setor. Por isso, nesse momento, as empresas têm um importante papel e podem adotar medidas preventivas, seja para ajudar no combate à transmissão do vírus, seja para compartilhar informações de credibilidade.

A ABEVD preparou algumas recomendações de medidas de combate ao Covid-19 para empresas de vendas diretas e sua força de vendas:

  1. Redução de impactos nas atividades:
    • Eventos

Para evitar aglomeração de pessoas, importante avaliar a suspensão ou cancelamento dos eventos até que a situação se normalize.

    • Reuniões por videoconferência

Sempre que possível, realizar reuniões por meio de vídeo conferência.

    • Viagens corporativas

O ar condicionado utilizado nas viagens aéreas é muito seco e favorece a propagação do vírus. Então, assim como os eventos, é importante avaliar a necessidade das viagens.

1.4 Retorno de viagens ao exterior

Pessoas que estiveram recentemente nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Ásia e Europa não devem retornar imediatamente ao ambiente de trabalho. A orientação é que elas permaneçam em home-office por 14 dias, no mínimo.

1.5 Pessoas vulneráveis

Indivíduos que sofrem de alguma doença cardiovascular ou respiratória crônica, fumam há mais de 10 anos ou já completaram 60 anos são os mais vulneráveis e devem redobrar os cuidados.

A Associação reforça a importância das empresas no trabalho de orientação da sua força de vendas no sentido de avaliar a possibilidade do cancelamento de atividades, como viagens ou eventos. Além disso, a ABEVD indica que as empresas estimulem a comunicação e impulsionem as vendas por meio da tecnologia.

  1. Orientação ao funcionário e empreendedor independente

Em casos de sintomas semelhantes aos da gripe comum (principalmente febre, mal-estar e tosse), histórico de viagem ou contato com algum caso suspeito ou confirmado, o funcionário ou empreendedor deve ser orientado a procurar os serviços de saúde, evitar qualquer contato pessoal e não deve comparecer ao local de trabalho.

  1. Prevenção ao funcionário e empreendedor independente

As medidas mais importantes para conter o coronavírus são os cuidados ao tossir e espirrar, cobrindo a boca e o nariz, e a higienização frequente das mãos. O uso de álcool gel também deve ser incentivado.

O vírus pode sobreviver até 9 dias fora do organismo, então é importante que as empresas limpem diariamente a superfícies de trabalho.

A ABEVD aconselha repassar aos seus funcionários e empreendedores independentes dicas de como se prevenir:

  • Lave bem as mãos até a metade do pulso, sem esquecer das partes internas das unhas;
  • Use álcool 70% nas mãos constantemente;
  • Quando for tossir ou espirrar, use a parte interna do cotovelo para cobrir a boca e o nariz;
  • Evite multidões, aglomerações de pessoas e ambientes fechados ou com pouca ventilação;
  • O uso das máscaras deve ser adotado somente por pessoas que apresentarem os sintomas causados pelo vírus;
  • Evite tocar o rosto, principalmente nariz, olhos e bocas;
  • Mantenha distância de, no mínimo, 1 metro de pessoas que estejam espirrando ou tossindo;
  • Limpe com álcool objetos que são tocados constantemente, como smartphones, maçanetas, computadores e etc;
  • Evite cumprimentos como aperto de mãos, beijos e abraços;
  • Evite sair de casa se estiver apresentando sintomas;
  • Utilize apenas lenços descartáveis para higienizar o nariz;
  • Procure fontes seguras de informações e evite as “fakes news”;
  • Reforce sua imunidade (alimentação balanceada, ingestão de água e vitaminas, e atualização da vacina de gripe).

Clique e acesse o folder de informações.

2020-03-13T13:24:00-03:00março 13th, 2020|Categories: ABEVD, ABEVD News, Corona, Notícias|

Por que o Código de Ética da ABEVD é importante?

Associação adota normas rígidas para que empresas e empreendedores independentes tenham uma relação de segurança e respeito; entidade está em campanha contra pirâmides financeiras

A Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas – ABEVD é a entidade responsável por promover e desenvolver o mercado de vendas diretas no País, faz parte da World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), organização que congrega as associações internacionais de vendas diretas existentes no mundo, e possui um Código de Ética próprio, ao qual todas as empresas associadas devem obedecer.

O Código de Ética da ABEVD estabelece condutas para proteger o empreendedor e promover a concorrência legal entre as companhias. Algumas das normas que devem ser seguidas pelas empresas e empreendedores são:

  • Não recrutar pessoas de maneira ilegal ou enganosa
  • Os ganhos do empreendedor independente devem vir da venda de produtos, não do mero recrutamento de terceiros
  • Os dados referentes ao valor dos ganhos e volume de vendas não devem ser distorcidos
  • A empresa não deve incentivar o empreendedor a comprar uma quantidade excessiva de produtos
  • Os empreendedores independentes e empresas devem assumir uma postura ética, isto é, não difamar companhias e produtos concorrentes

A Associação possui o papel educador de orientar as companhias associadas para o cumprimento das normas, assim como ser um canal de denúncias de irregularidades na conduta das empresas e força de vendas. Lembrando que, todas as empresas associadas à ABEVD passam por uma análise rígida dos seus planos de negócios. (leia o Código de Ética na íntegra aqui).

Vendas Diretas no Combate às Pirâmides

Atualmente, várias pessoas estão sendo vítimas de pirâmides financeiras, ou seja, falsas empresas que prometem lucro rápido, em um curto espaço de tempo, remunerando os membros por meio do recrutamento ou utilizando produtos de fachada – conduta contrária ao Código de Ética da ABEVD. Por isso, a Associação iniciou a campanha “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides”, para alertar potenciais empreendedores sobre os perigos desses esquemas fraudulentos e propagar boas práticas para o setor.

A Campanha foi iniciada em janeiro e terá a duração de 4 meses, com materiais publicados toda quarta-feira. Acompanhe essa ação e fique bem informado!

Fonte: Assessoria ABEVD

2020-03-04T17:40:40-03:00março 4th, 2020|Categories: ABEVD News|

Gerente de Marketing da Forever Living comenta 1º Prêmio ABEVD de Jornalismo

Para Bernardo Dutra, iniciativa é extremamente importante para que a sociedade conheça os benefícios imediatos do setor e seu impacto na economia.

1° Prêmio ABEVD de Jornalismo em Vendas Diretas, uma iniciativa da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), visa prestigiar o trabalho dos profissionais de imprensa que se dedicam à cobertura do setor. As inscrições, que se iniciaram no dia 2 de dezembro, seguirão abertas até 27 de março no link.

 Podem ser inscritos trabalhos jornalísticos publicados no período de 31 de janeiro de 2019 a 29 de fevereiro de 2020 em veículos sediados em todo Brasil. Serão aceitas reportagens feitas para rádio, impresso, televisão, internet e multimídia. O vencedor, que receberá o prêmio de R$ 5 mil reais, será anunciado no 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, o maior evento do setor no País, que acontecerá no dia 28 de abril de 2020, em São Paulo.

Desafios

De acordo com Bernardo Dutra, gerente de Marketing da Forever Living Products Brasil, empresa líder mundial no cultivo de produtos à base de aloe vera, atuante no Brasil desde 1996, um dos grandes desafios para os jornalistas na cobertura do setor é compreender as particularidades da venda direta, diferenciando-a de atividades comerciais tradicionais, assim como “perceber os benefícios diretos e imediatos que a área pode proporcionar para indivíduos e suas famílias”.

Na visão de Dutra, os assuntos mais importantes que precisariam constar nas reportagens inscritas são a desmistificação do modelo comercial e divulgação clara de resultados.

De acordo com a ABEVD, hoje o setor movimenta cerca de R$ 45 bilhões por ano, com aproximadamente 4 milhões de empreendedores independentes – profissionais que trabalham revendendo produtos de marcas consolidadas, também chamados de “revendedores” e “consultores” – em todo o Brasil.

Fonte: Assessoria ABEVD

2020-03-03T15:50:06-03:00março 3rd, 2020|Categories: ABEVD News|

GETNET: PAGAMENTOS POR APROXIMAÇÃO SÃO A NOVA APOSTA DO MERCADO

Pagamentos de compras por QR Code e NFC estão ganhando cada vez mais usuários brasileiros, tanto em lojas físicas como online, indica estudo da Capterra. A pesquisa indica que quase 60% dos consumidores entrevistados já pagaram compras aproximando o celular da maquininha. Outros 57% já efetuaram pagamentos com QR Code; enquanto 46% afirmaram já ter usado os dois meios.

“Pagamentos por aproximação são a nova aposta do mercado de tecnologia e adquirência”, diz Rodrigo Serto superintendente de Canal Externo da Getnet. Entre os entrevistados que usaram o pagamento por aproximação, 83% apontaram a rapidez como principal motivo e 76% a facilidade. No entanto, a pesquisa revela que meios de pagamento tradicionais, como cartões de débito e crédito ainda é alta.

O Capterra também pesquisou os hábitos dos brasileiros com novas formas de pagamento online. O meio preferido pelos consumidores para comprar bens físicos (comida, eletrônicos ou roupas) na internet é o cartão de crédito, feito por 90% dos entrevistados, seguido por boleto bancário, preferido por 58%. A carteira digital é a terceira opção de pagamento, com 47%, seguida da transferência bancária com 27%. Na última opção está o QR Code, que é a opção de 25% dos participantes da pesquisa.

A Capterra fez um levantamento online, com 514 consumidores de todo o país entre 7 e 10 de janeiro. Foram entrevistadas pessoas com idades entre 20 e 69 anos. Os resultados representam os dados da pesquisa, mas não da população brasileira como um todo.

Fonte: Tecmundo 31/01/2020

2020-02-27T11:50:03-03:00fevereiro 17th, 2020|Categories: ABEVD News|

AÇÕES DA ABEVD NA PROTEÇÃO DO MODELO DE VENDAS DIRETAS

Os últimos meses deixaram claro a importância da organização do setor para conseguir realizar intervenções rápidas, quando necessário. Foi o que ocorreu, por exemplo, quando o Estado do Mato Grosso revogou o regime tributário simplificado e imputou, inicialmente, uma MVA[1] de 83,01% para as operações nesse estado.

Como a ABEVD monitora as alterações legislativas, logo esse aumento foi identificado e a associação atuou, perante o Estado, para demonstrar a dissonância desse percentual. No final, após apresentação de vasta argumentação e documentação, a MVA foi reduzida para 59,64% nas operações com cosméticos e artigos de perfumaria e 47,17% para os outros produtos.

Logo depois foi a vez do Estado da Paraíba, que aumentou de 60% para 100% a MVA sobre as operações de vendas diretas. A ABEVD continua em discussão com as autoridades fazendárias desse estado para comprovar que se trata de uma tributação excessiva.

Diante dessa aparente onda de aumento de carga tributária, a ABEVD, nesse ano, organiza-se para uma rodada de visitas em diversos estados, visando demonstrar a tributação adequada sobre as operações de vendas diretas, assim como a relevância da atividade em cada território. Para isso, a associação analisou a legislação das 27 unidades federativas dos últimos 10 anos! A entidade também está coletando, junto as associadas, dados que denotam o impacto social positivo das vendas diretas na sociedade. Com isso, a ABEVD tem convicção que reduzirá o risco de enfrentar tributação excessiva.

Em São Paulo, um dos principais mercados, a associação está conversando com o time da Secretaria da Fazenda para demonstrar a adequação das MVAs calculadas em 2017 e a desnecessidade de revisão em 2020.

São ações importantes e que a associação está atenta, não só em razão da má experiência do final do ano passado quando a entidade foi surpreendida pelo aumento de MVAs em alguns Estados, mas, também, porque o País está em uma fase de retomada da economia. Por isso a importância de evitar uma carga tributária (já bem alta!) maior.

O que é MVA?

[1] As vendas diretas estão sujeitas ao recolhimento de ICMS por substituição tributária em nome de seus milhões de empreendedores independentes. Ou seja, quando as empresas comercializam seus produtos, além do ICMS incidente sobre sua própria operação, também recolhem imposto, por substituição tributária, sobre a operação de revenda do empreendedor para o consumidor final. A base de cálculo do ICMS/Substituição Tributária é composta por um percentual denominado Margem de Valor Agregado (“MVA”) sobre o valor de venda e a alíquota do imposto.

2020-02-27T11:48:30-03:00fevereiro 17th, 2020|Categories: ABEVD News|

PALAVRA DA PRESIDENTE: AS NOVIDADES DA ASSOCIAÇÃO!

Em janeiro, a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) deu seguimento a uma série de projetos que visam promover a imagem positiva do setor perante a imprensa, representantes do poder público e potenciais empreendedores independentes.

Alinhada aos pilares de atuação da entidade, iniciamos a campanha “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides” nas redes sociais. A ação, que foi amplamente repercutida pela mídia especializada, levou informações sobre como se proteger de golpes financeiros e diferenciar marketing multinível de esquemas de pirâmides para centenas de empreendedores e novos entrantes nas vendas diretas. Caso não tenham tido acesso às peças, vídeos e informações, acompanhem nossas mídias sociais. A participação do público foi expressiva na campanha e, caso se sintam à vontade, não deixem de replicar as informações para a força de vendas.

Estamos trabalhando intensamente nos preparativos para o 3º Congresso Nacional de Vendas Diretas, que acontece no dia 28 de abril. Apresentaremos temas importantes para o setor e atrações para executivos e profissionais da força de vendas. Mais uma vez, teremos a visitação à área da Expo totalmente gratuita e aberta para todos os interessados.  Esse é o maior evento da venda direta na América Latina e queremos que ele seja representativo e mostre a grandeza e importância de nosso setor.

Como participantes, teremos além de executivos das vendas diretas, membros da imprensa, governo e interessados em se tornar representantes e conhecer melhor sobre as oportunidades do setor.

E para destacar e reconhecer as boas práticas do setor, a Associação está promovendo o 1º Prêmio ABEVD voltado para as empresas associadas. Para participar, basta descrever um case de sucesso em uma, ou todas, das três categorias: InovaçãoTreinamento e Capacitação e Incentivo e Reconhecimento.

Contamos com a participação de todas as empresas associadas nessa importante ação que leva visibilidade às iniciativas desenvolvidas nas companhias de vendas diretas e ressalta o cunho social do setor.

Firme na representação do setor em questões jurídicas, a Associação continua presente nas principais discussões que envolvem tributação e demais ações que possam impactar as operações em vendas diretas. Nessa área, demos início às conversas e estudos sobre a regulamentação da atividade, sempre visando a segurança jurídica e produtividade de nosso setor.

Das novidades desse mês, nossa área de parceiros ganha mais um destaque. Estamos constantemente buscando empresas fornecedoras que queiram estar em contato com o setor, seja participando de eventos, cursos, escrevendo artigos ou encontrando os executivos associados para realização de negócios. Recebemos parceiros importantes, dentre eles a Serasa Experian, gigante de serviços de informação.

Essa parceria trará bons frutos e fará com que tenhamos acesso aos serviços que a Serasa pode oferecer para a venda direta.

Um abraço a todos,

Adriana Colloca.

2020-02-27T11:47:19-03:00fevereiro 14th, 2020|Categories: ABEVD News|

“MARKETING MULTINÍVEL” E CRIPTOMOEDAS: QUANDO DESCONFIAR?

ABEVD dá dicas para não cair em golpes 

[Baixe aqui o seu folder gratuito sobre como identificar pirâmides financeiras]

Muitas empresas de investimento em criptomoedas acusadas de serem pirâmides financeiras dizem trabalhar com marketing multinível por recompensar o investidor pela indicação de terceiros. Entretanto, no Marketing Multinível legítimo, o empreendedor ganha de duas formas:

  • Com a venda de produtos feita pelo próprio empreendedor
  • Com a venda de produtos feita por pessoas que fazem parte da equipe/rede desse empreendedor

O foco, em sistema de Marketing Multinível legítimo, é sempre o produto a ser vendido, não o recrutamento.

Como identificar uma Pirâmide de Criptomoeda?

Para saber se você está lidando com uma pirâmide de criptomoeda ou uma empresa legítima, é necessário observar:

  • Se a empresa faz promessas de lucro rápido e garantido: as criptomoedas são voláteis, e podem supervalorizar ou desvalorizar. Portanto, se a companhia afirma que você terá uma porcentagem de lucro fixa por mês, semana ou por dia, sem nenhum risco, fique atento.

Sobre a Campanha

A iniciativa “Vendas Diretas no Combate às Pirâmides”, promovida pela ABEVD, tem o objetivo de alertar a sociedade sobre os riscos dos esquemas ponzi, ensinar as diferenças entre marketing multinível e pirâmides financeiras e proteger a reputação do setor de vendas diretas.

Durante 4 meses a Associação disponibilizará nas redes sociais vários materiais educativos sobre o assunto. Esse mês, os temas serão relacionados às recentes pirâmides de criptomoedas. Fique ligado!

2020-02-27T11:45:24-03:00fevereiro 12th, 2020|Categories: ABEVD News|