Com 25 anos, Carolina Saraiva fundou juntamente a dois sócios a empresa Akmos. Ela conta sua trajetória e como está sendo o período de pandemia

A mineira nascida e criada em Belo Horizonte, de 37 anos, Carolina Saraiva, se formou em turismo e apenas na sua pós-graduação em marketing que conheceu e se apaixonou pelo marketing multinível, modelo da empresa na qual é CEO e sócia-fundadora, a Akmos. Carol – como é mais conhecida – junto a Moacir Diniz e William Miranda, seus sócios, participou, aos 25 anos, da fundação dessa empresa 100% brasileira.

Casada, mãe e uma mulher de negócios, Carol acredita que o primeiro passo para ser empreendedor independente de qualquer empresa é consumir os produtos e acreditar neles, no caso da Akmos, cosméticos, perfumaria, alimentos, vestuário tecnológico e equipamentos terapêuticos e afirma “a Venda Direta não é para amadores”, ao falar sobre empresas que acrescentaram esse canal em suas vendas nos últimos tempos.

Falando sobre os desafios de começar nova um negócio próprio, da administração da empresa na pandemia e muito mais, Carol concedeu uma entrevista para a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD):

ABEVD – Como era o mercado de venda direta quando iniciou neste segmento?

Carol Saraiva – Trabalhávamos com uma empresa de serviços e buscávamos algo que pudesse, primeiro, ter produtos, e no segundo momento, um produto que fizesse parte do dia a dia das pessoas. Então, há 12 anos não tínhamos claro o que queríamos e ao longo dos anos que foi nascendo dentro da gente o nosso propósito, que é transformar a vida das pessoas, levando qualidade de vida, saúde e bem-estar.

ABEVD – O que mais te atrai no mercado de venda direta?

Carol Saraiva – Conseguir alcançar pessoas, independentemente de sua origem, currículo e grau de escolaridade, não importa experiências passadas. Seja uma pessoa de 18 anos ou de 70, que tem vontade de empreender através da Venda Direta, nós conseguimos alcançá-la. Não estamos preocupados de onde você veio e sim aonde quer chegar.

ABEVD – Qual seu conselho para as pessoas que estão pensando em ingressar no
segmento de Vendas Diretas como empreendedor independente?

Carol Saraiva – O modelo de negócio é excelente para quem busca empreender, e o que vou falar serve para todas as pessoas que querem entrar na Venda Direta: primeira coisa, consuma os produtos ou serviços. O que atrai muitas pessoas é o baixo investimento, e se tratando da Akmos, é um investimento muito baixo para adquirir os produtos e ter acesso a toda estrutura que a companhia oferece para você desenvolver o seu trabalho. Você se torna um empreendedor com várias ferramentas e todos os indicadores, um escritório virtual, a parte de logística, toda parte de gestão. Mas o principal conselho é: buscar uma empresa que tenha a ver com o que você busca, pois não adianta estar desalinhado com o seu propósito de vida ou de valores.

ABEVD – Qual a importância dos empreendedores independentes para a Akmos?

Carol Saraiva – A Akmos não existe sem os empreendedores, essa é a grande verdade. Temos excelentes produtos que transformam a vida das pessoas, além de um plano de marketing extremamente meritocrático, mas sem as pessoas para consumirem, para falarem dos produtos, para levarem oportunidade para outras pessoas, o nosso tripé – pessoas, produtos e um plano de negócio meritocrático  –  não funcionaria e a Akmos não existiria. Fazemos a parte institucional, mas são eles que levam para o mercado, refletindo o que é a nossa essência, nosso propósito e valor, então, são os defensores, os embaixadores da marca. Eles construíram a empresa junto com a gente e constroem até hoje.

ABEVD – O que a Akmos faz para educar e capacitar seus empreendedores?

Carol Saraiva – A Venda Direta não é fácil, mesmo para pessoas com experiências em vendas. Na Akmos temos a Universidade Akmos, contamos com mais de 30 mil pessoas que fizeram os cursos, algumas vão para outras áreas outras permanecem empreendedoras. Os conteúdos abordam a parte comportamental, relacional, técnica, seja de produtos e negócios, os passos para iniciantes, como avançar no plano de carreira, a parte do patrocínio responsável, ou seja, é uma Universidade completa que o empreendedor tem acesso. Se ele ficar atento, buscar conhecer sobre a empresa e produtos, buscar também melhorar o relacionamento com as pessoas, a parte de vendas, ele vai encontrar na Akmos.

ABEVD – A venda direta digital foi essencial na pandemia?

Carol Saraiva – Sem dúvida. A gente teve que reinventar, desde um novo site, um novo escritório virtual, ferramentas que auxiliaram nas vendas. As pessoas não podiam sair de casa, principalmente ano passado, então, fomos para o digital. Com conteúdo sobre a Akmos, com produtos, fizemos diversas lives transmitidas pelo nosso canal no YouTube, a TV Akmos. Foi um trabalho da Akmos para a nossa rede, mas os nossos empreendedores, para seus consumidores, também tiveram de mudar o jeito de se relacionar. Então, cada um fez como pode ferramentas, WhatsApp, Zoom, etc. Foi um processo, de certa forma forçado, mas necessário e muito importante.

ABEVD –  Em sua avaliação, qual a principal mudança provocada pela pandemia que vai se estender após ela?

Carol Saraiva – O que vai ficar é essa possibilidade do trabalho híbrido, as formas que a gente tem de se relacionar. Na Venda Direta, a gente já vinha falando que da “mudança do porta a porta para o clique a clique”. Então, através do Zoom, das lives, a gente conseguir pensar numa forma de proporcionar experiências. Ano passado faríamos um cruzeiro para lançar produtos e, mesmo de forma digital, conseguimos proporcionar essa experiência para rede.

ABEVD –  Acredita que o pós-pandemia será benéfico para as vendas diretas?

Carol Saraiva – Com toda certeza. No meu entendimento, a gente teve um ganho de eficiência na parte de treinamentos, ou seja, tem uma possibilidade de não ter que se deslocar, o alcance será muito maior.

ABEVD –  Como vê o desempenho da Akmos durante o período da pandemia e quais
os planos para o período pós-pandemia?

Carol Saraiva – A pandemia fez com que a Akmos tivesse um olhar para dentro, e exigiu uma velocidade para se adaptar às mudanças. Desde o digital até fretes grátis, várias ações foram feitas ao longo desses dois anos. A gente teve um crescimento no último semestre do ano passado na casa de 80%, preparamos para 2021 a retomada do presencial, eventos, viagens, premiações, mas não aconteceu, retomaremos isso agora em dezembro com a nossa primeira viagem pós-pandemia, que é o  cruzeiro. Para o ano que vem já estamos com o calendário pronto para grandes eventos, reconhecimentos, lançamentos de produtos. Sempre seguindo nosso tripé: pessoas, produtos e um plano de negócio meritocrático.

ABEVD – A economia brasileira caiu com a pandemia, mas o setor cresceu. Você acredita que adicionar a Venda Direta nos canais de vendas é um caminho para as empresas se manterem no mercado?

Carol Saraiva –  Já vimos exemplos de grandes empresas que tentaram o caminho da Venda Direta e não conseguiram. Eu acredito que a Venda Direta é um caminho sem volta, e muitas empresas estão buscando isso. Como eu falei, é um modelo meritocrático, com a possibilidade de ganhos ilimitados, com alta capilaridade, mas não é para amadores. É importante ter um planejamento, saber dos desafios e as particularidades do setor. Na minha opinião, ampliar os canais é um bom caminho, e a Venda Direta é o meu canal preferido, o multinível é algo que eu acredito muito, pois temos poder de multiplicação e um alcance de pessoas muito grande.

ABEVD – Quais foram os principais desafios de sua carreira?

Carol Saraiva – Foram muitos, mas o principal foi a falta de experiência no início da empresa, pois eu havia trabalhado como líder de equipe de vendas, então, foi tudo diferente na Akmos. Falando dos últimos anos como CEO, o desafio maior é o do crescimento da profissionalização. Profissionalizar uma gestão não é algo simples, e gerenciar uma equipe também não. Isso tudo com foco no crescimento, ou seja, na pandemia a gente teve isso claro, a gente precisou melhorar a eficiência interna para que a gente pudesse suportar as ações para rede. Então, crescer dói, profissionalizar a gestão dói, mas depois que implementado é algo bom, só traz bons frutos e bons resultados.

ABEVD – Qual a principlar contribuição que você espera deixar como CEO da Akmos?

Carol Saraiva – Um legado de transformação na vida de milhares de pessoas, principalmente, no quesito de transformações pessoais. Temos conhecimento de depoimentos de pessoas que resgataram a autoestima com nossos produtos, que são voltados para qualidade de vida, saúde e bem-estar. O aspecto financeiro é importante sim, poder comprar algo que você não tinha condição com a renda da Venda Direta tem sua importância também, mas eu acredito fortemente que a parte financeira é uma consequência de todo esse processo, de você consumir de forma inteligente, de fazer venda e depois de você formar as equipes.

ABEVD – Nos momentos livres, o que gosta de fazer?

Carol Saraiva – Hoje é ficar com a minha família, com meu marido e o Rafael, meu filho. Mas antes da pandemia, recebia bastante os amigos e a família em casa, é algo que gosto muito. Gosto de ir para o sítio também, mas o que eu mais gosto é isso: receber as pessoas que eu amo na minha casa.