Sem maquiagem Enquanto políticos e empresários divergem sobre a adoção da quarentena, o presidente da Natura, João Paulo Ferreira, diz que a recomendação é seguir as orientações da OMS. “A prioridade é nos unirmos para vencer a pandemia. Primeiro as pessoas, depois as coisas”, diz. Uma das primeiras empresas a reagir à crise do coronavírus, a Natura suspendeu a fabricação de perfume e maquiagem para focar em álcool em gel para doação e já começa a planejar as vendas do produto.

Unanimidade Segundo Ferreira, a decisão de redirecionar as fábricas para produzir apenas itens essenciais de higiene pessoal foi unânime no comitê executivo da empresa.

Espelho Natura anunciou na semana passada a parceria com empresas como São Martinho e Raízen que abrange 500 mil litros para doações. O envase é feito nas fábricas da Avon, em Interlagos, e da Natura, em Cajamar.

Produção em série A fábrica da Avon no México já está fabricando álcool em gel e a da Argentina vai retomar a produção nesta semana.

Futuro Segundo Ferreira, a companhia ainda não tem previsão de quando vai voltar às atividades normais. “Avaliamos os diferentes quadros de restrição impostos na América Latina onde há contrastes como o Peru e o México”, diz.

Lava uma mão A companhia também anunciou a doação de 2,8 milhões de sabonetes na América Latina. Para operacionalizar a iniciativa, foram feitas parcerias com órgãos públicos de saúde e entidades como Cruz Vermelha e Médicos Sem Fronteiras.

PROSA

“Ao limitar nossa capacidade produtiva aos itens essenciais, podemos manter em casa um número ainda maior de colaboradores”

João Paulo Ferreira, presidente da Natura

Fonte: Folha de SP