Clipping – Gaúcha ZH – Vendas pela internet têm aumento de 40% em comparação com março de 2019

26 de março de 2020

Devido ao isolamento social e às lojas fechadas, consumidores estão usando o e-commerce para suprir suas necessidades

Com inúmeras lojas do varejo fechadas por conta de decretos municipais e estaduais, que visam evitar o contágio do coronavírus, a alternativa encontrada pelos clientes é o mercado online. O e-commerce segue sem restrições. Por disso, houve um aumento significativo nas vendas nas lojas que disponibilizam o serviço ao consumidor.

Em comparação com a primeira quinzena de março de 2019, as vendas pela internet aumentaram 40%. A informação foi confirmada pelo secretário executivo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara-e.net), Felipe Brandão.

“Nós fazemos o monitoramento do mercado, em parceria com a Compre e Confie, diariamente. O objetivo é saber se o faturamento está aumentando ou diminuindo. Notamos que nos primeiros 15 dias de março houve uma ampliação nas compras pela internet, comparado com o mesmo período do último ano”, afirmou.

Brandão também falou sobre os produtos mais comprados pelas pessoas na internet. Durante o período de isolamento social e preocupação com a proliferação do coronavírus, as vendas de álcool gel e alimentos tiveram um aumento superior a 100%.

“Os produtos de higiene e proteção tiveram uma elevação nas vendas de 124%. E, apesar desse aumento, não houve uma falta de estoque. O que foi observado por nós é que os departamentos de vendas online têm um estoque capaz de suprir a demanda superior”, completou.

Não tem havido, também, problemas de entrega de produtos, ao menos nesse primeiro momento. Entretanto, segundo o executivo, se o período de isolamento se estender, é possível que os estoques se esvaziem a médio prazo.

“Em curto prazo, não devemos ter grandes problemas. Porém, com a continuação do isolamento social, isso deve se modificar. Como medidas preventivas, as lojas já estão ajustando as operações e reforçando a sua logística. Além de ter aumentado o controle de segurança nas entregas”, ressaltou.

Em nome da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, Felipe falou de todos os esforços que estão sendo feitos para que os empresários e os clientes não sofram com a falta de produtos até que a pandemia termine.

“Estamos em constante contato com os lojistas para encontrar alternativas e soluções para trazer conforto aos clientes e as empresas. O objetivo é manter o mercado saudável até que todos saiamos dessa situação”, finalizou.

Fonte: Gaúcha ZH