O vice-presidente de Negócios da Natura, Erasmo Toledo, foi eleito presidente do Conselho Diretor da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD). Erasmo traz sua visão estratégica de mercado para conduzir o Conselho Diretor da ABEVD. Com mais de 30 anos de experiência nos setores de cosméticos e de vendas diretas nos principais mercados da América Latina, atualmente ele é responsável pela gestão de toda a operação da Natura no País. Antes disso, liderou a operação de venda direta da Natura também no Brasil, ficando à frente de atividades como desenvolvimento, implementação e gestão das estratégias de canais e categorias. Esteve à frente das operações da Natura Hispanoamérica, incluindo mercados como Argentina, México, Colômbia, Peru, Chile e Bolívia.

 

Conheça um pouco mais da trajetória de Erasmo Toledo nesta entrevista concedida à ABEVD.

1 – Pode nos contar um pouco da sua história pessoal e vida acadêmica?

Nasci em São Paulo, sou o mais velho de três irmãos, meu pai era administrador e minha mãe, professora de inglês. Sou formado em economia na Faap, e tive a oportunidade de fazer cursos de especialização na Fundação Dom Cabral, INSEAD na França e no IAE na Argentina. Em 1990, em meu último ano de faculdade, entrei na Natura como analista financeiro da área comercial e estou aqui desde então.

2 – Como era o mercado de Venda Direta há 30 anos quando iniciou sua carreira na Natura?

É um outro mundo. Nos anos 90, éramos pequenos, estávamos começando a iniciar nosso modelo comercial para as operações internacionais. Em meados de 1990, recebi o convite para trabalhar como gerente de operações em Portugal. Algum tempo depois, atuei na estruturação inicial do nosso negócio no Chile e na Argentina. Naquele momento, ainda tínhamos que unificar os processos dos países para que tivessem a “cara da Natura”. Ainda tive a oportunidade de trabalhar, já nos anos 2000, no Peru e novamente na Argentina.

Na Argentina, nos anos 90, quando você dizia que era da Natura, eles nos perguntaram se eu trabalhava com um óleo de cozinha que leva o mesmo nome. Hoje, somos a marca mais preferida de cosmético do país e ninguém mais tem dúvidas de que não somos uma marca de óleo com o mesmo nome. Foi um desafio gigante participar desse processo de desenvolvimento de marca em outros países. todo. Levou tempo, mas encontramos a forma ideal.

 

3 – O que você mais gosta sobre trabalhar no mercado de Venda Direta?

O que mais me fascina é a possibilidade de transformar vidas. Eu sou pisciano, e naturalmente, gosto de cuidar das pessoas. É muito cativante ouvir como nossa empresa impacta positivamente a vida das pessoas da nossa rede. É uma sensação de dever cumprido, é o real valor do nosso trabalho.

4 – Qual seu conselho para as pessoas que estão pensando em ingressar no segmento de Vendas Diretas como empreendedor independente?

Meu conselho é acreditar no seu sonho, pois nem sempre é fácil e nem sempre acertamos da primeira vez. A gente errou muitas vezes, mas levantamos sempre e insistimos, pois, tínhamos certeza qual era nossa vocação, ou seja, o real sonho que estava por trás de todo o esforço.

5 – Como a pandemia alterou seu dia a dia? O home office já era uma realidade para você?

Não, eu não fazia home office nenhum. Eu sempre gostei de conviver pessoalmente com os times, mas eu me adaptei rapidamente. Acho que, mesmo quando sairmos dessa crise, devo adotar o home office em alguma medida no meu cotidiano. Antes de começarmos essa conversa, por exemplo, eu estava em uma reunião com um time e após desligarmos, eu me conectarei prontamente em outra reunião. A agilidade do digital é, realmente, muito importante.

6 – Em sua avaliação, qual a principal característica do “novo normal”? Será mais benéfico para as Vendas Diretas?

A importância da digitalização da venda direta. A Natura é um exemplo disso, pois estamos nessa jornada há alguns anos e sabemos que isso aumenta as possibilidades da rede. A consultora passa a ter mais abrangência de atender diferentes clientes e geografias. Mesmo quando voltarmos ao normal, essa facilidade da compra em casa pelo digital sairá fortalecida. Outro resultado importante dessa pandemia será aumento da solidariedade. Neste sentido, a venda direta também tem uma estratégia campeã, pois amplia essa possibilidade das pessoas se ajudarem com produtos e serviços.

7 – Nos momentos livres, o que gosta de fazer?

Gosto muito de juntar a família e cozinhar para eles, tenho até um lugarzinho especial aqui na cozinha. Além disso, gosto muito de correr. A corrida, para mim, é uma higiene mental, é a minha meditação.