No início do mês de maio Herbalife, Natura e Avon divulgaram os resultados financeiros referentes ao 1º trimestre de 2019.

A Herbalife Nutrition registrou vendas líquidas de US$ 1,2 bilhão no trimestre encerrado em 31 de março deste ano.

Houve um crescimento em quatro das seis regiões – Ásia-Pacífico, América do Norte, EMEA (Europa, Oriente Médio e África) e México e o resultado ficou praticamente estável na comparação com o primeiro trimestre do ano passado.

Com exceção da China, as vendas líquidas tiveram uma alta de 6% no comparativo com o mesmo período de 2018.

“No primeiro trimestre de 2019, o impulso de nossos negócios geograficamente diversificados continuou com o crescimento das vendas líquidas em quatro de nossas seis regiões. Estamos confiantes de que nossas estratégias impulsionarão o crescimento de volume em 2019,” disse Michael O. Johnson, presidente e CEO da Herbalife Nutrition em comunicado.

Lucro líquido da Natura & CO cresce 72,8%

O grupo Natura & CO apresentou outro sólido conjunto de resultados positivos no primeiro trimestre de 2019. Apesar das condições desafiadoras em alguns mercados-chave, principalmente no Brasil, o lucro líquido subiu 72,8%, para R$ 41,9 milhões nos 3 primeiros meses do ano demonstrando a resiliência do grupo e os benefícios de sua presença geográfica.

Duas marcas do grupo registraram crescimento de vendas: a receita líquida da Body Shop cresceu 10,2% no primeiro trimestre e a Aesop apresentou mais um trimestre de crescimento sólido de dois dígitos.

Já a Natura cresceu 10% na América Latina no primeiro trimestre de 2019. A empresa ainda registrou aumento da produtividade de suas consultoras em 1,5%. Se pensarmos que 60% delas já estão usando meios digitais para alavancar as vendas, a produtividade tende a ser ainda mais alta.

Avon Brasil mostra recuperação no 1º trimestre

A norte-americana Avon Products reportou prejuízo de US$ 32,7 milhões no período, uma alta de 61% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado.

Em nota o presidente da companhia, Jan Zijderveld afirmou que “está satisfeito com o progresso no primeiro trimestre. A empresa teve melhora na receita em dólares constantes em três dos nossos quatro segmentos geográficos”.

De acordo com o relatório da empresa, as quedas na Europa, Oriente Médio e África foram compensados por aumentos de receita na Ásia-Pacífico, América do Sul e América do Norte.

Fonte: DSN