A Natura vai passar a disponibilizar em sua rede de lojas tablets que soltam fragrâncias, a partir deste ano, como alternativa aos catálogos de papel e às amostras de aromas.

A tecnologia de aroma digital foi desenvolvida pela startup brasileira Noar, após quatro anos de pesquisas, e se adaptada às necessidades das empresas, como o tablet MultiScent 20 criado em parceria com a gigante dos cosméticos.

“Minha ideia era seguir a linha da transição digital. Os catálogos [em papel] não são mais sustentáveis. Eu queria criar um novo modelo de negócios”, disse Cláudia Galvão, CEO da Noar, à AFP.

Galvão, uma engenheira civil, já atua há uma década na área de inovação. Um de seus primeiros produtos, as microcápsulas de perfumes, a trouxe para o mundo das revistas e vendas de cosméticos há nove anos.

A Natura vai incorporar a tecnologia de aroma digital em sua estrutura de vendas e os tablets devem chegar às 60 lojas próprias no Brasil até o final de 2020. Em uma segunda fase, serão enviados à sua rede de 1,2 milhão de consultoras.

A empresa também desenvolveu um aplicativo para customizar a seleção de fragrâncias, explicou Roseli Mello, líder global de pesquisa e desenvolvimento da Natura & Co. “As pessoas serão guiadas por uma quantidade mais específica de fragrâncias de acordo com seus gostos”, disse Mello à AFP.

Os perfumes são inseridos no tablet por uma espécie de micro cartucho com vida útil de 100 doses. Com capacidade para até vinte fragrâncias, o dispositivo dispara os aromas por um orifício. “O diferencial é que se trata de um ar seco, é possível cheirar os perfumes um após o outro sem confundir o olfato”, diz Galvão.

– Tendências reforçadas –

Galvão e Mello concordam que embora essa ferramenta tenha sido desenvolvida em outro contexto, ela responde às tendências que se consolidaram desde o surgimento da covid-19.

“A pandemia acelerou muito o uso de ferramentas digitais e destacou o esgotamento dos recursos naturais. E esse é um mecanismo totalmente adequado, que reduz a utilização de materiais”, ressalta Mello.

A Wheaton, investidora da Noar e maior fabricante de frascos de perfume da região, viu uma oportunidade. “Empresas como a Natura falam sobre meio ambiente há mais de 30 anos e nos ensinaram a pensar sobre isso”, diz Renato Massara Jr., diretor comercial da Wheaton. O lado ambiental “também ajuda nas vendas, porque o perfume tem que contar uma história”, acrescenta.

 

A Noar planeja aproveitar essa tecnologia também em brinquedos e outros dispositivos. “O aroma digital pode estar em qualquer lugar”, diz Galvão.

 

Fundada em 1969, a Natura, uma multinacional de cosméticos, é líder no setor de venda direta no Brasil. Pertence ao conglomerado Natura & Co, que também inclui as marcas The Body Shop, Aesop e Avon, sua última aquisição.

Fonte: Estado de Minas