A pandemia do coronavírus ainda está longe do fim, mas um consenso é certo: ela mudou os hábitos das pessoas, as rotinas de trabalho e o consumo. Para comprovar essa afirmação com dados e fornecer elementos que permitam um estudo mais profundo sobre o futuro, a Kantar Brasil Insights, empresa que publica pesquisas, dados, informações e insights das empresas do grupo no Brasil divulgou o estudo “Consumer Insights 2020 – Você está preparado para um novo consumidor?”.

O levantamento trata das consequências da pandemia no cenário do consumo brasileiro, como as empresas devem se preparar para o que virá e as transformações na jornada de compra e consumo.

Contexto Macroeconômico

A pesquisa apontou que a taxa de desemprego subiu para 12,2%, atingindo 12,9 milhões de pessoas – um aumento de 1,3 pontos percentuais em comparação ao último trimestre de 2019.

Já o Índice de Confiança do Consumidor caiu 7,6 pontos em março, atingindo 80,2 pontos – o menor valor desde janeiro de 2017. No acumulado do 1º trimestre de 2020, a perda foi de 11,4 pontos. E em abril chegou a 58,2 pontos.

Sobre o Produto Interno Bruto (PIB), O mês de março fechou com retração de -0,48%. Na projeção de maio de 2020, o número caiu para -4,11%. Também em maio foram registradas as duas maiores cotações do dólar da história, ficando próximo aos R$ 5,90 no período.

Houve, no entanto, um aumento no consumo médio através de uma maior frequência de compras e preços aumentando ainda mais. Também se registrou aumento de consumo ocorreu em todas as classes sociais, mas especialmente nas classes AB e DE.

A nova dinâmica do consumidor brasileiro

A quarentena significou mudanças drásticas nos lares brasileiros e fez com que eles apostassem em compras maiores e menos frequentes.

As marcas terão que se preparar para atender às necessidades dos consumidores que estarão com o bolso comprometido, menos ocasiões de compra e uma nova rotina. Precisarão também construir confiança em um ambiente de instabilidade por meio de estratégia otimizada de comunicação, transparência e crescimento humanizado.

A longo prazo, será necessário redefinir inovações e planos, repensar sortimento e papéis dos canais e estimular inovações que atendam as novas necessidades de um consumidor que vem se tornando cada vez mais atento à relação custo x benefício.

Veja pontos que chamaram a atenção:

1 – No Brasil, em média, o e-commerce cresceu 2,3X nas 4 semanas após o bloqueio. A facilidade de pagamento é essencial para mais de 70% dos consumidores.

2 – Com a quarentena, os lares passaram a ter 27% a mais de ocasiões de consumo

de alimentos e bebidas.

3 – Consumidores compram menos vezes, mas em maiores quantidades e os produtos de limpeza e higiene são os itens com maior aumento de consumo.

4 – Os momentos de cuidados pessoais cresceram 3,6% durante o isolamento.