Em um cenário onde 60% dos consumidores reconhece gostar de combinar a compra física à online, especialista em vendas voltadas para o varejo pontua os benefícios de uma experiência híbrida

Desde as restrições impostas pela pandemia de COVID-19, a experiência de compra vem passando por diversas mudanças e revoluções. Com a retomada das atividades presenciais, a tendência são as compras híbridas, aquelas que unem o varejo físico e o digital, e da qual 60% dos consumidores reconhecem que gostam, segundo estudo da MindTree.

Para se adequar às novas necessidades dos compradores e oferecer uma melhor experiência ao consumidor, o hibridismo dispõe de estratégias como despacho a partir da loja, que realiza entregas mais ágeis e com taxas de frete reduzidas, explorando pontos de venda; integração dos sistemas, que unifica as comunicações entre site, redes sociais e espaço físico; e maior eficiência na gestão de pedidos, utilizando sistemas inteligentes, tendo assim uma visão ampla dos produtos e reduzindo quebra de estoques.

“Quanto mais opções uma empresa puder oferecer aos consumidores, melhor, pois existem diversos fatores que podem levar ao consumo e cada um deles se adequa a um tipo de experiência, que vai desde o primeiro contato com o produto até o ato de tê-lo em mãos”, aponta Andrei Dias, Head de Vendas da Nexaas, Retail Tech especialista em inovação para o varejo.

Com possibilidade de realizar pagamentos via celular e evitar filas, ou comprar na loja e receber o produto em casa, o varejo híbrido oferece mais caminhos aos compradores, além de aumentar o potencial de conversão. Com ele, é possível elevar a previsibilidade de vendas, diminuir custos e melhorar a comunicação com os clientes. “Com canais integrados, o cliente pode usufruir das informações do produto de diversas formas, seja através de um contato físico, seja através do Instagram, TikTok ou site”, finaliza Dias.

Fonte: Focus Jor