Relatório da OCDE mostra que quedas mais profundas foram na Índia (-25,2%) e no Reino Unido (-20,4%). Brasil ficou na 8ª posição, com uma retração de 9,7%.

 

O PIB (Produto Interno Bruto) do G20 – grupo dos países mais ricos – teve um tombo recorde de 6,9% no 2º trimestre, na comparação com os 3 meses do ano, em meio aos impactos da pandemia de coronavírus, segundo relatório divulgado nesta segunda-feira (14) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

 

“As medidas de contenção da Covid-19 pesaram fortemente sobre a atividade econômica no segundo trimestre de 2020, com quedas sem precedentes no PIB na maioria dos países do G20′”, destacou a OCDE.

 

Para ilustrar a dimensão do tombo da economia em 2020, a organização lembrou que no 1º trimestre de 2009, no auge da crise financeira, a queda foi de 1,6% no G20.

 

A China foi o único país do G20 a registar crescimento (11,5%) no 2º trimestre, refletindo o início mais precoce da pandemia e também a recuperação mais rápida.

 

As retrações mais profundas ocorreram na Índia (-25,2%), Reino Unido (-20,4%), México (-17,1%) e África do Sul (-16,4%).

 

O Brasil, que registrou um tombo histórico de 9,7% e entrou em recessão, ficou na 8ª posição no G20, ao lado da Alemanha.

 

Entre os países que tiveram uma contração menos pronunciada estão Coréia e Rússia, ambas com queda de 3,2%, (menos 3,2% em ambos os países).

 

Em junho, a OCDE projetou uma recessão mundial de 6% para 2020 caso a pandemia de coronavírus permaneça sob controle e uma retração de 7,6% no ano em caso de segunda onda.

 

Fonte: G1