O CEO da Embelleze Venda Direta, Marcel Szajubok, falou para ABEVD da sua carreira, desafios e como a Embelleze entrou no setor de Venda Direta

Nascido e criado em uma família tradicional judia de São Paulo, Marcel Szajubok se encantou pela Venda Direta ainda quando criança, através de sua mãe que era uma empreendedora independente. Ele acompanhava as vendas que ela fazia e criou uma admiração mais que a gestão de negócios, e sim pela relação de amizade que ela criava com os clientes.

Ficou por quase 20 anos na Natura, onde se desenvolveu na área de Marketing Comercial e se tornou um dos executivos. Passou pelas empresas Marisa e Jeunesse, sempre no setor de Venda Direta, morando em várias cidades e países nessa trajetória. Hoje, é CEO da Embelleze Venda Direta,  e o que fez aceitar a proposta de assumir esse desafio foi o propósito da marca “paixão pela transformação de vidas”, que tem relação com os ensinamentos de sua criação e  o que acredita.

Para falar sobre sua trajetória no setor, desafios e pandemia, ele concedeu uma entrevista para a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD). Acompanhe.

ABEVD – Como era o mercado de venda direta quando iniciou neste segmento?

Marcel Szajubok – Eu costumo dizer que eu iniciei na venda direta quando eu tinha 12 anos, pois acompanhava a minha mãe que era empreendedora de produtos de beleza. Quando eu iniciei no mundo corporativo, a venda direta era 100% relacionamento, não tinha celular, não tinha tecnologia, você tinha que ir até a pessoa, fazer ligações, fazer muitas reuniões, fazer os chás da tarde, mas sem dúvida nenhuma era muito interessante. A tecnologia, que muitas vezes era questionada no setor, veio para ajudar e não para terminar com a venda direta, como muita gente questionava. E hoje a venda direta ela realmente se desenvolveu de tal forma que relacionamento com tecnologia mais produtos de qualidade faz com que esse canal permaneça forte e em alto crescimento.

ABEVD – O que mais te atrai no mercado de venda direta?

Marcel Szajubok – As relações que são geradas através dele. Voltando para os ensinamentos da minha mãe, uma das coisas que ela me falava era que devemos tratar todas as pessoas iguais independente do cargo, poder aquisitivo ou posição social. Ninguém tem sucesso sozinho e a venda direta multinível, principalmente, é exatamente isso, pessoas ajudando outras pessoas a se desenvolverem e quanto melhor for o relacionamento e a forma de cuidar do outro, maiores as chances de crescimento no negócio. Além disso, é gratificante você ver as pessoas crescendo e se desenvolvendo pessoalmente e financeiramente através da oportunidade.

ABEVD – Qual seu conselho para as pessoas que estão pensando em ingressar no segmento de Vendas Diretas como empreendedor independente?

Marcel Szajubok – Meu conselho primeiramente é conhecer a empresa que você quer fazer parte, saber sua história, quem são os fundadores, a qualidade dos produtos e se está associada a ABEVD, esses são os principais pontos a analisar para ter segurança na escolha.

Meu outro conselho é ter persistência, pois o sucesso no negócio depende da sua dedicação, os resultados não acontecem de uma hora para outra, quanto mais ele se capacita e dedica o seu tempo, mais ele vai crescer no negócio.

ABEVD – Como surgiu a ideia da Embelleze ingressar no mercado de Venda Direta? Como foi esse processo?

Marcel Szajubok – Entrar no segmento de venda direta era um desejo dos meus sócios do Sistema Embelleze. O propósito da nossa marca é a “paixão pela transformação de vidas”, seja na promoção da autoestima das mulheres com os produtos do varejo ou na formação de profissionais do mercado de beleza através dos Institutos Embelleze, que já formaram mais de 2 milhões de alunos.

Eu fui convidado para fazer parte desse projeto, pois a venda direta também é uma grande oportunidade de estender esse propósito, nosso objetivo principal foi levar essa transformação também para os nossos milhares de consultores, que estão vendo suas vidas transformadas ao se desenvolverem e conquistarem a independência financeira que tanto sonhavam.

ABEVD – Qual a importância dos empreendedores independentes para a Embelleze?

Marcel Szajubok – Muito mais do que distribuir os nossos produtos aos consumidores com a revendas, os consultores são muito importantes para a nossa empresa, porque ao escolherem fazer parte da Embelleze VD, eles falam com muito carinho do nosso propósito, compartilham esse projeto com muito amor e conquistam novos consultores. Principalmente nessa época de pandemia onde muitas pessoas perderam os seus empregos, foi através deles que conseguimos atingir tantas pessoas que precisavam de apoio. São pessoas cuidando de pessoas e transformando muitas vidas.

ABEVD – O que a Embelleze faz para educar e capacitar seus empreendedores?

Marcel Szajubok – Para desenvolver a venda direta multinível é necessário muita dedicação e capacitação. Sabendo disso, promovemos quase diariamente treinamentos de produtos e negócios para os nossos consultores. Temos desde treinamento exclusivo para novos consultores, ensinando os primeiros passos, treinamentos aprofundados de produtos para ajudar nas vendas, e para quem busca ainda mais e quer se desenvolver no negócio temos o sistema de treinamento LeaderPro Embelleze, uma plataforma de treinamentos, capacitação e marketing digital com conteúdos avançados e ferramenta de recrutamento online.

ABEVD – A venda direta digital foi essencial na pandemia?

Marcel Szajubok – Sim, quando tudo começou, nossas estratégias já focavam no digital, antes mesmo da pandemia, como a loja online dos consultores, que permite vendas de produtos sem sair de casa e com garantia das comissões. As lives que muitas empresas tiveram que se adaptar, também já faziam parte da nossa estratégia de comunicação, já fazíamos nossas lives semanalmente desde o nascimento em 2019. E os eventos, que seriam presenciais, nos adaptamos para os eventos online. Nosso primeiro aniversário foi celebrado em um evento online 100% seguro, contamos com tecnologia avançada, incluindo um cenário todo virtual, lançamento de produtos em realidade aumentada e reconhecimento de Consultores com entrega de pin virtual. Além disso, foi transmitido em multiplataformas nas redes sociais da nossa força de venda e teve mais de 5 milhões de alcance.

ABEVD – Como a pandemia alterou sua forma de trabalho?

Marcel Szajubok – Como já tínhamos nossas estratégias focadas no digital, então, muita coisa não precisou ser adaptada, mas uma das maiores preocupações era em relação às reuniões e eventos presenciais que movimentam a Venda Direta. Nesse caso, nos adaptamos com plataformas de reunião como Zoom, que já usávamos muitas vezes, mas tivemos que educar os consultores a essa realidade, e eles se adaptaram muito bem.

ABEVD – Em sua avaliação, qual a principal mudança provocada pela pandemia?

Marcel Szajubok – Acredito que mesmo retomando os eventos presenciais, as plataformas de reuniões online e as redes sociais vão continuar presentes no dia a dia dos consultores. Aqueles que não estavam acostumados a usar as redes sociais para promoção do seu negócio perceberam que é uma forma de conquistar novos clientes e Consultores que estão mais distantes ou que estão com a agenda lotada.

Mas a principal mudança foi que a sociedade percebeu que todo mundo é igual independente de raça ou status social, e que devemos aproveitar a família e os amigos ao máximo.

ABEVD – Acredita que o pós-pandemia será benéfico para as vendas diretas?

Marcel Szajubok – Acredito sim, leva um tempo para a retomada da economia, e a Venda Direta sempre foi uma alternativa a crise e ao desemprego, visto que são 15 milhões de desempregados no Brasil. E mesmo na retomada, é uma forma de garantir uma renda extra, principalmente agora com os preços super inflacionados. Além da renda extra, o consumo de itens básicos de higiene nunca sairá da cesta do consumidor, então, a venda direta sempre vai ser uma oportunidade de negócios para quem quer empreender.

ABEVD – Quais foram os principais desafios de sua carreira?

Marcel Szajubok – Um dos principais desafios foi que muito jovem, com cerca de 23 anos, eu deixei de morar com a minha família e fui para o nordeste do Brasil. Diante dessa mudança, eu tive que crescer como pessoa e como profissional, eu deixei de morar com os meus pais, onde eu tinha tudo, e fui morar sozinho, enfrentando a saudade e com vários desafios para serem vencidos. E como profissional, eu era um jovem de 20 e poucos anos se tornando gerente de colaboradores com 40 – 50 anos, arrimos de família, pessoas que já trabalhavam há muitos anos na empresa, além disso, tive que substituir gerentes com muita experiência. Então, esses foram os principais desafios, mas que me fortaleceram e me deram musculatura para seguir há mais de 30 anos trabalhando com venda direta.

ABEVD – Qual a principal contribuição você espera deixar como presidente da Embelleze Venda Direta?

Marcel Szajubok – A Embelleze é uma empresa de 53 anos bem consolidada e agora, através da venda direta, gostaria de devolver um pouco de tudo que a empresa conquistou e todo o reconhecimento ajudando pessoas num momento como esse de desemprego e cheio de oportunidades. E o meu legado é que essa empresa se perpetue por muitos anos e que eu possa deixá-la para os meus filhos, netos, e mais do que isso, que os nossos consultores possam deixar para os seus filhos e netos toda a estrutura que começaram a construir, a partir de agora, de rede, de pessoas que tem um sonho e um propósito em comum que a Embelleze carrega há mais de 50 anos, que é transformar vidas.

ABEVD – Como vê o desempenho da Embelleze durante o período da pandemia e quais os planos para o período pós-pandemia?

Marcel Szajubok – Por ser uma alternativa ao desemprego, a Embelleze VD teve um crescimente surpreendente em meio a crise. Nos adaptamos rapidamente para ajudar os nossos consultores e consumidores com o lançamento de produtos tão necessários nesse período, como Vivacci Sabonete Líquido antisséptico e antibacteriano para reforçar a higiene e Álcool em Gel, que na época estava em falta no país, parte da produção do álcool em gel foi destinado para doação à instituições.

Temos expectativa de crescimento nos próximos anos, e para isso, estamos buscando constantemente soluções e produtos que proporcionem benefícios reais. Seguimos inovando e trazendo novidades com muita tecnologia. Mas, mais do que isso, nosso maior objetivo é estar cada mais próximo dos nossos donsultores com a retomada dos eventos presenciais e viagens de incentivo, como o Resort que oferecemos no último mês. Além disso, inauguramos o Espaço Embelleze, a nossa nova sede no bairro do Pacaembu em São Paulo, onde oferecemos um espaço de convivência, troca de experiências, capacitação e fortalecimento do sentimento de pertencimento e família.

ABEVD – A economia brasileira caiu com a pandemia, mas a venda direta cresceu. Você acredita que adicionar a venda direta nos canais de vendas é o caminho para as empresas se manterem no mercado?

Marcel Szajubok – Há 20 anos atrás as empresas até podiam escolher como vender seu produto, atualmente, o consumidor escolhe como quer comprar. Para isso, as empresas cada vez mais se tornam multicanais, e as que não fizerem isso vão ficar para trás.

Aqui na Embelleze temos uma estratégia bem definida, portfólios de produtos diferentes por canais. E você ainda pode optar por comprar no e-commerce, no varejo ou na venda direta.

ABEVD – Nos momentos livres, o que gosta de fazer?

Marcel Szajubok – Nos meus momentos livres eu gosto muito de estar em família, são poucos os momentos que eu consigo ter essa possibilidade, então, aproveito muito para curtir os meus dois filhos e a minha esposa. E um dos hobbys que eu tenho e sou apaixonado é por futebol, principalmente assistir, levar meus filhos nos jogos e acompanhar o meu time do coração que é o Corinthians.