Redes facilitam processos de compra e venda e encurtam o espaço entre o produto e o consumidor

A internet está cada vez mais presente na rotina de compras dos brasileiros. Seja por sites especializados ou via redes sociais, é difícil encontrar uma pessoa que ainda não tenha comprado algo pelo computador. Por isso, os lojistas cada vez mais se adaptam ao novo perfil do consumidor e disponibilizam serviços diferenciados na rede. Para os vendedores com menores estruturas, a internet também ajuda diretamente a ampliar o ritmo das vendas.

Um exemplo são as lojas virtuais. A Feirinha do Desapego, em Chapecó, Santa Catarina, foi criada por Angélica e um grupo de amigas para organizar um brechó, e hoje reúne hoje quase 18 mil pessoas. “O grupo foi criado para organizar e combinar o dia que iríamos realizar o brechó. Mas várias pessoas começaram a entrar, ele foi crescendo e o pessoal começou a usá-lo para se desfazer de produtos e vender, como num brechó mesmo”, relembra Angélica. O grupo reúne pessoas de várias partes do país.  “O que você vende muitas vezes é enviado para outros lugares fora do estado e não teríamos como mandar se não tivesse um meio eletrônico para isso”, conta Angélica.

Na página, as pessoas podem vender roupas e objetos que não usam mais. Há pouco mais de dois meses, Rosana resolveu participar e já fez vários negócios. Ela aproveitou um espaço na própria casa para separar as peças que quer vender. “As pessoas vêm de vários lugares da cidade e acabamos criando um vinculo. Fazemos negócios e amigos!”, diz Rosana.