Para colaborar no combate aos focos de incêndio na floresta amazônica – mais frequentes durante o período de seca na região e agravados devido aos efeitos das mudanças climáticas -, a Natura anunciou apoio para aquisição de materiais e equipamentos de proteção individual (EPIs), além de treinamentos de brigadistas e mobilizações. A iniciativa contempla quatro territórios em risco e onde a companhia tem relacionamento com comunidades agroextrativistas para fornecimento de insumos.

Os locais foram escolhidos por serem alvos de grande incidência de focos queimadas, conforme dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). São eles: Alto Madeira, Xingu, Tapajós, Baixo Tocantins. As ações serão implementadas e articuladas por associações e instituições que atuam na Amazônia, como o Saúde e Alegria-PSA da região do Tapajós/Pará, e em parceria com entidades públicas, como o Corpo de Bombeiros e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). As doações, no valor total de R$100 mil, serão divididas igualmente entre os quatro territórios.

“Entendemos que o combate às queimadas e aos focos de incêndio deve ser liderado pelo poder público, e estar associado às comunidades, mas a iniciativa privada também pode contribuir. Afinal, a Amazônia é o bioma importantíssimo para todos”, afirma Denise Hills, diretora de sustentabilidade de Natura &Co para América Latina. “As queimadas ameaçam e reduzem a integridade da floresta Amazônica e aumentam o risco de colapso do bioma, eliminando a vida e o habitat de várias espécies, além de prejudicar a soberania e a saúde das pessoas”, explica.

Denise ainda lembra que a marca Natura mantém um compromisso histórico com a floresta. Desde o ano 2000, data do lançamento da marca Ekos, a Natura atua em um modelo que incorpora ingredientes da sociobiodiversidade brasileira na fabricação de seus produtos. O objetivo da empresa é contribuir para o desenvolvimento sustentável por meio da transformação de desafios socioambientais em oportunidades de negócios. Atualmente, a operação da Natura contribui para a conservação de dois milhões de hectares de floresta em pé. Até 2030, a expectativa é chegar a 3 milhões de hectares conservados.