Manifesto de 48 entidades solicita ao ministro da Fazenda a reintrodução do imposto de importação para combater o que percebem como concorrência desigual
Um comunicado subscrito por 48 entidades representativas dos setores varejista e industrial foi encaminhado ao Ministério da Fazenda nesta quinta-feira (1º), demandando o fim da isenção fiscal para produtos importados de até US$ 50. As informações são da Folha de S. Paulo.

As organizações argumentam que a demora do governo em analisar a reintrodução do imposto é “injustificável”. “No que tange aos claros efeitos prejudiciais dessa isenção na indústria e no varejo nacionais, resultantes da ausência de igualdade tributária, não há mais margem para avaliações”, destaca o comunicado.

O documento também solicita uma audiência com o ministro Fernando Haddad. Entre os signatários estão entidades como Ciesp, IDV (Instituto de Desenvolvimento do Varejo), ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil), Força Sindical, Sindilojas, Abcomm (comércio eletrônico), Alobrás (lojistas do Brás), Abicalçados, Abevd (empresas de vendas diretas), entre outras.

No manifesto, as organizações setoriais alegam que a carga tributária sobre as operações é consideravelmente superior aos 17% que as empresas estrangeiras passaram a pagar a partir de agosto.

Os varejistas expressam preocupação em relação ao Dia das Mães. De acordo com o setor, se a isenção não for revogada com urgência e antecedência suficiente, os pedidos à indústria para o evento serão prejudicados.

Os empresários destacam também que a “lentidão na avaliação do governo” resulta em perdas na produção e nas vendas, impactando negativamente no emprego. Diante desse cenário de indefinição, consideram mais apropriado isentar as empresas da indústria e do comércio, a fim de evitar uma “concorrência desigual”.

Fonte: Money Report.

Outra publicação:

Folha de S. Paulo.