O tiktok, empresa que tem mais de 1 bilhão de usuários, vem agitando o mundo com mais uma novidade e não são seus vídeos de dancinhas e curiosidades.

O Tiktok lançou uma nova estratégia em sua plataforma, a atuação no ramo de e-commerce a partir de 2023. A aposta do TikTok é o engajamento dos usuários brasileiros na plataforma.

O Brasil é o segundo país que mais usa a rede social de vídeos curtos, segundo dados da consultoria alemã Statista, é o segundo país mais ativo dentro da rede social.

A empresa pretende entrar na guerra do comercio eletrônico no Brasil, segundo informações divulgadas na sexta (18), a rede social de vídeos curtos, quer disputar mercado com a Amazon (AMZN), AliExpress, mas a iniciativa também pode impactar varejistas como o Magazine Luiza (MGLU3), Lojas Americanas (LAME4) e Via Varejo (VIIA3).

Para isso, a empresa já começou a contratar colaboradores com experiência em e-commerce, no LinkedIn, há pelo menos 15 vagas abertas para posições atreladas a essa iniciativa.

TikTok

A empresa pretende entrar na guerra do comercio eletrônico no Brasil, segundo informações divulgadas na sexta (18) (Imagem: REUTERS/Danish Siddiqui/Illustration)

A estratégia de vendas dentro do aplicativo consiste em live commerce, transmissões ao vivo com demonstrações dos produtos e serviços, e a possibilidades de compra dentro do próprio aplicativo, uma versão atualizada do que é feito por empresas como Polishop e Shoptime na TV.

O que é uma Live commerce?

As lives commerce são modalidades bastante populares na Ásia, e que agora começa a ter bastante relevância em países  ocidentais.

Em uma live commerce, os produtos são anunciados durante a programação ao vivo, nesse caso do Tiktok quem estiver assistindo o vídeo, poderá clicar no link do produto anunciado e fechar a compra, sem sair da plataforma.

Não será uma missão tão fácil, pois a empresa teve uma experiência parecida no Reino Unido, onde lançou Tiktok Shop e não obteve grandes sucesso.

O grande erro na época foi, que a empresa não havia testado a ferramenta antes de lançar, por isso essa cautela para abrir mercado aqui no brasil e futuramente nos EUA.

A pergunta que fica é:

-Será que o Tiktok, vai conseguir essa fatia de mercado e ser a principal concorrente dos varejista online?

Fonte: Money Times