floresta amazônica está perto de seu ponto de inflexão. De janeiro a setembro de 2022, mais de 400 milhões de árvores foram derrubadas na Amazônia brasileira, conforme dados inéditos do Monitor da Floresta do PlenaMata, plataforma criada pela NaturaMapBiomasInfoAmazonia e Hacklab pelo fim do desmatamento.

Durante esse tempo, foram perdidas mais de 1,6 milhão de árvores por dia, uma média de 1.156 a cada minuto, 19 a cada segundo.

Natura vem promovendo, desde o começo deste mês, uma série de iniciativas para falar sobre a urgência do desmatamento, com o objetivo de levar conhecimento ao público sobre esse grave problema, incentivando e mobilizando a população em torno de ações efetivas para conter a devastação na região, como escolhas de consumo, mobilização social e voto consciente.

A maior ativação da ação é um contador de árvores derrubadas na região amazônica que passou a fazer parte do cotidiano de Brasília.

Desde 5 de setembro, Dia da Amazônia, o telão gigante do Conic, referência no “coração” do Distrito Federal, de frente à Esplanada dos Ministérios, mostra estimativas em tempo real das árvores derrubadas na Amazônia, refletidas da plataforma on-line PlenaMata.

É o maior painel digital da América Latina veiculando conteúdos sobre desmatamento e trazendo questionamentos aos políticos.

Dia 29, a Natura deu mais um passo para aumentar a conscientização da população em relação ao desmatamento. No intervalo do debate entre os presidenciáveis realizado pela TV Globo, a marca exibiu um filme especial diretamente direcionado aos candidatos:“Candidatos(as), eu perco mais de 350 mil árvores só no tempo desse debate. Qual o plano para frear meu desmatamento?”.

A mesma frase está sendo exibida no painel de Brasília, que já divulgou questionamentos tanto a políticos quanto a eleitores. São questionamentos como “Candidatos(as), eu acabo de atingir a maior taxa de queimadas da história. Vocês acham que o país sobrevive sem mim?”; e “Com o número de árvores que venho perdendo, fica difícil comemora o Dia da Árvore. Eleitos, seu voto vai melhorar essa situação?”.

É a primeira oportunidade em que a vinheta é transmitida em intervalo de debate, com a primeira sendo realizada no dia 24/09, na CNN.

Além de chamar atenção para o impacto climático que ameaça o planeta com desmatamento da Amazônia, a intervenção urbana e o conjunto de ações traz, durante o período eleitoral, questionamentos aos candidatos sobre ações efetivas de combate à degradação da floresta amazônica, e convoca os eleitores brasileiros a refletirem sobre a importância do seu voto para a conservação e regeneração do bioma.