Clássicos ressaltam a importância do comprometimento com a marca, dos clientes e dos valores éticos

Desde o seu surgimento, a indústria cinematográfica promove reflexões e inspira as pessoas em todo mundo. Muitos temas já foram trabalhados e, entre tantos, as vendas não poderiam ficar fora dessa lista.

Sabendo que alguns exemplos podem inspirar mudanças e estimular a adoção de ações que estimulam diretamente as vendas, selecionamos quatro filmes inspiradores sobre o mercado. Confira:

À procura da felicidade (2007)

Diante de grandes dificuldades, Chris Gardiner (Will Smith) aliou força de vontade e estratégia para reverter a situação em que ele se encontrava. Na vida real, o vendedor profissional precisa enxergar as oportunidades no mercado e utilizar as ferramentas e os métodos de vendas necessários para garantir o sucesso e se destacar da concorrência.

De porta em porta (2002)

A história de Bill Porter (Willian H. Macy) é motivacional e inspiradora. Mesmo com a fala e os movimentos limitados devido a uma paralisia cerebral, o personagem principal consegue emprego na Watkins Company e transforma-se em um exemplo ao superar as adversidades. Dessa forma, ele demonstra aos vendedores da vida real a importância de ser paciente, persistente e de criar uma boa rede de relacionamento.

O vendedor (2010)

Vendedor do mês durante dezessete anos em uma concessionária de carros, Marcel Lévesque (Gilbert Sicotte) é surpreendido pela crise econômica que abala todos os setores da pequena cidade de Lac Saint-Jena, em Quebéc, no Canadá. Devido à situação, o personagem precisa rever seus valores e repensar seus objetivos de vida.

Assim como na ficção, em momentos de instabilidade no mercado, o vendedor precisa enxergar alternativas para manter-se ativo no mercado, sem que, para isso, abra mão de seus princípios éticos e personalidade.

Jerry Maguire (1996)

Para aprimorar a qualidade do atendimento e melhorar os resultados do negócio, Jerry Maguire (Tom Cruise) adota uma estratégia ousada: ter menos clientes para poder atendê-los melhor. A decisão provoca uma mudança radical na carreira do agente esportivo, mas deixa claro que algumas mudanças, principalmente quando se fala em atendimento ao cliente, podem ser bem mais recompensadoras no final.

Fonte: Exame e Catho