Início/Adicionar código antes da tag </head>. avaliação de resultados

Conheça o impacto socioeconômico das vendas diretas

Setor supera adversidades, mantém crescimento e geração de empregos em todo o mundo

As vendas diretas possibilitam diferentes formas de atuação profissional para aqueles que procuram maneiras alternativas de complementar a sua renda. Mais do que uma oportunidade de atuar de maneira independente, o mercado tem se destacado na economia mundial, gerando bilhões de dólares de receita e proporcionando trabalho a milhares de pessoas.

No Brasil, por exemplo, as vendas diretas destacam-se na economia mesmo em tempos de crise no varejo tradicional. A tendência é que os números continuem em alta, segundo estimativas do Euromonitor Internacional, que prevê uma somatória de volume de negócios de 42,8 bilhões de reais até 2019.

A World Federation of Direct Selling Association (WFDSA) também divulgou um balanço do mercado de vendas diretas em todo o mundo, no final de 2015. Dentre as perspectivas de futuro para o setor e as novidades do mercado, foram apresentados estudos de casos regionais sobre o impacto socioeconômico das atividades. Confira:

Estados Unidos

  • Os Estados Unidos são o maior mercado de venda direta do mundo.
  • Em 2014, a venda direta gerou 34,5 bilhões de dólares em vendas estimadas de varejo, um aumento de 5,5%.
  • Quase 14 milhões dos vendedores são mulheres.

Argentina

  • A Argentina é o 18º maior mercado de venda direta do mundo.
  • Em 2014, suas atividades registraram um aumento de 2,1%, se comparado com os índices de 2013.
  • 95% dos vendedores são mulheres, algo em torno de 680 mil pessoas.

Polônia

  • A Polónia é o 21º maior mercado de venda direta do mundo.
  • Em 2014, as vendas atingiram 1,2 bilhão de dólares, um aumento de 1,1% em relação a 2013.
  • 87% dos vendedores são mulheres.

Rússia

  • A Rússia é o 11º maior mercado de venda direta do mundo.
  • Em 2014, o volume de vendas registrou 3,6 bilhões de dólares, um aumento de 0,3% em relação ao ano anterior.
  • 88% dos vendedores são mulheres, algo em torno de 4,9 milhões de pessoas.

Austrália

  • A Austrália é o 19º maior mercado de venda direta no mundo.
  • Em 2014, as vendas subiram 5,4% e registraram 1,4 bilhão de dólares de receita .
  • 78 % dos vendedores são mulheres.

Fonte: WFDSA e Exame

2019-12-20T14:58:33-03:00fevereiro 24th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Números da ABEVD mostram estabilidade no volume de negócios nas vendas diretas em 2015

Segundo levantamento da associação, número de revendedores diretos registrou aumento 3,6% em comparação ao ano anterior

Segundo levantamento dos dados consolidados do setor, realizado pela ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas), as vendas diretas registraram R$ 41,3 bilhões em volume de negócios em 2015. Mesmo diante de um cenário econômico adverso, considerando as variações negativas do PIB (estimada em -3,6%) e consumo privado (-3,8%), o resultado apresentado mostrou estabilidade em comparação com o período anterior, com leve contração de 0,8% no período de janeiro a dezembro.

Com relação ao número de revendedores – profissionais autônomos atuantes – o segmento apresentou crescimento de 3,6%, em comparação com 2014, e fechou o ano com aproximadamente 4,6 milhões de consultores no país. “O setor de vendas diretas tem se mostrado receptivo e atraente para absorver cada vez mais pessoas, pois possibilita oportunidades reais para quem deseja empreender e também se mostra uma importante alternativa de renda”, explica Roberta Kuruzu, diretora executiva da ABEVD.

“Apesar do consumo privado e o PIB terem registrado quedas acentuadas em 2015, o volume de negócios na atividade de vendas diretas se manteve estável, o que representa um bom resultado tendo em vista a situação macroeconômica do Brasil no ano de 2015”, salienta Kuruzu.

2019-12-20T11:06:30-03:00fevereiro 3rd, 2016|Categories: ABEVD News|Tags: , , , , |
Ir ao Topo