Índices positivos mostram recuperação da economia brasileira

O ano de 2019 começa com boa expectativa no cenário econômico brasileiro. Após a forte recessão enfrentada em 2015 e 2016, o país voltou a apresentar crescimento nos anos seguintes, mesmo que em um ritmo menor do que o esperado.

De acordo com a previsão do relatório Focus, do Banco Central, realizado com mais de 100 instituições financeiras, o PIB brasileiro em 2019 deve ter alta de 2,5%, superando assim o índice registrado em 2018.

Alguns números divulgados recentemente dão base para esta visível retomada, como por exemplo, a intenção de consumo das famílias que de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), atingiu 91.2 pontos, em dezembro, maior nível em 3 anos. Como sabemos, o índice de confiança das famílias é uma das variáveis que mais impactam o varejo.

Apesar destes índices favoráveis, o Brasil ainda tem 12,5 milhões de desempregados e este contingente de pessoas em busca de trabalho impacta diretamente na retomada da economia. A capacidade instalada da indústria, abaixo da média histórica, ainda evidencia que a economia está ociosa.

O mercado segue ansioso à espera das reformas estruturais, principalmente da Previdência, que devem ser apresentadas ainda no início deste ano pelo novo governo. Com o déficit constante nas contas públicas, é preciso equilibrar os gastos para que o país volte a ter um crescimento sustentável.

Ainda é cedo para saber se as projeções de 2019 se tornarão realidade. Basta lembrar que no início de 2018, os números indicavam crescimento superior a 2%, mas ações como a greve dos caminhoneiros e a indefinição eleitoral acabaram minimizando esta alta.

2019-12-20T14:37:15-03:00janeiro 15th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Natura e Rede Asta fecham parceria com apoio da FARM

Retalhos da produção da FARM são transformados por artesãs em bolsas e nécessaires exclusivas, que serão vendidas nas lojas próprias da Natura

A partir desta semana, as lojas próprias da Natura iniciam as vendas de bolsas e nécessaires artesanais desenvolvidas pela Rede Asta, negócio social que atua na transformação de artesãs em empreendedoras e de resíduos em produtos. A ação ajuda a desenvolver o empreendedorismo feminino e estimula a reutilização de sobras de tecido que seriam descartadas no meio ambiente.

As sobras de corte dos tecidos da FARM foram transformadas em novos produtos com estampas únicas e exclusivas da marca, que estarão disponíveis até o dia 26 de dezembro ou enquanto durarem os estoques. Nas compras acima de R$ 300 feitas nas lojas próprias da Natura, o consumidor poderá adquirir uma nécessaire por R$ 9,90 ou uma bolsa por R$ 19,90. Para a FARM, este projeto se encaixa perfeitamente na plataforma RE-FARM, onde a marca se propõe a dar vida nova às suas sobras têxteis. “A Natura é uma empresa que tem como objetivo gerar impacto social, econômico e ambiental positivo. Por meio dessa parceria, buscamos estimular a conscientização das pessoas sobre a importância da economia circular e da economia consciente, ao mesmo tempo em que oferecemos itens que complementam nosso portfolio de presentes para este Natal”, explica Paula Andrade, diretora de Varejo da Natura.

A Rede Asta e a Natura são empresas BCorp, certificação internacional dada às empresas que associam crescimento econômico à promoção do bem-estar social e ambiental. A FARM, por sua vez, faz parte do Grupo Soma, que tem como objetivo diminuir o impacto socioambiental negativo da indústria da moda.

Fonte: Natura

Otimismo marca final de ano na economia brasileira

Com a definição da eleição presidencial, o Brasil passa agora a olhar para o futuro e planejar suas próximas ações. O clima de instabilidade parece ter ficado para trás e os mercados nacional e internacional já vêm retomando os investimentos, gradualmente.

Este momento promissor aliado à aproximação das festas de final de ano é extremamente importante para todo varejo e também para o setor de vendas diretas, que mesmo com tantos desafios enfrentados este ano espera bons resultados.

O mercado aprovou a escolha da equipe econômica do futuro governo e a questão gira muito em torno da probabilidade de se aprovar as reformas necessárias para continuar crescendo. O destino da economia brasileira nos próximos anos está em torno principalmente, mas não só, dessa questão.

Os números de 2018 já indicam uma leve recuperação da economia como um todo e o setor de vendas diretas espera ser impactado positivamente com este crescimento, afinal com emprego e renda maior, as famílias voltam a consumir mais.

As pesquisas internas de monitoramento não apontam um crescimento no volume de vendas ou no número de revendedores para o ano. Pelo contrário, mostram ligeira queda. Esperamos que a fase de retração tenha sido para todos nós, um momento de repensar atividades, processos e modelos de negócios, para que possamos inovar, aprender uns com os outros e fazer dos próximos meses um novo momento da venda direta no Brasil.

2019-12-20T14:37:18-03:00novembro 14th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Perspectivas positivas para 2018

As perspectivas mostram que a economia brasileira deve crescer em 2018 e manter o ritmo acelerado no próximo ano. Índices favoráveis, como a inflação controlada e a queda no número de desempregados, reforçam as expectativas dos especialistas.

Apesar das incertezas que ainda rondam o cenário político e a cautela dos executivos que aguardam os resultados das eleições presidenciais para definirem os próximos passos em relação a investimentos, o panorama econômico se mostra positivo.

Principal data do comércio, o Natal se aproxima e o setor de vendas diretas já se prepara para oferecer diversas opções de presentes para seus clientes. A expectativa é que haja crescimento nas vendas, principalmente embalado pelo período das festas de final de ano.

Para as vendas diretas, o ano de 2018 deve fechar com resultados positivos, mesmo com as dificuldades encontradas ao longo do ano: greve dos caminhoneiros, pessimismo e indefinição eleitoral.

Ainda é cedo para traçar metas para 2019, mas o setor segue com o firme objetivo de contribuir para o fortalecimento da economia brasileira e das regiões de atuação, por meio da geração de renda e oportunidades de trabalho e de empreendedorismo.

“O setor de vendas diretas se mostra forte e promissor, apesar dos obstáculos enfrentados ao longo deste ano. Temos trabalhado,  constantemente,  para,  através deste canal, desenvolver e fomentar o empreendedorismo no Brasil e acreditamos que este é o caminho para fortalecer ainda mais o setor em 2019,” diz Ana Beatriz Macedo da Costa, diretora presidente do Conselho Diretor da ABEVD.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:37:18-03:00outubro 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Incertezas políticas e econômicas impactam na vida do brasileiro

Faltando pouco mais de 3 semanas para a realização do primeiro turno da eleição presidencial, o cenário político brasileiro segue indefinido. As pesquisas de intenção de voto mostram que há uma forte disputa entre os candidatos pelas duas vagas para a decisão do pleito em segundo turno.

Esta indefinição eleitoral impacta diretamente no cenário econômico. Com o dólar ainda muito valorizado diante do real, os empresários seguem moderados em relação aos investimentos futuros e a expectativa é que novidades só sejam anunciadas após a escolha do novo presidente da República.

Enquanto o cenário político não é definido, o Judiciário brasileiro tomou importante decisão no último dia 30 de agosto. Com a aprovação pelo STF (Supremo Tribunal Federal) da terceirização irrestrita, as empresas agora podem terceirizar todas as atividades, inclusive aquelas consideradas atividades-fim.

Esta medida é de suma importância, pois, agora, as empresas podem se organizar de forma mais eficiente em relação à contratação de seus trabalhadores, trazendo mais segurança jurídica, inclusive para as empresas do setor de vendas diretas e sua força de vendas independente.

Outra importante decisão tomada recentemente foi a publicação da nova tabela com preços do frete. Com reajuste médio de 5%, em relação à lista publicada em maio, os novos valores devem influenciar diretamente o mercado de vendas diretas, já que o transporte de mercadorias é realizado, na maioria das vezes, por via terrestre.

Apesar do clima de incerteza, o setor de vendas diretas no Brasil segue com expectativa positiva em relação a 2018. As previsões indicam que os números devem acompanhar a evolução do varejo e com o consequente crescimento econômico do país, os índices deste ano devem ser positivos.

Seguimos trabalhando para fortalecer as relações do setor com os órgãos governamentais, empresas associadas e consumidores finais para reforçar o papel das vendas diretas como alternativa de renda para milhões de pessoas no Brasil.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:38:51-03:00setembro 14th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |
Ir ao Topo