Início/Adicionar código antes da tag </head>. Empreendedorismo

Vendas diretas são uma grande oportunidade para driblar a crise econômica

Com investimento baixo, a Cless Conceito apresenta um plano de negócios diferenciado e que garante liberdade e rentabilidade para os empreendedores

Com mais de 12% da população brasileira desempregada, uma das grandes oportunidades de quem quer empreender investindo pouco e, de forma prática e rápida, são as vendas diretas. Possuindo mais de 4 milhões de empreendedores, o Brasil ocupa o sexto lugar na lista de países que estão nesse setor – tão representativo para a economia.

Dominada pelas mulheres – que são 56,7%, as vendas diretas já representam 28% da renda familiar, segundo dados de uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas, em 2017. Mais de 60% das pessoas que atuam nessa área, a escolheram como fonte complementar de rendimentos, ou seja, por ter mais flexibilidade e facilidades para serem executadas, as vendas diretas se tornaram uma opção não apenas para os que estão sem um emprego formal, mas agregam no faturamento de muitas famílias brasileiras.

Levando em conta a época desafiadora no qual o país vive, vários empreendedores optam por esse ramo – conhecido também como marketing de relacionamento, por proporcionar não apenas um lucro relevante com baixo investimento, mas por oferecer diversas premiações e bonificações focadas no bem-estar e qualidade de vida do indivíduo, além de transformar a vida não só de quem atua, mas de quem consome.

“Não é apenas sobre a independência e liberdade de ter mais tempo em sua rotina, fazer seu próprio horário de trabalho e ainda receber muito reconhecimento e bons lucros, essa área nos dá a possibilidade de mudar a vida de pessoas, especialmente com produtos de beleza e bem-estar de qualidade”, revela Talita Pacheco, consultora há 4 anos.

Por isso, alinhando a experiência e sucesso no varejo, o grupo Cless criou em 2017 a Cless Conceito, trazendo linhas de tratamento para cabelos e finalizadores, nutracêuticos, perfumaria, higiene pessoal, produtos para casa e para pets para o mercado. “A Cless Conceito surgiu para formar uma nova geração de empreendedores e ser um canal de distribuição de renda”, revela Luiz Piccoli, fundador e CEO do Grupo Cless.

Além disso, todo o suporte e capacitação para quem embarca neste grande negócio é um dos diferenciais da Cless Conceito. Além de disponibilizar uma plataforma online eficaz de gestão, o grupo possui espaço próprio no estilo co-working para os parceiros, treinamentos e cursos para capacitar e atualizar os empreeendedores sobre as novidades do setor e premiações personalizadas para cada fase.

E para estar cada vez mais atualizada com as novidades do mercado, buscando sempre mais tecnologia e inovação, a Cless Conceito participará do 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas da ABEVD, no dia 07 de maio, em São Paulo.

Fonte: Cless

 

SERVIÇO

2º Congresso Nacional de Vendas Diretas da ABEVD
Data: 7 de maio de 2019, das 8h30 às 18h
Villa Blue Tree – R. Castro Verde, 266, Chácara Santo Antônio, São Paulo – SP
Inscrições pelo site: congressonacional.staging7.abevd.org.br
Associados ABEVD: R$ 500
Não Associados: R$ 850
Expo ABEVD: Gratuito (Entrada restrita apenas para feira de vendas diretas)

 

Gestão eficiente, experiências inovadoras e tecnologia em debate no 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas

Evento terá presença de nomes reconhecidos nos mercados internacional e nacional

Expectativa é reunir mais de 600 pessoas para discutir temas relacionados à tecnologia, inovação, tributação e outros

Com o tema “Ideias Transformadoras”, o 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas contará com a presença de importantes nomes do Brasil e do exterior. O evento, organizado pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), acontece no dia 7 de maio, no Villa Blue Tree, em São Paulo.

 

Pela 1ª vez um palestrante internacional estará no Congresso da ABEVD. Direto dos Estados Unidos, o co-presidente global da Herbalife Nutrition, John Agwunobi, compartilhará sua visão mundial de vendas diretas e falará sobre os impactos positivos de uma gestão eficaz para empresas, empreendedores independentes e consumidores.

A programação do Congresso também reserva um espaço para o Encontro de Líderes. Mediado pela presidente executiva da ABEVD, Adriana Colloca, o painel contará com a participação de Erasmo Toledo, vice-presidente de venda direta da Natura, José Vicente Marino, presidente da Avon Brasil e Alvaro Polanco, presidente da Mary Kay Brasil.

Tema de extrema importância para o setor, o empreendedorismo será debatido por Ana Fontes, presidente do Instituto Rede Mulher Empreendedora e Rossana Sadir, presidente da Amway Brasil. A moderação do encontro caberá a Ana Costa, vice-presidente jurídica da Avon na América Latina do Sul.

A revolução tecnológica também terá seu momento. Jordan Rizetto, vice-presidente e diretor geral da Herbalife Nutrition Brasil e Malte Horeyseck, presidente da Jafra conversarão com Luis Guedes, ex-Google e especialista em inovação, sobre como aplicar as novas tendências do mercado da tecnologia no setor de vendas diretas.

Já o diretor do Centro de Cidadania Fiscal, Bernard Appy conversa com Eduardo Vilhena, diretor jurídico e relações governamentais da Mary Kay Brasil sobre os desafios tributários do setor.

“A programação do Congresso Nacional de Vendas Diretas foi idealizada para proporcionar conteúdo de qualidade e com relevância para os participantes. A presença de palestrantes internacionais reforça o intuito da ABEVD em sempre oferecer as principais tendências do setor”, fala Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD.

Outras palestras e painéis com nomes reconhecidos pelo setor compõem a programação do 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas. Para saber mais detalhes acesse o site: congressonacional.staging7.abevd.org.br

A edição deste ano traz novidades para o público como: tradução simultânea, material de apoio e certificado de participação.

 

Fonte: ABEVD

 

SERVIÇO

2º Congresso Nacional de Vendas Diretas da ABEVD

Data: 7 de maio de 2019, das 8h30 às 17h30

Villa Blue Tree – R. Castro Verde, 266, Chácara Santo Antônio, São Paulo – SP

Inscrições pelo site: congressonacional.staging7.abevd.org.br

Associados ABEVD: R$ 500 (até 19/4); R$ 700 (entre 20/4 e 7/5)

Não Associados: R$ 850

 

Natura e Santander fazem parceria para oferecer serviços bancários exclusivos para mais de 1 milhão de Consultoras

Consultora de Beleza Natura poderá abrir conta sem custo de manutenção e terá acesso a linha de microcrédito digital e maquininha de cartões

A Natura, em parceria com o Santander, será a primeira empresa de venda direta do Brasil a oferecer uma conta bancária com benefícios exclusivos para suas consultoras. A iniciativa, parte do plano de revitalização e digitalização de seu modelo de negócios, contribuirá para a bancarização e a elevação de produtividade e renda das Consultoras de Beleza Natura.

Em uma conta aberta e administrada de forma totalmente digital, no site da Natura e pelo aplicativo desenvolvido para as Consultoras, será possível ter acesso a serviços bancários como o cartão Natura, saque, depósitos, transferências entre bancos e maquininha portátil para pagamentos com cartões de crédito e débito, com condições exclusivas e diferenciadas. A conta receberá diretamente as receitas de vendas (realizadas por meio da página online, a Rede Natura, ou das vendas presenciais realizadas com a maquininha de cartão). O saldo poderá ser utilizado para realizar compras com o cartão Natura, pagamento de contas e transferências.

Outra novidade é a possibilidade de contratar microcrédito, diretamente no aplicativo, que poderá ser utilizado apenas para as compras de produtos do portfólio Natura. A iniciativa visa oferecer crédito para que as Consultoras de Beleza possam investir na expansão e profissionalização de sua atividade. Trata-se de uma operação inovadora e pioneira em microcrédito digital do país.

“Essa é mais uma iniciativa para empoderar as consultoras, para que ofereçam uma melhor experiência às suas clientes. Além disso, estamos contribuindo para bancarizá-las, inclui-las socialmente”, afirma João Paulo Ferreira, presidente da Natura. “O objetivo é fazer a Consultora ganhar mais, e aí ganharemos mais também. Se elas fizerem melhores negócios, todo mundo ganha. É também mais um passo para seguir construindo lealdade. Novos serviços como esse abrem caminho para que a produtividade das Consultoras siga subindo.”

“Apoiar as Consultoras da Natura é apoiar o empreendedorismo e a inclusão financeira, algo fundamental em nosso Brasil de hoje, que tem como desafio mais urgente a geração de emprego e renda”, afirma Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil. “Essa parceria só foi possível porque somos um banco que olha para as cadeias de valor de forma integrada. Somos capazes de oferecer soluções tanto para as grandes empresas quanto para seus fornecedores, colaboradores e parceiros.”

Para desenvolver o projeto para a Natura, o Santander utilizou de forma integrada e customizada soluções oferecidas por três unidades do grupo: a Superdigital, uma conta de pagamentos digital que terá sua interface embarcada no site utilizado pelas Consultoras; a SuperGet, maquininha portátil de pagamentos da Getnet, com a melhor taxa do mercado, e o Prospera Santander Microcrédito, o maior e mais eficiente programa privado de microcrédito produtivo orientado do país, de forma 100% digital e sem necessidade de fiador ou grupo solidário.

Desde 2016, a Natura realiza estudo para mensurar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de suas Consultoras. Um dos pontos de atenção evidenciados pela pesquisa foi a educação financeira. Para tratar dessa questão, o cartão da Conta Natura será pré-pago, ou seja, a Consultora só poderá fazer compras se tiver saldo disponível. A Natura também oferecerá para as consultoras treinamentos sobre finanças ministrados por Whatsapp.

A iniciativa da Conta Natura estará disponível para a rede de 1,1 milhão de Consultoras no Brasil ainda no primeiro semestre de 2019.

 

Fonte: @NaturaBrOficial                                                                                                                                                     

Amway reporta vendas globais de US$ 8,8 Bilhões em 2018

A Amway (www.amway.com.br) anuncia hoje vendas globais de US$ 8,8 bilhões para o ano encerrado em 31 de dezembro de 2018, um aumento de dois por cento sobre os números de vendas de 2017. O crescimento foi amplo em muitos dos principais mercados da Amway, incluindo a China, os EUA, a Tailândia e a Índia, à medida que a empresa entra em seu 60o ano de atividade.

“O crescimento das vendas da Amway é resultado do nosso foco na experiência do nosso Empresário e seus clientes na compra, venda e uso dos produtos da Amway”, disse o co-presidente da Amway, Steve Van Andel. “Continuaremos a fazer investimentos que possibilitem todas as oportunidades possíveis para o sucesso dos nossos empresários”.

A Amway atribui o crescimento nas vendas aos investimentos significativos em ferramentas digitais e experiências em mobile, bem como em inovações de produtos que ajudaram os Empresários a atrair e reter mais clientes. Isso inclui a ativação de mais comércio eletrônico, conectando mais produtos a experiências digitais e personalizando mais produtos de nutrição e beleza.

Os resultados dos investimentos em e-commerce são mais evidentes na China, o maior mercado da Amway e líder em inovações digitais nos negócios. Em 2018, 70% das vendas da Amway China foram feitas por meio de pedidos por celular.

“A Amway está aproveitando o crescente apetite mundial por comércio eletrônico”, disse o vice- presidente da Amway, Doug DeVos. “A dinâmica está crescendo, os investimentos em produtos digitais e inovadores estão aumentando, e um crescimento saudável e estável deve continuar”.

Além de adicionar recursos de comércio eletrônico, a Amway introduziu uma série de novos aplicativos e iniciativas para ajudar os Empresários a gerenciar seus negócios em qualquer lugar e melhorar a experiência de compra para os clientes, incluindo:

  • O aplicativo Amway Business Center disponível nos EUA, Canadá e República Dominicana permite que os Empresários monitorem e gerenciem seus negócios na palma da mão, incluindo registro, verificação do volume de vendas, visualização de relatórios de ações e muito mais.
  • O Programa de Rastreabilidade da Nutrilite, introduzido na China, Japão e Coréia, é um diferencial único no mercado que aumenta a visibilidade de como cada botânico em vitaminas e suplementos Nutrilite pode ser rastreado ao longo de cada etapa da jornada de ingredientes, mostrando quem, o quê, onde e como está por trás de nossos produtos. Este programa continuará a se expandir globalmente em 2019.
  • O aplicativo Virtual Beauty da marca Artistry permite que os usuários “experimentem” diferentes cosméticos Artistry e recomendam produtos para a pele. Aproximadamente 260.000 pessoas baixaram o aplicativo.
  • Atmosphere Sky, o primeiro dispositivo conectado da Amway continuou a ser lançado globalmente e seu aplicativo, o Atmosphere Connect, fornece dados de qualidade do ar aos usuários remotamente. Nos EUA, as unidades estão sendo desenvolvidas para serem ativadas por voz via Alexa TM.

O negócio também combinou investimentos em digital com especialização em saúde, nutrição e beleza para alavancar a alta demanda por produtos de saúde e beleza mais naturais e personalizados. Na nutrição, isso incluiu:

  • O programa BodyKey SmartLoss nos EUA, um programa de perda de peso holístico e personalizado que inclui uma nova linha de shakes substitutos de refeição e o aplicativo BodyKey SmartLoss que serve como um Personal Trainer, ajudando os usuários a atingir metas de gerenciamento de peso e compartilhar seus sucessos com outras pessoas.
  • A Nutrilite Traditional Herbs foi lançada na Índia, uma linha de suplementos ayurvédicos voltada para o mercado de massa que atraiu a maioria dos consumidores jovens.

Para os consumidores que procuram produtos de beleza personalizados que transportam mais ingredientes naturais, a Amway lançou:

  • Seruns Personalizados da Artistry Signature Select, um tratamento facial personalizável com até três soros em um produto que tem como alvo rugas e linhas finas, anti-spot, firmador, clareador, hidratante ou uma combinação.
  • As máscaras Artistry Signature Select TM incluem cinco máscaras que usam fitonutrientes com Nutrilite TM e são aperfeiçoadas por especialistas em cuidados com a pele Artistry TM com cores, texturas e perfumes experimentais.
  • Artistry Studio, coleções de moda limitada de produtos de banho e bodyboard inspirados nos millennials e lançados globalmente, triplicando o número de clientes Artistry com idade inferior a 35 anos.

Todos esses produtos e lançamentos levaram ao crescimento geral da Amway, especialmente nas categorias de nutrição e beleza. As vendas em nutrição e bem-estar foram 52% das vendas no mercado da Amway, um aumento de 3% em relação a 2017. A beleza e os cuidados pessoais foram de 26%, um aumento de 1%.

“As inovações da Amway em produtos e soluções de saúde e beleza, personalizadas e fáceis de usar, estão produzindo bons resultados para nós”, disse o diretor de operações da Amway, Mike Cazer. “À medida que aceleramos os investimentos nessas e em outras áreas, como comércio eletrônico e experiências digitais integradas, a Amway vai muito além da demanda dos consumidores, impulsionando o crescimento contínuo no futuro.”

À medida que a Amway olha para 2019 e para o futuro, os investimentos continuarão crescendo na área digital e inovação de produtos, além de dados e análises para fornecer aos Empresários mais insights sobre o crescimento de seus negócios. A Amway também acelerará os recursos de e-commerce, expandirá a rastreabilidade na nutrição, lançará produtos e experiências mais personalizadas e continuará analisando as operações globais para garantir que os investimentos e as alocações de recursos se alinhem com o foco estratégico dos negócios.

“A causa da Amway de ajudar as pessoas a terem seus negócios próprios nunca foi mais relevante do que agora”, disse o CEO da Amway, Milind Pant. “Pessoas no mundo todo gostam da ideia do empreendedorismo e, por isso, a Amway vai continuar alimentando a humanidade e paixão contagiantes os Empresários Amway trazem para os seus negócios todos os dias.”

Os dez principais mercados da Amway incluem China, Coréia, EUA, Japão, Tailândia, Taiwan, Índia, Rússia, Malásia e Itália. As vendas foram consistentes com o ano anterior na Coréia, Rússia e Malásia. O Japão e Taiwan registraram declínios modestos.

2019-12-20T14:32:10-03:00março 13th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , , , |

Professora brasileira é selecionada para programa Global Links da Tupperware

A professora Dra. Denise Poiani Delboni é a primeira docente brasileira a ser selecionada para o Global Links, programa de intercâmbio intercultural da Tupperware Brands idealizado em parceria com a Escola Crummer de Pós-graduação em Negócios do Rollins College.

O projeto visa disseminar as oportunidades de empreendedorismo econômico para mulheres em países em desenvolvimento e já foi realizado no Iraque e na Índia.

Na primeira fase do programa, a Dra. Delboni foi para os Estados Unidos na Instituição Rollins College, para participar de treinamentos e aulas voltados para o empreendedorismo e práticas sustentáveis de negócio. Ainda nessa fase, a docente completará um treinamento prático focado nos fundamentos dos negócios na sede mundial da Tupperware Brands, em Orlando.

A continuação do programa se dará no Brasil no qual a professora trabalhará com seus alunos na realização de parcerias com organizações sem fins lucrativos ou empresas sociais locais para a implementação de projetos de empoderamento econômico com proprietárias de pequenas empresas.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:33:39-03:00fevereiro 15th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Quase 20% dos empreendedores trabalham com familiares, segundo relatório GEM

O Relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2018 traz inúmeros aspectos e considerações sobre o empreendedorismo mundial. O número de empreendedores que trabalham com familiares – quase 20% do total mundial – é um dos temas que merecem destaque.

O relatório, patrocinado pela Faculdade Babson, pela Universidad Del Desarrollo e pela Korea Entrepreneurship Foundation, também mostrou que 6% dos indivíduos, com idades entre 18 e 64 anos, em 27 países, fazem parte da economia global e da economia compartilhada.

“O relatório mundial do Global Entrepreneurship Monitor mostra que a economia global reúne empresários de todos os tipos”, disse o coautor e Professor Associado de Empreendedorismo da Universidade de Utrecht, Niels Bosma. “Há muita atenção da mídia para startups inovadoras; no entanto, funcionários empreendedores, empresários de empresas familiares e empreendedores de pequena escala também desempenham um papel fundamental nas economias nacionais e locais. Este ano, os resultados do GEM também confirmaram que a atividade empreendedora na economia global e na compartilhada é substancial em todas as partes do mundo ”.

Coautora do estudo e professora de Empreendedorismo da Faculdade Babson, Donna Kelley, acrescenta: “Pode não ser uma surpresa que muitas empresas sejam de propriedade familiar, porque as vemos todos os dias e também vemos notícias sobre as grandes corporações familiares. No entanto, até onde sabemos, esse é o primeiro estudo global sobre o envolvimento das famílias na fase inicial do empreendedorismo. Os resultados mostram o quanto os empresários confiam nos membros da família para fazer os negócios decolarem”.

Confira alguns destaques do relatório do GEM:

Quase 1 em cada 5 empreendedores estão começando negócios que serão de sua propriedade e/ou serão gerenciados por membros da família, nas 47 economias em que foram avaliadas a atividade da empresa familiar. Colômbia, Emirados Árabes Unidos e Uruguai têm o mais alto nível de empreendedorismo familiar, respondendo por mais de um terço dos empreendedores.

A taxa mais alta de participação em atividades de economia compartilhada está na Coreia do Sul, com mais de 20% da população adulta. Israel, Chile, Irlanda e Estados Unidos também apresentam altas taxas de envolvimento na economia do compartilhamento, com mais de 10% da população adulta participando desse tipo de atividade. A nova comparação internacional mostra que, em todo o mundo, o envolvimento na atividade de economia compartilhada é significativo.

O GEM também elaborou um índice composto, o National Entrepreneurship Context Index (NECI), que avalia o ambiente para o empreendedorismo em uma determinada economia. O NECI é obtido a partir de 12 critérios, chamados ‘condições estruturais’, e conta com especialistas para fazer as avaliações.

O Qatar, um país de alta renda no Oriente Médio, recebe a maior pontuação no NECI, seguido pela Indonésia e Holanda. Um exame das principais economias confirma a importância das condições saudáveis ​​em todos os aspectos do ambiente que afetam o empreendedorismo. Os resultados do NECI no relatório representam um esforço inaugural para informar políticos, profissionais e outros públicos de interessesobre a força de seu ambiente geral para o empreendedorismo.

Tecnologia X Atacado/Varejo: Em todas as economias em desenvolvimento, as empresas atacadistas/varejistas respondem por mais da metade de seus empreendedores. Em contraste, em metade das economias de alta renda, quase 50% ou mais da atividade de startups está nos setores de serviços ou tecnologia.

O relatório examina as atitudes da sociedade sobre o empreendedorismo, o que pode indicar até que ponto há empreendedores em potencial e qual é o apoio para essa atividade. Em três países da Europa (Holanda, Polônia e Suécia), cerca de três quartos dos adultos afirmaram que é fácil iniciar um negócio, o maior índice das 49 economias estudadas. Na Holanda e na Polônia, além de Turquia, Tailândia, Guatemala e Madagáscar, mais de 80% das pessoas acreditam que o empreendedorismo é uma boa opção de carreira. A Tailândia também mostra o mais alto nível de atenção midiática para os empresários, com 87% dos adultos afirmando que os empreendedores são positivamente representados na mídia. Na Suécia, 82% dos adultos acreditam que há muitas oportunidades para iniciar negócios, o nível mais alto em toda a amostra.

Outro dado importante da pesquisa revela os tipos de empreendedorismo mais comuns. 

Empreendedorismo Solo – No Brasil, 53% dos empreendedores atuam sozinhos, sem cofundadores ou funcionários, e não têm planos de contratar. O próximo nível mais alto no indicador está em Madagáscar, onde 30% dos empreendedores atuam por conta própria e assim planejam continuar.

Atividade Empresarial Empreendedora – O empreendedorismo de funcionários de empresas é predominante na Europa. Na Suécia, na Alemanha e no Chipre, o empreendedorismo costuma acontecer tanto nas organizações quanto nas startups independentes. Em outros países, como Holanda e Canadá, altos níveis de empreendedorismo dos funcionários complementam as altas taxas de TEA (taxa de atividade empreendedora, da sigla em inglês).

Empreendedorismo de base familiar – Startups familiares contribuem substancialmente para o empreendedorismo em muitas economias. Em Angola, Líbano, Guatemala, Chile, Colômbia e Tailândia, 10% da população adulta, no mínimo,está começando negócios envolvendo familiares.

Economia Global e Economia Compartilhada – A ascensão da economia global e da economia compartilhada em todo o mundo levou a equipe do GEM a incluir perguntas sobre o tema na pesquisa de 2018. A maior taxa de envolvimento em tais atividades é, de longe, na Coreia do Sul, com mais de 20% da população adulta.

Fonte: DSN

2019-12-20T14:33:43-03:00fevereiro 15th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

A confiança transforma

Quem já empreendeu ou leu sobre o assunto sabe que os critérios cruciais são investimento, capacitação, estudo de mercado e público. O que pouco se aborda, porém, são as habilidades comportamentais, os pré-requisitos para o início e a manutenção de um negócio de sucesso. A confiança é, sem dúvida, um deles.

Afinal, como dar o pontapé inicial para a construção do seu negócio sabendo que a nova opção de carreira pode falhar ou, ainda, dar muito certo e mudar sua vida por completo? A resposta é: acreditando nas suas habilidades e compreendendo que os erros são etapas naturais do processo.

Focada em comprovar essa tese, a conhecida marca americana Tupperware encomendou uma pesquisa exclusiva desenvolvida em parceria com a Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos. O resultado reafirmou a expectativa. Confiança impulsiona os negócios e pode, sim, ser cultivada.

No processo para chegar a essa resposta, mais de 4 mil pessoas da força de vendas autônoma da Tupperware foram ouvidas – nos Estados Unidos, na África do Sul e no Brasil. A maioria apontou que crer em si mesmo e saber que teria o apoio da organização caso cometesse erros levava a aumentos significativos de produtividade. Nas vendas líquidas, a escalada atingiu 22%, além de gerar maior identificação com a empresa.

Outro apontamento interessante é que, diferentemente do que se pensa, a confiança não é uma característica estática. Ela pode subir até 30% em funcionários inseridos em empresas com cultura de apoio e capacitação.

A pesquisa só reforçou algo em que eu e a corporação que lidero no país há uma década acreditamos: estimular o encorajamento e, consequentemente, a confiança é um fator motivador dos negócios. Em um ambiente mais propício à tentativa (e ao erro, claro), que incentiva as novas ideias, cresce o número de profissionais dispostos a arriscar e experimentar.

Deixando os dados de lado por um momento, proponho aqui uma reflexão. Você já parou para pensar sobre o poder provindo de uma rede de apoio? Quando recebemos suporte de outras pessoas, notamos que as aflições e os receios não são preocupações só nossas. Baixamos a guarda e nos sentimos amparados para encarar problemas, aceitar desafios, falhar e, claro, tentar de novo. Os elos são poderosos e nos fazem mais fortes, acredite!

As etapas no mundo dos negócios e, especialmente, no empreendedorismo não são fáceis. Não existe cenário seguro, mas essa trajetória deve ser encarada como um teste. Você terá, a cada dia, uma nova chance, a oportunidade de fazer dar certo. Se atua em grandes times, é imprescindível que se contagie com o clima e crie elos. Isso vale, inclusive, para a liderança. Para quem atua de forma autônoma em pequenos grupos, a dica é acreditar nas próprias habilidades interpessoais em todas as atividades, inclusive nas pequenas tarefas, como efetuar uma ligação de prospecção. Com o cultivo diário da confiança, você transforma a sua vida e a das pessoas à sua volta. O resultado virá com certeza.

*Artigo escrito por Paola Kiwi, presidente da Tupperware no Brasil.

Fonte: Tupperware

Papo Empreendedor: ABEVD na FATEC Ipiranga

Flexibilidade de horário e renda extra. Estes foram os principais benefícios do setor de vendas diretas apresentados pela presidente executiva da ABEVD, Adriana Colloca, em visita institucional ao campus da FATEC Ipiranga, localizada na zona sul, da cidade de São Paulo, no início de setembro.

As empresas de vendas diretas são as oportunidades ideais para os jovens que buscam reforçar o orçamento ou até mesmo conquistarem a independência financeira. O universitário pode aproveitar o contato com amigos e parentes para conseguir renda e ainda ter tempo livre para se dedicar aos estudos.

Com esta visão, Adriana levou a mensagem da ABEVD para o programa Papo Empreendedor, iniciativa do curso de Gestão Comercial da instituição de ensino.

Conduzido pelo professor Márcio Fontoura, o programa mostrou como o público jovem pode usar as vendas diretas para conseguir renda extra e oportunidades de carreira com treinamentos e formações oferecidas pelas empresas. Além disso, Adriana abordou a questão da proximidade que pode facilitar o trabalho do jovem junto aos amigos da universidade e outros grupos sociais.

Parte do projeto de fortalecimento do empreendedorismo brasileiro, a visita à FATEC buscou reforçar o papel da ABEVD junto ao meio empreendedor.

Fonte: ABEVD

 

2019-12-20T14:48:38-03:00outubro 19th, 2018|Categories: ABEVD News|Tags: , , , |

Trabalho autônomo é sinal de empreendedorismo e inovação

Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) de 2016 (os mais recentes) mostram que 32,9% dos brasileiros trabalham de forma autônoma. Este índice coloca o Brasil na 3ª posição entre os 10 países da lista com o maior número de trabalhadores sem carteira assinada.

A líder deste ranking é a Colômbia, com 51% da população trabalhando de forma autônoma. A Grécia ocupa a 2ª colocação na lista, com 34,2%.

A escolha por este tipo de trabalho pode der considerada uma tendência no mercado mundial, visto que o avanço da tecnologia permite a um indivíduo realizar diversas tarefas em lugares variados, não havendo mais a necessidade de estar em um local fixo.

No caso do mercado brasileiro, a flexibilização proporcionada pelas novas regras da legislação permitiu ao trabalhador optar pela melhor maneira de como conciliar o tempo com a forma de ganhar o seu sustento.

Diante deste cenário de profundas transformações, tanto empresas, quanto empreendedores independentes têm a oportunidade de ampliar os negócios.

“O trabalho autônomo surge como a alternativa mais viável para o empreendedor que busca uma fonte de renda. Formal e acessível, o setor de vendas diretas se destaca por oferecer oportunidades iguais para todas as pessoas,”, diz Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas).

O mercado de trabalho atual exige que o profissional tenha diversas competências para ser bem-sucedido. Se adaptar facilmente a novas experiências e ter a visão estratégica do negócio são habilidades imprescindíveis para o futuro empreendedor.

O aprendizado contínuo aliado à criatividade são qualidades desejadas por todas as empresas. Estar em busca de novas fontes de conhecimento é fundamental para o novo profissional e quesito importante para o contratante.

Cada vez mais, o networking é fundamental neste cenário marcado por redes de conexão. Conhecer pessoas e aprofundar os relacionamentos é primordial para concretizar negócios.

Descubra os benefícios de aderir ao trabalho autônomo

O trabalho autônomo garante inúmeros benefícios a quem opta por esta modalidade. Por exemplo: os empreendedores têm mais liberdade para decidir que caminho trilhar e o que estudar para alcançarem os seus objetivos. A palavra-chave para quem deseja seguir esta trajetória é: disciplina.

Diferente do trabalhador que está inserido no quadro de uma empresa, o autônomo tem a independência para trocar as etapas do processo do crescimento profissional. Como cabe a ele a organização do tempo e das metas estabelecidas, é preciso ter foco e determinação para alcançar os objetivos traçados. O sucesso é proporcional ao esforço empreendido para alcançá-lo.

Para quem decidiu investir na carreira como autônomo, seguem 4 dicas que vão ajudar a estruturar a vida profissional:

Finanças: organize o orçamento de forma que não haja imprevistos ao longo da jornada. O controle e a programação de despesas são fundamentais para quem aderiu ao trabalho autônomo.

Oportunidades: o relacionamento humano é a base do trabalho autônomo. Enxergue em amigos e parentes o caminho inicial para o desenvolvimento de sua atuação neste mercado.

Emocional: a instabilidade das vendas não pode influenciar o trabalho. O empreendedor precisa superar os obstáculos para encontrar motivação e buscar alcançar as metas traçadas inicialmente.

Aposentadoria: o fato de ser autônomo não significa estar na informalidade. O trabalhador pode aderir ao MEI (Microempreendedor Individual) e contribuir para a Previdência Social, garantindo o direito à aposentadoria no tempo certo.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:40:13-03:00agosto 15th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

Empreendedorismo e Venda Direta

Por Rossana Sadir*

O mercado de venda direta se torna mais promissor a cada ano que passa. A empatia das relações pessoais somada a produtos de qualidade torna mais acessível a concretização do desejo de empreender do brasileiro.

Independente do cenário político-econômico de nosso país, o Brasil tem se provado uma incubadora de empreendedorismo. De fato, a Universidade Técnica de Munique em parceria com a Amway realizou uma pesquisa – AGER (Amway Global Entrepreneurship Report) – que destaca nosso espírito empreendedor.

Esta pesquisa, realizada em 44 países, apresenta informações interessantes quanto aos fatores que levam pessoas em todo o mundo a começar seu próprio negócio. No Brasil, os dados são positivos nos seguintes aspectos: vontade de empreender (66% Brasil X 49% no mundo), habilidade que temos para empreender (53% Brasil X 43%) e a disposição dos jovens de 18 a 35 anos em entrar no mercado de trabalho via negócio próprio (56% Brasil X 47% no mundo).

O jovem empreendedor possui vantagens em relação às demais faixas etárias: eles são otimistas e consideram contar com o apoio da sociedade. Além disso, os jovens sabem combinar as relações pessoais física e digitalmente, aproveitando ferramentas como Facebook, Instagram e WhatsApp como multiplicadoras na venda de produtos e formação de uma rede de compradores.

Se por um lado esse jovem se sente apoiado, a falta de capital e de educação empreendedora são seus maiores desafios. Neste sentido, as empresas de venda direta, como a Amway, apresentam oportunidades de ganhos financeiros atrativos com um investimento inicial baixo e sem necessidade de estoque. Além disso, oferecem treinamentos acessíveis em liderança, formação e gestão de equipes, vendas e marketing, possibilitando a concretização das metas dos potenciais empreendedores.

O espírito empreendedor brasileiro, potencializado principalmente nos jovens, torna a venda direta uma mola propulsora para o crescimento da nossa economia, gerando empregos diretos e indiretos e cooperando com as finanças familiares da população.

Rossana Sadir é presidente da Amway do Brasil e Vice-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD).

2019-12-20T14:40:17-03:00julho 13th, 2018|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |
Ir ao Topo