Início/Adicionar código antes da tag </head>. internet

Disrupção digital nas vendas diretas

Empresas e revendedores têm adaptado seus modelos de negócio para o mercado digital

Anualmente o setor de vendas diretas movimenta, em média, 180 bilhões de dólares em todo o mundo e continua a crescer, mesmo em tempos de crise. Para estimular as atividades e melhorar ainda mais os resultados do setor, os representantes e as grandes marcas estão descobrindo maneiras de expandir suas atividades para o ambiente virtual.

Com a chegada da internet, uma série de mudanças nos processos de compra e venda de produtos tornaram-se realidade. Um novo consumidor, mais poderoso e informado, domina o ambiente digital, influencia suas redes e interage com os fabricantes e seus representantes de forma direta, estabelecendo o novo padrão de serviço e consumo de acordo com suas experiências.

Dessa forma, atuar em canais digitais é fundamental para aumentar a influência, otimizar o fluxo de informações e melhorar a experiência de compra de seus clientes de forma mais ampla.

Algumas empresas desenvolveram sistemas de colaboração que permitem a sua presença em redes sociais facilite o intercâmbio de informações para multiplicar a eficácia das vendas, recrutar novos vendedores e aproximar-se do consumidor final.

Mais além, as grandes marcas passaram a integrar as plataformas de comércio eletrônico com suas forças de vendas. Neste modelo, cada vendedor administra uma página da web com um catálogo de produtos, preços e promoções, e passa a utilizar a internet para concretizar suas vendas.

Fonte: However gA

2019-12-20T14:53:33-03:00junho 3rd, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Social Selling: a melhor maneira de vender na internet

Uso de redes sociais potencializa número de vendas diretas em todo o mundo

Dados da Statistica estimam que, em 2015, as vendas feitas através das mídias digitais geraram cerca de 30 bilhões de dólares de receita em todo o mundo. Outro estudo, realizado com 500 organizações pela Internet Retailer, constatou que em 2014 o total de vendas no comércio online foi 27% maior que em 2013.

Os números ressaltam a importância e o crescimento dos negócios realizados no ambiente digital. Hoje, os profissionais sabem que quanto mais tempo investido em mídias sociais, mais vendas serão realizadas. Para isso, é preciso utilizar as ferramentas corretas para aproveitar o potencial da rede e identificar oportunidades de atuação.

Nesse cenário, as redes sociais desempenham papel crucial para a divulgação de novidades e benefícios para o consumidor. De acordo com a Social Media Examiner, 96% dos comerciantes dizem que o Facebook é a sua principal plataforma digital. No entanto, os investimentos em marketing não se limitam a ela. A pesquisa afirma que, quase dois terços dos profissionais planejam aumentar o uso do Twitter e do YouTube, e 60% dizem que vão aumentar a sua presença Instagram.

Estar presente nas redes sociais, apenas, não basta. É preciso explorar o potencial e criar maneiras mais eficazes de concretizar as vendas na internet. Para isso, é fundamental criar espaços que possibilitem a troca de informações entre as pessoas com interesses em comum, dar dicas de produtos, responder as perguntas dos consumidores, dar conselhos e indicar as mercadorias mais adequadas para cada cliente.

Fonte: Direct Seling News

2019-12-20T14:58:34-03:00fevereiro 19th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

Sete dicas para criar uma página de negócios no Facebook

Aproveitar o potencial das redes sociais pode ser um diferencial na divulgação da sua marca

O Facebook é uma das principais redes sociais, com mais de 1,4 bilhão de usuários ativos mensais em todo mundo. Para aproveitar a tendência mundial, muitas empresas de venda direta passaram a investir em páginas e perfis para se aproximarem de seu público-alvo e potencializar suas operações. Mas, diante de tantas marcas presentes nas redes sociais, como se destacar e atrair mais consumidores?

Confira algumas dicas para criar uma fanpage e explorar o potencial da internet para complementar as práticas da sua empresa:

1. Defina objetivos
Trabalhe sua marca, crie campanhas, dê descontos e anuncie conforme as necessidades identificadas de seu público-alvo. O mais importante é que a empresa determine estratégias para conseguir retorno para o negócio, sempre com o apoio de sua rede de revendedores.

2. Publique regularmente
Para gerar engajamento do público com a marca, é preciso estabelecer uma periodicidade de publicações. Organize as publicações e utilize os recursos do próprio Facebook para garantir impacto e eficiência, como o agendamento e o monitoramento.

3. Invista nas ferramentas e recursos
Explorar todas as funcionalidades da rede social é fundamental para aumentar as interações do público com sua marca. Aposte nos conteúdos interativos com fotos e vídeos para apresentar tutoriais, novos produtos, instruções e muito mais, tudo para envolver as pessoas e incentivá-las a interagir com seu negócio.

4. Divulgue ofertas exclusivas
Investir na divulgação de ações pontuais, promoções e condições exclusivas, é uma estratégia para aumentar o engajamento dos consumidores na página. A partir de boas experiências de compra, os consumidores passam a acompanhar as novidades da marca e sentem-se à vontade para compartilhar com outras pessoas os serviços prestados pela sua empresa.

5. Comemore marcos
Há diversas maneiras de se conectar com seus clientes, uma delas é por meio da divulgação de conquistas e novidades da empresa, em que é possível envolver os seguidores diariamente, formando, assim, uma rede em que todos comemoram as conquistas da marca.

6. Conecte-se com outras redes sociais
Em um cenário em que os consumidores estão conectados a todas as redes sociais, é imprescindível atuar não só no Facebook, mas também no Instagram, Pinterest, Twitter ente outras. Assim, seu cliente pode se conectar com você na rede social que preferir.

7. Avalie os resultados
Mais do que criar a página e fazer as postagens regularmente, é preciso mensurar os resultados para saber se seu trabalho está na direção correta. Utilize o painel administrativo do Facebook e analise se os dados apresentados estão em conformidade com seus objetivos. Explore, também, os quesitos quantitativos e qualitativos da página, assim como os números de curtidas, comentários e compartilhamentos das publicações.

Potencialize seu negócio nas redes sociais

Veja 5 ferramentas para gerenciar seus perfis, aperfeiçoar imagens e analisar resultados na internet

 

Já há algum tempo, pequenas e grandes empresas perceberam o potencial que as redes sociais têm: seja para estabelecer um relacionamento mais estreito, ou para divulgar seus produtos e serviços, essas “organizações digitais” atuam como uma forma de trazer os consumidores para perto de uma forma simples e com um custo baixíssimo. Para quem trabalha com vendas diretas não funciona diferente, por isso, trouxemos dicas de ferramentas para facilitar sua experiência na internet:

 

1 – Social Bro

Para acompanhar os melhores momentos de publicar seus tweets, medir a audiência e analisar o perfil de quem mais lê suas publicações. Um período de teste é oferecido gratuitamente por 15 dias.

 

2 – LikeAlyzer

Para quem usa o Facebook intensamente, o LikeAlyzer oferece uma análise das páginas mais populares por categorias e/ou por país, além de oferecer dados sobre a popularidade da sua Fanpage. Gratuito.

 

3 – Pagemodo

Ajuda a criar imagens para a capa do Facebook e para os posts, além de abas personalizadas para a sua Fanpage. O site oferece recursos básicos para uso gratuito.

 

4 – Curalate
Quem possui perfil no Instagram também pode contar com ajuda. No Curalate, é possível monitorar a conta de perfis importantes para benchmarking, analisar os resultados do seu próprio perfil e identificar os seguidores mais influentes. Período de testes disponível.

 

5 – Share as image
Um site para criar e editar imagens com aparência profissional de um jeito rápido e prático. A navegação é intuitiva e permite o upload de imagens próprias, além das opções já disponíveis. Possibilidade de uso gratuito.

2019-12-20T15:12:05-03:00julho 20th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , , |

Adote boas práticas de segurança da informação para sua rotina

Aprenda como lidar com a segurança da informação na internet

 

Você tem o hábito de usar aparelhos eletrônicos para reunir contatos, organizar a agenda, fazer transações e outras pequenas facilidades que ajudam a rotina? Até o seu próprio celular pode ser capaz de reunir várias dessas funcionalidades para economizar tempo e tornar o dia muito mais prático. Mas fique atento: para a praticidade não se tornar preocupação, é importante tomar alguns cuidados.

 

A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (Federal Trade Comission – FTC) publicou uma série de instruções simples e eficazes para manter a segurança e a privacidade das informações que usamos, sejam pessoais ou de consumidores, num tempo onde todos estão cada vez mais conectados, e pretendem fazer da internet um meio seguro e competente para se fazer negócios.

 

O relatório foi feito a partir da contribuição de tecnólogos e acadêmicos, representantes da indústria, consumidores e advogados e todos os que participaram do FTC’s Internet of Things workshop, um evento para discutir “a internet das coisas”, termo que foi criado para definir a comunicação através da internet entre dispositivos eletrônicos, como tablets, smartphones ou computadores.

 

Entre as principais recomendações discutidas, estão:

 

  • Procurar meios de deixar todos os seus dispositivos sempre protegidos, antes de avaliar alguma atividade suspeita (como vírus e programas não identificados);

 

  • Se você divide dados com outras pessoas, compartilhe hábitos de segurança, para evitar riscos durante a transmissão de arquivos;

 

  • Mantenha uma backup atualizado dos seus arquivos mais importantes;

 

  • Crie códigos e senhas para impedir que usuários não autorizados acessem informações pessoais armazenadas na rede,

 

  • Sempre que possível, monitore a atividade de todos os seus dispositivos conectados a Internet.

 

2019-12-20T12:25:13-03:00junho 24th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Avon se aproxima das clientes com maquiagem digital

Empresa aposta em inovação e clientes podem simular uma maquiagem com as suas próprias fotos apenas em um clique

Com um mercado cada vez mais competitivo e inovador, as empresas de venda direta precisam se reinventar sempre que planejam colocar algum produto na praça. E foi isso o que fez a Avon. A empresa acabou de lançar um aplicativo digital que permite com que as suas consumidoras possam fazer uma simulação completa de maquiagem, em alta precisão, utilizando as linhas da marca.

Disponível para computadores, tablets e smartphones, o aplicativo de maquiagem é de fácil navegação e funciona de maneira intuitiva. O usuário pode importar as suas próprias fotos para fazer as simulações ou se utilizar de rostos femininos genéricos que estão disponíveis na ferramenta. O simulador é interativo, e permite aos usuários selecionar os pontos mais interessantes e ampliá-los para uma aplicação perfeita do produto.

Após a simulação, o aplicativo gera uma lista com os nomes dos produtos utilizados, as cores selecionadas e o preço de cada um. São 37 itens em 188 cores da Linha Avon de Maquiagem, o que permite a consultora trabalhar com o portfólio inteiro de produtos de uma maneira mais lúdica, tornando a experiência com a marca ainda mais interessante.

Para finalizar, a imagem ainda pode ser compartilhada via redes sociais. Além de encontrar o aplicativo no site da Avon, os interessados podem baixá-lo via App Store.

2019-12-20T15:12:07-03:00maio 11th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Autonomia na Venda Direta

Novas tecnologias ajudam revendedores na hora de conquistar os clientes

Ao invés de abrir uma loja e ter que se preocupar com estrutura e gastos fixos, como aluguel e mão de obra, por que não ir direto ao cliente? Esse é um dos principais diferenciais proporcionados pela venda direta. Além dos aspectos financeiros, este modelo de negócio se encaixa, perfeitamente, ao desejo do consumidor, que a cada dia busca mais praticidade.

A venda direta se popularizou no Brasil com a venda de cosméticos – produto que ainda domina o mercado no país -, mas outras categorias começam a se interessar pelo setor. De acordo com Roberta Kuruzu, diretora-executiva da ABEVD, entre os principais desafios da venda direta está tornar a marca conhecida para atrair clientes e fidelizar vendedores.

Como os profissionais de venda direta são autônomos, eles costumam trabalhar com produtos diferentes. “A sacola do revendedor é concorrida por todas as empresas. É preciso convencê-lo de que o produto é bom e os ganhos serão maiores para que ele queira depois oferecer ao cliente”, comenta Roberta. As empresas também precisam ter cuidado de entregar para o revendedor o pedido correto e no tempo combinado, garantindo um bom nível de serviço. Caso contrário, a pessoa está livre para fazer parceria com outra empresa.

Tecnologia a favor

A internet se tornou uma ferramenta poderosa de relacionamento. Hoje, o revendedor consegue marcar vários encontros, e, graças às redes sociais, ele consegue se relacionar com mais pessoas e aumentar seus negócios. Geralmente as empresas já oferecem um pacote de comunicação para facilitar o trabalho de distribuição de posts na rede.

As novas tecnologias podem ajudar a atrair um novo perfil de revendedor: jovens que lidam bem com os meios digitais. Porém, não deve haver uma migração total da força de venda para a internet, pois o contato com as pessoas é importante. O cliente gosta de sentir o cheiro e a textura para se convencer a comprar.

 

2019-12-20T14:05:42-03:00março 12th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Empresas digitais se inspiram na venda direta

Para atrair clientes, donos de e-commerce e aplicativos estão apostando neste tipo de venda

Uma das maiores dificuldades da venda online hoje no Brasil, ainda é a falta de confiança das pessoas na hora da compra. Umas das soluções encontradas pelos donos desses negócios, foi contar com um time de vendedores diretos para atenderem os clientes mais tradicionais.
Essa foi uma das situações enfrentadas por Fernando Okumura, que para abrir o seu negócio, o Kekanto, teve como inspiração a venda direta. Mesmo sendo um guia online de lugares e serviços, a empresa recrutou vendedores externos. “O relacionamento pessoal é sempre mais rico, passa mais informação do que o telefone ou o e-mail. O dono do estabelecimento acaba se sentindo mais confortável”, afirma Fernando.
O diretor da consultoria E-bit, Pedro Guasti, conta que recorrer aos profissionais de vendas diretas para ficar na rua atrás de clientes pode ser algo imprescindível em alguns modelos de negócios. Essa estratégia é comum em empresas que precisam vender ou fechar parcerias com outras empresas ou profissionais autônomos. O maior desafio enfrentado pelas empresas online é convencer pessoas a adotarem um serviço que não conhecem.
Esse foi o caso de Marcelo Ferreira quando começou o HelloFood. Ele pessoalmente visitava os restaurantes e tentava convencer os donos a listar seus estabelecimentos entre os que faziam o delivery de comida pela plataforma. Hoje a empresa consta com 40 profissionais de vendas, que visitam, em média, três restaurantes por dia.
Já Thiago Kuin, dono da Loja do Profissional – e-commerce de produtos para pequenas indústrias e outros segmentos profissionais – viu a necessidade de ter vendedores diretos quando percebeu a falta de cultura das empresas de seu mercado de comprar pela internet. Antes de fecharem a compra pela internet, os clientes costumam ligar para ver se a empresa realmente existe e checarem o endereço da loja.

2019-12-20T14:05:45-03:00janeiro 7th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Conheça os hábitos de consumo na internet

Estudo acadêmico mostra como é o uso do banco de dados nas ações de marketing para venda direta

Hoje, a tecnologia está presente em todos os aspectos da nossa sociedade, principalmente na profissional. E no caso da venda direta, isso não é diferente.

Em trabalho acadêmico, realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, “Venda direta. Um estudo dos hábitos de consumo na internet e do uso de banco de dados nas ações de marketing direto”, o autor, Leonardo Brenner Fleck, descreve o mercado de venda direta no Brasil, apresentando alguns conceitos sobre o marketing direto no ambiente da internet.

Por meio de ferramentas, como data-mining ou mineração de dados, ele mostra que é possível usar informações de um grupo de usuários armazenadas em um banco de dados, para enviar mensagens e oferecer serviços designados especialmente para estes clientes. Além disso, o artigo mostra que além da internet, outros canais de distribuição como colegas da escola, colegas do trabalho, amigos e familiares continuam sendo utilizados em certos segmentos da venda direta.

2019-12-20T11:43:36-03:00novembro 26th, 2014|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

A consolidação de plataformas virtuais na venda direta

Empresas de venda por catálogo apostam em plataformas virtuais para aumentar lucro

Desde sua chegada ao Brasil na década de 1940, a venda direta construiu uma rede social para o comércio de produtos e serviços. Mais de 70 anos depois, a internet e as plataformas virtuais se fazem cada vez mais presentes nas nossas vidas, e o revendedor passou a aproveitar as páginas web para alcançar um maior público e ampliar as vendas em todas as redes de negócios.
As iniciativas
Redes como Polishop, Marisa e Natura já aderiram ao segmento. A Natura, por exemplo, lançou a plataforma Consultora Natura Digital, um projeto-piloto disponível ainda apenas para a região de São Paulo, que visa expandir seus negócios no mundo virtual. Nele, as vendedoras podem montar uma página própria na internet para comercializar seus produtos, escolher itens que ficam em destaque e até mesmo criar promoções.
A POLISHOP, uma das maiores empresas multicanais do mundo, disponibiliza para seus revendedores uma plataforma de loja virtual que pode ser personalizada, além de um escritório virtual para gerenciar o negócio.A Herbalife também aderiu à ferramenta digital, possibilitando aos vendedores construir o próprio site.
Mercado em rede
Em dados divulgados pela World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), o Brasil ocupa a 4ª posição mundial no ranking das vendas diretas e, diante dos números do setor – que envolvem uma rede de 4,5 milhões de pessoas – a participação das vendas virtuais ainda não é tão grande no país. Entretanto, o modelo digital começou a ganhar espaço a pouco tempo e a internet tende a ganhar mais espaço nas vendas, não substituindo as revendedoras, mas tornando-se um nova ferramenta de contato com o cliente.
Tema em debate
O uso das redes sociais na venda direta será o principal assunto a ser discutido no XIV Congresso Mundial da Federação Mundial de Associações de Empresas de Vendas Diretas (WFDSA – World Federation of Direct Selling Associations). Sob o tema central “Vendas Diretas: a Rede Social Original”, o evento acontecerá entre 10 e 12 de novembro no Rio de Janeiro. Saiba mais: https://www.wfdsa2014rio.com/panels.asp
 

Ir ao Topo