Empreendedorismo e digitalização em pauta

A programação do 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas contou com muitos encontros concorridos. Mediado pela vice-presidente jurídica da Avon América Latina do Sul, Ana Beatriz Macedo da Costa, o painel “Momento Empreendedor: Oportunidades e Desafios” teve a participação de Ana Fontes, presidente do Instituto Rede Mulher Empreendedora, e Rossana Sadir, presidente da Amway Brasil.

Rossana apresentou os dados sobre uma pesquisa feita pela empresa sobre a percepção do empreendedorismo no Brasil e no mundo. De acordo com a executiva, a média global de pessoas que querem empreender é de 47%. Já entre os brasileiros, a taxa chega a 57%.

No entanto, ainda há algumas barreiras que impedem, tanto jovens quanto mulheres a empreenderem no país. Segundo Ana Fontes, a dificuldade de acesso ao crédito, a baixa autoconfiança das mulheres e a falta de redes de apoio são os principais entraves para o empreendedorismo feminino no Brasil.

Surge então o papel fundamental que as vendas diretas proporcionam a milhões de empreendedores em todo o país. Rossana destacou que as empresas do setor oferecem treinamentos de capacitação e de negócios e que são os verdadeiros pontos de apoio para inúmeras pessoas que não têm acesso a estes conhecimentos.

Ao apresentar dados sobre a situação dos microempreendedores, Ana Fontes reforçou os benefícios oferecidos pelo setor como o baixo investimento inicial, a logística disponibilizada pelas empresas para entregar os produtos, além da qualidade dos serviços para a população.

A tecnologia nossa de cada dia – Convidado para falar sobre futuro, o especialista Luis Guedes iniciou sua apresentação com a seguinte frase “adaptar-se era algo do século 20”. Ao apresentar conceitos e ideias que parecem – à primeira vista – futuristas, o professor mostrou aparelhos que já fazem parte da vida de muitas pessoas.

O mundo como conhecíamos há 15 anos já não existe mais e as transformações são constantes. A fronteira do real com o virtual está cada vez menor e tudo acontece ao mesmo tempo.

Com a lição de que todo dia é preciso aprender algo novo para se tornar um profissional melhor, Luis convidou à reflexão sobre a importância do conhecimento. A dica é: nunca fique parado, se não o mundo passa por cima de você.

Chamados ao palco para um bate-papo, Jordan Rizzetto, vice-presidente e diretor geral da Herbalife Nutrition no Brasil e Malte Horeyseck, presidente da Jafra falaram sobre os principais desafios de suas empresas neste contexto tecnológico.

A Herbalife Nutrition está implementando no Brasil uma estratégia de segmentação que faz uma distinção entre consultores independentes e clientes que se cadastram para adquirir produtos com desconto. Para Jordan, essa estratégia contribui para que o consultor independente se integre ao modelo digital da empresa sem perder o DNA da venda direta. A ideia é como empoderar o consultor – de diferentes origens e gerações – para que ele entre no campo hi-tech, mas de uma forma high-touch. Ou seja, a estratégia de segmentação vai além da forma de cadastro e está proporcionando uma experiência e dinâmica distintas para ambos os públicos com comunicações de marca personalizadas e customizadas. E, mesmo que o cliente fidelizado possa comprar os produtos diretamente da empresa, a relação dos consultores e clientes será preservada.

Já Malte explicou que assumiu a Jafra em dezembro e vem implementando ações para sanar alguns problemas de ordem financeira e comercial, mas que a ideia é aliar as tecnologias disponíveis no mercado – principalmente as ferramentas digitais – com os modelos tradicionais de vendas diretas. Malte foi um dos fundadores da Dafiti no Brasil e fez um paralelo entre as ações que fizeram a Dafiti decolar e as que pretende implantar na Jafra em termos de inovação.

Fonte: ABEVD