Natura e Santander fazem parceria para oferecer serviços bancários exclusivos para mais de 1 milhão de Consultoras

Consultora de Beleza Natura poderá abrir conta sem custo de manutenção e terá acesso a linha de microcrédito digital e maquininha de cartões

A Natura, em parceria com o Santander, será a primeira empresa de venda direta do Brasil a oferecer uma conta bancária com benefícios exclusivos para suas consultoras. A iniciativa, parte do plano de revitalização e digitalização de seu modelo de negócios, contribuirá para a bancarização e a elevação de produtividade e renda das Consultoras de Beleza Natura.

Em uma conta aberta e administrada de forma totalmente digital, no site da Natura e pelo aplicativo desenvolvido para as Consultoras, será possível ter acesso a serviços bancários como o cartão Natura, saque, depósitos, transferências entre bancos e maquininha portátil para pagamentos com cartões de crédito e débito, com condições exclusivas e diferenciadas. A conta receberá diretamente as receitas de vendas (realizadas por meio da página online, a Rede Natura, ou das vendas presenciais realizadas com a maquininha de cartão). O saldo poderá ser utilizado para realizar compras com o cartão Natura, pagamento de contas e transferências.

Outra novidade é a possibilidade de contratar microcrédito, diretamente no aplicativo, que poderá ser utilizado apenas para as compras de produtos do portfólio Natura. A iniciativa visa oferecer crédito para que as Consultoras de Beleza possam investir na expansão e profissionalização de sua atividade. Trata-se de uma operação inovadora e pioneira em microcrédito digital do país.

“Essa é mais uma iniciativa para empoderar as consultoras, para que ofereçam uma melhor experiência às suas clientes. Além disso, estamos contribuindo para bancarizá-las, inclui-las socialmente”, afirma João Paulo Ferreira, presidente da Natura. “O objetivo é fazer a Consultora ganhar mais, e aí ganharemos mais também. Se elas fizerem melhores negócios, todo mundo ganha. É também mais um passo para seguir construindo lealdade. Novos serviços como esse abrem caminho para que a produtividade das Consultoras siga subindo.”

“Apoiar as Consultoras da Natura é apoiar o empreendedorismo e a inclusão financeira, algo fundamental em nosso Brasil de hoje, que tem como desafio mais urgente a geração de emprego e renda”, afirma Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil. “Essa parceria só foi possível porque somos um banco que olha para as cadeias de valor de forma integrada. Somos capazes de oferecer soluções tanto para as grandes empresas quanto para seus fornecedores, colaboradores e parceiros.”

Para desenvolver o projeto para a Natura, o Santander utilizou de forma integrada e customizada soluções oferecidas por três unidades do grupo: a Superdigital, uma conta de pagamentos digital que terá sua interface embarcada no site utilizado pelas Consultoras; a SuperGet, maquininha portátil de pagamentos da Getnet, com a melhor taxa do mercado, e o Prospera Santander Microcrédito, o maior e mais eficiente programa privado de microcrédito produtivo orientado do país, de forma 100% digital e sem necessidade de fiador ou grupo solidário.

Desde 2016, a Natura realiza estudo para mensurar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de suas Consultoras. Um dos pontos de atenção evidenciados pela pesquisa foi a educação financeira. Para tratar dessa questão, o cartão da Conta Natura será pré-pago, ou seja, a Consultora só poderá fazer compras se tiver saldo disponível. A Natura também oferecerá para as consultoras treinamentos sobre finanças ministrados por Whatsapp.

A iniciativa da Conta Natura estará disponível para a rede de 1,1 milhão de Consultoras no Brasil ainda no primeiro semestre de 2019.

 

Fonte: @NaturaBrOficial                                                                                                                                                     

Início de ano em alta

Diferentemente da indústria, o comércio varejista começou 2019 crescendo. Suas vendas reais apresentaram um desempenho positivo tanto em relação a dezembro do ano passado (+0,4%, com ajuste sazonal) como na comparação com janeiro de 2019 (+1,9%). Consideradas as vendas de automóveis, autopeças e material de construção, o quadro é ainda mais favorável (+1% ante dez/18 e +3,5% ante jan/18).

Deste modo, o nível de atividade do setor na entrada de 2019 permanece muito próximo daquele registrado no final do ano passado, muito embora, devido ao segmento de veículos e autopeças, tenha havido alguma desaceleração no varejo ampliado.

O contraste do resultado obtido no 4º trim/18 e o de janeiro de 2019, em relação ao mesmo período do ano anterior, ilustra bem este ponto. Em seu conceito restrito, alta de +1,9% em jan/19, como mencionado anteriormente, e de +2,2% no 4º trim/18. Em seu conceito ampliado, essas variações são de +3,5% e +4,4%, respectivamente.

Ao continuar avançando, o desempenho do varejo tem descolado ainda mais daquele da indústria, que voltou a enfrentar uma nova etapa de recessão na virada de 2018 para 2019. O diferencial em favor do varejo ampliado já vinha ocorrendo desde o início da recuperação econômica em 2017, mas ao se intensificar já aparece na comparação 12 meses, que capta tendências de mais longo prazo.

Assim, entre fev/18 e jan/19, enquanto o varejo ampliado acumulou alta de +4,7% frente aos doze meses anteriores, a indústria variou somente +0,5%, isto é, uma diferença de 4,2 pontos percentuais. Essa diferença de ritmo para o período fev/17 e jan/18 era de apenas 1,7 p.p.. Não é de se estranhar, então, que as importações de manufaturados venham crescendo mais fortemente nos últimos meses.

Apesar deste comportamento geral, muitos segmentos do comércio não só tiveram seus resultados reduzidos com a entrada de 2019, mas chegaram a voltar ao vermelho, como mostram as variações interanuais abaixo.

  • Varejo restrito: +2,2% no 4º trim/18 e +1,9% em jan/19;
  • Varejo ampliado: +4,4% e +3,5%, respectivamente;
  • Supermercados, alimentos, bebidas e fumo: +2,1% e +2,2%;
  • Material de construção: +2,5% e +2,2%;
  • Outros artigos de uso pessoal e doméstico: +8,5% e +6,4%;
  • Veículos e autopeças: +13,3% e +8,8%;
  • Móveis e eletrodomésticos: -2,0% e -2,8%;
  • Tecidos, vestuário e calçados: +1,6% e -1,2%, respectivamente.

Pioraram seu desempenho de jan/19 a ponto de ficarem no negativo, o segmento de tecidos, vestuário e calçados, que também tinha perdido vendas reais em dez/18 (-1,5% ante dez/17), e o segmento de móveis e eletrodomésticos. Neste último caso, ocorre retração das vendas desde julho do ano passado, com exceção do mês de outubro (+1,5%), por isso, seu 4º trim/18 também já tinha sido ruim. Os juros do crédito às famílias, que pararam de cair, são fator importante para esta trajetória.

Outros também reduziram seu ritmo de expansão em relação ao último trimestre de 2018, mas ainda assim mantiveram taxas bastante positivas em jan/19, como o segmento de outros artigos de uso pessoal e doméstico (+6,4% ante jan/18) e veículos e autopeças (+8,8%).

Em linha com o varejo total, isto é, com relativa manutenção do crescimento na virada do ano, estão segmentos de peso, como o de supermercado, alimentos, bebidas e fumo, na faixa de +2%, e o de material de construção, na faixa entre +2% e +2,5%.

A partir dos dados de janeiro de 2019 da Pesquisa Mensal do Comércio divulgados hoje pelo IBGE, o índice de volume de vendas do comércio varejista nacional, na série com ajuste sazonal, registrou expansão de 0,4% frente a dezembro de 2018. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior aferiu-se acréscimo de 1,9% e no acumulado dos últimos doze meses verificou-se incremento de 2,2%.

No que se refere ao volume de vendas do comércio varejista ampliado, que inclui vendas de veículos, motos, partes e peças e de materiais de construção, registrou-se variação positiva de 1,0% em relação a dezembro de 2018, a partir de dados livres de influências sazonais. Com relação ao desempenho comparado ao mesmo mês de 2018, houve crescimento de 3,5%. Para o acumulado dos últimos 12 meses registrou-se crescimento de 4,7%.

A partir de dados dessazonalizados, sete dos oito setores registraram acréscimos em comparação ao mês imediatamente anterior: equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (8,2%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,2%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,6%), combustíveis e lubrificantes (0,5%), móveis e eletrodomésticos (0,4%) e livros, jornais, revistas e papelaria (0,2%), tecidos, vestuário e calçados (0,1%). Por outro lado, o seguimento de artigos farmacêuticos, médicos, ortopedia e de perfumaria apresentou retração de 0,5%. Para o comércio varejista ampliado, houve incremento de 1,0%, sendo que veículos, motos, partes e peças expandiu 5,7% e material de construção cresceu 0,1%.

Em relação ao mês de janeiro de 2018, registraram-se variação positiva em cinco das oito atividades que compõem o varejo: artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7,2%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,4%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (2,2%), equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (1,6%) e combustíveis e lubrificantes (1,4%). Os demais setores apresentaram decréscimos: livros, jornais, revistas e papelaria (-27,3%), móveis e eletrodomésticos (-2,8%) e tecidos, vestuário e calçados (-1,2%). Ainda nessa base de comparação, no comércio varejista ampliado registrou-se incremento de 3,5%, com expansão de 8,8% em veículos e motos, partes e peças, e crescimento de 2,2% em material de construção.

Por fim, comparando a janeiro de 2019 com janeiro de 2018, 13 das 27 unidades federativas apresentaram crescimento do volume de comércio, sendo as maiores variações na ordem decrescente: Espírito Santo (9,7%), Santa Catarina (8,2%), Mato Grosso (7,5%), Acre (7,1%), Mato Grosso do Sul (6,5%), Rio Grande do Sul (5,2%) e Rondônia (4,0%). Por outro lado, 14 dos 27 estados registraram queda, com destaque para: Piauí (-6,9%), Tocantins (-5,0%), Paraíba (-4,1%), Pernambuco (-3,4%) e Amazonas (-3,2%).

 

Fonte: IEDI Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial

2019-12-20T14:32:04-03:00março 18th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

A digitalização da Venda por Relações

* Por Erasmo Toledo

 

Mais de 4 milhões de pessoas no Brasil atuam no setor de vendas diretas. Deste número, mais de um quarto – 1,1 milhão – são Consultoras de Beleza Natura. Isso representa a força e o impacto que a atividade exerce na vida dos brasileiros. Somos uma empresa que nasceu da paixão pelas relações, e por isso a venda direta está no centro do nosso modelo de negócios.

Ao mesmo tempo, a venda direta passa por transformações intensas. Em um mundo cada vez mais digital, dar ferramentas para que as consultoras possam atender seus clientes onde quer que eles estejam é essencial para tornar a consultoria uma atividade cada vez mais profissional e moderna.

E é isso que buscamos fazer com a Venda por Relações, como passamos a chamar a venda direta na Natura a partir de 2017. Revitalizado, o novo modelo de negócio busca reforçar os três alicerces dessa relação: Propósito, Pertencimento e Prosperidade. O propósito nos conecta com a crença de que a cosmética é um caminho para construir um mundo mais bonito em todos os sentidos; o pertencimento se dá devido à rede viva de pessoas que celebram e acolhem a individualidade, a diversidade e a troca de experiências e ideias; a prosperidade, por fim, transforma a vida da Consultora, tornando-a mais completa e feliz.

A digitalização chega para aproximar e ampliar o contato entre Consultoras e consumidores. Graças à maior capacidade de interação, essas empreendedoras podem ampliar sua base de clientes e potencializar lucros. Sabemos que a relação se constrói também por meio do contato cada vez mais frequente, por isso os meios digitais contribuem para que a consultora seja cada vez mais assertiva em suas ofertas e serviços, ao administrar informações de clientes, realizar treinamentos para aumentar vendas e aumentar seu alcance geográfico.

Todo o esforço digital da Natura tem colhido resultados muito animadores para o crescimento da empresa e desenvolvimento de sua rede de relações. Já são mais de 860 mil consultoras com acesso à nossa plataforma online (web e aplicativo), pelo qual é possível postar pedidos, solicitar segunda via de boleto, renegociar dívidas e até mesmo contar com um serviço de CRM desenvolvido a partir do perfil de suas clientes.

Sabemos que as Consultoras que utilizam as ferramentas digitais oferecidas pela nossa plataforma têm um aumento médio de 10% em suas vendas. E, claro, com isso ainda conseguimos atingir outra meta importante de inclusão social, que é digitalizar todos os níveis de Consultoras – tanto aquelas que já tinham familiaridade com a internet e redes sociais, como aquelas que ainda tinham um caminho maior a ser seguido.

As mais de 500 mil Consultoras Digitais no Brasil e na América Latina, que atuam com a própria loja online, também encontram nessa atividade a oportunidade de aliar horários flexíveis com ganhos financeiros de acordo com o esforço empreendido. Ao apostar em vídeos tutoriais, vendas por WhatsApp e até mesmo em anúncios direcionados ao próprio e-commerce, as Consultoras conseguem ganhar escala e vender para clientes de todos os pontos do país, reforçando o empreendedorismo da rede.

Outra oportunidade, que fortalece nossa busca por oferecer a experiência de compra mais completa para o consumidor, são as franquias Aqui Tem Natura. Oferecidas com exclusividade para as Consultoras de Beleza Natura com melhor desempenho e relacionamento próximo com a marca, as franquias buscam atender um perfil de cliente que busca produtos de uso diário e maior conveniência nas compras. Para as consultoras, este é um novo caminho possível de desenvolvimento, que complementa o plano de crescimento para as consultoras de perfil mais empreendedor.

A jornada de digitação da empresa e as novas oportunidades oferecidas para a consultora fazem dessa uma atividade moderna, que atende a todos os perfis de clientes, o que é chave para o sucesso da profissão em um mundo em constante transformação.

* Erasmo Toledo é vice-presidente de venda direta da Natura

Março: mês de celebrar a força feminina

No mês de março celebra-se o Dia Internacional da Mulher e a força feminina é um dos motores das vendas diretas. Dos 4,1 milhões de brasileiros que atuam na atividade, 56,7% são do sexo feminino.

Este contingente de 2,3 milhões de pessoas encontrou nas vendas diretas a oportunidade de conciliar independência financeira com flexibilidade de horários.

Em depoimentos concedidos por empreendedoras e veiculados nas mídias da ABEVD, a maioria diz ter escolhido atuar no setor, pois a atividade lhe proporcionou a liberdade que não havia no mercado de trabalho tradicional.

As vantagens do setor de vendas diretas atraem pessoas decididas a buscarem autonomia financeira e que ainda assim conciliam com outras atividades.

Outro benefício do setor está relacionado ao fácil acesso. Com baixos investimentos iniciais, o setor mostra-se atrativo, pois permite que as pessoas iniciem com o seu círculo de amizades para depois, expandirem suas vendas e rede no sentido de conquistarem renda proporcional ao seu esforço.

“O empoderamento feminino, prosperidade e independência proporcionados pela atividade são uma marca constante do setor, pois além de fortalecer a atuação profissional das mulheres, ajuda a transformar vidas”, comenta Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD.

Fonte: ABEVD

Vendas Direta no Mundo

4 maneiras de impactar sua organização

*Por Tony Jeary

Nesse artigo, falaremos sobre ganhar clareza estratégica sobre as coisas que mais importam. Como líder no setor de vendas diretas, você obviamente tem (ou deveria ter) clareza estratégica do resultado desejado para então ajudar seus distribuidores a obter mais distribuidores. Quero contribuir para que você amplie sua reflexão sobre quatro temas de impacto para sua organização: ferramentas, escuta, efeito cascata e atividades de alta influência.

 

Ferramentas

Pense nas ferramentas que você tem atualmente. Estão desatualizadas? São as melhores que você poderia criar? Seus distribuidores estão animados para usá-las? São fáceis de acessar (ou é simplesmente o caso contrário)?

 

Muitas pessoas que ocupam cargos elevados não pensam estrategicamente em modos de facilitar o uso de ferramentas que maximizem sua eficiência e sua eficácia. Em todo o trabalho que fiz junto a executivos de vendas diretas, uma das maiores dificuldades que ouço é que seus distribuidores lutam para entender como fazer uso melhor de suas ferramentas – que não são fáceis de usar, aliás.

Pode acontecer de você precisar pensar estrategicamente sobre a eficácia de suas ferramentas. Quantas você tem? O que precisa ser atualizado ou jogado fora? Por acaso em suas mensagens há confusão ou distração em excesso?

 

Escuta

Você já está pensando em treinar seus distribuidores para a escuta estratégica? Trata-se de algo frequentemente ignorado. Muitas vezes pensamos sobre o que vamos promover – certo benefício do produto, certa história de sucesso – e, no entanto, uma grande peça do quebra-cabeças no mundo da construção de relacionamentos é ser estratégico na escuta.

Nas vendas diretas, você ensina seus distribuidores que, quando estão trabalhando para atrair alguém, eles estão, na verdade, ouvindo atentamente o cliente em potencial, até mesmo fazendo anotações enquanto conversam, para melhor comunicar que:

  • em primeiro lugar, o cliente foi ouvido (as pessoas querem se sentir ouvidas e, quanto melhores as notas, melhor o impacto).
  • seu produto ou serviço se aplica ao cliente, ao seu mundo e à sua visão de sucesso.
  • a união de sua equipe irá beneficiar o cliente (as pessoas querem o que querem; querem saber o porquê – os benefícios relacionados aos valores, objetivos e prioridades). Portanto, ensine sua equipe a escutar!

 

Efeito cascata

Quando você, como líder corporativo, planeja um evento, geralmente pensa estrategicamente sobre coisas como orçamento, contratação dos talentos certos, criação de uma boa programação, uso dos melhores equipamentos e todos os outros aspectos que tornam um evento espetacular.

Às vezes, no entanto, a tarefa de acompanhamento se torna uma reflexão tardia. Se a mensagem do evento for lançar uma nova campanha, uma nova direção ou uma nova oferta que atraia mais distribuidores, você precisa saber como fazer para que essa informação gere um efeito cascata (passar informações para outros níveis, no âmbito corporativo e também fora dele) e, desta forma, que você possa manter seu momentum.

O ideal é que você já tenha pensado sobre o acompanhamento. Participei de um grupo em que uma das coisas específicas sobre as quais falamos foi como preparar, antes do evento, os itens de follow-up. Esse tipo de tarefa facilita o envio imediato de e-mails, links e outras ferramentas de acompanhamento, de 24 a 48 horas após o término do evento. Quando você pensa estrategicamente para que o acompanhamento não seja feito de forma descuidada nem aconteça apenas no último minuto, você obtém um nível de impacto muito maior.

 

Atividades de alta influência

Apesar de já termos falado, na edição de janeiro, sobre as atividades de alta alavancagem, eu queria voltar novamente ao tema, porque ele ajuda os distribuidores a avaliar o uso do tempo e é uma das principais maneiras de conseguir melhorias. Certamente você já conhece e emprega esse conceito mas, no entanto, talvez não tenha pensado estrategicamente sobre como comunicar aos distribuidores o modelo completo de Atividades de Alta Influência.

Além de incluir sua filosofia nos kits de integração, talvez você possa passar para um nível maior de comunicação se incorporar à integração um treinamento que ajude seus atuais distribuidores a pensar no melhor uso do tempo. Vou dar um exemplo do funcionamento da ideia e de como ela pode atrair pessoas para seu negócio.

Sou amigo de um dos principais distribuidores de uma determinada empresa. Ele é frequentemente chamado de “o Atraidor”. Atrai pessoas para sua equipe com sua atividade de alta influência e então cria, todos os dias, o que ele chama de “Os 20 mais”, uma lista de 20 pessoas em quem ele deseja investir e que quer atrair para seu negócio. Ele reescreve sua lista regularmente e a carrega no celular ou no bolso, observando-a várias vezes ao dia para ter certeza de que está no caminho certo.

Nenhuma habilidade nem hábito algum têm impacto mais poderoso nos resultados do que a capacidade de eliminar distrações (atividades de baixa influência) e se concentrar em suas atividades de alta influência. Transmitir essa ideia para seus distribuidores pode surtir um efeito enorme em toda a organização. * Tony Jeary é estrategista e autor renomado em busca de resultados.

* Tony Jeary é estrategista e autor renomado em busca de resultados.

Fonte: DSN

Resultados da Natura em 2018

A Natura registrou forte crescimento em 2018. No ano passado, a receita líquida reportada cresceu 36% em relação ao ano anterior, para R$ 13,4 bilhões, e a receita líquida ajustada (que inclui 12 meses da The Body Shop como se tivesse feito parte da Natura &Co em todo o ano de 2017) subiu 13,5%. O lucro líquido reportado no quarto trimestre subiu 48,7%, para R$ 381,7 milhões.

A Natura apresentou o trimestre mais forte de sua história em receita líquida, atingindo R$ 2,7 bilhões, alta de 15,7% no quarto trimestre e 9,9% no ano, graças às fortes campanhas de Natal no Brasil e na América Latina. No Brasil, as vendas reportadas cresceram 12,9% no quarto trimestre, com ganhos contínuos em participação de mercado.

O nono trimestre consecutivo de ganhos de produtividade por parte das consultoras também demonstrou o vigor do modelo comercial de Venda por Relações.

Para saber mais detalhes, confira a matéria completa aqui.

Fonte: Natura

 

2019-12-20T14:32:07-03:00março 15th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , , |

Avon lança programa para mudar vidas de 100 milhões de mulheres por ano

A Avon lançou recentemente o plano global #PorEla com o objetivo de enfrentar algumas das maiores barreiras que impedem as mulheres de atingir seu pleno potencial.

Como parte da sua estratégia de negócios, a ação global visa transformar as vidas de 100 milhões de mulheres por ano em todo o mundo, favorecendo sua liberdade para que conquistem seu próprio caminho, possam se expressar plenamente e viver uma vida segura e saudável.

Estudo realizado pela Avon com levantamento da Oxford Economics mostrou que as mulheres ainda não se sentem encorajadas para empreender. Mais da metade das mulheres não têm recursos financeiros para criar o próprio negócio, o que pode representar uma perda potencial no PIB global de US$ 12 a 18 trilhões por ano.

Ainda de acordo com a pesquisa, 77% das mulheres afirmaram que trabalhar aumenta sua confiança, 65% disseram que o trabalho melhorou a forma como são tratadas pelos outros e 74% falaram que o trabalho aumentou sua capacidade de ser um modelo para seus filhos

Para saber mais sobre o programa, clique aqui e acesse a notícia na íntegra.

Fonte: Avon

2019-12-20T14:32:08-03:00março 15th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , , |

Vendas globais da Amway superam US$ 8,8 bilhões em 2018

Em seu 60º ano de atividade, a Amway encerrou 2018 com vendas globais de US$ 8,8 bilhões, um aumento de dois por cento sobre os números de vendas de 2017.

A Amway atribui o crescimento nas vendas aos investimentos significativos em ferramentas digitais e experiências em mobile, bem como em inovações de produtos que ajudaram os empreendedores a atrair e reter mais clientes. Isso inclui a ativação de mais comércio eletrônico, conectando mais produtos a experiências digitais e personalizando mais produtos de nutrição e beleza.

Todos esses produtos e lançamentos levaram ao crescimento geral da Amway, especialmente nas categorias de nutrição e beleza. As vendas em nutrição e bem-estar foram 52% das vendas no mercado da Amway, um aumento de 3% em relação a 2017. A beleza e os cuidados pessoais foram de 26%,

Racco realiza evento e cruzeiro para líderes no Rio de Janeiro

No dia 23 de fevereiro, a Racco realizou o VipShow RJ com aproximadamente 4 mil consultores e no dia seguinte, 24/2, 200 pessoas embarcaram no Cruzeiro Racco. Em ambos, houve treinamentos, premiações e lançamentos de produtos.

O palco foi comandado por Rigueto Neto, que recebeu líderes regionais para apresentar os lançamentos das novas linhas de produtos. Os treinamentos ficaram por conta de Cleber Campos,

Em seguida foi a vez de Juliano Kaimoto com o tema Nutrição Inteligente, tratando da necessidade em alimentar-se bem, mesmo com todos os desafios do dia-a-dia.

Já no domingo, os consultores Diamantes embarcaram para o Cruzeiro Racco. Esse foi o 6º Cruzeiro organizado pela empresa.

Fonte: Racco

Ir ao Topo