Início/Adicionar código antes da tag </head>. marykay

Líderes apontam caminhos para a venda direta no Brasil

Reunidos no painel “Estratégias dos Líderes das Empresas de Vendas Diretas” mediado pela presidente executiva da ABEVD, Adriana Colloca, o presidente da Avon Brasil, José Vicente Marino, o vice-presidente de venda direta da Natura, Erasmo Toledo e o presidente da Mary Kay Brasil, Alvaro Polanco, apresentaram ideias e perspectivas para o setor no país.

Questionado sobre o atual cenário econômico nacional, José Vicente cravou: “A venda direta vai crescer quando a economia voltar a crescer”. Ou seja, apesar de termos controlado os índices de inflação, ainda há outro dado macroeconômico que impacta diretamente no setor: a renda disponível para consumo. Segundo ele, as vendas esse ano devem continuar estáveis e próximas ao crescimento do PIB.

Com os índices de desemprego em alta, o setor de vendas diretas encara um cenário paradoxo: há mais chances das pessoas buscarem a atividade como alternativa de renda, mas por outro lado, com o baixo potencial de consumo, fica mais difícil realizar as vendas.

“A força das relações vem muito do estilo do brasileiro”, falou Erasmo Toledo, ao explicar um dos motivos que fazem a venda direta ser valorizada no Brasil. Para o executivo, o segredo está na proximidade que as vendas por relações proporcionam. Além disso há as oportunidades geradas pelo setor – principalmente para as mulheres – e a classe empresária do país que é competente.

Alvaro Polanco comentou sobre os desafios enfrentados pelo setor. Para ele, que sempre teve a impressão de que o “Brasil é o país da venda direta por seu potencial”, a queda no consumo pode ser vista como a maior barreira atualmente.

Para encarar esta situação, Alvaro comentou que a empresa trabalha pela valorização da mulher, mostrando o potencial de cada empreendedora para, assim, fortalecer o negócio e ajudar o país a voltar a crescer.

Ao analisar o atual mercado brasileiro de venda direta e o seu crescimento, José Vicente Marino, falou que muitas empresas entraram no setor nos últimos anos e com isso “o mercado hoje é muito mais competitivo do que foi no passado”. Demanda mais sabedoria dos players atuais.

Em plena evolução, segundo José Vicente, a venda direta atual é impactada pela tecnologia que serve como aliada e pela hiperconectividade que vem transformando as relações de venda no setor.

A mudança provocada pela tecnologia e vivenciada pelas vendas diretas pode ser vista por meio das conexões no mundo virtual. Segundo Erasmo Toledo, as vendas diretas podem ser consideradas redes sociais que quando se digitalizam potencializam e reforçam a rede.

“Reunir líderes como José Vicente, Erasmo e Alvaro no mesmo palco foi uma grande alegria. Com eles, que são profissionais super experientes na área, foi possível ver a visão de algumas das maiores empresas para o futuro, como a digitalização está sendo implementada, além é claro de conversar sobre a paixão que move o setor de vendas diretas. Além do conhecimento, os três são acessíveis e práticos. Acredito que assim como eu, todos saíram do painel com belos exemplos de liderança para a vida”, reflete Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD.

Fonte: ABEVD

2019-12-20T14:28:53-03:00maio 15th, 2019|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , , |

Desafios tributários e entraves para as vendas diretas

Tema em alta no cenário econômico brasileiro, a reforma tributária foi tema da palestra comandada pelo economista Bernard Appy. Ao apresentar a sua proposta – já encaminhada ao Congresso Nacional – o especialista explicou como seria o IBS – Imposto sobre Bens e Serviços.

Bernard Appy se uniu ao diretor jurídico e de relações governamentais da Mary Kay Brasil, Eduardo Vilhena e ao diretor jurídico da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) Hélcio Honda, para debater sobre a reforma tributária e como ela pode impactar o setor de vendas diretas no Brasil.

Eduardo iniciou sua fala lembrando que o setor tem uma alta taxa de tributação e fez uma breve explicação sobre o ICMS-ST, sistema de arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) por substituição tributária. Para explicar: as empresas de vendas diretas pagam quando vendem para os empreendedores independentes o ICMS que eles deveriam recolher no momento da venda do produto.

Para calcular o ICMS-ST é preciso negociar com cada um dos estados da federação e com o Distrito Federal a MVA (Margem de Valor Agregado), ou seja, a margem de lucro que o empreendedor deveria ter.

A pergunta é: como ficaria o ICMS-ST para venda direta com a Reforma Tributária? Há duas possibilidades: os empreendedores independentes podem ser considerados pequenos empreendimentos e a tributação seria paga na venda do distribuidor para o empreendedor ou caso seja mantida a regra de substituição tributária haveria apenas uma norma para o Brasil inteiro com uma única alíquota.

Já Dr. Honda comentou sobre a perspectiva positiva que há no Congresso Nacional e as chances de aprovação da reforma tributária, após a tramitação da Previdência.

No entanto, o especialista apontou que antes da reforma propriamente dita é possível fazer mais na questão dos tributos no Brasil. Ele defendeu a simplificação de regras e comentou que a questão da MVA nunca expressa a margem real, penalizando as empresas e empreendedores e sendo um fator de inibição do crescimento do setor.

Honda falou da incompreensão das autoridades sobre o tema e lembrou que antes da reforma macro é preciso resolver assuntos mais simples.

Fonte: ABEVD

Reforma tributária entra na pauta política e econômica

Com a Reforma da Previdência caminhando no Congresso Nacional, outra reforma estruturante entrou com força no radar do Legislativo brasileiro: a tributária.

A Câmara dos Deputados estuda a criação de um grupo de trabalho para analisar a reforma tributária, após a instalação da Frente Parlamentar Mista da Reforma Tributária presidida pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF).

A frente parlamentar conta com a participação de 187 deputados e 39 senadores e tem como um dos objetivos desonerar o consumo e aumentar a alíquota cobrada sobre a renda.

Uma das ideias do governo federal é reduzir a tributação sobre o lucro das pessoas jurídicas e criar uma tributação dos dividendos pagos às empresas.

A expectativa no Congresso é que a Reforma Tributária ganhe força apenas com a votação da Reforma Previdenciária, mas já há uma movimentação em torno do tema.

O tema tributação é de extrema importância para o setor de vendas diretas e a reforma tributária pode contribuir para acabar com o ambiente concorrencial desequilibrado que há entre os diversos tipos de canais de distribuição ao propor uma equidade de tributos entre as operações, mas para isso seria importante que fosse apreciada a reforma tributária total, não se limitando aos tributos federais, mas incluindo os impostos estaduais e municipais.

O grupo de trabalho deve aproveitar parte da PEC nº 293/04, aprovada no final de 2018 na Comissão Especial da Reforma Tributária e outras propostas apresentadas ao Parlamento como a discutida pelo Centro de Cidadania Fiscal. Com a participação de Bernardo Appy, a instituição busca contribuir para a simplificação do sistema tributário brasileiro e para o aprimoramento do modelo de gestão fiscal no país

Por esta razão, Bernardo Appy é um dos convidados para o 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas que acontece no próximo dia 7 de maio, no Villa Blue Tree, em São Paulo.

Ao lado do diretor jurídico da Fiesp, Hélcio Honda, Bernardo Appy participará do talk show “Desafios Tributários nas Vendas Diretas” que será moderado pelo diretor jurídico e relações governamentais da Mary Kay Brasil, Eduardo Vilhena.

Para ver a programação completa do evento e mais informações, clique aqui e acesso o site.

Fonte: BMJ

Negócios, conhecimento e muito networking: o 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas vem aí!

Está chegando a hora. O 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas acontece no próximo dia 7 de maio, no Villa Blue Tree, em São Paulo e a expectativa é reunir mais de 500 executivos e tomadores de decisão do setor vindos de todo o Brasil e do exterior.

Pela primeira vez, o evento contará com a presença de palestrantes internacionais. O co-presidente e Chief Health and Nutrition Officer Herbalife Nutrition, John Agwunobi, falará sobre uma gestão de sucesso nas vendas diretas. A Herbalife teve resultados surpreendentes em 2018 e John vai falar sobre os passos da companhia, terceira maior empresa do mundo em vendas diretas, para atingir esse sucesso.

Juan Franco, vice-presidente de vendas da América do Sul da Royal Prestige, Miguel Beas, presidente América Latina da Jeunesse e Luiz Piccoli, da Cless, se unirão a Ivon Neves, presidente da Omnilife Brasil para debater sobre inspiração, motivação e comunicação para a força de vendas.

Estratégias de líderes

Moderado pela presidente executiva da ABEVD, Adriana Colloca, o painel com executivos de empresas de vendas diretas é um dos mais aguardados da programação.

Alvaro Polanco, presidente da Mary Kay Brasil, Erasmo Toledo, vice-presidente de venda direta da Natura e José Vicente Marino, presidente da Avon, se reúnem para falar sobre os principais desafios, perspectivas e tendências para o negócio.

Tributação em pauta

Além deste esperado encontro, outro tema sempre relevante para nosso setor são os desafios tributários. Para enfrentar esse tema contaremos com Bernard Appy, diretor do Centro de Cidadania Fiscal e mentor da proposta de reforma tributária apresentada pelo deputado Baleia Rossi e que contempla a unificação de tributos federais, estaduais e municipais: o IBS (Imposto sobre Operações com Bens e Serviços). Contribuindo para o debate, confirmou presença Hélcio Honda, diretor jurídico da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Tudo intermediado pelo diretor jurídico e relações governamentais da Mary Kay Brasil, Eduardo Vilhena.

Empreendedorismo e tecnologia

Mais do que estratégias e tributos, ainda haverá espaço para uma conversa sobre empreendedorismo e como fomentá-lo no setor. O painel Momento Empreendedor reunirá lideranças femininas: Ana Fontes, presidente do Instituto Rede Mulher Empreendedora e Rossana Sadir, presidente da Amway no Brasil. O bate-papo será mediado por Ana Costa, vice-presidente jurídica da Avon América Latina do Sul e presidente do Conselho Diretor da ABEVD. Pesquisas e desafios para mostrar as oportunidades de empreendedorismo de nosso setor vão embasar esse debate.

Pautas em alta na atualidade, a tecnologia, a inovação e a indústria 4.0 serão temas do painel “Estratégias Digitais para a Venda Direta” que terá a participação de Jordan Rizetto, vice-presidente e diretor geral da Herbalife Nutrition Brasil e Malte Horeyseck, presidente da Jafra Brasil. Professor de inovação, Luis Guedes, ex-Google, trará seu olhar de fora do setor sobre o tema e ajudará a enriquecer a discussão.

Números e transformações

Dados e números globais do setor também estão na pauta do evento. A palestra com o diretor de governança corporativa da Natura, Moacir Salzstein, apresentará informações sobre o desempenho do país em relação ao restante do mundo. Dados passados mostram tendências. Como cada participante vai lidar com essas tendências?

Para finalizar, uma palestra ministrada pelo neurocientista Pedro Calabrez que vem emocionando plateias inteiras de executivos com seu carisma e suas ideias para viver nesse mundo em constante transformação. Além de ideias inspiradoras, esse tema vai oferecer ferramentas para lidar com as relações, clientes e mercados do amanhã.

“A programação do Congresso Nacional de Vendas Diretas foi idealizada para contemplar diversas áreas das empresas e oferecer conteúdo abrangente e relevante. Temos a certeza que o evento trará um impacto positivo para todos, na medida que favorece novas ideias e melhores formas de lidarmos com os desafios de todos os dias”, diz Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD.

Não fique de fora deste momento único para o setor de vendas diretas no Brasil. Oportunidade para encontrar lideranças, promover negócios e adquirir conhecimento, o 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas está com inscrições abertas e muitas oportunidades para expor sua marca.

Para saber mais detalhes, acesse o site ou envie um e-mail para [email protected]

Fonte: ABEVD

Gestão eficiente, experiências inovadoras e tecnologia em debate no 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas

Evento terá presença de nomes reconhecidos nos mercados internacional e nacional

Expectativa é reunir mais de 600 pessoas para discutir temas relacionados à tecnologia, inovação, tributação e outros

Com o tema “Ideias Transformadoras”, o 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas contará com a presença de importantes nomes do Brasil e do exterior. O evento, organizado pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), acontece no dia 7 de maio, no Villa Blue Tree, em São Paulo.

 

Pela 1ª vez um palestrante internacional estará no Congresso da ABEVD. Direto dos Estados Unidos, o co-presidente global da Herbalife Nutrition, John Agwunobi, compartilhará sua visão mundial de vendas diretas e falará sobre os impactos positivos de uma gestão eficaz para empresas, empreendedores independentes e consumidores.

A programação do Congresso também reserva um espaço para o Encontro de Líderes. Mediado pela presidente executiva da ABEVD, Adriana Colloca, o painel contará com a participação de Erasmo Toledo, vice-presidente de venda direta da Natura, José Vicente Marino, presidente da Avon Brasil e Alvaro Polanco, presidente da Mary Kay Brasil.

Tema de extrema importância para o setor, o empreendedorismo será debatido por Ana Fontes, presidente do Instituto Rede Mulher Empreendedora e Rossana Sadir, presidente da Amway Brasil. A moderação do encontro caberá a Ana Costa, vice-presidente jurídica da Avon na América Latina do Sul.

A revolução tecnológica também terá seu momento. Jordan Rizetto, vice-presidente e diretor geral da Herbalife Nutrition Brasil e Malte Horeyseck, presidente da Jafra conversarão com Luis Guedes, ex-Google e especialista em inovação, sobre como aplicar as novas tendências do mercado da tecnologia no setor de vendas diretas.

Já o diretor do Centro de Cidadania Fiscal, Bernard Appy conversa com Eduardo Vilhena, diretor jurídico e relações governamentais da Mary Kay Brasil sobre os desafios tributários do setor.

“A programação do Congresso Nacional de Vendas Diretas foi idealizada para proporcionar conteúdo de qualidade e com relevância para os participantes. A presença de palestrantes internacionais reforça o intuito da ABEVD em sempre oferecer as principais tendências do setor”, fala Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD.

Outras palestras e painéis com nomes reconhecidos pelo setor compõem a programação do 2º Congresso Nacional de Vendas Diretas. Para saber mais detalhes acesse o site: congressonacional.staging7.abevd.org.br

A edição deste ano traz novidades para o público como: tradução simultânea, material de apoio e certificado de participação.

 

Fonte: ABEVD

 

SERVIÇO

2º Congresso Nacional de Vendas Diretas da ABEVD

Data: 7 de maio de 2019, das 8h30 às 17h30

Villa Blue Tree – R. Castro Verde, 266, Chácara Santo Antônio, São Paulo – SP

Inscrições pelo site: congressonacional.staging7.abevd.org.br

Associados ABEVD: R$ 500 (até 19/4); R$ 700 (entre 20/4 e 7/5)

Não Associados: R$ 850

 

Ir ao Topo