Início/Adicionar código antes da tag </head>. mercado de beleza

Venda direta de produtos de beleza é mais forte no Brasil

Trabalho feito por revendedores representa 26% do total de vendas e tem ajudado o setor a se reinventar em momentos de crise

Pesquisas do BCG e do Euromonitor mostram que 26% das vendas do setor de beleza são feitas por revendedores diretos no Brasil. A modalidade é duas vezes mais representativa que em países como China e Estados Unidos, onde o varejo virtual tem um peso maior. Esses dados apontam a força do setor e justificam a mudança de postura das grandes empresas brasileiras do setor de beleza.

cosmeticos

Para driblar o aumento da concorrência, diminuir os impactos da crise econômica do país e atender às necessidades do consumidor, as gigantes do mercado de beleza têm investido intensamente nos últimos anos na diversificação de seus canais de vendas.

A multicanalidade, segundo os especialistas, é uma tendência natural em momentos em que o mercado está mais concorrido e o consumidor exige a presença das marcas em canais diversos para suprir as suas necessidades.

Exemplo disso, a Contém 1g recentemente adotou a venda direta multinível como forma de acelerar o crescimento e contornar a crise causada pela retração das vendas e pela diminuição no número de investimentos no formato de franquias. “O momento pedia outro canal de venda, no sentido de agregar faturamento, e até para ajudar a ultrapassar o momento de recessão no varejo”, afirmou a gerente de expansão da rede, Joelma Francisco da Silva, em entrevista ao Jornal do Commércio de Manaus.

Hoje, a empresa, que iniciou operações no modelo de venda direta no segundo semestre de 2016, já conta com mais de 12 mil revendedores e o canal já representa cerca de 50% do faturamento total da Contém 1g. Com bons resultados no setor, a empresa espera chegar, até o final deste ano, aos 100 mil revendedores diretos e fortalecer ainda mais a sua marca no mercado de beleza brasileiro.

Fonte: Folha de S.Paulo e Jornal do Commércio de Manaus

2019-12-20T14:51:13-03:00agosto 3rd, 2017|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Quatro tendências do mercado de beleza para a próxima década

Pesquisa aponta fatores que serão determinantes para o setor até 2025

Inovar é o caminho para as marcas de beleza continuarem a se destacar nos negócios. Essa é a recomendação de uma pesquisa realizada pelo departamento de Beleza e Cuidados Pessoais, da Mintel, agência de inteligência de mercado. Além disso, os dados apontam as quatro tendências principais para a próximas décadas.

Até 2025, espera-se que a integração entre os métodos tradicionais de vendas e os dispositivos tecnológicos desenvolva novos modelos de negócio, envolvendo questões econômicas e socioambientais. Além do consumo consciente e do desafio de crescer no mercado de beleza, as grandes marcas terão que atentar para os seguintes fatores:

O humano aumentado
Cada vez mais, os consumidores têm optado por marcas de beleza que oferecem, além de seus produtos tradicionais, dispositivos eletrônicos que ajudem os usuários a monitorar a saúde e o bem-estar.

Os padrões de qualidade e nível de exigência dos clientes têm mudado e, inevitavelmente, as organizações vão ter que investir em tecnologia e centros de estudos. Por isso, o desenvolvimento de produtos em realidade aumentada será cada vez mais comum nos próximos anos.

Água: o novo luxo
Para limitar a dependência de água, as marcas de beleza terão que alterar o modo como fabricam e formulam seus produtos. Diante da inviabilidade de manter os padrões de consumo adotados hoje, as empresas que desenvolverem ações que evitam o desperdício e contribuem para a preservação do recurso natural irão se destacar. Dessa forma, esses novos produtos vão se tornar diferenciais de mercado, com uma nova proposta que prioriza a qualidade, a exclusividade e a sustentabilidade.

O poder do jogo
Em geral, os consumidores buscam melhorar a saúde e o bem-estar. Por isso, as marcas precisam mostrar como seus produtos podem ajudar no desempenho e no vigor de seus clientes. Mais do que criar produtos que combatem a fadiga, é preciso promover a parceria com empresas de alimento, bebida e lazer para criar variantes de produtos que promovam um estilo de vida saudável.

Aproveitar as oportunidades e a potencialidade do mercado é, inclusive, uma das principais tendências para a próxima década.

Gastronomia
Com o passar dos anos será comum observar que, cada vez mais, os produtos de beleza sairão das sombras dos laboratórios e ganharão os balcões das cozinhas dos consumidores. Essa tendência é impulsionada por um desejo dos consumidores de se sentirem no controle dos produtos que usam.

Pensando nisso, as marcas terão que mudar o foco de suas atividades e realçar os processos artesanais de produção. Além disso, é importante envolver os consumidores nas etapas de criação, garantindo, assim, que os produtos de beleza e cuidados pessoais sejam mais pessoais e atraentes.

Fonte: Mintel

2019-12-20T14:58:35-03:00fevereiro 4th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |
Ir ao Topo