Quatro tendências do mercado de beleza para a próxima década

Pesquisa aponta fatores que serão determinantes para o setor até 2025

Inovar é o caminho para as marcas de beleza continuarem a se destacar nos negócios. Essa é a recomendação de uma pesquisa realizada pelo departamento de Beleza e Cuidados Pessoais, da Mintel, agência de inteligência de mercado. Além disso, os dados apontam as quatro tendências principais para a próximas décadas.

Até 2025, espera-se que a integração entre os métodos tradicionais de vendas e os dispositivos tecnológicos desenvolva novos modelos de negócio, envolvendo questões econômicas e socioambientais. Além do consumo consciente e do desafio de crescer no mercado de beleza, as grandes marcas terão que atentar para os seguintes fatores:

O humano aumentado
Cada vez mais, os consumidores têm optado por marcas de beleza que oferecem, além de seus produtos tradicionais, dispositivos eletrônicos que ajudem os usuários a monitorar a saúde e o bem-estar.

Os padrões de qualidade e nível de exigência dos clientes têm mudado e, inevitavelmente, as organizações vão ter que investir em tecnologia e centros de estudos. Por isso, o desenvolvimento de produtos em realidade aumentada será cada vez mais comum nos próximos anos.

Água: o novo luxo
Para limitar a dependência de água, as marcas de beleza terão que alterar o modo como fabricam e formulam seus produtos. Diante da inviabilidade de manter os padrões de consumo adotados hoje, as empresas que desenvolverem ações que evitam o desperdício e contribuem para a preservação do recurso natural irão se destacar. Dessa forma, esses novos produtos vão se tornar diferenciais de mercado, com uma nova proposta que prioriza a qualidade, a exclusividade e a sustentabilidade.

O poder do jogo
Em geral, os consumidores buscam melhorar a saúde e o bem-estar. Por isso, as marcas precisam mostrar como seus produtos podem ajudar no desempenho e no vigor de seus clientes. Mais do que criar produtos que combatem a fadiga, é preciso promover a parceria com empresas de alimento, bebida e lazer para criar variantes de produtos que promovam um estilo de vida saudável.

Aproveitar as oportunidades e a potencialidade do mercado é, inclusive, uma das principais tendências para a próxima década.

Gastronomia
Com o passar dos anos será comum observar que, cada vez mais, os produtos de beleza sairão das sombras dos laboratórios e ganharão os balcões das cozinhas dos consumidores. Essa tendência é impulsionada por um desejo dos consumidores de se sentirem no controle dos produtos que usam.

Pensando nisso, as marcas terão que mudar o foco de suas atividades e realçar os processos artesanais de produção. Além disso, é importante envolver os consumidores nas etapas de criação, garantindo, assim, que os produtos de beleza e cuidados pessoais sejam mais pessoais e atraentes.

Fonte: Mintel

2019-12-20T14:58:35-03:00fevereiro 4th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

Case Avon: Beleza que faz sentido

Com mais de 1,5 milhão de revendedoras no Brasil, Avon pretende empoderar a mulher

Há 59 anos no mercado brasileiro, a empresa que tem a sua história muito atrelada ao nosso país é tida como “mais brasileira das multinacionais”, de acordo com o vice-presidente de marketing comercial da empresa, Ricardo Patrocínio, que explica: “A história da Avon se confunde com a história do cosmético no Brasil, elas andam em paralelo. Existe essa sensação de que é uma empresa brasileira, mas é americana”, em entrevista feita para a Propmark.

Porém, a importância do mercado brasileiro não pode ser ignorada pela empresa, são mais de 1,5 milhão de revendedoras, além da liderança em vendas na categoria maquiagem. “O Brasil é a maior operação da Avon no mundo e isso faz a gente investir aqui, desenvolvendo linhas específicas”, declara Patrocínio. Com a quantidade de autônomas que vendem produtos da marca, a organização acaba chegando em lugares onde outras não chegam.

Em junho de 2015, foi lançada a campanha “Beleza que faz sentido“, que é “uma jornada rumo a um conceito de beleza plural, tendo como protagonistas mulheres reais, representadas por nossas revendedoras”, conceitua o hotsite da campanha. Mais do que falar sobre a beleza, a ação conta, por meio de histórias, exemplos inspiradores como “recorte no universo de possibilidades de empoderamento feminino“.

Uma das formas de dar esse poder para as mulheres é por meio da sua independência financeira. “A Avon tem uma combinação perfeita que chamamos de ciclo da beleza. Nós temos produtos de qualidade, que transformam a vida das pessoas a partir da valorização da autoestima. A venda desses cosméticos é feita através de revendedoras autônomas que conquistam o próprio lucro e definem o quanto querem ganhar”, explica o VP de marketing comercial e completa: “Quando a mulher tem essa autonomia, ela encoraja outras mulheres. É isso que chamamos de ciclo de beleza”.

De acordo com Patrocínio, o propósito da Avon é divulgar a beleza para além do glamour.  E a campanha coloca a revendedora no centro da ação, como um exemplo de vida. “É importante ressaltar que esse não é um posicionamento de bandeira, mas sim de reforçar a equidade de gênero. Isso já é tão natural nosso, que acaba se confundindo. É da essência da empresa”, ressalta.

Fontes: Propmark e Beleza que faz sentido.

2019-12-20T15:10:30-03:00janeiro 20th, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Vendas diretas atraem público masculino

Brasil deve superar os EUA e tornar-se o maior mercado de cosméticos masculinos

Mais vaidosos e atentos às novidades, os homens destacam-se como clientes em potencial para as vendas diretas. Dados de um estudo realizado pela consultoria Euromonitor mostram que o Brasil deve superar os EUA e tornar-se o maior mercado de cosméticos masculinos em 2019. Somente no ano passado, o setor movimentou 4,7 bilhões de dólares no país, índice apenas 35% inferior ao registrado nas vendas norte-americanas.

Atentos à mudança de comportamento dos homens, as marcas têm adotado uma nova forma de se comunicar com o público masculino, que tem exigido atenção e produtos para atender aos novos hábitos de consumo. Exemplo disso, a Natura segmenta seus consumidores a partir de hábitos e valores, ao contrário do que era feito antes. “Os cuidados com a barba, por exemplo, têm crescido consideravelmente, porque os homens querem qualidade e resultado nos produtos. O que antes usava gel para cabelos, hoje migrou para ceras, pastas, argilas modeladoras. Estamos, em nosso laboratório, identificando as necessidades do mercado brasileiro, pois não é só mudar o rótulo dos produtos femininos, são formulações diferentes para cada um”, afirma o diretor de desenvolvimento de produtos da Natura, Alessandro Mendes.

Seguindo a mesma lógica, o comércio eletrônico também tem ganhado forças dentro do segmento, porque supre as necessidades por produtos personalizados para os homens. Assim, é mais fácil distinguir o público que demanda mais atenção e proporcionar experiências de compra com privacidade e exclusividade.

Fonte: Propaganda & Marketing – SP

2019-12-20T15:10:31-03:00dezembro 4th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , , |

Vendedores diretos de cosméticos representam 15% da indústria de beleza

Em 2013, este mercado gerou uma receita de US$ 204,61 bilhões, 1,9% a mais em comparação a 2012

O setor de beleza publicou seu relatório anual o “Beauty Inc. Top 100”. Essa lista classifica os maiores fabricantes de beleza do mundo com base em vendas anuais e mostrou que as empresas de vendas diretas estão crescendo consideravelmente.
Para grande parte das 100 empresas, o ano de 2013 foi positivo e 77 companhias tiveram receitas positivas. Somente no ano passado, a indústria da beleza gerou uma receita de US$ 204,61 bilhões, e as empresas de venda direta representam 15% deste TOP 100.
Com a geração de aproximadamente 15% das vendas no setor de cosméticos, a marca francesa L’Oreal é a líder da indústria. A brasileira Natura ocupa a 18ª posição no TOP 100, o Grupo Boticário e 34ª e a Niely aparece na 75ª posição. Confira a posição das marcas que atuam no marcado nacional:
06. Avon Products
15. Mary Kay
18. Natura Cosméticos
34. Grupo Boticário
46. Jafra Cosmetics International
49. Tupperware Brands Corp.
75. Niely do Brasil Industrial
99. Herbalife
Para ver a lista completa, clique aqui. https://directsellingnews.com/index.php/view/direct_sellers_make_up_15_of_beauty_industrys_top_100#.U_96IcVdV1Y
 

2019-12-20T14:06:09-03:00setembro 15th, 2014|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |
Ir ao Topo