Disrupção digital nas vendas diretas

Empresas e revendedores têm adaptado seus modelos de negócio para o mercado digital

Anualmente o setor de vendas diretas movimenta, em média, 180 bilhões de dólares em todo o mundo e continua a crescer, mesmo em tempos de crise. Para estimular as atividades e melhorar ainda mais os resultados do setor, os representantes e as grandes marcas estão descobrindo maneiras de expandir suas atividades para o ambiente virtual.

Com a chegada da internet, uma série de mudanças nos processos de compra e venda de produtos tornaram-se realidade. Um novo consumidor, mais poderoso e informado, domina o ambiente digital, influencia suas redes e interage com os fabricantes e seus representantes de forma direta, estabelecendo o novo padrão de serviço e consumo de acordo com suas experiências.

Dessa forma, atuar em canais digitais é fundamental para aumentar a influência, otimizar o fluxo de informações e melhorar a experiência de compra de seus clientes de forma mais ampla.

Algumas empresas desenvolveram sistemas de colaboração que permitem a sua presença em redes sociais facilite o intercâmbio de informações para multiplicar a eficácia das vendas, recrutar novos vendedores e aproximar-se do consumidor final.

Mais além, as grandes marcas passaram a integrar as plataformas de comércio eletrônico com suas forças de vendas. Neste modelo, cada vendedor administra uma página da web com um catálogo de produtos, preços e promoções, e passa a utilizar a internet para concretizar suas vendas.

Fonte: However gA

2019-12-20T14:53:33-03:00junho 3rd, 2016|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |

Como tornar o seu negócio de venda direta mais digital

Potencialize as suas lideranças e use a tecnologia à favor dos seus negócios

O mercado de venda direta é cada vez mais competitivo. Para se obter sucesso em tempos de concorrência acirrada e de profundas transformações nas relações entre clientes e empresas, o revendedor direto precisa pensar além dos já habituais processos de iniciação de uma nova operação. A priorização do negócio, a viabilidade financeira, os treinamentos, entre outros serviços que servem como base para um empreendimento, terão que dividir espaço, igualmente, com a tecnologia. Confira abaixo, uma lista realizada pela Direct Selling News, que mostra a importância de se adaptar e que dá algumas dicas de como a tecnologia pode ajudar o seu negócio a decolar:

1. Gerar líderes qualificados e melhorar a conversão

Muitos revendedores diretos introduziram novas ferramentas, para melhorar os esforços de comunicação e geração de líderes. Uma vez que uma liderança potencial for identificada, o líder pode levar rapidamente a comunicação para os outros revendedores. Leve em conta algumas perguntas: quais as ferramentas e sistemas que autorizam um cliente interessado a buscar mais informações? Que obstáculos existentes podem inibir a conversão de clientes? Muitas vezes, uma avaliação de otimização de conversão de ferramentas atuais aponta algumas oportunidades de melhoria.

2. Melhorar a integração, capacitando sua equipe de vendas

Formação e engajamento são a oportunidades mais eficazes disponíveis para o crescimento de alto impacto para uma organização. Há uma série de cursos e soluções personalizadas, incluindo uma variedade de “softwares como serviço” (da sigla em inglês SaaS – software as a service), que são plataformas que podem ajudar sua empresa a melhorar a formação dos revendedores.

3. Forneça ferramentas que permitam aos revendedores realizarem transações a qualquer hora, em qualquer lugar

Os consumidores estão agora no controle das informações, e mais o importante, quais os tipos de mensagens que eles querem ver. Os consumidores esperam conectividade generalizada, ou seja, com diversidade de canais e experiências de marca. Deve-se oferecer ferramentas digitais para viabilizar operações rápidas e precisas entre empresa, força de vendas e consumidores.

4. Coletar dados que conectem empresa, os revendedores e os consumidores de novas maneiras

Pensar que a maioria das organizações têm sistemas de armazenamento de dados integrados é algo ambicioso, na melhor das hipóteses. Apesar de ser um grande objetivo, é necessário um bom tempo para se conectar todo um sistema de informações. No entanto, os revendedores diretos podem começar a tomar medidas para expor e usar dados extremamente importantes que podem ser utilizados em esforços de marketing atuais.

5. Incentivar a inovação e testar iniciativas de tecnologia de alto risco nos ambientes de baixo risco

Revendedores diretos devem investir tempo e recursos para permanecer conectados. Com a inclusão de mecanismos que introduzem novas ideias, que rigorosamente as priorizam, bem como o controle de custos, você pode limitar o risco e acelerar resultados. Quando você opta por introduzir práticas de inovação, você está trilhando o caminho do qual a organização pensa, age e opera.

 

2019-12-20T14:05:43-03:00fevereiro 4th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Quando a Venda Direta torna-se digital

É hora de se adaptar e ser flexível com as mudanças promovidas pela era da informação

Vivemos uma nova era. Novas formas de se comunicar e de se autopromover, alteraram os padrões de relacionamento entre empresa e consumidor. Ser adaptável e flexível não é mais um diferencial, e sim uma obrigação para o empreendedor que enxerga o futuro.

Brian Solis, autor especialista em comércio e futuro, foi quem primeiro utilizou o termo Darwinismo Digital, que define, exatamente, o momento em que a tecnologia e a sociedade começaram a se mover com mais velocidade do que a capacidade da maioria das empresas de se adaptarem a um novo ecossistema.

O novo contexto é dinâmico, e entre oportunidades e ameaças que surgiram com esse novo cenário, o maior desafio para as empresas de venda direta é a velocidade. A rapidez como as coisas estão mudando levanta questões importantes para as organizações, que agora devem refletir sob a ótica de um novo conceito, os melhores caminhos para o investimento dos seus recursos.

Outro desafio é que agora há uma lacuna geracional entre os Baby Boomers e a geração do milênio. Esta última geração, a do milênio, está começando a entrar no mercado de trabalho, e além de superar os Baby Boomers, também supera a Geração X no quesito tecnologia. Pela primeira vez na história, a mudança no poder de compra está nas mãos dos nativos digitais, ou seja, pessoas que cresceram durante a era digital. A maioria das organizações de vendas diretas agora enfrenta um desafio semelhante: como conquistar esse enorme grupo de consumidores?

A venda direta e a oportunidade de definir o padrão para o mercado

Este tipo de oportunidade requer a capacidade de compreender as necessidades que estão em constante evolução nas vendas diretas. É preciso ficar atento ao mercado para o consumidor em constante mudança, a melhora e a eficiência entre os distribuidores e os consumidores, gerenciar os requisitos de marca por meio de canais de consumo inéditos, e fornecer uma experiência superior ao longo de toda a cadeia de valor.

As novas tecnologias criaram uma mudança no poder do fornecedor para o consumidor. Os meios de comunicação evoluíram e passaram de mídia impressa, incluindo catálogos e mala direta, para tecnologias digitais, incluindo web, e-mail, e-commerce, além dos cupons digitais, que podem ser acessados a qualquer momento e em qualquer lugar.

Organizações de vendas diretas devem encontrar maneiras novas e não-tradicionais para ambos crescerem e fomentarem relacionamentos significativos em lugares onde as mensagens têm mais probabilidades de serem ouvidas e recebidas. O caminho é simples: as empresas de venda direta devem investir na tecnologia para conquistar de forma eficaz esta grande oportunidade.

Comece com a mudança na forma de pensar – trate a tecnologia como um produto, não como um complemento

A maioria das organizações pode começar por mudar o seu pensamento. Em vez de tratar a tecnologia como um complemento, ela deve ser tratada como um produto. Pensar dessa maneira requer uma mentalidade e, dependendo das circunstâncias, um processo de construção exclusivo diferente. Quando bem feito, as organizações conseguem equilibrar mentalidade da construção versus comprar, resultando em experiências produtivas orientadas para tecnologias que produzem resultados.

 

2019-12-20T14:05:44-03:00fevereiro 2nd, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |
Ir ao Topo