Início/Adicionar código antes da tag </head>. redes sociais

Internet facilita na hora de comprar e amplia o negócio de empreendedores brasileiros

Redes facilitam processos de compra e venda e encurtam o espaço entre o produto e o consumidor

A internet está cada vez mais presente na rotina de compras dos brasileiros. Seja por sites especializados ou via redes sociais, é difícil encontrar uma pessoa que ainda não tenha comprado algo pelo computador. Por isso, os lojistas cada vez mais se adaptam ao novo perfil do consumidor e disponibilizam serviços diferenciados na rede. Para os vendedores com menores estruturas, a internet também ajuda diretamente a ampliar o ritmo das vendas.

Um exemplo são as lojas virtuais. A Feirinha do Desapego, em Chapecó, Santa Catarina, foi criada por Angélica e um grupo de amigas para organizar um brechó, e hoje reúne hoje quase 18 mil pessoas. “O grupo foi criado para organizar e combinar o dia que iríamos realizar o brechó. Mas várias pessoas começaram a entrar, ele foi crescendo e o pessoal começou a usá-lo para se desfazer de produtos e vender, como num brechó mesmo”, relembra Angélica. O grupo reúne pessoas de várias partes do país.  “O que você vende muitas vezes é enviado para outros lugares fora do estado e não teríamos como mandar se não tivesse um meio eletrônico para isso”, conta Angélica.

Na página, as pessoas podem vender roupas e objetos que não usam mais. Há pouco mais de dois meses, Rosana resolveu participar e já fez vários negócios. Ela aproveitou um espaço na própria casa para separar as peças que quer vender. “As pessoas vêm de vários lugares da cidade e acabamos criando um vinculo. Fazemos negócios e amigos!”, diz Rosana.

2019-12-20T12:35:27-03:00fevereiro 25th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , |

Empresas de vendas diretas estão utilizando o Instagram para se aproximar dos clientes

A utilização deste aplicativo tem se tornado cada vez mais comum e perfis têm desde promoções à fotos de lançamentos

Provavelmente, você conhece alguém que tenha comprado uma roupa após ter visto uma foto no perfil de alguma rede social de uma empresa. Para alguns, as fotos publicadas no Instagram, por exemplo, são um convite para as compras. Hoje, cerca de 300 milhões de usuários acessam este aplicativo todos os meses e com este novo quadro, empresas de diversos segmentos têm aproveitado as facilidades dessa rede social para se conectar com os clientes.

A agilidade para interagir e navegar no Instagram é um dos diferenciais do aplicativo – mesmo com publicações feitas apenas por smartphones e tablets, e o conteúdo exclusivamente de fotos ou vídeos de até 15 segundos. “Com estas funcionalidades, as empresas podem utilizar o Instagram de forma ágil e instantânea, divulgando fotos de produtos, equipe, ambiente de trabalho (em alguns casos) e, principalmente, cobertura de eventos”, diz o gerente de atendimento da 80 20 Marketeria Digital, Leonardo Carlucci.

De acordo com o Instagram, mais de 70 milhões de fotos são publicadas por dia, média de 800 publicações por segundo. Uma grande parte dela são de empresas. Leonardo conta que a procura das empresas para conteúdos nesta rede tem sido grande. “Está casa vez mais fácil ter um smartphone ou um tablet, somando a facilidade de publicação de fotos, interação com os celulares e a rapidez”, diz.

Não existe uma restrição e qualquer tipo de empresa e seguimento pode aproveitar as oportunidades do Instagram. Mas para cada negócio é preciso ter um conteúdo de qualidade e linguagem específica, ou seja, é importante conhecer o perfil do público que se deseja impactar.

O perfil de uma empresa de tinta, por exemplo, pode trazer dicas relacionadas a decoração, cores, pintura, tendências da área, entre outros. Isso também pode ser aplicado para as empresa de vendas diretas. As lojas de roupas ou cosméticos podem ambientar seus produtos, divulgando os detalhes, características, com o foco de transmitir um desejo ao cliente.

Mas é necessário ficar atento e atualizar sempre o perfil, pois deixá-lo desatualizado pode levar os seguidores a se esquecerem da marca. Também é preciso responder os comentários e as críticas, e caso a empresa esteja errada é preciso assumir a falha e contornar a situação com o cliente.

 

2019-12-20T14:05:43-03:00fevereiro 18th, 2015|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Conheça os hábitos de consumo na internet

Estudo acadêmico mostra como é o uso do banco de dados nas ações de marketing para venda direta

Hoje, a tecnologia está presente em todos os aspectos da nossa sociedade, principalmente na profissional. E no caso da venda direta, isso não é diferente.

Em trabalho acadêmico, realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, “Venda direta. Um estudo dos hábitos de consumo na internet e do uso de banco de dados nas ações de marketing direto”, o autor, Leonardo Brenner Fleck, descreve o mercado de venda direta no Brasil, apresentando alguns conceitos sobre o marketing direto no ambiente da internet.

Por meio de ferramentas, como data-mining ou mineração de dados, ele mostra que é possível usar informações de um grupo de usuários armazenadas em um banco de dados, para enviar mensagens e oferecer serviços designados especialmente para estes clientes. Além disso, o artigo mostra que além da internet, outros canais de distribuição como colegas da escola, colegas do trabalho, amigos e familiares continuam sendo utilizados em certos segmentos da venda direta.

2019-12-20T11:43:36-03:00novembro 26th, 2014|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , |

Facebook ajuda no crescimento das vendas diretas

Plataforma reúne cerca de 1,35 bilhão de pessoas em todo o mundo, e tem como um dos seus príncipais objetivos auxiliar no crescimento dos negócios de empresas

Em novembro, vice-presidente de Soluções Globais de Marketing para PMEs do Facebook,  Dan Levy, participou de palestra no XIV Congresso Mundial de Associações de Empresas de Vendas Diretas, que foi realizado no Rio de Janeiro. Segundo Levy, “o Facebook é uma extensão da vida das pessoas e um importante canal para conexão entre consultores e consumidores, que cria infinitas oportunidades para pequenos e médios empresários ampliarem suas relações e fazerem seus negócios crescerem”.

Atualmente, mais de 30 milhões de pequenas e médias empresas, o que inclui distribuidores de venda direta, estão presentes no Facebook com páginas próprias. Além disso, 70% das pessoas na rede social estão conectadas a empresas desse porte. “Um empreendedor com uma página no Facebook e um smartphone em mãos tem à disposição uma ferramenta com grande alcance e alto potencial para o desenvolvimento de seus negócios, com agilidade e efetividade”, afirma Levy.

A vice-presidente de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, reafirmou a importância da rede social para ampliar as vendas diretas. “Por meio do Facebook, é possível segmentar as ações de marketing exatamente de acordo com as características e preferências de seus diferentes públicos-alvo. Os consultores já fazem isso há muito tempo, pelo contato pessoal com seus clientes, conhecendo-os profundamente e atendendo-os de maneira personalizada. O Facebook pode ajudar os pequenos empresários a escalonarem seus conhecimentos e suas experiências com vendas por relacionamento”, disse.​

Para Dan Levy, o Facebook abre importantes possibilidades para as marcas das empresas, “dando visibilidade e potencializando as conexões que já existem no mundo real para o ambiente virtual”. A rede social pode, portanto, ser mais um instrumento para estender relações e alavancar as vendas do setor.

Composto por empresas de diversas atividades, como cuidados pessoais, utensílios domésticos, suplementos nutricionais, serviços, entre outros, o setor de vendas diretas movimentou no ano passado cerca de US$ 180 bilhões em todo o mundo e mais de R$ 30,6 bilhões apenas no Brasil, crescimento de 7,2% em relação ao ano anterior. O país está entre os cinco maiores mercados de vendas diretas no mundo.

2019-12-20T14:05:46-03:00novembro 24th, 2014|Categories: ABEVD Clipping|Tags: , , , |
Ir ao Topo