Setor já vinha de uma queda de preços de 0,45% em maio

Os serviços consumidos pelas famílias registraram deflação de 0,26% em junho, após queda de 0,45% em maio, mostram dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Para Pedro Kislanov, gerente de índices de preços do IBGE, o resultado mostra como a demanda seguiu enfraquecida durante a pandemia em junho. “Difícil falar em retomada da economia ou mudança nesse sentido diante desse resultado”, disse ele.

Pixabay

Dados divulgados pelo IBGE mostraram que a inflação oficial do país, medida pelo IPCA, acelerou para 0,26% em junho, após queda de 0,38% em maio. Para Kislanov, porém, o movimento é basicamente explicado por itens administrados.

“Preços administrados como gasolina e medicamentos tiveram aumento de preços em junho. São itens com preços controlados, sem relação direta com a demanda”, disse ele.

Dos itens em queda em serviços estão passagens aérea (-26,01%), transporte por aplicativo (-13,95%), pintura de veículo (-1,19%) e manicure (-0,48%) , por exemplo, todos afetados pelas medidas de isolamento social durante a pandemia.

Em outro levantamento divulgado nesta sexta-feira pelo IBGE, o setor mostrou queda do volume de serviços prestados de 0,9% em junho ante maio, no 4º mês seguido de perdas.

Fonte: Valor Econômico