O trabalho de influenciador digital teve um boom nos últimos dois anos com a pandemia de covid-19. O crescimento se deu pelo aumento do consumo de conteúdo nas redes sociais e as marcas estão atentas a isso, segundo dados da empresa de monetização LTK.

Só em setembro de 2021 houve um aumento de 856% nas vendas através influenciadores e essa porcentagem representou um uma receita maior que R$100 milhões para marcas parceiras.

“Segundo a Associação Brasileira de Empresa de Vendas Diretas (Abevd), desde o início do ano passado, jovens brasileiros entre 18 e 29 anos representam 48,1% dos empreendedores independentes atuando com vendas diretas no país”, relata a empresa.

Mês a mês, o segmento de beleza é o mais bem sucedido em vendas na LTK – entre os produtos mais pedidos do último mês estão o Shampoo Antiqueda Vichy Dercos, o Óleo Capilar Wella Professionals Oil Reflections e os kits de tratamento para os cabelos da Eudora.

Em setembro também cresceram em 1361% os pedidos na LTK e em 405% os acessos a sites de marcas parceiras (as que mais venderam foram Casas Bahia, Fastshop, Eudora, O Boticário e C&A). Desde o começo do ano, a plataforma já impulsionou mais de R$100 milhões em receita para marcas parceiras do Brasil e prevê alcançar a marca dos R$200 milhões até o fim de 2021.

A LTK conecta influenciadores e marcas para que juntos possam trabalhar em campanhas e gerar conteúdo pago, garantindo uma comissão a quem criou o conteúdo e rastreando todas as vendas realizadas. “Em 10 anos já vendemos 10 US$ bilhões. No Brasil, tivemos aumento de 1050% nas vendas impulsionadas por influenciadores e devemos alcançar R$375 milhões em 2022”, afirma Phil Kauders, head da empresa na América Latina.

https://bit.ly/32f3FUz